sexta-feira, 8 de abril de 2016

UMA PESSOA NOVA E DIFERENTE

Não se surpreenda pelo fato de eu ter dito: É necessário que vocês nasçam de novo. — João 3.7

Este novo nascimento se apresenta mais claramente quando o sofrimento e a morte se aproximam. É quando se torna claro se a pessoa teve uma experiência de novo nascimento ou não.

Naquele momento, a razão humana – a velha luz – se retorce e luta, recusando-se a renunciar à sua própria lógica. Ela não deseja ceder e voltar-se para o evangelho.

A razão simplesmente não renunciará à sua luz. Contudo, aqueles que são nascidos de novo, ou que estão nascendo de novo, rendem-se e seguem a Deus, a tudo renunciando: sua velha luz, sua vida, suas posses, sua honra…

Eles confiam e se apegam ao que João registra em seu evangelho. Como verdadeiros filhos de Deus, receberão sua herança eterna.

Se a sua velha e arrogante luz da razão se tornar escura, morta, e for substituída por uma nova luz, então toda a sua vida será transformada. Pois, quando a sua razão muda, a sua vontade a segue. E, quando a sua vontade muda, o que você ama e deseja também o faz.

Para se tornar novo, você deve penetrar no evangelho com todo o seu ser.

É preciso mudar de pele, como as cobras. Quando sua pele se torna velha, uma cobra procura um buraco estreito em uma rocha e, rastejando através dele, tira sua pele, deixando-a do lado de fora.

Semelhantemente, você também deve penetrar no evangelho e na Palavra de Deus.

Você precisa crer confiantemente na promessa de que Deus não mente. Assim, você tira a sua velha pele, deixando para trás sua velha luz, arrogância, vontade, amor, desejos e tudo o que diz e faz.

Você se torna uma pessoa nova e diferente, que vê tudo de modo diferente.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini


Graça e Paz