terça-feira, 13 de novembro de 2018

QUANDO VOCÊ ESTIVER COM POUCA ESPERANÇA


Água. Tudo o que Noé consegue ver é água. O sol da tarde desce nela. As nuvens são refletidas nela. Seu barco está cercado por ela. Água. Água ao norte. Água ao sul. Água a leste. Água a oeste. Água. 

Ele enviou um corvo em uma missão de exploração; ele nunca retornou. Ele enviou uma pomba. Ela voltou exausta e tremendo, sem ter encontrado um lugar para abrigar-se. Então, nesta manhã, ele tentou novamente. Com uma oração ele a soltou e observou até o pássaro não ser maior do que um pontinho em uma janela. Todos os dias ele esperava a volta da pomba. 

Agora o sol está se pondo, o céu está escurecendo e ele veio olhar uma última vez, mas tudo o que ele vê é água. Água ao norte. Água ao sul. Água a leste. Água a... 

Você conhece o sentimento. Você já esteve onde Noé estava. Você conhece a sua quota de dilúvios. Inundado por tristeza no cemitério, estresse no escritório, raiva por causa da incapacidade em seu corpo ou pela incapacidade de seu cônjuge. Você viu a água do dilúvio subir e você já deve ter visto sol se pôr sobre suas esperanças também. Você esteve no barco de Noé. 

E você precisou do que Noé precisava; você precisou de alguma esperança. Você não está pedindo um resgate de helicóptero, mas o som de um seria bom. A esperança não promete uma solução imediata, mas a possibilidade de uma eventual solução. Algumas vezes tudo o que precisamos é um pouco de esperança. Isso era tudo o que Noé precisava. E foi tudo o que Noé recebeu. 

Aqui está como a Bíblia descreve o momento “Ao entardecer, quando a pomba voltou, trouxe em seu bico uma folha nova de oliveira” (Gn.8.11) 

Uma folha de oliveira. Noé já teria ficado feliz em ter o pássaro, mas ter a folha! Esta folha era mais do que folhagem; era uma promessa. O pássaro havia levado mais do que um pedaço de uma árvore; ele levou esperança. Pois não é isso o que é esperança? Esperança é uma folha de oliveira - evidência de terra seca depois de um dilúvio. Prova ao sonhador de que sonhar vale a pena. 

Para todos os Noés do mundo, para todos os que procuram no horizonte um grão de esperança, Jesus declara, “Sim!” e ele vem. Ele vem como uma pomba. Ele vem trazendo fruto de uma terra distante, do nosso futuro lar. Ele vem com uma folha de esperança. 

Você recebeu a sua? Não pense que a sua arca está isolada demais. Não pense que seu dilúvio é grande demais. Receba sua esperança, sim? Receba-a porque você precisa dela. Receba-a para que você possa compartilhá-la. Receba sua esperança, sim? Receba-a porque você precisa dela. Receba-a para que você possa compartilhá-la. 

O que você acha que Noé fez com a dele? O que você acha que ele fez com a folha? Ele a jogou ao mar e se esqueceu dela? Você acha que ele a colocou em seu bolso e a guardou para um álbum? Ou você acha que ele soltou um grito, reuniu as tropas e a passou como um Diamante de Esperança que ela era? 

Certamente ele gritou. Isso é o que você faz com esperança. O que você faz com as folhas de oliveira? Você as passa adiante. Você não as coloca em seu bolso. Você as oferece para aqueles que você ama. O amor sempre espera. “O amor… tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (1Co.13.4-7)O amor tem esperança em você. 

O amor faz isso. O amor oferece uma folha de oliveira à pessoa amada e diz, “Tenho esperança em você”. 

O amor também é rápido em dizer, “Tenho esperança para você”.  

Você pode dizer essas palavras. Você é um sobrevivente de dilúvio. Pela graça de Deus você encontrou seu caminho para a terra seca. Você sabe o que é ver a água baixar. E por isso, por você ter passado por um dilúvio e sobrevivido para contar sobre ele, você está qualificado a dar esperança para outra pessoa.

Pr  Max. Lucado.

Por Litrazini
Graça e Paz