quinta-feira, 31 de maio de 2018

JESUS NO EVANGELHO DE MATEUS


Mateus 17: 1-8
Abrindo o Novo Testamento, encontramos o preciosíssimo Evangelho de Mateus, embora na ordem cronológica não tenha sido o primeiro a ser escrito. Dirigido aos judeus, apresenta informações e ensinos por meio de tópicos, que se organizam em cinco seções, cada uma encerrando-se por uma afirmação sumária, como se pode ver em 7: 28; 11: 1; 13: 53; 19: 1 e 26: 1. É um precioso livro de ensinos sobre a vida de Jesus, o rei e Senhor, que veio implantar o reino de Deus entre os homens. Vale a pena conhecer mais detalhadamente este extraordinário livro.

I - UM EVANGELHO ESCRITO PARA OS JUDEUS
O Evangelho de Mateus parece ter sido preparado particularmente para os judeus cristãos que viviam na Palestina ou proximidades. Os membros da Igreja Primitiva na maioria eram judeus. Havia, portanto, necessidade de tratar de questões e assuntos que resolvessem suas dúvidas, tais como se Jesus era verdadeiramente descendente de Davi, qual foi sua atitude para com a Lei, se Jesus era de fato o Messias, por que o Reino não havia chegado, etc.

a) Características - Por causa desse objetivo, Mateus é diferente de Lucas, por exemplo, que escreveu para evangelizar os gregos e pessoas dessa cultura. Tal preocupação já pode ser vista na apresentação de sua origem: Lucas traça a genealogia de Jesus até Adão, enquanto Mateus traça até Davi e até  Abraão, 1: 1. Mateus inicia seu Evangelho pela genealogia de Jesus, filho de Davi, filho de Abraão, passando pelos personagens mais proeminentes no judaísmo, entre eles Davi, o mais importante rei de Israel.

b) Não era fácil ser cristão nos primeiros tempos. Os novos convertidos precisavam saber:
Por que Cristo fora rejeitado por Israel e como enfrentar a perseguição que eles estavam sofrendo por parte de seus próprios patrícios; 
O que Cristo tinha realizado e por que o Reino não tinha sido estabelecido ainda.
Como pensar e viver nesse período de espera. Eles precisavam ter segurança concernente ao futuro e ao retorno de Cristo. Jesus tinha dado todas as informações aos seus apóstolos e um deles necessitava colocar isto no papel. Mateus foi guiado pelo Espírito de Deus para fazer isto.

c) Ênfase ao cumprimento das profecias - Mateus revela  grande interesse em relacionar Jesus com as profecias do Antigo Testamento. Existem 129 referências ao AT. Essa ênfase indica que Ele estava escrevendo a leitores para os quais o cumprimento de profecias era importante e significativo. Queria mostrar que Jesus é o Messias e nele se cumpriram as profecias do AT.

II - A CRISE DA CRUZ
a) Nem tudo na vida e ministério de Jesus foi fácil. Os capítulos 13 a 19 falam sobre a rejeição pelos seus concidadãos, 13: 54-58, a ameaça de Herodes através da morte de João Batista, 14: 1-12, e até sobre a dificuldade que os discípulos estavam tendo para aceitar os ensinos de Jesus,  15: 12 e 16: 5-9. Esses fatos indicam tensões que levaram  Jesus a declarar a iminência da cruz, e a revelar-se a si  próprio, na transfiguração, 17: 1-13. A cruz aparece crescentemente diante de Jesus e torna-se o objetivo imediato de sua carreira terrena, 17: 22, 23.

b) A revelação do Messias gera conflitos  - Quando ocorre a declaração do propósito messiânico, os conflitos aumentam, surgindo freqüentes debates com os fariseus, 19: 3-12, com os herodianos e saduceus, 22:15-33. Por outro lado, Jesus passou a fazer duras denúncias contra os religiosos da época, cap. 23, bem como a anunciar a destruição do templo e a desolação de Jerusalém, presentes no sermão profético, no cap. 24.

c) Mateus acentua o caráter messiânico da morte de Jesus. Jesus cita o Antigo Testamento por quatro vezes, aplicando a si as profecias sobre a paixão, 26: 31, 54, 56 e  27:9. Há um destaque à relação entre o que os profetas disseram e o calvário, 27: 35. Ao responder à  pergunta de Caifás, aplicou a si mesmo o título de Filho do Homem, 26: 64, que em Daniel era aplicado a um ser celestial, conforme Dn. 7: 13, 14.

III - OS APELOS DE JESUS
O cap. 28 é um sumário de todo o Evangelho. Mateus firma seu ensino pela ilustração das atitudes para com Jesus: rejeição e incredulidade dos fariseus ou adoração e aceitação pelos discípulos.
Encerrando cada secção deste Eva
ngelho, há um apelo ou convite de Jesus aos discípulos e o autor destina este convite também a cada um de nós: 
No fim da seção didática, Jesus convidou os seus discípulos a darem o primeiro passo no caminho que conduz à vida, 7: 13-14;
Após provar-lhes o seu poder, comissionou-os e convidou-os a tomar a sua cruz e segui-lo, 10: 34-41.
Na seção em que explica seu programa, faz um duplo apelo:
(a) convite ao descanso, dirigido à multidão, 11: 28;
(b) convite à compreensão das suas palavras, 13: 51;
Após anunciar sua morte iminente, no grande momento decisivo de sua vida, ecoou uma chamada, para uma entrega confiante: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”, 16: 24.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 30 de maio de 2018

BASES PARA UMA CONSCIÊNCIA MISSIONÁRIA BÍBLICA


1. A PAIXÃO MISSIONÁRIA FAZ PARTE DO CARÁTER DE DEUS!
Deus é o maior interessado em Missões. Seu desejo de alcançar pessoas demonstra-se desde o Antigo Testamento até o ministério de Jesus, sendo este o grande modelo missionário para a Igreja. Em Gênesis 12:1ss, por exemplo, Deus convoca Abraão e lhe garante: “Em ti serão benditas todas as famílias da terra”. Em Mateus 4:17, logo no início do ministério de Jesus, sua ênfase missionária já evidencia-se: “Daí por diante passou Jesus a pregar e a dizer: arrependei-vos porque é chegado o Reino de Deus”. E como o apóstolo Paulo lembra a Timóteo: “Deus deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1 Tm 2:4). Se o nosso Deus é um Deus missionário, também nós, seu povo, devemos ser um povo missionário.

2. A AÇÃO MISSIONÁRIA É A CAUSA DA EXISTÊNCIA DA IGREJA
Não haveria igreja nenhuma hoje se não fosse a ação missionária histórica. É por causa do testemunho da fé do povo de Deus no Antigo Testamento, os quais transmitiram de geração para geração os extraordinários feitos salvíficos de Deus em seu favor, e também do testemunho dos discípulos de Jesus a partir do Novo Testamento, que também nós estamos aqui e agora, sendo desafiados a compartilhar o nosso testemunho. Nas palavras de Jesus em Mt 28:19-20, assim é o nosso desafio: “Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. Deus não tem netos! É por isso que pregamos e é por isso que também outros chegam a crer.

3. O ALVO MISSIONÁRIO DA IGREJA É O MUNDO!
Deus está interessado em todas as pessoas, de todas as raças, povos, nações, etnias, tribos, línguas, etc., em todas as gerações, por toda a história da humanidade, desejando sua salvação. O evangelho de João é muito claro a este respeito quando afirma: “Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16). Deus amou o mundo! Ele não tem nenhum prazer na morte dos ímpios e não faz qualquer acepção de pessoas. Sua igreja, moldada pelo Espírito à sua imagem, deve seguir-lhe o exemplo.

4. A RESPONSABILIDADE MISSIONÁRIA É DE TODOS OS CRENTES!
A primeira certeza que devemos alimentar em nossos corações é a de que todos nós somos desafiados a testemunhar o evangelho de Cristo. Alegar que não possuímos dom de evangelista ou dom de apostolado não é justificativa para omitirmo-nos de nossa tarefa. Contudo, é verdade que nem todos dedicar-se-ão ao trabalho missionário ou evangelístico em período integral. A maioria nem mesmo experimentará o que é testemunhar para números elevados de pessoas. Ainda assim, podemos participar da vida missionária da Igreja com toda ousadia, e se não indo, ao menos intercedendo e contribuindo. Há lugar e desafio para todos. Estamos cumprindo nossa parte? Estamos pregando? Orando? Contribuindo?

5. A FORÇA MISSIONÁRIA DA IGREJA É O PODER DO ESPÍRITO!
A profundidade e a importância da tarefa missionária da igreja são também sua grande dificuldade. Isto porque se, por um lado, nos sentimos desafiados, vocacionados e comissionados para esta grande empreitada, por outro nos sentimos absolutamente incapazes para tanto. E Deus sabe disso. Por esta razão o próprio Jesus preparou seus discípulos dizendo: “Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra” (At 1:8). O Deus que chama e envia é também o Deus que capacita! Por isso aceitamos o desafio e não tememos.  

6. O CENTRO DA MENSAGEM MISSIONÁRIA É O SENHORIO DE CRISTO!
Diferentemente do que temos visto e ouvido em nossos dias, a ênfase de nossa mensagem não é o ser humano e suas necessidades, mas Cristo e sua vitória definitiva sobre todos os seus inimigos. Ele é o Senhor. Toda a autoridade lhe foi dada. Homens e mulheres, independentemente de suas necessidades físicas ou emocionais são chamados ao arrependimento e à sujeição diante de Jesus. Por isso Paulo afirma: “Se com a tua boca confessares que Jesus Cristo é o Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo” (Rm 10:9). Nossas vidas foram compradas por preço e não temos o direito de vive-las por nós mesmos.

Marcelo Gomes

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 29 de maio de 2018

DESFRUTE DA MISERICÓRDIA DE DEUS

MISERICÓRDIA - faceta do amor de Deus que faz com que Ele ajude os aflitos, da mesma forma que a graça é a faceta do seu amor que o leva a perdoar os culpados. O sofrimento humano pode ser causado por uma transgressão da lei de Deus ou por circunstâncias que fogem ao nosso controle. 

A MISERICÓRDIA PERTENCE A DEUS Ao Senhor, nosso Deus, pertence a misericórdia e o perdão, pois nos temos rebelado contra Ele. Daniel 9.9 

Ao Senhor, nosso Deus, pertence a misericórdia. O Deus eterno e Todo-poderoso está pronto para perdoar os pecados e mostrar misericórdia, quando Seu povo se aproxima dEle com sinceridade, pedindo-lhe precisamente isso, em atitude de arrependimento. Até os rebeldes são aceitos por Deus quando resolvem mudar moralmente. “Da bondade de Deus fluem as misericórdias divinas. De suas misericórdias fui o perdão” (Adam Clarke, in loc.). 

POR QUE NÃO SOMOS CONSUMIDOS? As misericórdias do SENHOR são as causas de não sermos consumidos; porque as suas misericórdias não têm fim. Lamentações 3.22

Jeremias tinha quase desistido de sua esperança (v.20). Então, ele lembrou-se de algo que trouxe sua esperança de volta (v. 21). Isso eram as misericórdias de Deus (v.22). A palavra misericórdias (hebr. hesed) pode ser traduzida como “concerto de amor” ou “amor imutável”. Ele está ligado com compaixão (Sl 103.4), verdade e fidelidade (Êx 34.6) e bondade (Sl 23.6). A disposição para oferecer sacrifícios já havia passado, e tudo parecia sem esperança, mas a hesed de Deus permanecia.

AMEMOS A DEUS E ALCANÇAREMOS MISERICÓRDIA E faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam meus mandamentos. Êxodo 20.6

Faço misericórdia. Misericórdia para com os obedientes. Ezequiel 18.20 mostra o princípio de justiça. Os justos recebem misericórdia e bênção da parte de Deus. Mas a misericórdia estende-se a mil gerações, o que mostra que a misericórdia é um princípio muito mais poderoso do que o da aplicação de justiça. Seja como for, não há qualquer contradição, visto que a ira de Deus é uma medida de disciplina que promove a causa do amor.

PEÇAMOS SEMPRE A DEUS, AS SUAS MISERICÓRDIAS Não retenhas de mim, SENHOR, as tuas misericórdias; guardem-me sempre a tua graça e a tua verdade. Salmos 40.11 

Não retenhas de mim...as tuas misericórdias. O poeta sagrado fora o recebedor das bênçãos de Deus, de Seu amor constante, de Sua salvação (livramento) e de Seus ensinamentos. Portanto ele agora finaliza a parte de louvor do salmo com um apelo final de que as coisas de que desfrutara no passado pudessem acompanhá-lo até o fim de sua carreira. Ele tinha recebido misericórdia e continuava carente de misericórdia. Ele fora alvo do amor constante de Deus e sempre precisaria desse tipo de amor. Ele tinha recebido a verdade, conforme ensinada na lei, e jamais prescindiria da verdade.

O bem recebido no passado precisava perdurar. O homem orava para que não houvesse interrupção dessas bênçãos ao longo do caminho. Ele queria um futuro tão brilhante quanto fora o seu passado. Ele tinha visto a mão de Deus operando em seu favor e sempre necessitaria da intervenção divina em sua vida. No passado, ele dependera do Ser divino e continuaria sempre sendo dependente. 

CONFIEMOS EM DEUS E ALCANÇAREMOS MISERICÓRDIA. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno. Hebreus 4.16

Cheguemos pois com confiança ao trono da graça. Porque Cristo se compadece das nossas fraquezas (v.15), podemos chegar com confiança ao trono celestial, sabendo que nossas orações e petições são bem acolhidas e ouvidas por nosso Pai celestial (cf. 10.19,20). É chamado o “trono da graça”, porque dele fluem o amor, o socorro, a misericórdia, o perdão, o poder divino, o batismo com o Espírito Santo, os dons espirituais, o fruto do Espírito Santo e tudo de que precisamos em todas as circunstâncias. Uma das maiores bênçãos da salvação é que Cristo, agora, é nosso sumo sacerdote, conduzindo-nos até a sua presença pessoal, de modo que sempre podemos buscar a ajuda de que carecemos. 

SENDO MISERICORDIOSOS, RECEBEREMOS MISERICÓRDIA - Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; Mateus 5.7 

Os misericordiosos. Os “misericordiosos” estão cheios de compaixão e dó para com os que sofrem por causa do pecado ou de aflições. Os misericordiosos desejam minorar os sofrimentos, conduzindo os sofredores à graça de Deus por meio de Jesus Cristo (cf. 18.33-35; Lc 10.30-37; Hb 2.17). Sendo misericordiosos para com os outros, eles “alcançarão misericórdia”.

DEVIDO A MISERICÓRDIA DE DEUS SOMOS SALVOS - Não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, Ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que Ele derramou sobre nós generosamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Tito 2.5,6 

Devido à sua misericórdia, Ele nos salvou. A salvação não é obtida mediante esforço ou mérito humanos, mas provém exclusivamente da misericórdia de Deus. Lavar regenerador. Referência ao novo nascimento, do qual o batismo (entre outras coisas), é um sinal. Não pode significar que o batismo seja imprescindível para a regeneração, já que o NT ensina com clareza que o novo nascimento é um ato do Espírito de Deus (v., e.g., Jo 3.5), não levado a efeito por uma cerimônia, nem por ela obtido.

Autor: Pr. João da Cruz Parente

Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 28 de maio de 2018

O QUE SIGNIFICA QUE DEUS PROVÊ?


Existem mais de 169 versículos da Bíblia que se referem às formas em que Deus provê para nós. Filipenses 4:19 diz simplesmente: "O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus." Enquanto os caçadores de prosperidade talvez continuem esperando que dinheiro ou bens cheguem milagrosamente, devemos dar uma olhada mais de perto no que Deus deseja fornecer para nós.

Como qualquer bom pai ou mãe, Deus nunca nos daria algo para nos prejudicar. A Sua intenção é a de nos ajudar a crescer em Cristo para que nos tornemos sal e luz do mundo (Mateus 5:13-14). Deus não quer que a gente o enxergue apenas como uma fonte celestial de meros bens materiais. Adquirir coisas não é o objetivo fundamental desta vida (Lucas 12:15).

Deus diferencia entre nossas necessidades e nossos desejos porque Ele sabe que onde o nosso tesouro está, o nosso coração também se encontra (Mateus 6:21). Ele quer que a gente saiba que este mundo não é a nossa casa permanente e que parte do que precisamos é mudar o nosso foco para a vida eterna enquanto ainda vivemos aqui.

Deus está interessado em cada parte de nosso ser: espírito, alma e corpo. Assim como as facetas do seu caráter são infinitas, as formas que usa para prover pra nós vão muito além do que possamos pedir ou imaginar (Efésios 3:20). Podemos confiar que sua bondade, orientação e cuidados vão fazer mais por nós do que poderíamos conseguir por conta própria.

Deus nos fornece uma maneira de desenvolver uma relação obediente e íntima com Ele para que possamos ter e encorajar outros a viverem uma qualidade de vida que exemplifique "Salmo 23". Aqueles cujo pastor é o Senhor podem dizer: "nada me faltará" (Salmo 23:1).

Na Oração do Senhor, Jesus ensina seus discípulos a pedirem pela provisão diária, e a nossa dependência em Deus é afirmada cada vez que oramos: "Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia" (Mateus 6:11). Em Mateus 6:24-25, Jesus diz aos seus discípulos que não se preocupem com comida ou roupa.

O Pai conhece as nossas necessidades. Ele deseja uma relação de aliança conosco, e isso envolve buscar primeiro o seu reino e a sua justiça e confiar que Ele vai atender às nossas necessidades diárias (Mateus 6:33).

Salmo 84:11 declara que Deus "não recusa nenhum bem aos que vivem com integridade." Este versículo traz um lembrete de que temos uma parte a cumprir para que a provisão de Deus seja concretizada em nossas vidas. Temos que andar em retidão.

Tiago 4: 3 é uma resposta às nossas perguntas sobre por que as orações às vezes ficam sem resposta: "Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres." Deus vê o coração e as motivações por trás das nossas orações são importantes para Ele.

Muitas passagens sobre a provisão de Deus se relacionam com a nossa necessidade de alimentos e roupas e as necessidades diárias e físicas da vida. Outras referem-se às necessidades da nossa alma e espírito, o nosso homem interior. O Senhor nos proporciona paz (João 14:27), conforto (2 Coríntios 1:4) e "poder, amor e equilíbrio" (2 Timóteo 1:7). Na verdade, Ele "nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo" (Efésios 1: 3). Em qualquer estado físico que nos encontremos, podemos estar contentes no Senhor (Filipenses 4:12).

Passagens como Gálatas 1:15 e Jeremias 1:5 nos dão uma garantia de que o amor e a orientação de Deus começaram antes mesmo da concepção. Que dádiva poder saber que Deus tem estado envolvido em nossas vidas desde o início! Seu amor por nós é englobado por seu desejo para o nosso bem maior. Ele é verdadeiramente Jeová-Jiré, o Senhor Proverá.

A provisão de Deus estende-se a sua relação contínua com toda a sua criação, que é profundamente dependente dEle (Salmo 104:21). Muitas vezes deixamos de dar valor à chuva que cai, o sol que vem todas as manhãs, os ventos refrescantes que sopram, e as marés que limpam nossas costas e revigoram a vida em nossos oceanos vastos. Mas todas estas coisas são vigiadas pelo nosso amoroso Deus em Sua constante provisão por nós.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 27 de maio de 2018

JESUS, O DOADOR DA VIDA


Estes [sinais] foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e, crendo, tenham vida em seu nome(João 20.31)

João nos diz que seu objetivo último em escrever seu Evangelho foi o de que seus leitores recebessem vida através de Jesus Cristo. E para que recebam vida através de Jesus Cristo, eles devem crer em Cristo; e para que creiam em Cristo, João selecionou certos sinais que dão testemunho de Cristo. Desse modo, o testemunho leva à fé; e a fé, à vida.

Na verdade, João vê seu Evangelho principalmente como testemunho de Cristo. É quase como se o seu Evangelho fosse o cenário de um tribunal e Cristo estivesse sendo julgado.

Uma sucessão de testemunhas é chamada, começando com João Batista. E o julgamento continua com a apresentação de sete sinais milagrosos; cada um deles é uma declaração dramatizada.

1. Jesus transformou água em vinho, declarando inaugurar uma nova ordem.
2. e 3. Jesus realizou dois milagres de cura, declarando dar uma nova vida.
4. Jesus alimentou cinco mil pessoas, declarando ser o Pão da vida.
5. Jesus andou sobre as águas, declarando que os poderes da natureza estavam sob sua autoridade.
6. Jesus deu vista a um cego, declarando ser a Luz do mundo.
7. Jesus ressuscitou Lázaro dentre os mortos, declarando ser a ressurreição e a vida.

Há ainda outro lado do testemunho de João acerca de Jesus. Os sete sinais, registrados na primeira metade de seu Evangelho, são sinais de poder e de autoridade.

Na segunda metade de seu livro, no entanto, João registra sinais de fraqueza e de humildade — primeiro no lavar dos pés dos discípulos e então na cruz, que João vê como a glorificação de Jesus.

Para resumir, o Evangelho de João possui duas partes: a primeira parte é o Livro dos Sinais; e a segunda é o Livro da Cruz. Em ambos, no entanto, por todo o Evangelho, João está dando testemunho de Jesus a fim de que seus leitores creiam nele e recebam dele a vida.

Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome. (Jo.20.30.31)

Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém. (Jo.21.25)

Retirado de A Bíbia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 26 de maio de 2018

A MANIFESTAÇÃO DO VERDADEIRO AMOR


DESCANSO E REGOZIJO.
O profeta Sofonias diz algo incrível a respeito do amor de Deus por nós. Ele escreve : 'O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para salvar-te; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-se-á (descansará) no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo' (Sofonias 3:17). Este verso nos diz duas coisas importantes a respeito de como o Senhor nos ama:

1. DEUS DESCANSA EM SEU AMOR POR SEU POVO.
Em hebraico, a frase '(Ele) renovar-se-á em seu amor' quer dizer: 'Ele ficará tranqüilo por causa do Seu amor'. Deus está dizendo, em essência, 'Eu encontrei meu verdadeiro amor e estou totalmente satisfeito! Não preciso procurar em outro lugar qualquer, porque não tenho do que reclamar. Estou plenamente satisfeito neste relacionamento, e não vou retirar o meu amor. O meu amor é assunto resolvido!' Sofonias está nos dizendo : 'Este é o amor de Deus por você ! Ele quer que você saiba: 'Eu achei o que estava procurando e é você ! Você traz grande alegria para Mim !''

2. DEUS TEM GRANDE PRAZER EM SEU POVO.
Sofonias testifica : 'Regozijar-se-á em ti com júbilo' (veja no mesmo verso). Ele está dizendo, em outras palavras : 'O amor de Deus por você é tão grande, que coloca júbilo (uma canção) em Seus lábios !'

'Regozijar-se' significa ter alegria e prazer. É uma expressão exterior de felicidade interior. É também a mais alta expressão de amor. A palavra hebraica que Sofonias usa aqui para 'regozijar' é 'tripudiare' significando 'saltar, como quem vence cheio de alegria e êxtase.'

Você pode conceber o seu Pai celestial com tamanho amor por você, que Ele pula de alegria simplesmente ao pensar em você ? Você consegue aceitar a Sua palavra, de que Ele lhe amou antes do mundo ser criado, antes da humanidade existir, antes mesmo de você ter nascido ? Você pode aceitar que Ele lhe amou mesmo depois de você ter caído nos caminhos pecaminosos de Adão e ter se tornado um inimigo dEle?

É isso mesmo, Deus previu todos os seus pecados e falhas; ainda assim, Ele o amou com o mesmo terno amor.

De fato, mandou Seu Espírito para lhe acordar e conscientizar de sua condição de perdição e da sua necessidade dEle. Ele o atraiu para Si, envolvendo-o em Seus braços.

Então, ao ir à cruz em arrependimento, você entrou na dádiva do Seu amor por você. Ele lhe prometeu : 'Eu te amei então, Eu te amo agora, e Eu te amarei até o fim!'

Se Deus o amou de tal maneira quando você estava em profundo pecado, importando- se a ponto de dar Seu próprio filho para morrer por você, por que Ele retiraria este amor sempre que você tropeçar ou fracassar ?

Nessas ocasiões, devemos nos lembrar quem Ele disse que é para nós: amor, misericórdia, longanimidade. Esta é a Sua glória e devemos retornar à Sua glória sempre !

Reverendo David Wilkerson

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 25 de maio de 2018

COMO DERROTAR NOSSOS INIMIGOS


Aos doze anos o príncipe Luidwig, assumiu o trono da França. No decorrer da sua juventude, era a sua mãe que governava a nação. Muitos inimigos do príncipe tentaram roubar-lhe o trono, todavia, a sua mãe derrotava a todos. Quando enfim o jovem assumiu o poder, todos os seus opositores, os quais tentaram tirar-lhe o trono, com grande medo fugiram da França para outro país, pois ouviram boatos que o príncipe havia feito uma lista com os nomes de todos eles, e depois de cada um pôs um sinal da cruz.

Quando Luidwig soube o motivo da fuga de seus inimigos, enviou mensagens a todos eles, pedindo que voltassem, pois explicou: “O sinal da cruz que fiz depois de vossos nomes, é para lembrar-me de que devo perdoar aos meus inimigos, pois a cruz lembra o meu Salvador que também me perdoou”.

O reverendo (in memorian) Richad Wurmbrand, fundador da Missão A Voz dos Mártires, sofreu num cárcere comunista, na Romênia, durante catorze anos. Lá ele experimentou toda espécie de tortura e sofrimento. No entanto, como prova do seu grande amor, em um de seus artigos, ele escreveu: "Quem não ama a seus inimigos, não é cristão. Porém, amamos tanto àqueles que nos amargam a vida, quanto a noiva apaixonada ama seu noivo? Se não, o nosso amor é deficiente".

Em um outro texto, continuou: "Ser traído ou ferido por alguém é um desafio, uma chamada de Deus para nós. A pessoa que faz injustiça par nós, foi mandada por Deus, para nos preocuparmos com a salvação de sua alma".

Já o cristão soviético, Cherew, que passou vinte anos na prisão por amor a Deus, escreveu: "Nesse lugar aprendi amar meus torturadores a tal ponto como um noivo ama a sua noiva.

Esses são apenas alguns dos inúmeros exemplos de pessoas que assumiram o compromisso de amar aos inimigos. Mas o maior de todos os exemplos foi demonstrado por Jesus. Ele, mesmo sendo Deus, não obstante ser o criador do mundo, embora fosse continuamente glorificado nos céus pelos anjos, ainda assim ele se dispôs a vir a este mundo de caos. E aqui, muito mais do que se humilhar, ele morreu numa vergonhosa cruz. E isso ele fez por amar demais às nossas vidas.

Enquanto aqui esteve, Cristo ensinou aos seus discípulos como deveriam agir diante dos inimigos: "Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam; bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses" (Lc. 6:27-29).

Na antiga aliança, o mandamento também era esse: "Se encontrares o boi do teu inimigo, ou o seu jumento, desgarrado, sem falta lho reconduzirás. Se vires o jumento, daquele que te odeia, caído debaixo da sua carga, deixarás pois de ajudá-lo? Certamente o ajudarás a levantá-lo" (Êx. 23:4, 5). Salomão, um dos homens mais sábios de toda a história, nos incentivou a fazer exatamente isto: "Quando cair o teu inimigo, não te alegres, nem se regozije o teu coração quando ele tropeçar...

Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe pão para comer; e se tiver sede, dá-lhe água para beber; porque assim lhe amontoarás brasas sobre a cabeça; e o Senhor to retribuirá" (Pv. 24: 17; 25:21, 22). O mesmo ensinou o apóstolo Paulo: "Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça" (Rm. 12:20)

Sim, a melhor forma de tratarmos àqueles que nos desejam o mal, não é revidando, não é fazendo também o mal, mas amando-os, amando-os de todo o coração. Quando nos dispomos a amá-los, quando adquirimos uma profunda compaixão pela vida dos nossos inimigos, algo maravilhoso e inexplicável acontece ao coração deles, que não conseguem resistir por muito tempo ao nosso amor. É assim que devemos derrotar aos nossos inimigos.

Jaime Nunes Mendes

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 24 de maio de 2018

FELIZ SERÁS


O salmo 128 diz: “Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos comerás; feliz serás, e tudo te irá bem. Tua esposa, no interior da tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa. Eis como será abençoado o homem que teme ao Senhor!

O Senhor abençoe desde Sião, para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias da tua vida, e vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel

”Você teme ao Senhor? Anda nos caminhos do Senhor?
Se você não teme ao Senhor, não está andando nos caminhos d´Ele, então essas promessas nunca serão realidade na sua vida.

