segunda-feira, 23 de setembro de 2019

O QUE ACONTECEU QUANDO FOMOS CONVERTIDOS


Todos os convertidos a Cristo foram convertidos por meio de um conhecimento parcial. Um conhecimento real, certamente – pelo contrário, não seria uma verdadeira conversão –, mas parcial.

Isso não é surpreendente, claro, uma vez que esse é o único tipo de conhecimento que nós temos como criaturas finitas, especialmente neste mundo caído. “Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então conhecerei como também sou conhecido” (1 Coríntios 13.12).

VALE A PENA FALAR O ÓBVIO
Falar o óbvio é muito útil. Por exemplo, pode ser óbvio que o céu azul está glorioso hoje, mas não é sem sentido falar a um amigo: “o céu azul está tão bonito hoje!”. Até esse momento, ele poderia estar cego para o óbvio. E, de repente, você, dizendo o óbvio, acordou ele para essa alegria.

Meu ponto aqui é que, quando as pessoas são salvas, elas não sabem todas as coisas gloriosas que aconteceram com elas naquele momento – como uma pessoa que acorda de uma cirurgia e não sabe se o câncer foi completamente removido. Deve-se contar para elas.

É tarefa dos pais, dos professores da Escola Bíblica Dominical, dos líderes de pequenos grupos e dos pastores contar às pessoas o que aconteceu com elas. Nunca presuma que elas entendem como Deus as salvou. Todos nós tempos apenas um conhecimento parcial disso. E boa parte do Novo Testamento é voltada para aumentar o nosso conhecimento de como Deus nos salvou (na história e em nossas almas), e o que é verdadeiro sobre ele e sobre nós nesse novo relacionamento.
Deixem-me ilustrar o que quero dizer.

1. MILHARES DE PESSOAS VERDADEIRAMENTE CONVERTIDAS NUNCA OUVIRAM FALAR DE “NOVO NASCIMENTO” OU “REGENERAÇÃO”. O testemunho que ouviram sobre a morte, ressurreição e perdão de Jesus não incluiu essa verdade. Agora elas creem. Eles “nasceram de novo”, mas elas não sabem disso. Então, temos de ensiná-las.

Todos os que acreditam que Jesus é o Cristo nasceram de novo… Em verdade, em verdade, te digo, que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus (1 João 5.1; João 3.3; 1 Pedro 1.3, 23; Tiago 1.18).

2. TODOS OS CRISTÃOS SÃO “CHAMADOS” POR DEUS. Mas milhares não conhecem a linguagem do chamado divino. Eles nunca ouviram essa linguagem. Então, temos de ensiná-los.

Judeus pedem sinais, gregos buscam conhecimento, mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os gentios, mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, o poder de Deus e sabedoria de Deus (1 Coríntios 1.22-24, 9; 7.15,17; Romanos 8.28; Gálatas 1.5; 5.8; Efésios 4.1, 4; 2 Timóteo 1.9).

3. TODOS OS CRISTÃOS FORAM ESCOLHIDOS POR DEUS ANTES MESMO DA FUNDAÇÃO DO MUNDO. Mas milhares não sabem que Deus os escolheu desde a eternidade. Eles precisam ser ensinados sobre essa verdade. Ele nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor (Efésios 1.4; 1 Coríntios 1.26-29; Romanos 9.11; 11.5-7; Tiago 2.5).

4. TODOS OS CRISTÃOS MORRERAM COM CRISTO. Mas milhares nunca pensaram sobre a conversão dessa forma. Mesmo que as palavras tenham sido ditas na hora do batismo (para não mencionar quantos verdadeiros cristãos não têm memória de sua aspersão infantil), elas não ficam registradas. Eles precisam ser ensinados de que estão mortos. Porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus (Colossenses 3.3; 2.12; Romanos 6.4-6; Gálatas 2.20).

5. TODOS OS CRISTÃOS SÃO JUSTIFICADOS APENAS PELA FÉ, NÃO POR OBRAS DA LEI. Mas muitos vêm a Cristo sem que a palavra “justificação” tenha sido usada alguma vez. Em algum ponto da jornada, eles precisam ser ensinados de que algo glorioso como isso aconteceu com eles.
Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei (Romanos 3.28; 5.1; 8.1, 30; 2 Coríntios 5.21; Gálastas 2.16; 3.11).

6. TODOS OS CRISTÃOS FORAM REMOVIDOS DO DOMÍNIO DAS TREVAS E TRANSPORTADOS PARA O REINO DE CRISTO. Mas muitos nunca ouviram que eles estavam sob o domínio das trevas, ou o que é isso, ou sequer que foram transferidos para outro reino. Eles precisam ser ensinados. Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor (Colossenses 1.13).

7. TODOS OS CRISTÃOS FORAM LIBERTOS DO CONTROLE DECISIVO DO DIABO. Mas muitos Cristãos não sabem que eles estavam sob o controle do diabo, nem que eles ficaram livres dele. Eles precisam ser ensinados. E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz(Colossenses 2.15; Hebreus 2.14-15).

8. TODOS OS CRISTÃOS FORAM SELADOS PELO ESPÍRITO SANTO PARA O DIA DA REDENÇÃO. Mas milhares não sabem que existe algo chamado selo e o que isso significa. Eles precisam ser ensinados. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção (Efésios 4.30; 1.13).

9. TODOS OS CRISTÃOS FORAM LEGALMENTE ADOTADOS PARA A FAMÍLIA DE DEUS E SÃO FILHOS DE DEUS. Mas muitos nunca ouviram essa verdade sobre adoção. Eles precisam ser ensinados. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados (Romanos 8.15-17; Efésios 1.5; Gálatas 4.4-5).

10. TODOS OS CRISTÃOS SÃO HABITADOS PELO CRISTO VIVO. Mas nem todos sabem disso. Eles precisam ser ensinados. Aos quais Deus quis dar conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória (Colossenses 1.27; Romanos 8.10).

UMA ANTIGA PALAVRA SOBRE A NOVA VIDA
Pense por um momento sobre as implicações disso. Nossa experiência (perceba a palavra! Não é só conhecimento, mas experiência) de quem somos e do que aconteceu em nós é profundamente determinado pelo que sabemos sobre o milagre da nossa conversão. E o que sabemos vem da Escritura. Deus ordenou que o milagre da vida Cristã deve ser alimentado pela sua graça soberana na alma, mas guiado e moldado por sua palavra na Bíblia

Deveríamos pensar que Deus quer que desfrutemos das glórias da conversão porque nós fomos, de fato, milagrosamente convertidos. Isso é, afinal de contas, um milagre! Devem falar-lhe que você acabou de experimentar um milagre? Sim, se você quiser conhecer todas as faces do milagre. Mas Deus não nos dá o prazer da conversão só pela conversão em si. Nós experimentamos a plenitude da conversão quando a nova vida interior se cruza com a antiga palavra exterior.

Por exemplo, o Espírito de adoção interior (o qual todo Cristão tem) se cruza com o ensinamento bíblico sobre adoção, e explode com o prazer dado pela consciência e segurança de que somos filhos de Deus.

Então, pastores, professores e pais: ensinem os crentes sob sua responsabilidade o que aconteceu com ele no milagre da conversão. É assim que experimentamos a obra do Deus vivo.

JOHN PIPER / Traduzido por Victor Bimbato | Reforma21

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 22 de setembro de 2019

TÃO PERTO E TÃO LONGE


O seu carro quebra, o celular não tem sinal, é noite, o lugar é deserto e escuro, o risco de assalto é grande, você sabe que logo ali na frente, tão perto, tem mecânico que poderia socorrê-lo, mas, como o carro está quebrado, por conta das circunstâncias tão longe.

A sua perna está machucada, você não pode andar, nem mesmo ir ao mercado que fica há apenas duas quadras, tão perto e tão longe.

O único caminho para a salvação é Jesus Cristo, a bíblia diz: EU (Jesus) sou O caminho (o que significa Único e não mais um caminho), Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim (João 14.6), porém é preciso haver arrependimento dos pecados e confissão do Senhorio de Cristo na vida, pois a Palavra de Deus nos diz:

A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos, A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. (Rm 10.8-11) Se não fizer isso de nada valerão as boas obras; confira comigo em Efésios 2.8,9: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;

O bom coração ou coração de ouro não vai adiantar nada, pois somente pela misericórdia e sacrifício do Senhor Jesus é que conseguimos a salvação. Tão perto e tão longe tanto do céu quanto do inferno.

Todos se consideram filhos de Deus, mas se a opção pelo Senhorio Cristo não for feita, vai continuar apenas sendo criatura de Deus, veja: Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus. (João 1.12) Tão perto e tão longe.

Qualquer bom mecânico pode resolver o problema do carro; um médico competente pode até resolver o problema das suas pernas, mas, somente Jesus Cristo, O Único e Suficiente Senhor e Salvador pode dar uma vida eterna no céu.

Todavia, não espere para amanhã porque Jesus pode voltar hoje e, se isso acontecer, você ficará muito longe do céu e gemerá durante uma eternidade do tão perto inferno
.
Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.  Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem (Jesus) há de vir à hora em que não penseis. (Mt 24.40-44)

Lidiomar Trazini Granatti / Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

QUEM É O "ANJO DO SENHOR"?


ANJO DO SENHOR – [Do hb. malak Yavé] Segundo alguns teólogos, o anjo do Senhor era uma auto manifestação do Senhor Jesus. Para fortalecer este ponto de vista, alegam que, diferentemente de todos os outros seres angelicais, o anjo do Senhor aceitava adoração e falava em nome do mesmo Deus. Em virtude destes fatos, alinham os seguintes argumentos: 

1) Somente um membro da Santíssima Trindade poderia aceitar adoração; e
2) Apenas o Filho, ou o Espírito Santo, poderia falar em nome do Pai com tanta autoridade e com tamanha identificação.

Entretanto, devemos levar em consideração que, antes de sua encarnação, o Senhor Jesus estava no seio do Pai (Jo 1.18). Ou seja, permaneceu escondido em Deus até o momento de sua miraculosa manifestação no ventre de Maria. Sendo assim, todas as manifestações pré-encarnacionistas do Verbo Divino não passam de desnecessárias e perigosas especulações.

Levemos em consideração ainda que, entre a personalidade do anjo do Senhor e a de Cristo, há flagrantes contrastes.

Então, quem é realmente o anjo do Senhor?

“É um anjo especialmente designado para representar o Senhor Deus em missões especiais. Em sua função de embaixador, possui algumas prerrogativas exclusivas. No que tange à adoração, observemos o seguinte: quando alguém, no Antigo Testamento, reverenciava-o, na verdade estava reverenciando a Jeová, pois ele (o anjo) era o portador por excelência do nome divino” (Dicionário Teológico, Claudionor Corrêa de Andrade). 

É mister fazer menção especial ao “Anjo do SENHOR (às vezes, “o Anjo de Deus”, um anjo incomparável que aparece no AT e no NT.
(1) Seu primeiro aparecimento foi a Agar, no deserto (Gn 16.7); outros aparecimentos incluíram pessoas como Abraão (Gn 22.11,15), Jacó (Gn 31.11-13), Moisés (Êx 3.2), todos os israelitas durante o êxodo (Êx 14.19) e mais tarde em Boquim (Jz 2.1,4), Balaão (Nm 22.22-36), Josué (Js 5.13-15, onde o príncipe do exército do SENHOR é mais provavelmente o Anjo do SENHOR), Gideão (Jz 6.11), Davi (1 Cr 21.16), Elias (2 s 1.3-4), Daniel (Dn 6.22) e José (Mt 1.20; 2.13).

(2) O Anjo do SENHOR realizou várias tarefas semelhantes às dos anjos em geral. Às vezes, simplesmente trazia mensagens do Senhor ao seu povo (Gn 22.15-18; 31.11-13; Mt 1.20). Noutras ocasiões, Deus enviava o seu anjo para suprir as necessidades dos seus (1 Rs 19.5-7), para protege-los do perigo (Êx 14.19; 23.20; Dn 6.22) e, ocasionalmente, destruir os seus inimigos (Êx 23.23; 2 Rs 19.34, 35; Is 63.9). Quando o próprio povo de Deus rebelava-se e pecava grandemente, este anjo podia ser usado para destruí-lo (2 Sm 24.16,17).

(3) A identidade do anjo do Senhor tem sido debatida, especialmente pelo modo como ele frequentemente se dirige às pessoas.

Note os seguintes fatos;

(a) Em Jz 2.1, o anjo do Senhor diz: Do Egito Eu vos fiz subir, e Eu vos trouxe à terra que a vossos pais Eu tinha jurado, e Eu junca invalidei o meu concerto convosco (o grifo dos pronomes foi acrescentado). Comparada esta passagem com outras que descrevem o mesmo evento, verifica-se que eram atos do Senhor, o Deus do concerto dos israelitas. Foi Ele quem jurou a Abraão, a Isaque e a Jacó que daria aos seus descendentes a terra de Canaã (Gn 13.14-17; 17.8; 26.2-4; 28.13); Ele jurou que esse concerto seria eterno (Gn 17.7), Ele tirou os israelitas do Egito (Êx 20.1,2) e ele os levou à terra prometida (Is 1.1,2).
(b) Quando o anjo do Senhor apareceu a Josué, este prostrou-se e o adorou (Js 5.14). Essa atitude tem levado muitos a crer que esse anjo era uma manifestação do próprio Senhor Deus; do contrário, o anjo teria proibido Josué de adorá-lo (Ap 19.10; 22.8,9),

(c) Ainda mais explicitamente o anjo do Senhor que apareceu a Moisés na sarça ardente disse, em linguagem bem clara: “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó” (Êx 3.6).

(4) Porque o anjo do Senhor está tão estreitamente identificado com o próprio Senhor, e porque ele apareceu em forma humana, alguns consideram que ele era uma aparição do Cristo eterno, a segunda pessoa da Trindade, antes de nascer da virgem Maria” 

Fonte: (Bíblia de Estudo Pentecostal). 

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

SOLUÇÃO PARA O CAOS


Mesmo em meio à confusão, desordem, vazio e trevas, Deus nos ama.

Ainda que ninguém, nem nós mesmos, demos nada pela vida, e que ninguém acredite que haja uma saída, Deus nos ama.

O criador se interessa pelo que somos. Além disso, ele conhece o nosso ilimitado potencial e quer nos ajudar a desenvolvê-lo. O Espírito de Deus presta atenção e se move em mim e em você. “O mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis”. (Rm. 8.26).

O Espírito Santo atua, hoje, como atuava no início da criação e, Deus quer criar uma vida nova no coração arrasado, uma existência cheia de beleza, alegria, diversidade e luz.

O fato de nos sentirmos desorientados e confusos, com tudo em desordem, geralmente provoca sensações de grande angústia e ansiedade. Gostamos de ver as coisas em ordem, certinhas, previsíveis, tudo no seu lugar, quando isso não acontece ficamos desesperados. Mas, a desordem nas mãos de Deus, pode gerar grandes mudanças.

A desordem pode representar o fim da linha, a morte de um tipo de vida que não agrada a Deus, nem a nós. Estar confuso e aflito pode ser o indício de que já não se sabe fazer as coisas do nosso jeito; daí, decidir fazê-las à maneira de Deus.

Nos momentos, em que não sabemos o que fazer, em que não há saída nem perspectiva, temos a possibilidade de nos tornar como barro flexível e maleável nas mãos do oleiro – sem dogmas, projetos, preconceitos, pressupostos ou condições. Então o Senhor pode realizar uma obra profunda e radical em nossa vida. Nesse momento, o caos estéril se transforma em uma porta para fertilidade.

Deus tem uma palavra de cura para todo coração confuso, uma palavra põe fim aos caos que coloca tudo nos seus devidos lugares, que reorienta, redireciona, ilumina e liberta; Deus tem uma palavra para o coração de todas as pessoas.

Essa Palavra é Cristo “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez” (Jo. 1.1-3). O termo aqui traduzido como verbo é logos, que em grego significa palavra (não um vocábulo, mas uma linguagem que transmite ideia, mensagem).

Jesus é o logos de Deus, ele é a Palavra encarnada de Deus, pois “o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (Jo 1.14). Através dele, Deus fala de maneira mais pessoal, mais íntima, mais poderosa e mais clara que pode existir. Foi Jesus quem deu luz a terra, e é ele quem pode trazer luz à nossa vida.
Reconfigurada

Podemos ter a vida totalmente restaurada, recriada pelo poder de Deus. ”E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” (2 Co. 5.17)

Lidiomar T. Granatti (Litrazini)

Graça e Paz

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

A ÁGUA VERDADEIRA


“Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la”. João 4.13-15

O INTERESSE DE JESUS: OFERECER ÁGUA VIVA.

Uma água que saciasse toda a sede espiritual daquela mulher: a sede de Deus.

Uma água que purificasse o seu coração sujo pelo pecado.

Uma água que trouxesse alívio às suas dores, as suas aflições, aos seus sofrimentos.

Uma água que oferecesse vida eterna.

O INTERESSE DA MULHER: PROVAR DE UMA ÁGUA MILAGROSA.

Uma água que saciasse toda sua sede física.

Uma água que lhe possibilitasse menos esforço físico.

Uma água visível, palpável, que ela pudesse ver, beber e constatar o seu poder milagroso.

Jesus oferece o que é realmente importante. O homem busca o que acha que é importante.

O homem está constantemente preocupado em satisfazer apenas suas necessidades físicas. Deus, além de satisfazer as nossas necessidades físicas, também pode e quer satisfazer a nossa necessidade espiritual, a nossa sede da alma.

“Um pregador estava falando sobre o poder de Deus em transformar pecadores perdidos em pessoas abençoadas e felizes.

Uma pessoa da multidão, então, questionou o pregador apontando para um mendigo presente dizendo:
- O seu Deus é poderoso o bastante para mudar a roupa deste mendigo? O pregador, então, respondeu:
- O meu Deus não pode apenas mudar a roupa deste mendigo, mas pode também mudar o mendigo que está dentro dessa roupa!”

O ser humano está buscando o trivial, Deus está oferecendo o mais importante.

O homem está buscando solução para os seus problemas materiais, Deus está oferecendo solução definitiva para o problema espiritual do homem

Veja o que Jesus oferece:

1. ELE OFERECE VIDA E SALVAÇÃO ETERNA
Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida. (João 5:24)

2. ELE OFERECE VIDA ABUNDANTE
O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. (João 10:10)

3. ELE OFERECE LIBERTAÇÃO.
E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. (João 8:32)

Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão. (Gálatas 5:1)

4. ELE OFERECE AMOR SEM FIM.
Ora, antes da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. (João 13:1)

5. ELE OFERECE PAZ VERDADEIRA.
Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; (Isaías 9:6)

 Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33).

Autor: Pr Iranildo dos Santos Tomé

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 17 de setembro de 2019

RECEBER O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO?


E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar.  Atos 2:38-39

O batismo com o Espírito Santo é um presente, não é um prêmio, não tem nada a ver com merecimento, é uma experiência definida e pessoal, um revestimento de poder: “E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai porém, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder”- Lc 24.49.

É a capacitação para ser uma testemunha de Cristo: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra”- At 1.8.

Para receber essa unção, prêmio, poder... do Espírito se faz necessário observar alguns critérios, dentre eles

TEMOS QUE NASCER DE NOVO.
Ter o Espírito habitando dentro de si e pertencer a Jesus: “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” - Rm.8.9.

DEVEMOS PEDIR.
A Bíblia diz que se pedirmos, a oração será atendida: “Pois todo o que pede, recebe; e quem busca acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á” - Lc.11.10.

DEVEMOS NOS ENTREGAR
O apóstolo Paulo mostra com clareza essa necessidade quando ele diz: “Apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo” - Rm.12.1.

DEVEMOS DESEJAR OBEDECER AO ESPÍRITO.
Se quiser estar imersos no Espírito Santo, precisamos estar preparados para obedecê-lo: “E nós somos testemunhas destas coisas, e bem assim o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem” - At.5.32.

PRECISAMOS CRER.
Paulo perguntou: Recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?: GL.3.2. A resposta é obviamente, fé. Precisamos crer que, se pedirmos, receberemos.

TEMOS QUE EXERCITAR O QUE DEUS NOS DEU.
Havendo pedido, havendo recebido, havendo o desejo de receber, tendo crido, precisamos responder de uma forma bíblica.
Atos 2.4 diz: “Começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem”. Isto significa que eles falavam com as palavras o que o Espírito Santo lhes dava. O Espírito Santo dava as palavras, os apóstolos e os discípulos respondiam voluntariamente.

Havia uma ação com base na fé, e não meramente uma aceitação passiva da bênção. É importante comunicar ao novo discípulo ao orar com ele, que o Espírito Santo não vai forçar a sua boca.

O Espírito Santo não vai falar. As línguas são dadas pelo Espírito, mas quem fala é o discípulo. Portanto, ele mesmo deve exercer a sua vontade para falar. É ele que movimenta a sua boca. Ele que abre e fala, confiando que o Espírito Santo vai dar as línguas.

O batismo no Espírito Santo, para todos os cristãos, de todas as épocas, de todas as denominações e de todos os lugares. A mesma experiência que foi acessível à Igreja Primitiva pode ser provada pelos cristãos nos dias de hoje.

Lidiomar T. Granatti (Litrazini)
Graça e Paz

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

É JESUS O ÚNICO CAMINHO PARA O CÉU?


“Sou basicamente uma boa pessoa, então vou para o Céu.” “OK, então eu faço algumas coisas ruins, mas faço mais coisas boas, então vou para o Céu.” “Deus não vai me enviar para o inferno só porque não vivo de acordo com a Bíblia. Os tempos mudaram!” “Apenas pessoas realmente más como molestadores de crianças e assassinos vão para o inferno.” “Acredito em Deus, apenas o sigo do meu próprio jeito. Todos os caminhos levam a Deus.”

Todas estas são conclusões comuns entre a maioria das pessoas, mas a verdade é que são todas mentiras. Satanás, o qual tem poder sobre o mundo, planta estes pensamentos nas nossas mentes. Ele, e qualquer um que siga os seus caminhos, é um inimigo de Deus (1 Pedro 5:8). Satanás sempre se disfarça como bom (2 Coríntios 11:14), mas tem controle sobre todas as mentes que não pertencem a Deus. “...[Satanás, ] o deus imagem de Deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a” (2 Coríntios 4:4).

É uma mentira acreditar que Deus não se importa com pecados menores e que o inferno é destinado às “pessoas más”. Todo pecado nos separa de Deus, mesmo uma “pequena mentirinha”. Todos pecaram e ninguém é bom o suficiente para ir ao Céu por sua própria conta (Romanos 3:23).

Entrar no Céu não se baseia no nosso bem superar o nosso mal; todos perderíamos se este fosse o caso. “E, se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça” (Romanos 11:6). Não há nada bom que possamos fazer para ganhar a nossa entrada no Céu (Tito 3:5).

“Entrai pela porta estreita: porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela” (Mateus 7:13). Mesmo que todo mundo esteja vivendo uma vida de pecado, e crer em Deus não seja popular, Deus não vai perdoar isto. “nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, o espírito que agora atua nos filhos da desobediência” (Efésios 2:2).
Quando Deus criou o mundo, este era perfeito. Tudo era bom. Então ele fez Adão e Eva, e deu-lhes o seu próprio livre-arbítrio, de forma que teriam a escolha de seguir e obedecer a Deus ou não. No entanto, Adão e Eva, as primeiras pessoas que Deus fez, foram tentados por Satanás a desobedecer a Deus, e eles pecaram. Isto os impediu (e a todos os que vieram depois deles, incluindo a nós) de ter uma relação íntima com Deus. Ele é perfeito e não pode estar no meio do pecado.

Como pecadores, nós não poderíamos chegar lá pela nossa própria vontade. Então, Deus criou uma forma pela qual poderíamos estar unidos com Ele no Céu. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6:23).

Jesus nasceu para que pudesse nos ensinar o caminho e morreu por nossos pecados para que não o tivéssemos de fazer. Três dias após a Sua morte, Ele ressuscitou do sepulcro (Romanos 4:25), provando ser vitorioso sobre a morte. Ele completou o caminho entre Deus e o homem para que este pudesse ter uma relação pessoal com Ele, precisando apenas acreditar.

“E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (João 17:3). A maioria das pessoas acredita em Deus, até Satanás acredita. Entretanto, para receber a salvação, é preciso se voltar para Deus, formar uma relação pessoal com Ele, voltar-se contra os nossos pecados e seguir a Ele. Devemos acreditar em Jesus com tudo o que temos e em tudo o que fazemos. “Justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos os que creem; porque não há distinção” (Romanos 3:22). 
A Bíblia nos ensina que não há outro caminho para salvação a não ser através de Cristo. Jesus diz em João 14:6: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.”

Jesus é o único caminho para a salvação porque Ele é o Único que pode pagar o preço pelos nossos pecados (Romanos 6:23). Nenhuma outra religião ensina a profundidade ou seriedade do pecado e das suas consequências. Nenhuma outra religião oferece o pagamento infinito que só Jesus poderia dar pelo pecado. Nenhum outro “fundador religioso” foi Deus vindo como homem (João 1:1,14) – a única forma pela qual um débito infinito poderia ser pago.

Jesus tinha que ser Deus para que pudesse pagar nosso débito. Jesus tinha que ser homem para que pudesse morrer. A salvação está disponível apenas pela fé em Jesus Cristo! “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Atos 4:12).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 15 de setembro de 2019

ANJO DA GUARDA EXISTE? É BÍBLICO?


A Escritura menciona claramente que Deus envia os seus anjos para a nossa proteção: “Porque a seus anjos ele dará ordens a seu respeito, para que o protejam em todos os seus caminhos; com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra” (Sl 91.11,12).

Mas algumas pessoas vão além dessa ideia de proteção geral e pensam que Deus dá um “anjo da guarda” específico para cada indivíduo no mundo, ou ao menos para cada cristão.

As palavras de Jesus a respeito dos pequeninos têm servido de apoio para essa ideia: “Pois eu lhes digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste” (Mt 18.10). Contudo, nosso Senhor pode estar dizendo que os anjos designados para a tarefa de proteger as criancinhas têm pronto acesso à presença de Deus. (Para usar uma analogia esportiva, os anjos podem valer-se da marcação “por zona” em vez da marcação “homem a homem”.)

Quando os discípulos em Atos 12.15 dizem que o “anjo” de Pedro devia estar batendo à porta, isso não implica necessariamente na crença do anjo da guarda individual. Poderia ser que um anjo estivesse guardando ou tomando conta de Pedro naquela situação específica.

Parece não haver, entretanto, qualquer apoio convincente para a ideia de “anjos da guarda” individuais no texto da Escritura. Mas cremos que os anjos em geral têm a tarefa de proteger o povo de Deus.

NÃO ADORE ANJOS, NÃO ORE A ELES NEM OS PROCURE.

”adoração de anjos” (Cl 2.18) era uma das doutrinas falsas ensinadas em Colossos. Além disso, no livro de Apocalipse um anjo adverte João para que ele não o adore: “Não faça isso! Sou servo como você e como os seus irmãos que se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus. Adore a Deus!” (Ap 19.10).

Nem devemos orar aos anjos. Devemos orar a Deus somente, o único que é onipotente e, assim, capaz de responder à oração e o único que é onisciente e, portanto, capaz de ouvir as orações de todo o seu povo de uma só vez.

Paulo nos adverte contra o pensamento de que outro “mediador” possa estar entre nós e Deus: “Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus” (1Tm 2.5).

Se oramos aos anjos, estamos implicitamente atribuindo-lhes posição igual à de Deus, o que não devemos fazer. Não há exemplo na Escritura de alguém orando a um anjo específico ou pedindo ajuda a anjos.

Além disso, a Escritura não nos autoriza a buscar aparições de anjos. Eles se manifestam a nós de forma que não os vemos. Buscar tais aparições parece indicar curiosidade doentia ou o desejo por uma espécie de evento espetacular em vez do amor a Deus e a devoção a ele e à sua obra.

Embora os anjos tenham realmente aparecido em várias ocasiões na Escritura, com toda a certeza as pessoas a quem eles apareceram nunca procuraram essas aparições. Nosso papel é antes conversar com o Senhor, que é o próprio comandante das forças angelicais.

Contudo, não parece errado pedir a Deus para cumprir a sua promessa em Salmos 91.11 de enviar anjos para proteger-nos em tempos de necessidade.

Autoria: Wayne Grudem

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 14 de setembro de 2019

DIFERENCIAL? REFLEXO? O QUE É ISSO?


Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado.

Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.

Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. (João 15.1-8)

Sou um milagre, não faço milagres, sou um instrumento daquele que o faz, apenas tenho o privilégio de ser o canal condutor do poder do Senhor.

Todavia, para que isso ocorra é necessário que alguns critérios como buscar a Deus de todo coração, ter comunhão e vida com o Senhor, através de leituras bíblicas e orações diárias. Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. (Jeremias 29.12,13)

Não podemos apenas seguir à Deus mas seguir com Deus ao nosso lado em todo o tempo, a oração não deve ser limitada a períodos e, logo depois por o Senhor pra fora do restante do nosso dia. Contudo, isso não quer dizer que devemos ser pretensos espirituais e ter uma vida de extremos. Não!

Podemos ter uma vida normal sem excluir Deus da nossa rotina diária, nesse ponto entra a verdadeira dependência.

Se você, ainda tem dificuldades de discernir, ou mesmo, ouvir a voz de Deus, simplesmente pare e questione: Nessa situação que estou vivenciando, qual seria a atitude de Jesus?

Precisamos glorificar o Nome do Senhor, atribuindo a Ele o milagre, que por sua vez nos honrará porque Deus é Fiel e honra aqueles que o honram, porém, não divide a sua glória com ninguém.

Jesus influenciou multidões e nos deixou o legado para fazer o mesmo.

O papel do verdadeiro cristão é influenciar multidões não apenas com Palavras, mas, com atitudes que reflitam o caráter e a mente de Cristo, assim poderemos fazer o diferencial por onde passarmos.

Você tem feito diferença por onde passa?

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz