domingo, 1 de junho de 2014

A referência é o céu

E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam. E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu.

Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum. Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus. Naquela mesma hora se alegrou Jesus no Espírito Santo, e disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos; assim é, ó Pai, porque assim te aprouve. LUCAS 10:17-21

No texto acima lemos a respeito da missão dos setenta, mas precisamente quando eles voltam a prestar relatório ao mestre. Ficaram sobremodo extasiados com o resultado da missão e, creio, falando pelos cotovelos.

Mas Jesus tem o cuidado de alertá-los para o real sentido para a vida deles: “alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus”. A intenção do mestre não era deixá-los pensando de forma horizontal, mas sim voltar à referência do entendimento deles ao céu.

Olhamos para todos os lados e vemos que muitos cristãos perderam a referência do caminho do céu. Tudo é feito de forma horizontal. Sejam cultos, programações, shows, grandes estudos teológicos e formas mirabolantes de arrebanhar mais gente.

Tudo parece chamar atenção para o que acontece aqui, tudo parece acontecer para satisfazer a nossa vida aqui; mas Jesus sabia que o nosso reino não é nesse mundo como o dele não é. Trouxe-lhes a mente a referência que é o céu.

Os nomes estão escritos lá, é voltada pra lá que deve estar nossa atenção. Não adianta nada termos grandes vitórias aqui, se essas vitórias nos fizer perder a referência do céu. Porque um dia tudo isso será sombra de lembrança diante do sublime conhecimento de estarmos no céu com nosso Senhor Jesus Cristo.

Mas isso é um conhecimento dificílimo de absorver. Só existe uma categoria de gente que entende esse “mistério”, os pequeninos.

A eles é dado esse conhecimento. Os pequeninos jamais perdem a referência do céu, porque a sua vontade é satisfazer o desejo de quem os chamou. Os grandes perdem-se com razões que a própria razão desconhece.

Os salmos falam que o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices. Somente quem tem essa categoria, essa patente – Símplices – pode se dá ao prazer de não perder a referência do céu e mesmo com o brilho das luzes dos reconhecimentos humanos a sabedoria do testemunho do mestre não o faz perder o foco.

É realmente difícil de entende essa verdade se não nos valermos da grande maravilha de sermos simples, porque assim aprouve ao pai.

Ele vive!

Lissandro Viana

Por Litrazini

Graça e Paz