sexta-feira, 14 de agosto de 2015

UMA REVELAÇÃO DE AMOR

Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores. (Romanos 5.8)

Como crer no amor de Deus quando parece haver tantas evidências em contrário?

O apóstolo Paulo declara em Romanos 5 duas razões principais pelas quais podemos estar seguros de que Deus nos ama.

A primeira é que ele “derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu” (v. 5).

A segunda é que “Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores” (v. 8).

Então, como podemos duvidar do amor de Deus?

Muitas vezes ficamos perplexos com as tragédias da vida. Mas Deus tem provado o seu amor para conosco por meio da morte de seu Filho e o derramado em nosso coração por meio do dom do Espírito.

De maneira objetiva na história e de modo subjetivo na experiência, Deus nos tem dado boas razões para crermos em seu amor.

A integração do ministério histórico do Filho de Deus (na cruz) com o ministério contemporâneo de seu Espírito (em nosso coração) é uma das características mais benéficas e prazerosas do evangelho.

O que a Bíblia faz não é resolver o problema do sofrimento, mas dar-nos a perspectiva correta a partir da qual enxergá-lo. Assim, sempre que estivermos dilacerados pela angústia, podemos escalar o monte Calvário e, daquele mirante único e privilegiado, examinar cuidadosamente as calamidades da vida.

O que torna o sofrimento insuportável não é tanto a dor que o acompanha, mas o sentimento de que Deus não se importa. Nós o imaginamos se espreguiçando em uma poltrona no céu, indiferente aos sofrimentos do mundo.

É essa caricatura caluniosa de Deus que a cruz quebra em pedaços. Devemos vê-lo não em uma poltrona confortável, mas na cruz. Pois o Deus que permite que soframos sofreu uma vez em Jesus Cristo e continua a sofrer hoje conosco.

Há ainda uma marca de dúvida sobre o sofrimento humano, mas sobre ela nós colocamos ousadamente uma outra marca — a cruz de Cristo.

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?...”  Romanos 8.28-39

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz