quinta-feira, 27 de maio de 2021

EXCELÊNCIA DE CARÁTER

A benignidade é justamente a capacidade de se exercer justiça sem perder a compaixão. A benignidade, que é a gentileza que expressa a integridade da alma, deve ser uma realidade entre os cristãos. Está associada à ideia de amabilidade, benevolência, bondade, brandura, compaixão, generosidade, liberalidade e misericórdia.

Jesus tratou com ternura as crianças, os desamparados, os paralíticos e os marginalizados.

Com aqueles que precisavam de firmeza, Jesus foi inflexível e firme, foi compassivo com os indefesos.

Um coração gentil é um coração contrito que chora pela dificuldade dos maus e pela integridade dos bons.

Emoções são coisas que brotam, despencam ou explodem em nossa alma sem pedir autorização ou licença. Raiva, frustração, tristeza não são coisas que pedimos para sentir. Ciúme, inveja e humilhação são coisas que simplesmente aparecem em nossa alma sem sequer pedir permissão, sem a nossa autorização.

Não somos nós que temos emoções, é o contrário: as emoções é que nos tem, pelo menos num primeiro momento.

Benignidade é a virtude que uma pessoa tem de fazer com que os outros se sintam à vontade em sua presença. Ela também se caracteriza pelo esforço demonstrado por alguém para evitar que algum mal venha sobre os outros.

Benignidade de sentimento é empatia, que é o interesse que alguém tem em sentir o que seu próximo sente. Se o outro chora, o benigno chora; se o outro ri, ele ri; se o outro está angustiado, ele se angustia; Assim, em lugar de "não estar nem aí" pelo outro, o benigno se interessa não só pelas necessidades do outro, mas pelos sentimentos.

Deus manda o sol e a chuva para justos e injustos (Mt 5.45). Não é justo este comportamento; não é justo, mas é benigno.

Jesus nos ensina: “...Amai, porém, os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai, sem esperar nenhuma paga; será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo. Pois ele é benigno até para com os ingratos e maus. Sede misericordiosos, como também é misericordioso vosso Pai” - Lc 6.33-36.

O oposto de benignidade é: severidade, dureza, aspereza, descortesia, rigidez, inflexibilidade, amargura, crueldade, ferocidade, violência, indiscrição, rudeza, desdém, azedume, egoísmo, pequenez.

As distorções são: fraqueza de caráter, sentimentalismo exagerado, negligência, descuido, abandono, desatenção, indiferença.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

Nenhum comentário:

Postar um comentário