sexta-feira, 18 de abril de 2014

Virá e Não Tardará

Muitos em Israel se perderam nos dias de Jesus e dos apóstolos porque desconfiavam que não era ainda o tempo do cumprimento da profecia da mensagem bíblica da promessa do envio do Messias e do Espírito Santo para converter o coração dos israelitas e de muitas pessoas no mundo inteiro para Deus.

Eles ficavam olhando desconfiados o rio de água viva do Espírito Santo passando diante dos olhos deles, nas obras que estavam sendo operadas por Deus em sua presença e pensavam: “já se passaram séculos desde as promessas, e até agora nada de Messias e de Espírito Santo… é melhor esperar um pouco mais.” E assim, morreram nesta condição de incredulidade e em seus pecados com a Fonte de água da vida eterna que nos purifica dos nossos pecados, bem ao alcance de suas mãos.

O mesmo sucede hoje com a Igreja do Senhor. Muitos estão aguardando ainda o cumprimento do primeiro sinal para o retorno do Senhor, que é a profetizada apostasia da Igreja exatamente no tempo do fim. Esta apostasia já ocorreu em todo o mundo, desde meados do século passado (XX) e muitos ainda não aceitaram ou não conseguiram enxergar isto.

Estão esperando por este primeiro sinal enquanto vivem suas vidas de modo não inteiramente santo, que comprova que são também participantes desta realidade já ocorrida.

Possa o Senhor nos despertar do sono em que nos encontramos. Que a Igreja atenda ao Seu rogo amoroso para o arrependimento e santidade, antes que seja tarde demais. Ele está fazendo isto pela boca e ministério de muitas pessoas em todo o mundo, através de sonhos e revelações que lhes tem dado de que o tempo acabou e que importa despertar do sono e ter azeite em nossas lâmpadas para que sejamos achados na luz e não em trevas, quando da sua vinda para nos arrebatar entre nuvens.

Antes de trazer juízos sobre Sodoma e Gomorra Deus mandou alertar a família de Ló, mas os seus genros não creram que viria fogo do céu e gracejaram com ele, e não se dispuseram a sair daquelas cidades, o que significava não estar dispostos a deixar as práticas pecaminosas do mundo, e foram assim apanhados pelo juízo do Senhor, quando poderiam ter sido salvos, se atendessem ao aviso que lhes fora dado.

Noé também advertiu do mesmo modo as pessoas em seus dias, mas eles não somente não creram no dilúvio que viria, como não se dispuseram a emendar as suas vidas e abandonar o pecado por se voltarem para Deus.

Todos haviam vivido muito tempo confortavelmente na Terra, de maneira que lhes era difícil crer na chegada de um juízo destruidor da parte de Deus.

De igual modo sucede com a grande maioria em nossos dias. Já se passaram 20 séculos desde que Jesus aqui estivera, e por que haveríamos de crer que Ele virá nesta hora conforme tem alertado a tantos? Todavia Ele cumprirá o que prometeu em breve, muito breve.

“… tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. Porque, deliberadamente, esquecem que, de longo tempo, houve céus bem como terra, a qual surgiu da água e através da água pela palavra de Deus, pela qual veio a perecer o mundo daquele tempo, afogado em água. Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios. Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia. Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. Por essa razão, pois, amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis,”  (2 Pe 3.3-14)

Ele virá agora porque o tem revelado a muitos em todas as partes do mundo, basta ver as publicações que têm sido feitas na Internet de 2012 para cá, e como têm crescido em número, falando a mesma mensagem do arrebatamento que ocorrerá em nossos dias.

Autor: Silvio Dutra / Gospel +

Por Litrazini

Graça e Paz