sexta-feira, 20 de abril de 2018

RELEMBRANDO O SENHOR


E encontrou-se nela um sábio pobre, que livrou aquela cidade pela sua sabedoria, e ninguém se lembrava daquele pobre homem (Eclesiastes 9:15).

Antes de deixar esse mundo, o Senhor Jesus Cristo deu aos Seus discípulos os meios para que se lembrassem dEle, dizendo-lhes o seguinte, enquanto distribuía o pão e o cálice: “fazei isto em memória de mim”.

Portanto, é privilégio daqueles que amam o Senhor lembrarem-se dEle semana após semana, pensando em Seu grande amor, entregando-se para morrer por eles, para libertá-los do poder do pecado, da morte, e de Satanás e para conduzi-los ao conhecimento de Deus e de Seu amor.

O memorial do Senhor pode ter sido privado de sua simplicidade pelos grandes sistemas religiosos da cristandade, a ponto de muitos que participam da ceia do Senhor não serem verdadeiros discípulos.

Mas ainda existem aqueles, os quais com devoção ao seu Senhor ausente, lembram-se dEle com um coração verdadeiro. Eles consideram tal lembrança seu maior privilégio, enquanto aguardam Ele vir chamá-los para estarem, para sempre, com Ele na casa do Pai, onde não haverá mais necessidade do memorial.

Desde os dias da rejeição de Cristo pelo mundo, Deus cuidou para que Seu Filho não fosse esquecido.

Como deve alegrar o coração do Senhor ao ver Seu povo relembrando tudo que Ele passou por amá-los, ao agirem do modo que Ele deseja.

Para aqueles que são Seus, a comunhão de Sua morte é doce, tendo suas alegrias peculiares. Eles também sabem que onde dois ou três estiverem reunidos em Seu nome, o Senhor estará no meio deles.

Assim, enquanto o Senhor Jesus Cristo é caracterizado como o pobre homem sábio, e como aquele pobre homem do passado, é esquecido pelo mundo; também existe um bendito contraste.

Enquanto nenhum homem lembrou-se “daquele pobre homem”, muitos existem que alegremente se lembram do Homem Jesus, Aquele que tornou-se pobre, para que nós, por meio de Sua pobreza, fossemos tornados ricos (2 Coríntios 8:9).

Extraído Devocional Diário Boa Semente

Por Litrazini
Graça e Paz