terça-feira, 2 de agosto de 2016

GAMBIARRAS ESPIRITUAIS

GAMBIARRA: Extensão ilegal para levar eletricidade a algum ponto ou remediar improvisadamente uma passagem de corrente elétrica; GATO. Pop. P.ext. Qualquer solução improvisada para resolver um problema, ger. do ambiente doméstico (Dicionário Aulete). 

Gambiarra é, portanto, um arranjo, uma improvisação, algo que foge aos padrões estabelecidos. O termo é muito usado para definir a prática desonesta de fazer ligações elétricas clandestinas, para escapar do pagamento da taxa de energia consumida. 

Na religião, há também gambiarras, improvisações, atalhos. São métodos usados para facilitar, com o menor esforço possível, a obtenção de benesses divinas.

Os exemplos são muitos. Para ser abençoado, é muito mais fácil caminhar alguns metros sobre pedras de sal; tomar um copo d’água ungida, usar um amuleto no pescoço, que pode ser um crucifixo ou uma medalha, ou amarrar fitas coloridas no braço. Fácil, rápido, objetivo. Melhor usar alguma coisa material que se vê do que falar com um Deus invisível, que não se vê. 

Nesse rol de gambiarras estão as correntes milagrosas, uma modalidade que está em moda. Um atalho para conseguir milagres apenas com o uso do celular. Muito prático. O único esforço é retransmitir a mensagem para determinado número de pessoas. E pronto. Lamento dizer que muitos que se dizem crentes, ou religiosos, caem nessa heresia. Que se danem os pobres que não possuem celulares, e nem amigos para lhes retransmitir a corrente do milagre. 

Outra gambiarra espiritual é a prática usada por muitos de, em vez de fazer petições a Deus, recorrem aos mortos. Acreditam que este é o caminho mais curto. Não precisa nem crer no Senhor. Basta crer na gambiarra, isto é, no morto intermediário. É um atalho mais cômodo. Falar diretamente com Deus requer arrependimento, vida no altar. Os falecidos, iguais a nós, são mais compreensíveis, conhecem nossas fraquezas, são menos exigentes. 

Para os gambiarristas, o véu do templo ainda não foi removido (Mt 27.51). Continuam sem acesso direto ao lugar “Santo dos Santos” (Hb 4.16; 9.7). Em Cristo Jesus, temos acesso direto ao trono da graça (Jo 14.6). Este é o único Caminho, porque Ele é o Mediador da Nova e Eterna Aliança (1 Tm 2.5).

Apelar aos mortos com a intenção de chegar-se a Deus é uma gambiarra espiritual abominável ao Senhor. Vejam: 

“Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam [tagarelam] e murmuram entre os dentes; não recorrerá um povo ao seu Deus? A favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos?” (Isaías 8.19). E o Senhor Jesus confirma: “Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei” (Mt 11.28).

A Bíblia arremata: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2 Cr 7.14). Para muitos, fazer uma gambiarra e recorrer aos mortos se torna muito mais fácil. 

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini

Graça e Paz