domingo, 4 de fevereiro de 2018

NÃO ESPERE PARA ORAR

Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões. (Salmos 51.1) 

Você deve orar quando estiver no calor da tentação – quando sua mente estiver ocupada com pensamentos de luxúria ou de vingança.

Se alguém estimulá-lo a orar sob essas circunstâncias, a sua mente frequentemente insistirá que você é impuro – como se os seus pensamentos sujos não deixassem espaço para a oração.

Mas você não deve esperar a tentação terminar nem esperar os pensamentos de lascívia e outros pecados desaparecerem totalmente da sua mente para começar a orar.

No exato momento em que você sentir a tentação mais forte e estiver menos preparado para orar, vá a um lugar onde possa ficar sozinho. Ore a oração do Pai-Nosso ou qualquer outra oração na qual você consiga pensar para defender-se do Maligno e de suas tentações. Então você sentirá a tentação diminuir, e Satanás fugirá.

Aqueles que pensam que você deveria esperar até a sua mente ficar livre de pensamentos impuros para orar só ajudam Satanás, que já está muito forte.

Esperar para orar é uma abordagem anticristã à oração. É um ensino que vem do Maligno.

Para proteger a si mesmo de acreditar nesse tipo de ideia equivocada, você deve seguir o exemplo de Davi nesse salmo.

Mesmo depois de Davi admitir seu terrível pecado com Bate-Seba, ele não fugiu de Deus. Ele não disse o que Pedro tolamente disse enquanto estava no barco: “Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador!” (Lc 5.8).

Em vez disso, Davi confiou na misericórdia de Deus e começou a orar: “Senhor, mesmo sendo um pecador, tenha misericórdia de mim”.

O momento em que você mais sente os seus pecados é exatamente o momento em que você mais necessita orar a Deus.

Retirado de  Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz