terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

O CORAÇÃO QUE NÃO PERDOA

“Perdoai e sereis perdoados.” (Lc. 6:37).

Nenhum princípio do cristianismo se eleva mais do que o perdão – e nenhum é mais contrário ao coração natural. A cena do Salvador morrendo na cruz pelos pecados da humanidade sempre permanecerá como o mais sublime do coração perdoador. Ele orou: “Pai, perdoa-lhes...” (Lc. 23:34).

O coração que não perdoa não se acerta com Deus, porque está cheio de amargor, malícia e vingança. Nenhum ensinamento da Palavra de Deus é mais claro do que este: “Se...não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.” (Mt. 6:15).

Disse João: “Quem afirma estar na luz mas odeia seu irmão, continua nas trevas... Quem odeia seu irmão é assassino, e vocês sabem que nenhum assassino tem a vida eterna em si mesmo.” (I Jo. 2:9; 3:15) (NVI).

O apóstolo Paulo acrescenta: “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo.” (Ef. 4:32) (NVI).

Ao coração que não perdoa é impossível adorar a Deus, porque Deus não pode aceitar a adoração de um coração assim.

Sabiamente, disse alguém: “Aquele que não perdoa aos outros derruba a própria ponte pela qual precisa passar, pois todos têm necessidade de ser perdoados.”

Se há em seu coração qualquer desejo mal, qualquer impulso de “desforrar”, ou de vingar, é vã a sua adoração.

Mais que isto, é inútil buscar a misericórdia de Deus a menos que você tenha misericórdia, pois o pré-requisito essencial para obter o perdão de Deus é chegar com um coração perdoador.         

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

Nenhum comentário:

Postar um comentário