domingo, 13 de janeiro de 2019

CRÍTICAS AO CRISTIANISMO


Quando alegamos que a nossa fé é verdadeira, queremos dizer que o nosso Senhor é real e vivo, não um símbolo, uma lenda ou um herói morto. O apóstolo Paulo, foi claro, quando disse à igreja de Corinto: “Se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados” (1 Co 15.17). Ele dizia aos coríntios que, se a suposta ressurreição de Cristo, ocorrido 20 anos antes, fora um engano, a sua salvação também era um engano.

Os cristãos afirmam que a verdade da sua fé em Cristo Jesus depende da ressurreição dele. Amigos e inimigos da fé cristã reconhecem que a ressurreição de Cristo é a pedra fundamental da fé. Se Cristo não ressuscitou, o cristianismo é uma interessante peça de museu. Todavia, alguns retrucam que no tempo de Jesus as pessoas não se guiavam por princípios científicos: eram ingênuas e preparadas para crer em milagres; Mas, se lembrarmos que os discípulos mais próximos de Jesus, ao receberem a primeira notícia da sua ressurreição não acreditaram (Lc. 24 e Jo 20), esta tese cai por terra.

PORVENTURA OS CRISTÃOS ACREDITAM SER OS ÚNICOS A QUEM DEUS FALA? DEUS NÃO FALA A TODAS AS PESSOAS?
A Bíblia diz que Deus fala a todas as pessoas. O Antigo Testamento, escrito por e para os judeus, reconhece que Deus se revela em todo o mundo a judeus e gentios: “Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes. Em toda a extensão da terra estende-se a sua voz e as suas palavras até o fim do mundo” (Sl. 19.1-4).

Jesus, o Messias judeu, mostrou-se sempre disposto a pregar aos gentios, aceitando-os por seguidores. Às vezes elogiava a fé dos gentios, comparando-a com a falta de fé dos líderes religiosos dos judeus (Lc. 7.1-10; Lc. 17.11-19). Quando Deus revelou ao apóstolo Paulo que a salvação era para todas as pessoas, apesar da relutância inicial a igreja aceitou com determinação os crentes gentios como cristãos (At.10-11;15)

A Bíblia diz: “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens os seus pecados” (2Co. 5.19). O que Deus fez pela humanidade foi terrível para o próprio Deus. Em Jesus ele se tornou humano e ofereceu a sua vida para expiar os pecados da humanidade. “Ele mesmo levou em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; pelas suas feridas fostes sarados” (1Pe. 2.24). “A vós também, que noutro tempo éreis estranho, e inimigos no entendimento pelas vossa obras más, agora, contudo, vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, para perante ele nos apresentar santos e irrepreensíveis, e inculpáveis” (Cl. 1.21,22).

Deus proporcionou um único caminho, sem que nós o merecêssemos, para que os homens fossem salvos do pecado. Ninguém o merece. Só o que podemos fazer é depositar a fé no que Cristo realizou, e convidamos outras pessoas a fazerem o mesmo.

A história de Cornélio, relatada em Atos capítulo 10, mostra como Deus age em relação às pessoas cujo conhecimento, sobre a Palavra, é incompleto, mas cujo coração tem fome do Deus verdadeiro, pois Deus dera visões tanto para Cornélio, que era piedoso e temente a Ele, quanto a Pedro que era apóstolo, possibilitando assim que Pedro compartilhasse o evangelho a Cornélio e sua família, que se tornarão cristãos. O encontro entre os dois foi preparado pelo Senhor.

Alguns cristãos são ousados, outros fazem de sua fé um clube exclusivo. Mas o perdão de Deus sempre se estende, tocando cada pessoa que reconhece a necessidade da misericórdia divina e que deposita nele a sua fé.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário