domingo, 30 de dezembro de 2018

A MENINA DOS OLHOS DE DEUS


Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas (Salmo17.8)

O DESEJO DO SALMISTA (Sl.17. 1-5)
A primeira coisa a fazer quando estamos enfrentando dificuldades, é levar o assunto à presença do Senhor. Davi examinou-se a si mesmo aos olhos penetrantes do Senhor, exonerou-se da acusação de ser traidor e buscou reparação do erro. Ele não procurou justificar-se a si mesmo, mas pediu a intervenção do Senhor.

Sua suplica é o desejo de um coração sincero e honesto. Davi não encontrava justiça em Saul, porém confiava que os olhos do Senhor viam a sua retidão.

“Sonda-me o coração, de noite me visitas, prova-me no fogo, e iniquidade nenhuma encontrará em mim”. Davi declara a sua inocência de todo propósito maligno. Ele não havia transgredido a vontade de Deus nem em palavras ou em obras (ações). Ele sentia na pele o golpe doloroso das falsas acusações levantadas contra ele, mas ainda assim, comprometeu-se não pagar o mal com o mal (Sl.17. 4-5).

À SOMBRA DAS SUAS ASAS ( V 6-12)
“Guarda-me como a menina dos olhos, esconde-me à sombra de tuas asas”. Esta expressão é muito freqüente no Antigo Testamento e significa: aquele que é muito querido, ou algo que é guardado com especial cuidado.

Charles Spurgeon o príncipe dos pregadores. Comentado este versículo fez a seguinte observação:

Parte alguma do corpo é mais preciosa, mais delicada e mais cuidadosamente guardada do que os olhos; e a parte dos olhos que deve ser guardada com cuidado especial é a central, a pupila, ou a “menina dos olhos”. O sábio criador colocou os olhos num lugar bem protegido; estão cercados por ossos que os protejem como montes ao redor de Jerusalém.

Além disso, o criador os circundou com muitas túnicas interiores, além do cercado que são as sombrancelhas, a cortina que são as pestanas e a cerca que são as pálpebras, além disso ele deu aos homens um valor tão grande para com os seus olhos e uma apreensão de perigo tão instantânea, que parte alguma do corpo é mais fielmente guardada que o órgão da visão.

Fazendo uma outra observação notamos, que, quando olhamos em um espelho vemos a nossa própria imagem. Se estamos também bem próximo de uma pessoa e a olhamos nos olhos, vemos o nosso próprio reflexo. Deus também está olhando para nós, só podemos ver a nós mesmos como somos, somente quando virmos através de seus olhos. Vemos o nosso reflexo em seus olhos não como a pessoa que temos sido, mas como o milagre que podemos vir a ser.

Sentimos graça ilimitada ao percebemos que somos a menina dos olhos de Deus. Perto do final da vida, Moisés, olha para o passado, e conclama aos israelitas a louvarem ao Senhor pelo seu cuidado constante (Dt 32.9-10).

O fato é que o Senhor nos vê, nos conhece, cuida de nós e jamais nos abandonará. O Senhor paira sobre nós e nos guarda de tudo aquilo que nos impeça de realizar a sua vontade. Seus braços eternos nos sustentam por baixo, por cima e ao redor. O salmista podia enfrentar ou suportar tudo enquanto soubesse que estava sendo guardado pelo Senhor (Nm 6.24-26).

“Levanta-se Senhor, defronta-os, arrasa-os...” o salmista pede a Deus que saia ao encontro dos seus inimigos e faça-os se prostrarem. O salmista invoca a soberania de Deus no combate as seus adversários, sabendo que ante a voz de comando divino, todos se prostram, pois todos o reconhecem como o Supremo Soberano (Rm 14.11).

Em um sentido profundo, Jesus Cristo é a manifestação tanto da menina dos olhos de Deus como da sombra de suas asas. Em Cristo temos o amor dos braços protetores de Deus que nos sustentam e nos dão sombra. Ele levou todas as nossas mágoas sobre si no Calvário, ressurgiu voltando para ser o amigo que jamais nos abandona.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário