segunda-feira, 30 de abril de 2018

O PERFIL DE UM LÍDER CRISTÃO EXEMPLAR


O livro de Atos dos apóstolos faz uma síntese da vida de Barnabé, um dos maiores líderes da igreja cristã, nos seguintes termos: “Porque era homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé…” (At 11.24). Há três verdades sobre Barnabé que devemos aqui destacar:

1. UM LÍDER CRISTÃO DEVE INVESTIR SUA VIDA NA VIDA DOS OUTROS. 
Ser líder é ser servo; ser grande é ser pequeno; ser exaltado é humilhar-se. Barnabé é o único homem da Bíblia chamado de bom. E por que? É porque quase sempre, ele está investindo sua vida na vida de alguém. Em Atos 4.36,37 ele está investindo recursos financeiros para abençoar pessoas.

Em Atos 9.27 ele está investindo na vida de Saulo de Tarso, quando todos os discípulos fecharam-lhe a porta da igreja não acreditando que ele fosse convertido.

Em Atos 11.19-26, a igreja de Jerusalém o vê como o melhor obreiro a ser enviado para Antioquia e quando ele vê a graça de Deus prosperando naquela grande metrópole, mais uma vez ele investe na vida de Saulo e vai buscá-lo em Tarso.

Em Atos 13.2 o Espírito o separa como o líder regente da primeira viagem missionária. Em Atos 15.37-41 Barnabé mais uma vez está investindo na vida de alguém; desta feita na vida de João Marcos.

Precisamos de líderes que sejam homens bons, homens que dediquem seu tempo e seu coração para investir na vida de outras pessoas.

2. UM LÍDER CRISTÃO DEVE ESVAZIAR-SE DE SI PARA SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO. 
Barnabé era um homem cheio do Espírito Santo. Sua vida, suas palavras e suas atitudes eram governadas pelo Espírito de Deus. Um líder cheio do Espírito tem o coração em Deus, vive para a glória de Deus, ama a obra de Deus e serve ao povo de Deus.Barnabé é um homem vazio de si mesmo, mas cheio do Espírito Santo. A plenitude do Espírito não é uma opção, mas uma ordem divina. Não ser cheio do Espírito é um pecado de negligência.

Precisamos de líderes que transbordem do Espírito, homens que sejam vasos de honra, exemplo para os fiéis, bênção para o rebanho de Deus.

Quando os líderes andam com Deus, eles influenciam seus liderados a também andarem com Deus. Por isso, a vida do líder é a vida da sua liderança. Deus está mais interessado em quem o líder é do que no que o líder faz. Vida com Deus precede trabalho para Deus. Piedade é mais importante do que performance.

3. UM LÍDER CRISTÃO DEVE COLOCAR SEUS OLHOS EM DEUS E NÃO NAS CIRCUNSTÂNCIAS. 
Barnabé era um homem cheio de fé. Ele vivia vitoriosamente mesmo diante das maiores dificuldades, porque sabia que Deus estava no controle da situação.

A fé tira nossos olhos dos problemas e os coloca em Deus que está acima dos problemas. A fé é certeza e convicção. É certeza de coisas e convicção de fatos (Hb 11.1). É viver não pelo que vemos ou sentimos, mas na confiança de que Deus está no controle, mesmo que não estejamos no controle. A fé sorri diante das dificuldades, não porque somos fortes, mas porque embora sejamos fracos, confiamos naquele que é onipotente.

Barnabé é um exemplo de um líder que deve ser seguido. Precisamos de líderes que vejam o invisível, creiam no impossível e toquem o intangível. Precisamos de líderes que ousem crer no Deus dos impossíveis e realizar coisas para ele. Precisamos de líderes que olhem para a vida na perspectiva de Deus, que abracem os desafios de Deus e realizem grandes projetos no reino de Deus.

Pr Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 29 de abril de 2018

O DEUS EM QUEM TUDO POSSO


“Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Filipenses. 4.13)

Quantas vezes você já não falou este verso?E quantas vezes você teve a oportunidade de velo si cumprir em tua vida, mas o esqueceu?

A Palavra de Deus não pode ser usada como um simples jargão popular!!! Ou cremos ou não cremos.

O Apóstolo Paulo, quando disse isto, foi devido ele ter experiências com Deus em todas as as áreas de sua vida. Em Fp 4: 11 e 12 ele diz “Não digo isto por causa de necessidade, porque já aprendi a contentar-me com as circunstâncias em que me encontre. Sei passar falta, e sei também ter abundância; em toda maneira e em todas as coisas estou experimentado, tanto em ter fartura como em passar fome; tanto em ter abundância, como em padecer necessidade”.

Ele não foi guiado pelas circunstâncias, mas por sua fé naquele que supria todas as sua necessidades.

A certeza que Paulo tinha é que ele e Deus sempre era maioria, por mais que toda a humanidade e todo inferno se levantasse contra ele.

Temos que nos espelhar neste grande homem de Deus, que não está mais aqui em nosso meio, já está com o nosso Pai. Mas o nosso Deus continua sendo o mesmo, então podemos nEle todas as coisas!!!

NELE EU POSSO ESPERAR
- Espera pelo Senhor tende bom ânimo. Sl 127:14
- Esperei confiantemente no Senhor... Sl 40:1
- Os que esperam no Senhor renovam as suas forças. Is 40:31
Você tem aprendido a esperar no Senhor ou tem tido dificuldade de aguardar o tempo de Deus agir?

NELE EU POSSO CONFIAR
- Os que confiam no Senhor não se abalam. Sl. 125
- Não são atingidos. Sl 91:7
- São protegidos e socorridos. Lc 8:22-25
Como está a sua fé e confiança em Deus?

COM ELE EU POSSO VENCER
- Posso vencer todo o exército do inimigo. Sl 27:3
- Tudo coopera para o meu bem-estar e minha vitória. Rm 8:28
- Nada poderá me separar do amor de Cristo Jesus. Rm 8:35-39
- Sou mais que vencedor. Rm 8:37.

VOCÊ CRÊ EM SUA VITÓRIA?.
..., porque para Deus todas as coisas são possíveis.” Mc.10.27. “

Tome posse de tudo o que você é através de Cristo Jesus, e passe a tomar uma postura de servo mais que vencedor, porque com Jesus você pode todas as coisas (Fl 4:13). Em Mc 9.23 vemos o seguinte texto: ”E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê.

E nunca se esqueça a palavra de Deus não é um simples Jargão, mas é poderosa, e cumpre o propósito ao qual foi enviada, e só somos beneficiadas, quando nela cremos!!

Aprenda a confiar na palavra de Deus!!!

Pr. Edson Yan

Por Litrazini
Graça e Paz


sábado, 28 de abril de 2018

AS COISAS BOAS DE DEUS


“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará” (Sl 23.1).

Como é agradável uma boa viagem, uma boa recuperação física, uma boa refeição, um bom descanso, uma boa notícia, um bom amigo, um bom conselho.

1. DEUS PENSA COISAS BOAS A NOSSO RESPEITO
“Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais”(Jr 29.11).

a. Deus está, através do profeta, dando ao seu povo uma palavra de ânimo numa hora difícil.Este texto bíblico está inserido no conteúdo da carta que Jeremias enviou a um grupo de exilados judeus na Babilônia.

b. O que Deus está pensando, planejando, a nosso respeito, é o melhor.O diabo tem procurado muitas vezes dizer ao contrário, todavia podemos estar seguros de uma coisa: Deus pensa, planeja o melhor para nós. Foi assim quando o homem pecou. Deus planejou lá no Éden a nossa redenção em Cristo Jesus – “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn 3.15).

c. Quem sabe você está vivendo o seu momento de exílio, de cativeiro, de desânimo, de lutas.Saiba que, ainda que a isto esteja acostumado, Deus está pensando algo bom, lindo, maravilhoso a seu respeito.

2. DEUS PREPARA COISAS BOAS PARA NÓS.
“mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”(1 Co 2.9).
a. “Preparas-me uma mesa...” (Sl 23.5).
b. “Vinde porque tudo já está preparado” (Lc 14.17).
c. “Vou preparar-vos lugar” (Jo 14.2).

O que Deus tem preparado são coisas que os olhos não viram, os ouvidos não ouviram e nem subiram ao nosso coração.

3. DEUS NOS DÁ BOAS COISAS.
“Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?”(Mt 7.11).

a. Jesus está usando a figura do Pai em relação ao filho para mostrar o interesse de Deus em nos dar as coisas boas.
b. quantas coisas boas Deus tem para nos dar:sua paz, sua graça, seu amor, sua força, sua proteção, seu alento, sua esperança, sua vida.
C .As mãos de Deus estão cheias e estendidas para nós, e, com grande amor, ele nos diz: filho meu, quero abençoar você. Não precisamos viver de migalhas, Deus tem muitas coisas boas para nos dar. Ele quer nos abençoar com toda sorte de bênçãos espirituais em Cristo nas regiões celestes – “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo” (Ef 1.3).

Tudo o que temos de fazer é nos achegarmos a Deus e nos apropriarmos de tudo o que é nosso em Cristo Jesus.

Messias Anacleto Rosa

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 27 de abril de 2018

O VALOR DO TRABALHO DIÁRIO


Quando Jacó viu Raquel, filha de Labão, irmão de sua mãe, e as o velhas de Labão, aproximou-se, removeu a pedra da boca do poço e deu de beber às ovelhas de seu tio Labão. (Gênesis 29.10) 

Como líder do povo de Deus e luz para o mundo, Jacó foi uma pessoa extremamente importante.

Ele tinha a bênção e a promessa de Deus e até mesmo tinha ouvido o Senhor falar com ele. É notável que ele viveu como se não tivesse coisa alguma.

Ele viveu como uma pessoa comum e fez seu trabalho diário, ações para as quais Deus não dá instrução específica alguma em sua Palavra.

Deus não disse a Jacó como ele o ajudaria ou o dirigiria, como as coisas terminariam nem se haveria boa colheita em determinado ano.

De modo semelhante, nós nunca devemos dizer: “Eu não sei o que acontecerá, então nada farei”. Deus nos diz para fazer o melhor que pudermos e deixar o restante para ele.

Ele não prometeu que tudo que fizéssemos teria sucesso. Não precisamos saber o que acontecerá nem como as coisas terminarão.

Devemos simplesmente realizar o trabalho atribuído a nós da melhor maneira possível.

Na Bíblia, ouvimos sobre os atos impressionantes e heroicos dos nossos ancestrais na fé. Juntamente com eles, também ouvimos sobre o trabalho humilde, desagradável e repugnante que tiveram de fazer.

Isso deve nos confortar todas as vezes que nosso trabalho diário tentar nos desanimar. Então, não nos sentiremos deprimidos nem cairemos em desespero, pensando que Deus nos desprezará.

Pelo contrário, devemos entender que todo trabalho é santificado por meio da Palavra de Deus e da nossa fé.

Mas o mundo não vê o trabalho dessa maneira. As pessoas pensam que ler histórias envolvendo personagens bíblicos fazendo tarefas comuns e cotidianas é uma perda de tempo.

Somente os cristãos são capazes de ver e compreender que Deus está trabalhando nessas atividades comuns. Esse trabalho é precioso, não apenas aos nossos olhos, mas também aos olhos de Deus. 

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 26 de abril de 2018

DE DEUS VEM O SOCORRO EM MEIO AS LUTAS


• SERÁ QUE DEUS SABE QUE SOFREMOS ?

Embora todo crente as vezes, passe por tempos de aridez espiritual, isto é normal. Deus quer estar perto de seu povo e prover-lhe a ajuda e consolo. Em Deus temos poder e capacidade de enfrentar as incertezas e lutas da vida.

Temos “Refúgio” : Fala de abrigo no perigo, mostrando que Deus é nossa real segurança na Tribulação.
Temos uma “Fortaleza” : Refere-se à força divina na peleja do crente contra seus inimigos e inclui o poder de Deus que opera em nós e nos capacita a vencer os obstáculos da vida.

