sexta-feira, 15 de agosto de 2014

DIMENSÕES SOBRENATURAIS DO EVANGELISMO

Pois Deus, que disse: “Das trevas resplandeça a luz”, ele mesmo brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo. [2 Coríntios 4.6]


Os capítulos 3 e 4 da Segunda Carta aos Coríntios constituem uma passagem clássica sobre o ministério pastoral. Paulo introduz aqui as dimensões sobrenaturais do evangelismo.

“O deus desta era [o diabo]”, ele nos diz, “cegou o entendimento dos descrentes” (4.4). Somos impotentes diante de tal cegueira, pois não nos é dado abrir os olhos aos cegos. Um véu espesso paira sobre suas mentes para que não vejam a luz do evangelho de Cristo.

Somente Deus, o Criador, pode abrir os olhos que o diabo cegou. Assim, Paulo nos conduz de volta ao começo de tudo, ao Gênesis, e nos recorda que a voz de Deus ecoou em meio às trevas, dizendo: “Haja luz”.

Assim como na criação a luz resplandeceu das trevas, na nova criação Deus mesmo resplandece em nossos corações. A regeneração é um ato criador divino tanto quanto a ordem original de Deus na criação.

Vemos aqui de um lado, o “deus desta era” (v. 4), e do outro, “o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo” (1.3). O texto é claro em relação à atitude característica de cada um. O diabo cega a mente dos descrentes, enquanto Deus resplandece nos corações obscurecidos (v. 6).

Diante desse conflito sobrenatural, nós nos perguntamos se poderíamos contribuir de alguma maneira. Se o diabo cega e Deus resplandece, não seria mais prudente nos retirarmos do campo de batalha.  

De fato, muitos cristãos pensam assim, mas não Paulo. Leia o versículo 5, que eu deliberadamente omiti até aqui. Se colocarmos os três versículos juntos, descobriremos que o diabo cega (v. 4), Deus resplandece (v. 6) e nós pregamos Cristo Jesus como Senhor (v. 5).

Ou seja, o evangelismo (a proclamação do evangelho de Cristo), longe de ser supérfluo, é na verdade indispensável.

Se a luz por meio da qual Deus resgata as pessoas da escuridão é o evangelho, temos mais é que pregá-lo! Através da pregação fiel do evangelho o príncipe das trevas é derrotado e Deus resplandece sua luz nos corações humanos.

Por isso, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos;Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade.


Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus.

Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. (2 Coríntios 4.1-6)

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz