sábado, 29 de fevereiro de 2020

O CUMPRIMENTO DAS PROMESSAS DE DEUS


Para entender um pouco mais, do que acontece com as pessoas que não sabem porque certas coisas ocorrem, vamos meditar no Salmo número um e, verificaremos que Deus deixa tudo muito claro, cabe a cada um de nós apropriarmos ou não das promessas d´Ele.

Bem-aventurado o homem que NÃO ANDA segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, NEM SE ASSENTA NA RODA DOS ESCARNECEDORES.

Esse não é o caso de pessoas que se dizem convertidas, mas não deixam os envolvimentos com a vida passada, não deixam as praticas do mundo. Ao invés de contaminar, ser luz no mundo, são contaminadas e voltam ás velhas praticas.

Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.

Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e TUDO QUANTO FIZER PROSPERARÁ. Essa é uma das consequências das pessoas que tem compromisso com Deus e com a sua obra.

Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.

POR ISSO OS ÍMPIOS NÃO SUBSISTIRÃO NO JUÍZO, NEM OS PECADORES NA CONGREGAÇÃO DOS JUSTOS. Porque o Senhor conhece o caminho. A ida para o céu ou não, fica bem clara nesse texto.

Quem não tiver um posicionamento correto de acordo com a Palavra do nosso Deus, não pode reclamar das consequências, pois Deus é Fiel e zela por cumprir a sua Palavra.

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

PREGANDO O EVANGELHO CORRETO


Quando Jesus colocava as condições do reino, Ele sempre começava com “se alguém quer ser meu discípulo…”, e logo a seguir vinham as condições. Estas eram condições para ser um discípulo, para ser um convertido, um salvo. Eram condições para entrar no reino de Deus. Não era uma opção para ser mais consagrado, para crescer na fé, ou para se tornar pastor. 

O arrependimento, com tudo o que ele significa e produz, está na Porta de Entrada e não no caminho. Muitos estão pregando um evangelho “fofinho” (creia e mais nada), e depois querem estreitar o caminho.

Mas quem vai querer perder a vida se na entrada já lhe prometeram salvação e vida eterna sem condição nenhuma? Esta pregação tem enchido a igreja de religiosos que não estão submissos a autoridade de Jesus. Devemos mudar esta situação, e o principal para isto é entender que:

A Submissão Total a Autoridade de Jesus não é uma Opção para o Salvo, mas uma Condição para Ser Salvo

Em face desta verdade podemos observar que hoje há no mundo três tipos de homem. O primeiro não quer saber de Deus. O segundo está muito interessado em Deus. O terceiro vive para Deus. São eles:

O INCRÉDULO: Não quer dizer necessariamente ateu. É alguém que não tem interesse em Deus. Qual é o seu problema? É que governa a sua vida. Controla todas as áreas de sua vida conforme a sua vontade e para seu próprio prazer. Tem o EU no centro de sua vida. Ele vive para si mesmo.

O RELIGIOSO: É muito diferente do incrédulo. Acredita em Deus, lê a Bíblia, ora, canta, vai a reuniões, chama Jesus de Senhor, etc. Mas qual o seu problema? O mesmo do incrédulo. Tem o EU no centro. Vive para si mesmo. E Deus? Deus existe para abençoá-lo, curá-lo, servi-lo e salvá-lo. É um quebra-galho. Este está pior que o incrédulo porque está se enganando.

O DISCÍPULO: Não vive mais para si mesmo. Vive para Deus. Toda sua vida está estruturada em função da vontade de Deus. Jesus é o seu Senhor. Este experimentou um verdadeiro arrependimento. Que diferença entre um discípulo e um religioso! Que amor! Que prontidão! Que docilidade! Como cresce e frutifica! Graças a Deus pela revelação do seu reino!

O verdadeiro arrependimento tira o homem do centro e coloca  Jesus no centro de tudo. Que benção é quando uma pessoa compreende o reino de Deus em sua vida. Está sempre pronta para servir, disposta, alegre , tem um coração grato, é submissa.

Esta pessoa tem problemas ? Tem !

Ela passa por dificuldades ? Passa !

Ela pode vir a pecar ?  Pode !

Ela passa por tribulações ?  Sim !

Mas em todas estas áreas ela tem vitoria completa , pois sua vida esta edificada sobre a pessoa de Jesus. Ele é o centro. Ele é o Senhor.

Transcrito Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

A SEGUNDA VINDA DE CRISTO, O PINÁCULO DA NOSSA ESPERANÇA


A segunda vinda de Cristo será o acontecimento mais auspicioso da história. Ele virá para fechar as cortinas da história, julgar as nações e reinar com sua igreja pelos séculos eternos. Ele virá para colocar todos os inimigos debaixo de seus pés e entregar o reino ao seu Deus e Pai (1Co 15.23). Como será a sua vinda? Que características têm o seu glorioso retorno?

EM PRIMEIRO LUGAR, SUA VINDA SERÁ PESSOAL (At 1.9-11). Ele virá pessoalmente. O mesmo que subiu entre nuvens é o mesmo que descerá nas nuvens. Ele não enviará um embaixador em seu nome, ele mesmo descerá dos céus com seu cortejo majestoso, para consumar a história e estabelecer os novos céus e a nova terra.

EM SEGUNDO LUGAR, SUA VINDA SERÁ VISÍVEL (Ap 1.7). A Escritura diz que todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram. A segunda vinda, portanto, será pública, notória e inegável. Não será um acontecimento subjetivo nem restrito a uma região específica do mundo. Se a sua primeira vinda foi despretensiosa, humilde e longe dos holofotes do mundo, a segunda vinda será majestosa e vista por todos os homens.

EM TERCEIRO LUGAR, SUA VINDA SERÁ AUDÍVEL (Mt 24.31). Ao ressoar a trombeta de Deus e ouvida a voz do arcanjo, ele descerá dos céus (1Ts 4.16). Em toda a terra se ouvirá essa voz retumbante. Todos os homens serão impactados com o sonido dessa trombeta. É com esse alarido, num cortejo colossal, que o Filho de Deus rasgará as nuvens e descerá do céu com os anjos do seu poder.

EM QUARTO LUGAR, SUA VINDA SERÁ REPENTINA (Mt 24.27). O apóstolo Paulo diz que será num momento (um átomo de tempo), num abrir e fechar d’olhos que ele virá (1Co 15.52). Será como o relâmpago que risca os céus com um faixo de luz, saindo célere do oriente e chegando até o ocidente. Nesse dia ouvir-se-á a voz do noivo. Não terá mais tempo oportuno para se preparar. Os que tiverem azeite em suas lâmpadas entrarão com ele para as bodas e os que estiverem desprovidos, ficarão de fora, em trevas eternas (Mt 25.1-13).

EM QUINTO LUGAR, SUA VINDA SERÁ INESPERADA (Mt 24.43,44). A vinda do Senhor será como o ladrão de noite, inesperada. O ladrão não manda aviso para a família acerca da hora que vai chegar. Chega inesperadamente, quando menos se espera. A segunda vinda de Cristo será como nos dias de Noé: as pessoas casavam e davam-se em casamento, compravam e vendiam, até que veio o dilúvio e afogou toda aquela geração na morte inescapável, exceto a família de Noé. Porque não sabemos o dia nem a hora, precisamos estar preparados e vigiar.

EM SEXTO LUGAR, SUA VINDA SERÁ INESCAPÁVEL (1Ts 5.3). A segunda vinda de Cristo é tão certa como uma mulher grávida precisa dar à luz. Ninguém pode se esconder. Ninguém pode escapar. Ele virá em glória para julgar vivos e mortos. Aqueles que viveram sob o manto do anonimato, acobertando seus pecados, terão que encarar o reto Juiz naquele dia. Aqueles que o rejeitaram como Advogado, terão que comparecer perante o tribunal de Deus, para enfrentá-lo como juiz.

EM SÉTIMO LUGAR, SUA VINDA SERÁ GLORIOSA (Mt 24.30). Ele virá para ressuscitar os que dormem e transformar os que estiverem vivos. Ele virá em glória, vitoriosamente, para colocar todos os inimigos debaixo dos seus pés. Ele lançará no lago do fogo o diabo, o anticristo, o falso profeta, os ímpios e a morte. Ele estabelecerá o seu reino de glória e reinará com sua igreja pelos séculos eternos.

Os ímpios sofrerão penalidade de eterna destruição, mas os remidos entrarão no gozo eterno e servirão ao seu Senhor, na cidade santa, onde não haverá mais lágrimas, nem luto nem dor. Oh, que glória será, contemplarmos sua face, fruirmos sua presença, longe de qualquer vestígio de pecado e maldição.

Como que na ponta dos pés, aguardando sua chegada, gritamos cheios de expectativa: Maranata, ora vem Senhor Jesus!

Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

O QUE É ORAÇÃO E QUAL A SUA IMPORTÂNCIA?


Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. (Filipenses 4.6)

Deus conhece todas as coisas, mas ele quer que lhe peçamos. Deus não quer agir sozinho. Ele quer que seus filhos trabalhem com ele através da oração. PELA ORAÇÃO TRABALHAMOS COM DEUS PELO CUMPRIMENTO DE SUA VONTADE.

Este é um princípio que Deus estabeleceu para cumprir sua vontade. Ele espera que seus filhos lhe peçam, do contrário a vontade de Deus não se cumprirá (Isaías 45.11; Ezequiel 36.37). Devemos pedir em nome de Jesus (João 14.13,14; 16.23-24).  Pedir no nome de Jesus é pedir em lugar dele, isto é, de acordo com os interesses dele; pedir o que ele pediria porque é da sua vontade.

JESUS ENSINOU A ORAR COM:
SINCERIDADE (Mt. 6.5,6); SIMPLICIDADE;  HUMILDADE (Lc. 18.9-14);  PERSISTÊNCIA (Lc. 11.5-8);  INTENSIDADE  (Lc. 11.9-10), isto é, com desejo intenso.

CONSELHOS PRÁTICOS

ORAÇÃO SOZINHO ‘… Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. (Mateus 6.5-6). 

Tenha um tempo específico para oração (Salmo 5.1-3). O melhor horário para a maioria das pessoas é pela manhã quando existe silêncio e não se começou nenhuma atividade (Levítico 6:12; Salmo 5:3; 30:5; 59:16; 90:14; Lamentações 3:25).

Antes de orar por qualquer assunto trate com o coração (Salmo 17:3; 19:14: 26:2; 66:18). Nossa consciência tem que estar completamente limpa.

Faça uma lista de oração prática e específica, incluindo os familiares, contatos, líderes da Igreja, governantes, inimigos (aqueles que te perseguem por causa da justiça) e irmãos perseguidos ao redor do mundo.

ORAÇÃO JUNTO COM OS IRMÃOS (Mateus 18.19-20; Atos 2.42; 4.23-31).  
Devemos ficar sensíveis para perceber a direção e a carga do Espírito Santo. Todos podemos orar por um mesmo assunto, até que tenhamos coberto todos os detalhes. Todos devemos participar. Esse aspecto é importante porque a oração da Igreja é primordial para o cumprimento do propósito de Deus. Coisas importantes aconteceram quando a Igreja orava. Veja só:

Receberam o batismo com o Espírito Santo (Atos 2:1-4); O lugar onde oravam tremeu durante a oração e todos foram cheios do Espírito (Atos 4:31); Pedro foi libertado da prisão (Atos 12:5-9); Paulo e Barnabé são chamados para o apostolado (Atos 13:1-4)

Quando nos reunimos com outros irmãos para orar se dá oportunidade para a operação dos dons do Espírito.

ORAI SEM CESSAR (I Tessalonicenses 5:17)
Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus. (Filipenses 4:6,7)

Transcrito Litrazini
Graça e Paz


terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

A TUTELA DA LEI E A JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ


Estávamos sob a tutela da lei ATÉ que viesse a justificação pela fé. Vejam:

“Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos que creem” (Gl 3.22)

“Mas, antes que viesse a fé, estávamos guardados debaixo da lei, encerrados para aquela fé que se havia de revelar” (3.23).

“De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados” (3.24).

“Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio”(3.25).

“Pois todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus”(3.26).

“Encerrou tudo”(3.22) – A lei encerrou os homens em sua prisão, assim lhes transmitindo um senso de culpa e do poder do pecado. A fé (3.23) – A fé referida no verso 22, a fé que justifica. “Estávamos sob” – O tempo verbal imperfeito descreve a atividade incessante da lei como carcereira”.

“A lei nos conduziu a Cristo, em Quem pudemos encontrar justificação, mediante a fé. O estado de tutela pertence ao passado: temos nos tornado espiritualmente adultos, atingindo a estatura de filhos e herdeiros de Deus”.

“Aio”(3.24) Tutor. A lei agia como tutor-escravo para conduzir-nos a Cristo. Desse modo a lei nos orientava como nosso “paidagogos”, orientador de crianças, de qual termo se origina a palavra portuguesa pedagogo…

A função da lei termina quando nos tem conduzido a Cristo e nos deixa entregues em Suas mãos, não meramente para receber instrução, mas, acima de tudo, para recebermos redenção, que inclui a completa filiação” (Comentários de “O Novo Comentário da Bíblia”).

“Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça[justificação] provém da lei, segue-se que Cristo morreu em vão” (Gl 2.19-21).

“Todos os crentes foram crucificados com Cristo na cruz. Morreram para a Lei como meio de salvação, e agora vivem para Deus por meio de Cristo, Por causa da salvação em Cristo, o pecado já não tem domínio sobre eles” (Comentários da Bíblia de Estudo Pentecostal)  

Fonte: Palavra da verdade

Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

A MENSAGEM DA CRUZ


“Se alguém quiser vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16:24).

O poder do cristianismo se encontra na mensagem da cruz, que se opõe aos processos da mente não regenerada. Ela é loucura para os que se perdem.

Não há ponto em comum entre a mensagem da cruz e o raciocínio do homem decaído. Aqueles que insistem, carregam um crucifixo como amuleto. Assim, perde o significado, pois se torna um mero objeto desprovido de poder sobrenatural.

O inimigo não suporta a cruz, pois ela é o sinal de sua derrota, de sua humilhação, como Paulo nos ensinou: “Despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Colossenses 2:15).

Por isso, o inimigo tenta, com toda sua força, descaracterizar a obra redentora de Cristo, através de celebrações que não se baseiam na Bíblia e, por isso, não carregam a força espiritual que nos foi dada após a morte e ressurreição de Jesus.

A cruz é um processo pelo qual todos os filhos de Deus precisam passar. É como um curso preparatório que leva o cristão à plenitude de sua maturidade espiritual.

Jesus nos ensinou que, se o grão de trigo não morrer, ele não pode frutificar (João 12:24). Em outra passagem, Cristo foi ainda mais claro: “Se alguém quiser vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16:24).

A cruz simboliza uma mudança de caminho, um desvio no percurso anterior. Nela, a história foi mudada, e tudo se fez novo.

O que dá sentido à cruz é a morte e ressurreição de Cristo, o túmulo vazio em Jerusalém e o sangue que ali foi derramado. Essa é a nossa conquista: a celebração da vitória de Jesus sobre a morte.

Não perca tempo procurando por Deus de forma errada. Busque diretamente a Jesus, que venceu a morte e assentou-se à destra do Pai.

A Cristo pertence o domínio e o poder, o governo e a majestade, de hoje para todo sempre. Amém

Apóstolo Rina

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 23 de fevereiro de 2020

ESTRATÉGIA DE COMBATE ESPIRITUAL


USE A PALAVRA COMO ARMA DE COMBATE ESPIRITUAL

CONHEÇA A PALAVRA
- “...E a espada do espírito que é a palavra de Deus.” (Ef. 6:17)
- “Não é a minha palavra como fogo, diz o Senhor e como um martelo que esmiúça a penha? (Jr. 23:29)

ORE A PALAVRA
- “Direi ao Norte: Dá; e ao sul : Não retenhas; trazei os meus filhos de longe, e minhas filhas das extremidades da terra.” (is. 43:6).
- “Trazei o povo cego que tem olhos; e os surdos, que tem ouvidos.” (Is. 43:7)
- “ E a.., meu filho dá um coração perfeito, para guardar os teus mandamentos, os teus testemunhos, e os teus estatutos;... (I Cron. 29:19)

USE A PALAVRA COMO ARMA DE COMBATE ESPIRITUAL
- “...Eu te puz para luz dos gentios, para que sejas de salvação até os confins da terra.”  (Atos 13:47)
- “...E a espada do Espírito que é a Palavra de Deus.”  (EF. 6:17)
- “Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra e Luz para o meu caminho. (Salm. 119:105)
- “Eis que todas as almas são minhas...a alma que pecar morrerá.” (EZ. 18:4).
- “Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.” (Tg. 5:20)
- “Pelo que, rejeitando toda a imundícia e super fluido de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas.” (Tg. 1:21)

- “POIS QUE APROVEITA AO HOMEM GANHAR O MUNDO INTEIRO, SE PERDER A SUA ALMA?”   (Mt. 16:26).

AMARRAR O VALENTE E SEUS SUBALTERNOS
- “Ninguém pode entrar na casa de um homem valente e roubar os seus bens, sem primeiro amarrá-lo. Somente assim poderá levar o que ele tem em casa.” (Mc: 3:27).
- “Quando o valente guarda, armado a sua casa, em segurança está tudo que tem; Mas sobrevindo outro mais valente do que ele, vencendo-o, tira-lhe toda a sua armadura em que confiava, e reparte os seus despojos”. (Lucas 11:21-22).

SAQUEAR O INFERNO
- “Tu as fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.” (Prov. 23:14).
- “Toda a planta, que meu Pai celestial não plantou, será arrancada.”(Mt 15:13)

RETAGUARDA DE ORAÇÃO DA IGREJA PELOS INTERCESSORES
“...MAS A IGREJA FAZIA CONTÍNUA ORAÇÃO POR ELE A DEUS”.(Atos 12:5).

JEJUM
- “Tocai a buzina em Sião, Santificai um jejum, proclamai um dia de proibição. “CONGREGAI o povo, SANTIFICAI a congregação, ajuntai os anciãos, congregai os filhinhos e os que mamam...”(Joel 2:16-17).

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

sábado, 22 de fevereiro de 2020

COMO, POR QUE E QUANDO SATANÁS CAIU DO CÉU?"


A queda de Satanás do céu é descrita em Isaías 14:12-14 e Ezequiel 28:12-18. Enquanto essas duas passagens estão se referindo especificamente ao rei da Babilônia e ao Rei de Tiro, elas também se referem ao poder espiritual por trás daqueles reis – Satanás.

Em relação a quando Satanás caiu, essas passagens dizem o porquê da queda de Satanás, mas não dizem especificamente quando a queda ocorreu.

O que sabemos é isto: os anjos foram criados antes da terra (Jó 38:4-7). Satanás caiu antes de tentar Adão e Eva no Jardim (Gênesis 3:1-14).

A queda de Satanás, portanto, deve ter ocorrido depois dos anjos terem sido criados e antes da tentação de Adão e Eva no Jardim do Éden. Quer sua queda tenha ocorrido alguns minutos, horas ou dias antes de tentar Adão e Eva no Jardim, a Bíblia não diz especificamente.

O livro de Jó nos diz que, pelo menos por um tempo, Satanás ainda tinha acesso ao céu e ao trono de Deus. “E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles. Então o SENHOR disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao SENHOR, e disse: De rodear a terra, e passear por ela” (Jó 1:6-7).

Pelo menos daquela vez, Satanás ainda estava aparentemente se movendo livremente entre o céu e a terra, falando com Deus diretamente e prestando contas das suas atividades. Em que ponto Deus quebrou esse acesso, não sabemos.

POR QUE SATANÁS CAIU DO CÉU?
Satanás caiu por causa do seu orgulho. Ele queria ser Deus, não Seu servo. Note tudo que Satanás queria fazer em Isaías 14:12-15.

Ezequiel 28:12-15 descreve Satanás como um anjo excessivamente bonito. Satanás provavelmente era o anjo de classe mais alta do que todos os outros anjos, o mais bonito de todas as criaturas de Deus, mas não estava contente com sua posição. Ao invés, Satanás queria ser como Deus, para expulsar Deus de Seu trono e reinar no universo.

Satanás queria ser Deus, e é interessante notar que isso foi o que Ele usou para tentar Adão e Eva no Jardim do Éden (Gênesis 3:1-5).

COMO SATANÁS CAIU DO CÉU?
Na verdade, uma queda não é uma descrição correta. Seria mais correto dizer que Deus expulsou Satanás do Céu (Isaías 14:15; Ezequiel 28:16-17).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA ABANDONAR O SEU CÉREBRO NO ALTAR


O QUE SIGNIFICA PARA UMA MULHER SE SUBMETER A SEU MARIDO?
Até a definição do conceito pode variar de pessoa para pessoa. Baseado em experiências individuais, o Pastor John Piper ajuda a definir a submissão, identificando alguns pontos que não mostra submissão ao marido no casamento.

Em um post para o site Desiring God org, um site com o propósito de glorificar a Deus, o pastor descreve esses parâmetros:

1. SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA CONCORDAR COM TUDO
Submissão não significa que a esposa se transforma em uma mulher do "sim". Piper explica: "É possível ser submissa e se recusar a pensar no que seu marido diz que você deve pensar". O pastor usa o exemplo de um marido que não quer sua esposa pratique o cristianismo. Piper exorta as esposas a usar o bom senso que Deus lhes deu.

"A Submissão não significa que você deve concordar com as opiniões de seu marido, mesmo em coisas fundamentais e graves como a fé cristã", diz o pastor.

"Deus fez-lhe uma mente. Você tem que pensar. Você é uma pessoa, não um corpo e não uma máquina. Você é um ser pensante que é capaz de processar se o Evangelho é verdadeiro. E se é verdade, você acredita”, disse.

2. SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA DEIXAR SEU CÉREBRO NO ALTAR
Aqui, o pastor fala aos homens que tomam forma da autoridade longe demais. "Qualquer homem que diz: 'Eu faço o pensamento nesta família’, está doente e tem uma vista cansada de sua autoridade", explica.

Para estes homens, Piper diz: "Você não entende a Bíblia. Você está tomando a palavra autoridade ou liderança ou submissão, e então você está afastando-se da Bíblia e enchendo essas palavras com coisas que você quer fazer", comentou.

Ele continua a dizer, "Liderança não significa que você não ouça. Liderança nem sempre significa obter a última palavra. A boa liderança, muitas vezes diz: ‘Você estava certo, eu estava errado'.".

3. SUBMISSÃO NÃO SIGNIFICA QUE VOCÊ NÃO TENTE INFLUENCIAR O SEU MARIDO
Tentar mudar o cônjuge pode realmente ser uma coisa boa, especialmente no contexto de uma esposa ou marido que não é crente ou está vivendo em pecado. "Se o seu marido está vivendo em pecado ou sua esposa está vivendo em pecado ou incredulidade e você quer que eles mudem, você não seria uma pessoa amorosa se você não fizesse isso. Se você parou de querer isso, pode parecer que você é insubordinado para alguém. Isso não é, bíblico".

John Piper / Fonte: Portal Guia-me

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

O QUE É O AMOR ÁGAPE?


A palavra grega ágape é frequentemente traduzida como “amor” no Novo Testamento. Como é o amor ágape diferente dos outros tipos de amor? A essência do amor ágape é boa vontade, benevolência e deleite intencional no objeto do amor. 

Ágape não é usado no Novo Testamento para se referir ao amor romântico ou sexual. Também não se refere à amizade íntima ou amor fraternal, para o qual a palavra grega philia é usada. O amor ágape envolve fidelidade, compromisso e um ato da vontade. Distingue-se dos outros tipos de amor pela sua elevada natureza moral e caráter forte. O amor ágape é maravilhosamente descrito em 1 Coríntios 13.

Fora do Novo Testamento, a palavra ágape é usada em vários contextos, mas no Novo Testamento assume um significado distinto. Ágape é usado para descrever o amor que se origina em Deus e é de Deus, cuja própria natureza é o amor em si: "... Deus é amor" (1 João 4:8). Deus não apenas ama; Ele é o amor em si. Tudo o que Deus faz flui do Seu amor. Ágape também é usado para descrever nosso amor por Deus (Lucas 10:27), o fiel respeito de um servo a seu mestre (Mateus 6:24) e o apego de um homem a esse mundo (João 3:19).

O tipo de amor que caracteriza Deus não é um sentimento puramente emocional como o que costumamos ver sendo retratado. Deus ama porque essa é a Sua natureza e a expressão do Seu ser. Ele ama os que não são amáveis e os que não amam, não porque merecemos ser amados ou por causa de qualquer excelência que possuímos, mas porque é da Sua natureza amar e Ele deve ser fiel à Sua natureza.

O amor ágape é sempre mostrado pelo que faz. O amor de Deus é exibido mais claramente na cruz. "Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, - pela graça sois salvos" (Efésios 2:4-5) . Não merecemos tal sacrifício, “mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5:8).

O amor ágape de Deus é imerecido, gracioso e está constantemente buscando o benefício daqueles que Ele ama. A Bíblia diz que somos os recebedores indignos do Seu amor ágape (1 João 3:1). O amor ágape de Deus culminou com o sacrifício do Filho de Deus por aqueles que Ele ama (João 3:16-18).

Devemos amar os outros com amor ágape, sejam eles irmãos crentes (João 13:34) ou inimigos amargos (Mateus 5:44). Jesus deu a parábola do Bom Samaritano como um exemplo de sacrifício pelo bem dos outros, mesmo por aqueles que talvez não se importem conosco de forma alguma. O amor ágape, tal como modelado por Cristo, não é baseado em um sentimento; ao contrário, é um ato determinado da vontade, uma decisão alegre de colocar o bem-estar dos outros acima do nosso.

O amor ágape não é algo que podemos oferecer naturalmente. Por causa de nossa natureza decaída, somos incapazes de produzir tal amor. Se quisermos amar como Deus ama, esse amor - aquele agape - só pode vir da sua Fonte.

Este é o amor que “é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado” quando nos tornamos Seus filhos (Romanos 5:5; cf. Gálatas 5:22). “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” (1 João 3:16). Por causa do amor de Deus para conosco, somos capazes de amar uns aos outros.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

MEDO QUE ASSOMBRA A HUMANIDADE. COMO VENCÊ-LOS?


Muitas pessoas vivem atormentadas e a causa disso é o medo. Medo de doenças que muitas vezes surgem do nada, medo de perder o emprego, medo da situação econômica a qual esta vivendo, medo da violência e da morte, medo porque ouve vozes do além, medo de vultos e de demônios, medo de sair de casa e ser assaltado.

Vários são os medos que assombram a humanidade.

Se analisarmos, o medo tem sido a causa de muitas pessoas não alcançarem suas conguistas e elas sofrem muito por isso, as pessoas poderiam desfrutar muito mais da vida e serem muito mais felizes se não fosse o medo.

Existe uma força oculta que ocasiona diabolicamente o medo, e chama-se: demônios perturbadores que com sua astucia perturbam a humanidade sem Deus, colocando todo o tipo de medo ocasionando morte e destruição, veja em ” João 10:10“, Jesus diz que o ladrão vem para roubar, matar e destruir, mas Jesus veio para nos da a vida e vida em abundancia. Como vencer esta enfermidade da alma?

Quando eu falo enfermidade da alma, é porque: para mim o medo é uma enfermidade espiritual que precisa ser vencida, e para ser vencida, precisamos nos aproximar de Jesus, se permitirmos que Ele entre naquelas situações assustadoras que temos, tudo sera diferente, Jesus romperá todo o mal.

Poderemos descansar em segurança ” Salmos 91:1 ” aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, a Sombra do Senhor descancara ” .

No ” Salmo 138:7 ” nos diz: ” Se ando em meio a tribulação, Tu me refazes a vida; estende as mãos contra a ira de meus inimigos; a tua destra me salva “.

Quando deixamos Jesus entrar em nossas vidas e acreditarmos que sua Palavra é a verdade, Ele se apressa em nos acudir quando estamos em perigo e aflição, e o medo será transformado em coragem.

Lembre-se o medo só pode nos dominar, quando não estamos dispostos a aceitar a ajuda de Jesus e deixamos tais tormentos nos dominar.

Deus na sua infinita Grandeza, jamais nos deixara sofrer além de nossa capacidade, veja em ” 1 Corintios 10:13 “. Quando cremos que Deus está no controle de todas as coisas o temor e o medo desaparecerá, e a paz de Cristo virá, o mal sairá e você estará liberto do medo.

Pr. Marcos Monte

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

CUIDADO COM O QUE VOCÊ CARREGA


Dois monges vinham andando por uma estrada barrenta, e após algumas horas caminhando, avistaram uma mulher, que estava vestindo um vestido de seda lindo, parada de frente para uma grande poça de lama que pegava de um lado à outro da rua.

Um dos monges se aproximou dela e perguntou:
- Bom dia linda mulher, posso ajudá-la?

A mulher respondeu-lhe em prantos:
- Sim, eu tenho que ir a uma festa e não posso me sujar.

O monge olhando para ela lhe disse:
- Isso não é problema eu levo você até o outro lado. E o monge colocou a mulher envolta de seu pescoço e à carregou até o outro lado, chegando lá ela agradeceu e os monges seguiram viagem.

Em um momento o outro monge olha para o amigo e lhe diz:
- Amigo você sabe que a nossa religião proíbe chegarmos perto de uma mulher, quanto mais manter um contato como você manteve.

O monge que tinha ajudado a mulher olha para o amigo com um olhar de espanto, e continua a viagem... mais na frente o monge pára o amigo e exclama:
- Imagina a reação do mestre ao saber que você tocou em uma mulher...

Mais uma vez o monge olha para ele e continua a viagem. Mais na frente mais uma vez o monge para o amigo e diz: 
- Amigo... não creio que você tocou naquela mulher... nossa! Não posso nem pensar na reação dos outros monges ao saber disto!

O monge já demonstrando em sua face que não estava gostando daquela pressão, olha nos olhos do amigo e continua a viagem.

Sem perceber isto mais uma vez ele é parado pelo seu companheiro que diz:
- Você sabe que...

O outro monge interrompe dizendo:
- Amigo... eu peguei a mulher de um lado da lama, a carreguei e a deixei do outro lado, mas você vem trazendo ela desde de lá...

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz