quarta-feira, 9 de abril de 2014

Arrependimento – O primeiro passo a Deus

Um dos primeiros passos para quem deseja andar nos caminhos do Senhor é o arrependimento. Através do arrependimento genuíno é que a verdadeira conversão surge e não um mero convencimento de mente. O verdadeiro arrependimento sempre resulta numa atitude diante de Deus (Rm 12.1-2)

Todavia se advertires o ímpio do seu caminho, para que ele se converta, e ele não se converter do seu caminho, morrerá ele na sua iniqüidade; tu, porém, terás livrado a tua alma. Demais, quando eu também disser ao ímpio: Certamente morrerás; se ele se converter do seu pecado, e praticar a retidão se esse ímpio, restituir o penhor, devolver o que ele tinha furtado, e andar nos estatutos da vida, não praticando a iniqüidade, certamente viverá, não morrerá. Nenhum de todos os seus pecados que cometeu será lembrado contra ele; praticou a retidão e a justiça, certamente viverá. (Ez. 33.9;14-16).

Como vimos, a conversão genuína depende de uma ação de fé prática de quem ouve. Neste versículo citado acima mostra que a prática da retidão, ou seja, de uma vida reta e íntegra são fatores fundamentais para o arrependimento. A prática da retidão se evidencia com o abandono da prática errada e o desejo de viver uma nova vida segundo os princípios de Deus.

João Batista enfatizava esta questões quando dizia: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus – Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento. (Mt.3.2,8)

Jesus também pregava sobre arrependimento e repetia as mesmas palavras de João Batista: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus.(Mt. 4.17).

Aliás, creio que o que chamou a atenção do chamado dos primeiros discípulos (Pedro e André) não foi a palavra que dizia que seriam pescadores de homens, mas aquela dita que deveriam ser arrepender (Mt. 4.17-19). Na verdade no Reino de Deus a palavra de arrependimento sempre antecederá a qualquer promessa dada por Deus. Muitas são aqueles que querem as promessas de Deus, mas poucos os que desejam se arrepender para viver com Deus.

Infelizmente, ainda existem muitas pessoas que confundem arrependimento com remorso e convencimento com convertimento. Na verdade, Jesus não precisa de “simpatizantes”, mas de “seguidores praticantes”. Pois o que importa para Deus é a palavra que desce ao coração e não aquela que se estaciona na mente.

O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia. Bem-aventurado o homem que continuamente teme; mas o que endurece o seu coração cairá no mal. (Pv. 28.13-14)

Por isso, Deus deseja que você se arrependa !!!
Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor Deus, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas sim em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que morrereis, ó casa de Israel? (Ez.33.11)

Ele quer que você não se perca !
O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se (II Pe.3.9)

Pois Ele te perdoa !!!
Eu não vim chamar justos, mas pecadores, ao arrependimento. (Lc. 5.32))

Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam; (Atos. 17.30)

Ele quer te salvar
Demais, quando eu também disser ao ímpio: Certamente morrerás; se ele se converter do seu pecado, e praticar a retidão , se esse ímpio, restituir o penhor, devolver o que ele tinha furtado, e andar nos estatutos da vida, não praticando a iniqüidade, certamente viverá, não morrerá. Nenhum de todos os seus pecados que cometeu será lembrado contra ele; praticou a retidão e a justiça, certamente viverá. (Ez. 33.14-16)

A palavra de Deus diz que Zaqueu ao ser conhecido por Jesus e vê-lo entrar em sua casa resolveu “dar aos pobres metade do que tinha e restituir aquilo que poderia ter defraudado alguém” (Lc. 19.8). Vemos que foi a atitude de Zaqueu, o diferencial, que fez com que a sua salvação viesse a ser evidenciada por Cristo (Lc. 19.9).

E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. (Lc. 19.9-10)

Por isso, como Zaqueu devemos nos arrepender para que venha a salvação a nossa
casa, bem como, tempos de paz e refrigério. Como está escrito: Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor.(At. 3.19)


E assim… alegria no céu se fará !
Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. (Lc. 15.7)
Assim, digo-vos, há alegria na presença dos anjos de Deus por um só pecador que se arrepende. (Lc. 15.10)

Uma grave advertência do Senhor
Por isso não percamos tempo, vivendo a vida dissolutamente. O Senhor nos adverte severamente, não por força ou violência, mas de boa a vontade a nos arrependermos. Aproveitemos o “tempo da graça” onde a misericórdia do Senhor tem se manifestado abundantemente. Aproveitem o “tempo do Cordeiro”,para se arrepender, pois haverá o tempo onde o Leão da Tribo de Judá” há de voltar e julgar cada um por suas obras quer elas boas ou más. Haverá um tempo, na grande tribulação em que essa misericórdia será substituída pelo juízo, conforme está escrito:

Os outros homens, que não foram mortos por estas pragas, não se arrependeram das obras das suas mãos, para deixarem de adorar aos demônios, e aos ídolos de ouro, de prata, de bronze, de pedra e de madeira, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar . Também não se [arrependeram dos seus homicídios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos. (Ap. 9.20-21)


Quem é injusto, faça injustiça ainda: e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda. Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra. Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro, o princípio e o fim. Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes [no sangue do Cordeiro] para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira. (Ap. 22.11-15)
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te. (Ap. 3.19)

Anderson Cassio Oliveira

Por Litrazini

Graça e Paz