sexta-feira, 17 de outubro de 2014

A FALTA DE ÁGUA EM SP E O QUE NOS ENSINA O PROFETA JEREMIAS

Não adianta clamar por misericórdia se não houver mudança de comportamento e de consciência social A água possui um “simbolismo” muito forte nas Escrituras Sagradas. A água tanto pode representar benção, vida, descanso, sinal da presença de Deus. Como também pode representar morte, caos, destruição e ausência de Deus.

Para um povo que vivia em regiões desérticas e semi-áridas, a água sempre era um sinal de benção de Deus. No livro de Genesis podemos notar que a água criou o “ambiente uterino” adequado para a criação divina, o Espírito “pairava”, isto é, gestava esta água para potencializar vida criativa e abundante sobre o planeta.

O Éden era regado por quatro grandes rios. Deus abriu as águas do mar vermelho para salvar o povo de uma perseguição terrível. Abriu as águas do Jordão para a passagem da arca da aliança.

Jesus é revelado Filho amado de Deus, em seu batismo, nas águas do Jordão. O primeiro milagre de Cristo foi transformar água em vinho. Em sua conversa com a mulher samaritana afirma que ele daria-lhe a água da vida. Jesus afirma no Evangelho de João que aquele que Nele crê, do seu interior fluem rios de águas vivas.

Paulo afirma que Cristo é o rochedo espiritual da qual sai água espiritual. Apocalipse afirma que a voz dos que adoram o Cordeiro é como o som de muitas águas, enfim, água possui uma característica simbólica em toda a Bíblia de benção, de vida eterna, de gratidão e adoração ao Senhor.

Mas paradoxalmente, foi através da água que Deus trouxe juízo aos povos primitivos através do dilúvio. Foi deflagrado sobre o Egito uma maldição de dez pragas começando pelas águas do Nilo. Elias orou e os céus não deram suas chuvas sobre Israel, e os períodos de intensa seca, sempre foram vistos como uma espécie de maldição divina anunciado pelos profetas do Antigo Testamento.

Desde o útero materno aprendemos que a água é essencial. O fato é que todo ser vivo deste planeta depende de água pra sobreviver. Nosso corpo é constituído de 70% de água, não conseguimos passar mais do que quatro dias sem este líquido precioso. A água está ligada diretamente a nossa salvação, tanto espiritual, como física e biológica. E aqui eu quero me ater um pouco. Vamos lá:

Antonio Carlos Zuffo, especialista em recurso hídricos alerta que a engenharia ambiental já esgotou todas as possibilidades de solucionar a crise de falta de água em São Paulo. Má gestão, inúmeros alertas ignorados e interesses políticos levam a cidade e o estado paulista à maior crise hídrica da sua história. Segundo o estudioso só nos resta “rezar” para Deus enviar chuva

Também o presidente do conselho mundial de água, Benedito Braga, explica a crise paulista em três pilares:
1. a situação climática tem o menor nível de chuva no período nos últimos cem anos.

2. Os consumidores não usam os recursos hídricos conscientemente.
3. Falta de planejamento administrativo do governo e alerta da situação à população do estado.

Existe um efeito dominó que será visto nas próximas semanas por conta da escassez da água e do racionamento gradativo. Vejamos:
- Desemprego em massa devido a falta de produtividade das indústrias por conta do racionamento em diferentes setores.
- Inúmeras doenças, “viroses” e problemas instestinais devido a falta de saneamento adequado do chamado “volume morto”, criando outra crise na saúde, hospitais e ambulatórios que já trabalham sobrecarregados.
- Dispensa de aulas nas escolas públicas ou particulares prejudicando o planejamento do ano letivo.
- Saúde, educação, trabalho, turismo, etc. Inúmeras áreas da sociedade paulista serão prejudicadas por conta da falta de água. Vamos lembrar também que esta cidade carrega o fardo de 35% do PIB nacional, e em certo sentido tudo isso afetará o Brasil inteiro.


O fato é que São Pedro é inocente, o volume morto está morrendo e a Sabesp fatura por ano aos seus acionistas (pois ela tem capital aberto na Bolsa de Nova York) 11 bilhões de lucro líquido, só em tarifas cobradas dos consumidores. Será que estamos debaixo de maldição? Sim, estamos! E aqui eu apelo para as Escrituras Sagradas novamente. Vejam estes textos impressionantes:


"Olhe para o campo e veja: Há algum lugar onde você não foi desonrada? À beira do caminho você se assentou à espera de amantes, assentou-se como um nômade no deserto. Você contaminou a terra com sua prostituição e impiedade. POR ISSO AS CHUVAS FORAM RETIDAS, E NÃO VEIO CHUVA NA PRIMAVERA. Mas você, apresentando-se declaradamente como prostituta, recusa-se a corar de vergonha. (Jeremias 3:2-3).

Essa fala de Jeremias mostra a razão pela qual Deus impediu as chuvas sobre Judá. O comportamento de seus moradores! Eles não se quebrantaram diante das pregações de arrependimento de Jeremias, eles eram comparados a uma prostituta. Não havia constrangimento, não havia culpa, não havia consciência, não havia quebrantamento.

Assim também a nossa cidade (moradores) se comporta dia após dia. Indiferente ao clamor do pobre, com suas cadeias lotadas, com suas favelas incendiadas, apenas correndo atrás do dinheiro e do consumo desenfreado. Os índices de violência, tráfico, latrocínio, prostituição infantil, trabalho escravo, miséria, abortos, corrupção, etc, a cada ano atingem índices alarmantes. Não adianta clamar por misericórdia se não houver mudança de comportamento e de consciência social.

Outro texto do profeta Jeremias que me impressiona diz: “Entre os ídolos inúteis das nações, existe algum que possa trazer chuva? Podem os céus, por si mesmos, produzir chuvas copiosas? Somente tu o podes, Senhor, nosso Deus! Portanto, a nossa esperança está em ti, pois tu fazes todas essas coisas.” (Jeremias 14:22).

A QUEM CLAMAR? AO GOVERNADOR? AOS CÉUS? A SABESP?
Não! Não nos resta nenhuma dúvida diante de afirmações tão claras. Deus é o Dono e Senhor da natureza, e somente Ele poderá nos livrar de tamanho caos. É hora de exercermos nossa fé. Jeremias nos ensina a colocar a esperança no Senhor. É tempo de orar como fizeram inúmeros judeus em Israel em 2010, eles se arrependeram como nação diante do Senhor e Deus enviou a chuva para o fim de ano mais seco da história moderna daquele país

Autoria: Bruno dos Santos

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/


Graça e Paz