sexta-feira, 1 de abril de 2016

INVEJA

Toda a humanidade sofre de uma doença congênita e hereditária chamada "pecado". Ela nasce com o ser humano, e está entranhada no mais profundo de seu ser. As manifestações do pecado são m
últiplas e multiformes. A inveja é apenas uma delas.

Ocorre que a maioria das pessoas tem uma idéia meio "oblonga-arredondada" sobre uma grande parte dos termos e conceitos usados correntemente. É o caso da inveja, do amor, do ciúme, do romantismo e milhares de outros. "Todo mundo" fala sobre isto, mas quando pedimos para que sejam definidos, conceituados, quase ninguém consegue, porque quase ninguém sabe. E quem se arrisca a fazer uma colocação sobre o termo, começa dizendo "pra mim".

O QUE É A INVEJA?
Inveja é uma emoção, como quase todos as obras da carne. Uma emoção que é um misto de vários fatores: vaidade, cobiça, frustração (incapacidade) e ódio (ou raiva).

Vaidade porque o invejoso é uma pessoa que quer sempre ser o melhor em tudo, o centro da atenções, o objeto dos comentários e dos suspiros alheios; quer ser... invejado pelos demais. Nessa ânsia de ser admirado e invejado, o invejoso está sempre querendo mostrar o que tem (mesmo que não tenha), o que é (mesmo que não seja), e o que pode (mesmo que não possa).

Cobiça porque nessa ânsia de ser invejado, o invejoso quer sempre o que está além de suas posses e de suas capacidades. Frustração porque o invejoso sofre por não ser ou ter o que acha que deveria ser ou ter. E assim, surge a raiva em seu coração, e assim, a necessidade descarregar essa ira, essa raiva, essa frustração em forma de uma vontade de ferir, de magoar, de destruir, de fazer sofrer...

A inveja sempre tem duas vítimas: o próprio invejoso, e a pessoa de quem o invejoso sente inveja. O invejoso é sempre uma vítima de seu sentimento maligno, porque o faz sofrer. Remói a sua incapacidade, se martiriza e é infeliz por que não se contenta com o que é e nem com o que tem. E a inveja sempre tem outra vítima: a pessoa de quem o invejoso sente inveja.

O invejoso sempre ELEGE alguém que tenha algo que o faça ser amado, querido e desejado. Algo que o torne popular. Uma popularidade que o invejoso quer ter a qualquer custo: uma mulher bonita ou um marido bonito, sucesso, um carro, uma voz sedosa, um bom emprego, bons filhos, uma roupa bonita...

Na história dos reis de Judá e de Israel sempre esteve presente a inveja. Leia os livros de Samuel, Reis e Crônicas e descubra o quanto a inveja fez matar e destruir. Mesmo que não o perceba, ou admita, o invejoso culpa a pessoa invejada pelo seu insucesso, pela sua dor e sua frustração. E aí vem a raiva, o ódio, o desejo de magoar, ferir, fazer sofrer e destruir o "culpado" pelo fracasso desse invejoso em sua ânsia de ser o centro das atenções, o vencedor, o aclamado pelas multidões...

O problema maior da inveja são as suas conseqüências. Há pessoas que conseguem dissimular e esconder a sua inveja, e não causam nenhum mal senão a si próprio. Mas no mais da vezes a inveja causa dor e destruição. O invejoso sempre dá um jeito de se vingar do invejado, de lhe causar alguma forma de dor e sofrimento (humilhação e constrangimento são os mais comuns...).

O invejoso sente uma mórbida satisfação em ver o sofrimento e a dor do invejado. Isso se chama "perversidade".

Transcrito Por Litrazini


Graça e Paz