sexta-feira, 18 de março de 2011

Os anos ocultos


Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens. Lucas 2.52 

A descrição vívida do episódio da perda e do encontro do menino Jesus no recinto do templo é, como observamos, o único incidente público que Lucas registra entre o nascimento de Jesus e o seu batismo. 

É verdade que os evangelhos apócrifos tentam preencher esse hiato. Eles, no entanto, são todos posteriores, datados do segundo século e, portanto, de valor histórico questionável. São ou heréticos ou insignificantes em seu conteúdo, com uma ou duas exceções. 

A narrativa sóbria de Lucas é um grato contraste. 

Assim, o que teria feito Jesus durante trinta anos antes que seu ministério público tivesse início? 

Resposta: ele estava crescendo, ou se desenvolvendo, e assim se preparando para a sua missão. Lucas nos diz isso em dois versículos “pontes” do capítulo 2: 

O menino crescia e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele (v. 40).

Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens (v. 52).

O versículo 40 é uma ponte de doze anos, uma vez que, no versículo precedente (v. 39), Jesus ainda era um bebê, e, no versículo seguinte (v. 41), ele tinha doze anos. O versículo 52 então é uma ponte de dezoito anos, já que, no versículo antecedente (v. 51), ele ainda tinha doze anos, e, no versículo seguinte (3.1), ele tem trinta. 

Dessa forma, durante os dois períodos de transição, dos doze e dos dezoito anos, ele cresceu física, mental e espiritualmente. Seu corpo se desenvolveu de modo natural. Sua mente se expandiu enquanto ele aprendia suas lições em casa e na escola. E ele também cresceu em graça, tornando-se ainda mais agradável a Deus e ao seu próximo 

Algumas pessoas levantam uma objeção aqui. Se Jesus cresceu nessas áreas, dizem elas, isso não significaria inevitavelmente que antes ele era imperfeito? Não. 

Estamos afirmando, não que Jesus tivesse saltado direto da infância para a fase adulta, mas que cresceu e que a cada estágio foi perfeito para aquele estágio. 

Por exemplo, dizer que ele cresceu em favor para com Deus não significa que antes estivesse fora desse favor, mas que, a cada estágio, ele agradou a Deus de acordo com a sua idade. Insistir nesse crescimento é garantir a autêntica humanidade de Jesus.
 
E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo;

E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão. 

Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão. 

Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo. 

Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados. Hebreus 2.14-18 

Retirado de A Bíblia Toda o Ano Todo (Ultimato, 2007) 

Por Lidiomar! 

Graça e Paz