OS SOFRIMENTOS DA HUMANIDADE:
a) Sofrimentos seculares na Natureza : Camada de Ozônio (Atmosfera), Mar (Peixes), Ar (Poluição), Florestas (Queimadas-Roraima), Meio Ambiente, Ecologia, Enchentes, efeito “EL NINO”. Descontrole total da Natureza...
b) Sofrimento Familiar : Vícios, Drogas, Prostituição, Homossexualismo, Álcool, Infidelidade, Rebeldia nos filhos, Falta de Amor nos Casais, Casamentos Destruídos, etc.

Mulheres que são espancadas, maltratadas, traídas e humilhadas – Vem para igreja, muitas vezes espancadas pelos maridos. Homens que são incompreendidos, mal amados, traídos e rejeitados pela mulher, filhos e parentes.

c) Sofrimento Financeiro : Desemprego, Falência, Pobreza, Miséria, Cheques sem Fundos, Nome no SPC, AGIOTA, Conta p/ Pagar e Receber, Trabalha e não Recebe, o Governo não Paga. Não dar para pagar o Aluguel, Telefone, Luz e Água.

d) Sofrimento Social e Político : Menores Abandonados, Favelados, Sem Terra e Tetos, Fome, Falta de Assistência Hospitalar, Educacional, Velhinhos Desamparados

Nunca se consegue elaborar um plano social satisfatório, só promessas ...Os Políticos estão desacreditados, corrupção imperando. Entra um governo e a gente sente saudades do que saiu – um pior do que o outro...

SOFRIMENTOS DE PAULO POR AMOR AO EVANGELHO
a)  2 Co. 11.16 – 30 : Trabalhos, açoites, prisões, perigo de morte, 195 chicotadas, apedrejado, 3 naufrágios, perigos de: rios, salteadores, entre seu povo, no deserto, nas cidades, entre falsos irmãos,
b) 2 Co. 12.10 “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas angústias, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então é que sou forte.

O RESULTADO DAS TRIBULAÇÕES
a) Rm. 8.31-39 = O Cântico de Vitória. V. 37 “Em todas as coisas somos mais que vencedores !!!
b) Salmo 46.11 “O SENHOR DOS EXÉRCITOS ESTÁ CONOSCO; O DEUS DE JACÓ E O NOSSO REFÚGIO E FORTALEZA !”.

Deus é “socorro bem presente nas tribulações”. Ele está ao alcance do seu povo e quer que busquemos seu socorro em qualquer momento de necessidade. Ele é suficiente em qualquer situação e nunca nos deixa só. NÃO PRECISAMOS TEMER!!

Pr. Suedem Medeiros

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 25 de abril de 2018

A GRAÇA E O AMOR DE JESUS


Por mais profunda que seja sua angústia, Ele está presente. Por maior que seja sua dor, Ele está presente. Por mais humilhante que seja sua situação de abandono, Ele está presente. Por mais traumática que seja a sua perda, Ele está presente. Por mais desérticos que sejam os seus relacionamentos, Ele está presente.

Jesus está presente! Jesus não o deixa. Você pode abandoná-lo, mas Ele não o abandona. Entenda o profundo significado das promessas de Cristo a este respeito: “...Não te deixarei e nem te desampararei (Js. 1.5); “...Aquele que vem a Mim de maneira nenhuma o lançarei fora”(Jo. 6.37).

A maioria dos evangélicos tem procurado viver uma fé emotiva, baseada naquilo que sentem e não naquilo que a Palavra de Deus diz. A grande maioria diz: “Irmãos, sintam a presença de Deus!”, ou “Eu estou sentindo que Jesus está aqui!”; ou mesmo “Eu não tenho sentido a presença de Deus na minha vida.”

Sentindo ou não, eu sei que Jesus está comigo porque a Bíblia me garante isto. Que é mais importante? O que eu sinto, ou o que a infalível Palavra de Deus diz? Ela garante que nos momentos de mais dura provação, Deus está comigo: “Quando passares pelas águas eu serei contigo; quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti” (Is. 43.2).

Milagres só acontecem quando Jesus está presente, quando Ele está presente, o choro se torna em riso, o pranto se converte em alegria, a angústia vira em júbilo, o desespero cede à esperança, a derrota passa a ser vitória e o impossível possível.

Se você reunir as forças e entender que Jesus está ao seu lado, pronto a toma-lo nos braços, acariciar-lhe a alma e sarar-lhe as feridas. Jesus, mais do que ninguém, está interessado em tratar-lhe os traumas, pois foi para isto que ele veio “...eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância” (Jo 10.10).

Jesus o ama, a Igreja o aceita e os irmãos o compreendem. A principal tarefa da Igreja é ser o hospital espiritual deste planeta. Jesus nada faz com pessoas que insistem em continuar fechadas no seu mundo, na obscuridade, no cantinho inviolável; Pessoas que insistem em continuar no seu mundo jamais provarão o tratamento do Senhor.

Não interessa o que outros vão pensar, não há nada que pague o preço da restauração “Confessai as vossas culpas uns aos outros para serdes curados” (Tg. 5.16). Existe uma forte relação entre a confissão e a cura. Deus mais do que ninguém, sabe tudo o que queremos ou precisamos, mas Ele quer ouvir você clamar, quer que você diga onde está doendo.

A palavra grega para confessar é omologuéo, que significa: narrar detalhadamente o fato ocorrido. Deus sabe tudo o que acontece com você e com muito mais detalhes do que você pensa, mas Ele quer a confissão da causa porque é um princípio bíblico. Tratar efeitos sem tratar causas é inútil. É como colocar um pouco de mertiolate sobre uma fratura exposta.

Por vezes falta-nos fé suficiente para entendermos que Deus está no controle das nossas vidas, mesmo nos maus momentos. É fácil rotular: nos bons momentos Deus está presente; nos momentos tempestuosos é o diabo quem está por perto. Quando estamos sob o Senhorio de Cristo e dizemos que Satanás está atuando em nossas vidas, estamos transferindo a glória de Deus nos momentos de tempestade para o inimigo.

A contemplação da glória do Senhor a cada bom ou mau momento traz-nos a cura da alma, pois não há maior conforto do que o de saber que durante os momentos mais difíceis Ele leva-nos em seus braços. “E todos nós com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados  de glória em glória, na sua própria imagem.” (2 Co. 3.18). Com a obediência quase automaticamente entendemos o Senhorio de Cristo. Tudo o que acontece na vida do cristão faz, inevitavelmente, parte dos propósitos de Deus para o seu crescimento. O processo termina quando, com naturalidade, aceitamos a simplicidade das coisas espirituais.

Por muitas vezes demoramos para ouvir a voz de Deus em meio a simplicidade das coisas do cristianismo. Esquecemos de reconhecer que Deus trabalha através de modestos louvores ou de palavras simples.
         
Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 24 de abril de 2018

COMO APRESENTAR JESUS CRISTO A NOSSOS FILHOS


É imprescindível viver diante de nossos filhos em total integridade, buscando a presença e direção do Senhor em toda situação. Seja em momentos de tensão ou tranqüilidade, de alegria ou dificuldade, tanto nas boas como nas más. Há certos elementos que devem ser levados em conta:

NOSSO EXEMPLO – Gn 18.17-19 - O fundamento do sacerdócio dos pais é o amor e a devoção a Deus. Se os pais querem que seus filhos amem a Deus e o sigam, devem antes dar o exemplo. Esse amor e devoção estão expressos num vida de oração e dependência de Deus. Sua fé será conhecida pela maneira como vive. Caso contrário, será notória a hipocrisia.

A PALAVRA DE DEUS – Dt 6.6-9; 11.1,19-21; Js 1.8 - Na medida em que os filhos crescem, deve-se comunicar lhes a palavra de Deus. Eles devem amá-la, obedecê-la com reverência e apreciá-la como o maior valor que eles possuem. Para isso, deve-se usar tudo o que for possível: ler e contar histórias das sagradas escrituras para os filhos, fazer referências a ela, cantar porções da palavra, memorizar e citar textos.

REPRESENTAÇÕES SIMBÓLICAS – Js 4.20-24 - Os quadros, fotos, textos, mapas, desenhos e demais expressões gráficas que adornam a casa, e especialmente o dormitório dos filhos, exercem muita influência sobre seus pensamentos e desenvolvimento espiritual.

