terça-feira, 9 de setembro de 2014

COLOQUE SEUS PÉS JUNTO ÀS PROMESSAS DE DEUS



PARA ONDE VOCÊ VAI QUE NÃO HÁ NIN­GUÉM MAIS QUE VÁ?

Você pendura seus pés na beira das promessas de Deus e "fica imóvel, e vê".  Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos, e vede o livramento do SENHOR, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais os tornareis a ver.  Êxodo 14:13

Você pode ter de adorar à "meia-noite", enquanto abraça a sua dor, mas o perfume de seu quebrantamento vai atraí-lo para mais perto. Eu posso dizer-lhe que tudo vai ficar bem, pois Deus não vai fazer a vontade dele se sobrepor à força à vontade de homens e mulheres. Mas eu pos­so lhe dizer que, se você quebrar o jarro de alabastro, Ele virá até você.

Nada chama a presença do Pai, como um grito vindo do "quintal". A medida que envelhecemos, normal­mente tentamos preservar a nossa dignidade. Para que possamos readquirir a nossa intimidade com Deus, temos de descartar a nossa dignidade.

Em um de meus livros, eu es­crevi: "Somente os que morrem podem ver a face de Deus" (Os Caçadores de Deus). Então, quanto mais próximo da morte você está, mais perto Ele vai ver você. Se algum dia você puder dizer "adeus a si mesmo", poderá dizer um oi para Ele. (Deixe-me avisá-lo de que a coisa mais difícil que você vai dizer é adeus ao trio "mim, eu mesmo e eu").

Há uma coisa que vai fazer Deus abandonar a adoração dos anjos no céu — é aquele clamor desesperado do "quin­tal" chamado Terra. Assim que Ele ouve esse clamor, aquele tinir dos jarros de alabastro se quebrando e os clamores apaixonados de corações quebrantados, Ele virá mais rápido que o próprio tempo. Ele não vai sair de seu trono celestial por nenhuma oração negligente nem pelo som de um louvor superficial. Ele vem para aqueles cujo desespero divino e sede santa os leva a clamar com frustração infantil: "Eu vou morrer se não tiver a ti!" Com quanta sede você está? 

Todas as vezes que você se reúne com outros cristãos para adorá-lo, lembre-se disso: "Talvez esta seja a noite. Tal­vez Ele venha de novo e, desta vez, fique".

Tenha certeza de se apresentar a Ele, vazio, com sede e fome. O seu trabalho é se tornar o combustível de Deus. Fogo sem combustível leva a uma inesperada falha de com­bustão, a uma faísca de descontentamento no horizonte da esperança humana.

Aproxime-se da presença dele com um desejo ardente de ignição. Certa vez, li que, quando perguntaram a João Wesley sobre o "segredo" de seu ministério poderoso, ele disse:

— Eu simplesmente me incendeio por Deus e as pesso­as vêm para me ver ardendo.

Quão vazio você está? Com quanta fome você está? Qual é a dimensão da sua frustração agora?

Todas as vezes que você se cansar e ficar frustrado com a dolorosa perse­guição à presença de Deus, lembre-se de que a frustração é o lugar aonde Deus manda os ungidos. A frustração santa é uma característica da fome e da sede piedosas por Deus. Seja grato por estar com fome — ela é o processo que man­tém vivos o seu espírito e o seu corpo.

Algumas pessoas passam pela vida determinadas a "abra­çar e seguir" aquilo que aparecer no caminho. Elas se tornam termômetros vivos, que simplesmente refletem a temperatura ambiente de sua cultura e das pessoas ao seu redor. Estou cansado da igreja ser um termômetro espiritual que simples­mente reflete a temperatura ambiente da sociedade. Um termostato não é feito simplesmente para refletir ou medir a temperatura do ambiente. Ele é produzido para prever e controlar seus arredores.

Um termostato sobrenatural, uma pessoa que realmente zela pelo reino diz: "Eu vou continuar me inflamando até que a minha paixão pela presença dele o traga para este lugar". É isso que você e eu devemos fazer em nossas cida­des ou nação. "Eu sei como é lá fora, mas isso não me move. Eu estou aumentando o termostato para levá-lo ao nível que ele tem de estar".

Extraído do livro Os Descobridores de Deus de Tommy Tenney

Por Litrazini


Graça e Paz