sábado, 12 de março de 2016

SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA ABANDONAR O SEU CÉREBRO NO ALTAR

O QUE SIGNIFICA PARA UMA MULHER SE SUBMETER A SEU MARIDO?
Até a definição do conceito pode variar de pessoa para pessoa. Baseado em experiências individuais, o Pastor John Piper ajuda a definir a submisão, identificando alguns pontos que não mostra submissão ao marido no casamento.

Em um post para o site DesiringGod.org, um site com o propósito de glorificar a Deus, o pastor descreve esses parâmetros:

1. SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA CONCORDAR COM TUDO
Submissão não significa que a esposa se transforma em uma mulher do "sim". Piper explica: "É possível ser submissa e se recusar a pensar no que seu marido diz que você deve pensar". O pastor usa o exemplo de um marido que não quer sua esposa pratique o cristianismo. Piper exorta as esposas a usar o bom senso que Deus lhes deu.

"A Submissão não significa que você deve concordar com as opiniões de seu marido, mesmo em coisas fundamentais e graves como a fé cristã", diz o pastor.

"Deus fez-lhe uma mente. Você tem que pensar. Você é uma pessoa, não um corpo e não uma máquina. Você é um ser pensante que é capaz de processar se o Evangelho é verdadeiro. E se é verdade, você acredita”, disse.

2. SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA DEIXAR SEU CÉREBRO NO ALTAR
Aqui, o pastor fala aos homens que tomam forma da autoridade longe demais. "Qualquer homem que diz: 'Eu faço o pensamento nesta família’, está doente e tem uma vista cansada de sua autoridade", explica.

Para estes homens, Piper diz: "Você não entende a Bíblia. Você está tomando a palavra autoridade ou liderança ou submissão, e então você está afastando-se da Bíblia e enchendo essas palavras com coisas que você quer fazer", comentou.

Ele continua a dizer, "Liderança não significa que você não ouça. Liderança nem sempre significa obter a última palavra. A boa liderança, muitas vezes diz: ‘Você estava certo, eu estava errado'.".

3. SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA QUE VOCÊ NÃO TENTE INFLUENCIAR O SEU MARIDO
Tentar mudar o cônjuge pode realmente ser uma coisa boa, especialmente no contexto de uma esposa ou marido que não é crente ou está vivendo em pecado. "Se o seu marido está vivendo em pecado ou sua esposa está vivendo em pecado ou incredulidade e você quer que eles mudem, você não seria uma pessoa amorosa se você não fizesse isso. Se você parou de querer isso, pode parecer que você é insubordinado para alguém. Isso não é, bíblico".

John Piper / Fonte: Portal Guiame

Por Litrazini

Graça e Paz