MÚSICA – Cl 3.16 - É extraordinária a influência que a música exerce sobre o ser humano! O Senhor deseja que seus filhos o louve e o adore com cânticos e hinos espirituais. Cantar a palavra é uma forma não só de louvar mas de memorizar e proclamar as verdades do Senhor. Por isso é bom que o papai e a mamãe contem para seus filhos desde o nascimento e que essa prática sempre esteja presente na vida da família.

NOSSA BÊNÇÃO – Mc 10.13-16 - A imposição de mãos e a oração abençoam, protegem, liberam, acalmam e saram a nossos filhos. Em virtude da autoridade paterna (e materna) e do nome do Senhor Jesus Cristo invocado sobre eles, a família é abençoada. É uma viva e poderosa expressão de nosso sacerdócio como pais.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 23 de abril de 2018

A PRESENÇA DE CRISTO NO LAR


Um lar cristão é o lugar onde a presença de Cristo é a característica mais forte e a principal atração. Cada membro da família tem consciência de Sua presença, governo e orientação.

O que faz com que a família seja dinâmica, vital e espiritual é a presença de Cristo agindo em nosso interior, transformando-nos à sua semelhança. “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” Sl 127.1.Tal como expressa o salmista, sem a presença de Cristo no lar, todas as ações, aspirações e esperanças se frustram. Como podemos ter a presença de Deus no lar diariamente? Qual é a nossa responsabilidade para que isso ocorra?

Antes de Deus estabelecer uma ordem sacerdotal em Israel, os pais atuavam como sacerdotes de seu lar. Notemos alguns exemplos:

Noé (Gn 8.20-22); Abraão (Gn 12.7,8; 13.4,18; 15.1-8; 17.1-22; 18.20-33); Jó (Jo 1.5).

A função específica do sacerdote é vincular Deus com os homens. Os pais (marido e mulher) tem uma responsabilidade sacerdotal diante de seus filhos. Deus os comissionou para formá-los e criá-los, a fim de que sejam integrados na grande família de Deus. Também devem interceder por eles diante do Senhor, comunicar as instruções da parte de Deus, ser o exemplo de conduta e orientar a respeito do culto que devemos prestar ao Senhor.

Todo esse ministério se fundamenta na pessoa e obra de Jesus Cristo, a quem os pais se sujeitam e em nome de quem ministram (Gn 18.17-19; Ef 6.4; Nm 30; Lc 2.21-38).

JESUS CRISTO: UMA REALIDADE GLORIOSA NA VIDA FAMILIAR
Esta realidade se alcança quando a presença de Cristo é notória na vida dos pais. Entretanto, Deus quer se revelar de uma forma pessoal e íntima a cada membro da família. As crianças tem uma grande capacidade para perceber a presença de Deus, crer e confiar nele. Encontram-se nas escrituras muitos exemplos disso:

Samuel conheceu a Deus quando pequeno (1Sm 3);
Davi foi testemunha da presença de Deus em sua infância (Sl 22.9,10);
Timóteo foi instruído na fé e no conhecimento de Deus por sua mãe e avó desde a infância (2Tm 3.15);
Jesus exorta para não subestimar a fé de uma criança (Mt 18.6).

O Senhor usa as orações e os testemunhos (especialmente dos pais) para conduzir outros membros da família à fé (Ver o caso da mulher samaritana – Jo 4.39-42). Observar alguns casos bíblicos em que a fé dos pais envolveu o resto da família:

Josué (Js 24.15); Cornélio (At 11.12-15); Lídia (At 16.14,15); Carcereiro de Filipos (At 16.30-34).

Existem dois indicadores claros na vida familiar que evidenciam a presença de Cristo:
a). O bom uso do tempo. Dedicar-se diariamente para orar, ler e meditar na palavra, conversar com a família sobre os interesses do Senhor e o discipulado, indicam que a família reconhece a gloriosa presença de Cristo.
b). O bom uso do dinheiro e de todos os bens materiais da família, mostra que ela reconhece Deus como o provedor e dono de tudo.

A generosidade é a maior evidência disso. Todos devem ser ensinados quanto a ser generosos e a repartir com outros suas necessidades. Os filhos imitam naturalmente a seus pais. Por isso devem eles ser o exemplo prático de tudo o que Deus espera deles.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 22 de abril de 2018

VIVIFICADO POR MEIO DE CRISTO


Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados. (1 Coríntios 15.22)

Paulo está falando aqui somente sobre os cristãos. Ele quer ensiná-los e confortá-los a respeito de serem vivificados em Cristo. Apesar de que os não cristãos também ressuscitarão dos mortos, a ressurreição não será um conforto nem alegria para eles, porque estes serão levantados para julgamento, e não para vida.

Essa não é uma mensagem confortadora nem feliz para o mundo. Os ímpios não querem ouvi-la. Era assim que eu me sentia quando queria ser um monge santo e tentava ser piedoso. Eu preferia ouvir sobre todos os demônios no inferno a ouvir sobre o dia do julgamento. Meus cabelos ficavam em pé só de pensar nisso.

O mundo todo odeia pensar em ter de deixar essa vida. As pessoas não querem morrer e ficam horrorizadas quando falamos de morte e do período após a morte.

Além disso, todos nós estamos presos na baboseira da nossa própria santidade e pensamos que, por meio das nossas próprias vidas e das nossas obras, poderemos aplacar o julgamento de Deus e ganhar um lugar no céu. Tudo o que conseguimos com isso é nos tornarmos piores e mais hostis em relação ao dia do julgamento.

Não direi coisa alguma sobre o grande número de pessoas que procuram todo o seu prazer e conforto aqui nesta vida, que menosprezam a Palavra de Deus e que não dão um centavo sequer para Deus e seu reino. Não é de se surpreender que tais pessoas se irritem ao ouvirem sobre a ressurreição.

Mas, para nós, essa mensagem é puro conforto e alegria, porque ouvimos que o nosso maior tesouro já está no céu.

Somente uma pequena parte permanece na terra, a qual Cristo ressuscitará e atrairá para si mesmo com a mesma facilidade que se desperta alguém do sono.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 21 de abril de 2018

A DISCIPLINA DE DEUS

Deus nos disciplina com amor para o nosso bem: “Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor, mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos de sua santidade” (Hb 12.10). Salmo 94.12 ainda diz: “Como é feliz o homem a quem disciplinas, Senhor, aquele a quem ensinas a tua lei”.

Na verdade, a disciplina de Deus é uma bênção em nossas vidas, pois ela revela o cuidado e o amor que ele tem por nós. Ele deseja que vivamos uma vida santa, pois isso é bom e seguro para nós.

Quando tiramos os olhos de Jesus e começamos a viver como nós achamos melhor, vamos sofrer e Deus quer nos poupar disso. A disciplina de Deus produz um sofrimento – “Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas de tristeza” (Hb.12.11a) – mas ela é incomparavelmente melhor que o sofrimento causado pela nossa vida de incredulidade. Além disso, o texto diz que “mais tarde, porém, [a disciplina] produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados” (Hb.12.11b).

DEUS NOS DISCIPLINA DE DUAS MANEIRAS PRINCIPAIS:

DISCIPLINA PASSIVA
Um bom exemplo de disciplina passiva é o que encontramos na história do Filho Pródigo (Lucas 15.11-31).
O filho mais moço da parábola deixou de crer que viver na casa do pai era o melhor para ele e pediu sua parte da herança para viver como bem quisesse. O texto não diz, mas eu imagino que o pai argumentou com ele sobre o perigo desta decisão. Mesmo assim o filho saiu de casa e acabou se dando mal, como era de se esperar. Perdeu tudo o que tinha e estava vivendo na desgraça.

Nesta condição ele se arrepende e volta para casa. Impressiona-me a postura do pai durante todo este período. Ele não tomou nenhuma medida disciplinar neste tempo, nem mesmo depois, quando o filho retorna ao lar. Ele sabia que as conseqüências que o filho sofreu por causa de suas decisões tiveram um efeito disciplinar. O filho aprendeu a lição! Só restava fazer uma festa para ele.

Às vezes, Deus não precisa fazer nada para nos disciplinar, pois as conseqüências dos nossos pecados são suficientes para nos ensinar. Deus fica nos observando e esperando pacientemente até que aprendamos a lição.

Não nos falta advertência. Sabemos que a Palavra condena determinadas coisas, mas não levamos isso muito a sério. Na verdade, não cremos no que Deus diz, e “quebramos a cara!”.

Não tenha medo de Deus, tema, isso sim, as conseqüências do seu pecado.

DISCIPLINA ATIVA
Outras vezes Deus precisa intervir e aplicar medidas corretivas. É o caso da ação de Deus diante da incredulidade do povo de Israel que os levou a recusar-se a tomar posse da terra prometida.

Não só eles deixaram de entrar, mas, principalmente, Deus os levou a peregrinar pelo deserto por 40 anos a fim de aprenderem a confiar nele. Uma nova geração aprendeu a ver Deus suprindo água e alimento, e preservando suas roupas de forma milagrosa em meio a um deserto, onde eles mesmos não podiam fazer nada. Ler Deuteronômio 8.2-5.

Quando finalmente aprenderam a lição, estavam, então, preparados para crer e obedecer ao Senhor na conquista da terra.

Deus pode intervir na sua vida mantendo-o por um tempo desempregado, ou tirando algo que lhe é muito valioso, até que você aprenda a confiar nele. Contudo, não pense que Deus tenha raiva de você e o esteja punindo.

Ele o disciplinará porque o ama, porque você é seu filho, e ele quer o melhor para você. Ele quer ensiná-lo a confiar nele e a depender dele. Ele quer que você experimente o melhor da vida que ele lhe tem preparado.

Entenda o propósito da disciplina de Deus na sua vida.
Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o enhor disciplina a quem ama, e castiga (açoita) todo aquele a quem aceita como filho” (5,6).

“Portanto, fortaleçam as mãos enfraquecidas e os joelhos vacilantes. Façam caminhos retos para os seus pés, para que o manco não se desvie, antes, seja curado” (12,13).

Alexandre Tempel

Por Litrazini
Graça e Paz


sexta-feira, 20 de abril de 2018

RELEMBRANDO O SENHOR


E encontrou-se nela um sábio pobre, que livrou aquela cidade pela sua sabedoria, e ninguém se lembrava daquele pobre homem (Eclesiastes 9:15).

Antes de deixar esse mundo, o Senhor Jesus Cristo deu aos Seus discípulos os meios para que se lembrassem dEle, dizendo-lhes o seguinte, enquanto distribuía o pão e o cálice: “fazei isto em memória de mim”.

Portanto, é privilégio daqueles que amam o Senhor lembrarem-se dEle semana após semana, pensando em Seu grande amor, entregando-se para morrer por eles, para libertá-los do poder do pecado, da morte, e de Satanás e para conduzi-los ao conhecimento de Deus e de Seu amor.

O memorial do Senhor pode ter sido privado de sua simplicidade pelos grandes sistemas religiosos da cristandade, a ponto de muitos que participam da ceia do Senhor não serem verdadeiros discípulos.

Mas ainda existem aqueles, os quais com devoção ao seu Senhor ausente, lembram-se dEle com um coração verdadeiro. Eles consideram tal lembrança seu maior privilégio, enquanto aguardam Ele vir chamá-los para estarem, para sempre, com Ele na casa do Pai, onde não haverá mais necessidade do memorial.

Desde os dias da rejeição de Cristo pelo mundo, Deus cuidou para que Seu Filho não fosse esquecido.

Como deve alegrar o coração do Senhor ao ver Seu povo relembrando tudo que Ele passou por amá-los, ao agirem do modo que Ele deseja.

Para aqueles que são Seus, a comunhão de Sua morte é doce, tendo suas alegrias peculiares. Eles também sabem que onde dois ou três estiverem reunidos em Seu nome, o Senhor estará no meio deles.

Assim, enquanto o Senhor Jesus Cristo é caracterizado como o pobre homem sábio, e como aquele pobre homem do passado, é esquecido pelo mundo; também existe um bendito contraste.

Enquanto nenhum homem lembrou-se “daquele pobre homem”, muitos existem que alegremente se lembram do Homem Jesus, Aquele que tornou-se pobre, para que nós, por meio de Sua pobreza, fossemos tornados ricos (2 Coríntios 8:9).

Extraído Devocional Diário Boa Semente

Por Litrazini
Graça e Paz