quinta-feira, 5 de junho de 2014

Por que Deus demora em responder certas orações?

Para que as nossas orações sejam ouvidas, devemos ser considerados justos por Deus, obedecendo tanto às Suas leis como às leis dos homens; dando a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus, como recomendou Cristo em Mateus 22.21.

O rei Ezequias, por exemplo, prezava a justiça e tinha o cuidado de andar sincera e honestamente diante de Deus e dos homens. E você? Tem andado de acordo com a fé que professa em Cristo? Tem respeitado a ética e adotado uma conduta cristã? Tem observado os princípios bíblicos em todos os aspectos?

Temos um compromisso com a integridade. Precisamos ser coerentes com aquilo em que afirmamos crer. Devemos andar retamente diante de Deus e dos homens, cumprindo as leis relativas ao Reino de Deus, mas também as de nossa nação, como bons cidadãos do céu e desta terra. O bom cidadão é aquele que obedece às leis constituídas e cumpre com todos os seus deveres como mordomo fiel.

O homem de Deus é identificado por meio de sua submissão às leis divinas e às leis terrenas. Ele há de reluzir como astro no meio das trevas do pecado, e a sua oração certamente será ouvida e poderá até mudar o propósito do Senhor.

Sendo assim, antes de orarmos, façamos uma análise introspectiva, para verificar se temos alguma pendência, demanda ou dívida para com o nosso próximo que obstrua nossa comunicação com o Pai celestial. A Palavra de Deus nos exorta: A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei (Romanos 13.8).

Cristo enfatizou a necessidade do amor para um relacionamento saudável com Deus e com os homens. Esse sentimento torna o cristão mais sensível e mais suscetível a perdoar. Se as nossas orações estão sem resposta, é possível que o nosso coração ainda esteja fechado para perdoar a quem nos ofendeu. Daí a recomendação de Jesus em Mateus 5.23-25:

Se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário.

A falta de piedade, de misericórdia para com o próximo, e o coração obstinado são fatores que impedem a resposta da oração e ainda provocam uma série de distúrbios psicoemocionais em nosso organismo, devido à mágoa, à angústia, à ansiedade, à depressão.

Não existe melhor remédio para curar as mágoas do que o amor. No cristianismo, tudo começa com o amor, é sustentado pelo amor e culmina no amor. Por causa do amor de Deus, somos ouvidos. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho (João 3.16a).

O cumprimento do amor é o único meio eficaz para combater todas as obras do diabo. Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás o teu próximo como a ti mesmo (Gálatas 5.14).

Quando aprendermos a verdadeira lição do amor, submetermos a Deus todas as nossas vontades e vivermos para servir ao próximo; quando deixarmos de priorizar a nossa vontade e confiarmos as nossas ansiedades ao Senhor, seremos olhados com a misericórdia do alto, e as nossas orações certamente serão respondidas. Então, constataremos que é verdade o que é dito em Tiago 5.16: A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.

SUGESTÕES DE LEITURA:
1 Samuel 1 – 2; Josué 10; 2 Crônicas 6.12-42; 20; Isaías 38; Daniel 9; Mateus 6.5-14
Livros: Orar pode mudar tudo, de Silas Malafaia, e Senhor, ensina-nos a orar, de Morris Cerullo

Por Litrazini

Graça e Paz