quinta-feira, 8 de maio de 2014

Colaborando com Deus

Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo. [GÊNESIS 2.15]

“Sofro da síndrome das manhãs de segunda-feira”, é o que muitos de nós dizemos, em um tom melancólico. Trata-se de uma experiência humana bastante comum. Entretanto, após desfrutarmos do descanso restaurador e dos momentos de adoração no domingo, deveríamos estar ansiosos para começar mais uma semana de trabalho.

Deveríamos estar prontos a declarar as mesmas palavras usadas por Mark Greene no título de seu famoso livro Thank God It’s Monday! [Graças a Deus é segunda-feira!].

Precisamos adquirir uma autêntica filosofia cristã do trabalho. Muitos cristãos encaram sua atividade profissional apenas como algo necessário e doloroso, uma vez que temos de garantir o nosso sustento de algum modo.

Em comparação, gosto de imaginar Adão (evidentemente um agricultor do período neolítico) indo para o trabalho todos os dias no jardim do Éden, cheio de energia e entusiasmo. Afinal, Deus colocou o homem que ele havia criado para cuidar do jardim que ele havia plantado (v. 15).

Por iniciativa própria Deus se humilhou a fim de precisar da cooperação de Adão. É claro que ele poderia fazer todo o trabalho sozinho, afinal, ele havia plantado o jardim, o que nos leva a presumir que ele daria conta disso também! Mas ele preferiu que não fosse assim.


Gosto da história do jardineiro cockney(1) que estava mostrando ao pastor seu magnífico jardim, repleto de flores e botões. O pastor, admirado, desandou a louvar a Deus, até que o jardineiro, cansado por não ter recebido crédito algum, disse: “O senhor precisava ter visto esse jardim antes, quando Deus cuidava dele sozinho!”. Sua teologia estava inteiramente correta. Sem o trabalho do homem, o jardim teria se tornado em deserto.

Devemos fazer aqui uma importante distinção entre natureza e cultura. Natureza é tudo aquilo que Deus nos dá; cultura é o que nós fazemos com isso (agricultura, horticultura etc.).

A natureza fornece a matéria-prima; a cultura a transforma em mercadoria.

A natureza é uma criação divina; a cultura é fruto do cultivo humano.

Deus nos convida a partilharmos de seu trabalho. De fato, nosso trabalho passa a ser um privilégio quando entendemos que estamos colaborando com Deus.

(1). Dialeto de um bairro do extremo leste de Londres. (N.T.)


Para saber mais: Gênesis 2.7-9, 15

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.


Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz