terça-feira, 6 de novembro de 2018

VIVENDO COM INGRATIDÃO


Ele possuiu Hagar, e ela engravidou. Quando se viu grávida, começou a olhar com desprezo para a sua senhora(Gênesis 16.4)


Como escrava, Hagar nada tinha, exceto o alimento e as roupas que Sara, por bondade e generosidade, havia dado a ela. Sara até mesmo a escolheu para ser a mãe do filho de Abraão. Porém, Hagar começou a ser desrespeitosa com Sara, a verdadeira esposa de Abraão.

O Espírito Santo relata essa história sobre a rixa entre Sara e Hagar para o nosso conforto. Ele quer que entendamos o que o povo de Deus teve que passar em sua vida.

Toda a família foi afetada pelo fato de Hagar ter tratado Sara com desrespeito.

Aparentemente, essa história soa como algo trivial e insignificante. No entanto, o Espírito Santo a considerou digna a ponto de descrevê-la com muitos detalhes.

Isso foi feito para que os cristãos fossem confortados e aprendessem a lição de que eles devem ser pacientes enquanto esperam o fim de problemas como esse.

Hagar devia tudo o que tinha, inclusive a própria vida, a Sara. Porém, ela foi rude e desrespeitosa com a pessoa que providenciou tudo generosamente para ela.

Isso nos mostra que devemos fazer o bem para outros e estar preparados para tolerar a ingratidão.

Muitas situações em nossas vidas não acabam do jeito que esperamos. Nossas esperanças em relação às pessoas nem sempre são realizadas. Afinal de contas, a natureza humana é corrupta e as pessoas, imprevisíveis.

Quando a vida começa, de repente, a ir muito bem, é difícil para qualquer pessoa não cair na tentação de se tornar rude e desrespeitosa com os outros.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz