terça-feira, 20 de maio de 2014

O Evangelho para hoje

Pois o que primeiramente lhes transmiti foi o que recebi:  que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia, segundo as Escrituras. [1 Coríntios 15.3-4]

Uma boa maneira de comunicar a mensagem dos apóstolos com fidelidade é dividindo-a em quatro partes, a saber:

Primeiro, os eventos do evangelho.
Embora os apóstolos apresentassem toda a obra salvadora de Jesus, incluindo sua vida e ministério, sua exaltação e sua futura vinda, eles se concentraram na morte e ressurreição de Jesus, como acontecimentos históricos e por sua importância salvífica.

Segundo, as testemunhas do evangelho.
Os apóstolos recorreram a uma dupla evidência como garantia da autenticidade de Jesus, de modo que pela boca de duas testemunhas a verdade pudesse ser estabelecida (Dt 19.15).

A primeira evidência estava nas Escrituras, no Antigo Testamento, e a segunda no testemunho dos próprios apóstolos. “Somos testemunhas”, Pedro repetiu várias vezes. Assim, a verdade sobre o único Cristo foi duplamente comprovada.

Não temos o direito de anunciar um outro Cristo, fruto de nossa imaginação, ou de nos concentrarmos em nossa própria experiência, uma vez que não fomos testemunhas oculares do Jesus histórico.

Nossa responsabilidade é anunciar o verdadeiro Cristo das Escrituras, do Antigo e do Novo Testamento. As testemunhas originais são os profetas e apóstolos; nosso testemunho é sempre secundário em relação ao deles.

Terceiro, as promessas do evangelho.
O evangelho são as boas novas não somente do que Jesus fez por meio de sua morte e ressurreição, mas também pelas consequências que nos oferece: o perdão dos nossos pecados (para apagar o passado) e o dom do Espírito (para nos tornar novas pessoas). Juntas elas representam salvação e liberdade, e ambas são publicamente simbolizadas pelo batismo.

Quarto, as condições do evangelho.
O evangelho exige uma conversão radical do pecado para Cristo. Essa mudança é caracterizada interiormente por uma atitude de arrependimento e fé, e expressa exteriormente pelo batismo. Com isso, passamos a ser fiéis a Cristo e somos transferidos para a nova comunidade de Jesus.

Portanto, estes são os quatro aspectos da mensagem — dois eventos (morte e ressurreição de Cristo), comprovados por duas testemunhas (profetas e apóstolos), com base nos quais Deus faz duas promessas (perdão e o dom do Espírito) sob duas condições (arrependimento e fé, através do batismo). Há um sentido de harmonia e completude em torno do evangelho bíblico.

Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,

E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus.

Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo. Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim haveis crido. 1 Coríntios 15.1-11

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.


Por Litrazini


Graça e Paz