domingo, 13 de maio de 2018

O SERVO DO SENHOR


Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. (Isaías 42.1)

Na segunda parte do livro de Isaías encontramos quatro cânticos conhecidos como Cânticos do Servo. Há muita controvérsia sobre a identidade desse servo. Alguns consideram que seria alguém como Isaías ou Jeremias, enquanto para outros seria o retrato coletivo de Israel ou dos remanescentes piedosos dentro de Israel.

Porém, o Novo Testamento entende que o Cântico do Servo se cumpriu em Jesus. Em seus primeiros sermões, registrados no livro de Atos, Pedro se refere a Jesus como “servo” por quatro vezes.

Paulo escreveu que ele “tomou a forma de servo” (Fp 2.7). Há ainda muitas citações e referências nos capítulo 42 a 53 de Isaías e no ensino do próprio Jesus.

Os quatro Cânticos do Servo oferecem diferentes imagens do servo do Senhor. No primeiro (Is 42.1-40) o servo é retratado como um mestre, ensinando com mansidão, dotado do Espírito e alcançando os povos.

No segundo (Is 49.1-6) o servo é retratado como um evangelista. A ênfase agora está nas nações distantes. “Para você é coisa pequena demais”, disse Deus ao seu servo, “restaurar as tribos de Jacó e trazer de volta aqueles de Israel que eu guardei”; o Senhor também faz de seu servo “uma luz para os gentios” para levar a sua salvação “até os confins da terra” (v. 6). Paulo usou esse versículo para justificar sua corajosa decisão de evangelizar os gentios (At 13.46-47).

No terceiro, o servo é retratado como um discípulo (Is 50.4-9), pois é evidente que não se pode ensinar sem primeiro ouvir e aprender. É por esta razão que Javé desperta o ouvido de seu servo “manhã após manhã” (v. 4). Ele primeiro precisa abrir seu ouvido, antes de abrir a boca, mesmo que o que ele aprende ou ensina seja impopular ou provoque perseguição.

Por fim, o servo é retratado como o Salvador sofredor (Is 52.13–53.12), aquele que (falando profeticamente) foi ferido pelas nossas iniquidades e carregou em seu corpo os nossos pecados. É extraordinário como oito versículos específicos de Isaías 53 são citados pelos autores do Novo Testamento, em alguns casos várias vezes.

Não é de admirar que quando o etíope perguntou a Felipe a quem se referia Isaías 53.7-8, ele “começando com aquela passagem da Escritura, anunciou-lhe as boas novas de Jesus” (At 8.35).

Leia Isaías 42.1-9

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz