segunda-feira, 16 de junho de 2014

Despindo-se do Velho e Revestindo-se do Novo

São as paixões e desejos da alma que combatem contra a nova natureza celestial recebida do Espírito Santo.

Daí se dizer que a carne luta contra o Espírito e que o Espírito luta contra a carne.

Toda forma de inclinação carnal, prostituição, impureza, paixões, desejos vis e avareza devem ser mortificados pelo Espírito, para que a nova vida possa se manifestar no nosso caminhar, como se lê em Col 3.5.

Mas não é somente a prostituição, impureza, paixões, desejos vis e avareza que os cristãos devem mortificar, como tudo o mais que é relativo à carne, isto é, à natureza terrena decaída no pecado, e por isso devemos também nos despojar da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes e da mentira, porque tendo morrido juntamente com Cristo, o velho homem recebeu a sentença de morte e os crentes estão aos olhos de Deus, como tendo sido despidos do velho homem e das suas obras carnais; e vestidos do novo homem, que se renova para o pleno conhecimento de Deus e da Sua vontade, através do processo da santificação.

Esta santificação deve ser tanto do espírito, da alma, e do corpo, operando sobre a nossa razão, mente, vontade, sentimentos e emoções (I Ts 5.23).

E a meta desta santificação é nos transformar à imagem mesma de Cristo (Col 3.8-10).

A santificação não consiste somente no despojamento ou mortificação do pecado, das obras da carne, mas principalmente na prática das virtudes que estão em Cristo, que é o grande objetivo final da santificação.

O despojamento do velho homem se faz necessário para que possamos ser revestidos do novo.

O revestimento da nova criatura em Cristo consiste na prática da justiça evangélica e das graças e virtudes do Espírito, que chamamos de fruto do Espírito – amor, misericórdia, benignidade, humildade, mansidão, longanimidade, domínio próprio, alegria, paz, fé – suportando-se e perdoando-se os crentes mutuamente, tendo por modelo o próprio Senhor que lhes perdoou.

Esta virtudes são decorrentes da habitação da Palavra de Deus nos nossos corações, fazendo nós, provisão para que sejamos enriquecidos por esta Palavra que nos santifica, em prol da comunhão com nossos irmãs na fé, e para o progresso do evangelho de Cristo na Terra.

Autor:Silvio Dutra

Por Litrazini

Graça e Paz