Pior que o pecado do adultério, da feitiçaria, da indiferença é o pecado da religiosidade. Como é difícil para o religioso entender isso. Não somos religiosos.

Temos é comunhão com Deus, intimidade. É diferente. Aqui a Palavra diz: “Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos. Do trabalho das tuas mãos comerás; feliz serás, e tudo te irá bem.”

A Palavra de Deus diz: “Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte.” (Provérbios 14:12.)

Qualquer caminho fora da palavra de Deus é só destruição. “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz, para os meus caminhos”, diz a Palavra do Senhor. (Salmo 119:105.)

Uma pessoa que não anda no temor do Senhor é aquela que quando alguém lhe pergunta “Como vai?” ela responde: “Mais ou menos”. Mais ou menos não existe para o cristão. Ou é mais, ou é menos.  Diga só assim: “Eu sou mais. Mais em santidade, em amor, em unção, em poder, em glória, em vida, em prosperidade, em ganhar almas; e sou menos em pecado, em falta de amor, em indiferença, em transgressão, em desobediência.” É mais e menos.

“Feliz serás, e tudo te irá bem.” Mas quando? Quando você estiver vivendo no temor do Senhor. Sua esposa, linda, teme ao Senhor. Seus filhos, abençoados, temem ao Senhor. O Senhor quer que você viva como a árvore.

O cristão não morre, só é transferido. Veja o que está escrito: “O temor do Senhor prolonga os dias da vida, mas os anos dos perversos serão abreviados.” (Provérbios 10:27.) Quando você tem o temor do Senhor, tem aqui uma promessa.

Pr. Márcio Valadão

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 23 de maio de 2018

VIVENDO DEBAIXO DA GRAÇA DE DEUS


I° PRINCÍPIO:... O CAIR É DO HOMEM, PORÉM O LEVANTAR, O ERGUER É DE DEUS.
LEVANTAR: Tem o sentido de: Mudar de posição, Mudar de atitude, Mudar de rumo, Sair do estado que se encontra. Abrir os olhos para uma nova realidade

Sal. 145:14 - O Senhor sustém a todos os que estão a cair, e levanta a todos os que estão abatidos.
Sal. 30:5 - Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite; pela manhã, porém, vem o cântico de júbilo.

Existe uma diferença entre cair e ficar permanentemente prostrado, do cair e levantar-se renovado para enfrentar a vida de frente.

Sua estrutura física, emocional, mental, espiritual pode sentir abalos sísmicos, como de um terremoto, porém Deus é suficiente para tirar você desta, erguê-la, renová-la, fortalecê-la novamente. Amém.

O medo, os problemas, as angustias, a depressão, o estresse, a ansiedade, a covardia, autocomiseração, não podem ofuscar a Graça, o Poder e o amor de Deus sobre você. Deus o ama e quer que você entenda isto claramente. Você é especial para Deus.

II° PRINCIPIO – SÓ DEUS PODE COLOCÁ-LO(A) EM PÉ NOVAMENTE E MOSTRAR-LHE A DIREÇÃO A SEGUIR.
Deus pode e quer tocar-lhe tirando-o(a) do sono, da apatia, do desanimo, da falta de fé, da insensatez da incredulidade. Deus vai colocá-lo(a) em pé novamente e mostrar-lhe a direção a seguir.

Elias assentou-se, pediu a morte pra Deus, dormiu, o anjo lhe tocou pediu para levantar-se e comer uma comida que já estava preparada.

Veja o que a Bíblia nos diz em I Co. 2:9 o seguinte: Mas, como está escrito: “As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam”.

Deus está lhe dizendo hoje e agora. “A comida já esta pronta pra você. É só levantar e comer. O Senhor mesmo preparou”:  *Pão cozido em brasa. Isto é, pão feito no fogo. Jesus disse: “Eu sou o pão da vida”.(João 6:48) “Eu sou o pão vivo que desceu do céu”.“Se alguém comer deste pão viverá para sempre. Este pão é a minha carne que darei pela vida do mundo”.(João 6:57)

*O Fogo: Simboliza a obra do Espírito Santo, como purificação em nossas vidas.
*A água é representada pela Palavra de Deus, que é viva.
A Bíblia nos diz que Elias comeu e bebeu e com a força daquela comida, caminhou 40 dias e 40 noites até Horebe, o monte de Deus.

Obs. Você diariamente precisa alimentar-se da Palavra Viva do Senhor, para que você alcance vitórias no seu dia a dia.

III° PRINCÍPIO – A VOZ DE DEUS CALMA E SUAVE, SEMPRE ESTARÁ PRESENTE EM SUA VIDA, QUANDO VOCÊ ESTIVER NA CAVERNA. Vers. 11 - Vem para fora, põe-te neste monte perante a minha face.
CAVERNA:
É lugar de refugio, lugar de fuga, lugar apenas para passar a noite. Não é lugar para se morar. Não é lugar de habitação humana. Não é lugar para se ficar muito tempo escondido.

Mesmo em cavernas, Deus calmamente, suavemente irá dizer-lhe: "Que fazes aqui? Vem para fora. Eu sou o teu Deus. Eu conheço os teus problemas. Porque você é meu. Conheço as suas dores, os seus momentos de choro, de lágrimas, porém estou lhe dando a solução agora. Vem para fora, perante a minha face”.

Saia da depressão. Chega de medo. Estou lhe dando a vitória Não há necessidade de ter medo. Quem é Jezabel? Quem são os seus deuses. Eles não puderam livrar nem mesmo os seus profetas”.

Jesus está lhe dizendo: “Vem para fora. Vem para a luz. Saia das trevas, da escuridão da noite. Vem para mim. Eu sou a luz neste mundo. Quem me segue não andará em trevas. Venha a mim, você que está cansado, e sobrecarregado, que eu o aliviarei. Lançai sobre mim, toda sua ansiedade, pois eu tenho cuidado de você”.                                              
Pr. Nélson R. Gouvêa

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 22 de maio de 2018

A REVELAÇÃO DA GLÓRIA DE DEUS

Você pode recordar que no Antigo Testamento Moisés teve literalmente um vislumbre da glória de Deus. Antes disso, o Senhor havia enviado Moisés, sem nenhuma explicação sobre Si próprio, além das palavras 'EU SOU'. Mas Moisés queria saber algo mais de Deus. Então pleiteou junto a Ele: 'Senhor, mostra-me tua glória.

Deus respondeu levando Moisés à parte e colocando-o na fenda de uma rocha. Então, as escrituras dizem que Ele revelou-se para Moisés em toda Sua glória : 'E, passando o Senhor por diante dele, clamou : Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânime, e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado' (Êxodo 34:6-7).

Esta passagem é absolutamente essencial para o nosso entendimento de quem nosso Senhor é. Muitas vezes quando raciocinamos sobre a glória de Deus, pensamos na Sua majestade e esplendor, Seu poder e domínio, ou alguma manifestação no Seu povo, como uma impetuosa adoração. Todas estas coisas podem ser um resultado da visão da glória de Deus. Mas esta não é a glória pela qual Ele quer que nós O conheçamos.

A maneira que Deus quer que conheçamos Sua glória é através da revelação do Seu grande amor pela humanidade. E isto é justamente o que revelou a Moisés : 'Senhor Deus compassivo, clemente e longânime, e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado' (Êxodo 34:6-7).

O Senhor está sempre esperando para nos mostrar Seu amor para nos perdoar, para derramar sobre nós Sua misericórdia e nos restaurar para Ele !

A REVELAÇÃO DA GLÓRIA DE DEUS TEM EFEITOS PODEROSOS SOBRE AQUELES QUE A RECEBEM E ORAM PARA COMPREENDÊ-LA.
Até este ponto, Moisés tinha uma visão do Senhor como o Deus da lei e da ira. Tremia aterrorizado na presença do Senhor pedindo a Ele, clamando, pleiteando em favor de Israel. Esta tinha sido a base do seu relacionamento face a face com o Senhor.

Mas agora, à primeira visão da glória de Deus, Moisés não estava mais com medo do Senhor. Ao contrário, ele foi levado a adoração : 'E imediatamente, curvando-se Moisés para a terra, o adorou;' (versículo 8). Ele viu que Deus não era apenas o trovão, o raio e a trombeta penetrante que o faziam encolher de medo. Ao contrário, Deus era amor e Sua natureza era de bondade e terna misericórdia !

A verdadeira adoração surge dos corações que estão conquistados pela visão do amor gratuito de Deus por nós. É baseada na revelação que Deus nos dá de Si, de Sua bondade, de Sua misericórdia, de Sua prontidão para nos perdoar. Então, se devemos louvar a Deus em espírito e verdade, nossa adoração deve ser baseada nesta admirável verdade a respeito dEle.

Verdadeiramente, quando recebemos a revelação da glória de Deus, nossa adoração não pode fazer outra coisa senão mudar. Por que? Ver Sua glória muda a nossa maneira de viver! Afeta nossa fisionomia e nosso comportamento, nos transformando de 'glória em glória,' fazendo-nos mais como Ele. Cada nova revelação do Seu amor e misericórdia traz mudança sobrenatural.

Eu estou convencido de que esta é a única forma para ocorrer mudança duradoura. Não vem da participação de seminários de 'como fazer', ou de ouvir oradores famosos, ou de absorver mensagens de auto aperfeiçoamento de livros ou fitas. Não, vem de ter a revelação de Deus, ponto final! E Deus já nos deu esta revelação dEle, em Êxodo 34.

Ver a glória de Deus também muda o nosso relacionamento com os outros. Paulo diz a igreja de Efésios, 'Vocês viram e experimentaram a glória de Deus. Agora, pois, sejam reflexo desta glória para os outros !' 'Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou.' (Efésios 4:32).

Reverendo David Wilkerson

Por Litrazini
Graça e Paz