segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

CEIA É CEIA; PERDÃO DOS PECADOS É PERDÃO DOS PECADOS

Porque isto é o meu sangue; o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados (Mateus 26:28).

A Última Ceia, ou Santa Ceia como alguns chamam, é vista como um sacramento, ou recurso da graça. A maioria pensa que ao comerem e beberem, certos aspectos da graça divina lhe são transmitidos. E conectam o perdão dos pecados com a celebração da Santa Ceia.

O que o Espírito Santo diz sobre isso? Na instituição da Ceia, Cristo não diz que o partilhar o pão trouxe o perdão dos pecados. E indica o propósito de comer e beber com as palavras: “Fazei isto em memória de mim” (Lucas 22:19). 

O Senhor mencionou o perdão dos pecados, mas de uma maneira diferente: “Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós” (Lucas 22:20).

O sangue de Cristo iria ser derramado para fazer expiação dos pecados diante de Deus. Pão e vinho, por outro lado, que simbolizam o corpo e o sangue do Senhor, seriam comidos e bebidos em memória do Redentor e de sua obra consumada.

Portanto, esses dois aspectos – propiciação pelos pecados e partir do pão, têm de ser clara e cuidadosamente separados.

A Ceia é somente para aqueles que já tiveram seus pecados perdoados e desejam agradecer e adorar ao Senhor por sua obra de redenção.

Quem pensa que a participação na Ceia automaticamente significa que seus pecados estão perdoados precisa consultar as Sagradas Escrituras.

Dentre vários versículos sobre o tema, um bem esclarecedor é 1 João 1:9: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça”.

Extraído do devocional BOA SEMENTE

Por Litrazini


Graça e Paz