quinta-feira, 12 de agosto de 2010

“E depois?”

Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo ( Hebreus 9.27).


Certo jovem que pretendia fazer carreira na área jurídica visitou um professor que conhecia e lhe falou sobre seus planos e projetos com uma dose de orgulho.


O velho mestre escutou pacientemente. Por fim, ele perguntou:


- “E o que você pretende fazer depois de terminar os estudos?”


– “Eu serei um advogado!”, respondeu o jovem de pronto.


- “E depois?”, continuou o professor.


– “Então eu lidarei com muitos casos difíceis e farei um nome para mim como advogado.”


- “E depois?”, repetiu o mestre. Surpreso, o jovem pensou por um momento e disse:


- “Talvez eu pegue mais casos lucrativos e fique rico”.


– “E depois?”


– “Então terei uma boa vida e vou curtir uma bela aposentadoria.”


– “E depois?”


– “Ah, no fim de tudo vou morrer como todas as pessoas.”


O professor se levantou, e perguntou mais uma vez:


- “E depois?”


O jovem ficou calado, pois não esperava por uma pergunta que se estendesse além desta vida.


Como responder a isso?


Esse assunto não estava em seus planos.


Após se despedir, o jovem ficou pensativo. O último “E depois?” não saía de sua cabeça.

Isso o incomodou tanto que o fez mudar de vida.


A pergunta do professor sobre o que se espera depois da morte é plenamente justificada.


Como poderemos respondê-la?


Que existe uma vida após a morte é um fato que o versículo de hoje deixa bem claro. E que também depois se segue o julgamento divino, do qual ninguém escapa, pois “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”(Romanos 3:23).


Apenas os que, nesta vida, se refugiaram em Jesus, o Salvador, não serão condenados (João 5:24).


Extraído do devocional Boa Semente


Graça e Paz