quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

A AUTORIDADE COMPLETA DA FÉ

“…E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda”(At.3.1-6). Nesse primeiro milagre realizado pelos discípulos, foi-nos dada a chave para ser usada por todos os crentes ao exercer a autoridade de fé.

Ao ordenar a cura para o homem coxo, Pedro emprega o nome/título completo de nosso Senhor: Jesus Cristo (Messias), o Nazareno. Jesus (Joshua ou Yeshua) era um nome comum entre os judeus e, atualmente, continua sendo em muitas culturas. Mas a declaração de seu nome e título completos, prática notável em Atos, parece uma boa e funcional lição para nós.

Em nossa confissão de fé ou proclamação de poder, confesse sua divindade e seu domínio como o Cristo (Messias); use seu precioso nome, Jesus (Salvador). Invoque-o como Senhor Jesus Cristo, Jesus Cristo, Jesus o Nazareno, sem que haja qualquer exigência legal ou ritual nesse momento.

Mas vale a pena lembrar que, assim como oramos em nome de Jesus, nós exercemos toda a autoridade nele – pelo privilégio do poder que ele nos deu em seu nome.

Ao lermos Atos 3.16 = “E, pela fé no seu nome, fez o seu nome fortalecer a este que vedes e conheceis; e a fé que é por ele deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde”. Imediatamente após o derramamento do Espírito no Pentecoste, é declarado: muitos prodígios e sinais foram realizados pelos apóstolos.

O Cap. 3 de Atos dá o relato da cura de um homem coxo desde o nascimento, fato bastante conhecido por todos em Jerusalém. Pedro atribuiu a cura não unicamente a poderes humanos, mas a fé em nome de Jesus.

Constatamos que a cura se dá através da fé em nome de Jesus. Na disposição cultural da Bíblia, um nome não se separava da pessoa que a possuía, e o próprio nome de Jesus Cristo “Salvador Ungido”. Portanto, Pedro está dizendo que foi o Messias em sua plenitude que curou o homem. Além disso, o poder do milagre não estava na fé que Pedro tinha, mas na fé que é por ele.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz