sábado, 12 de janeiro de 2019

FÉ SEM DIMENSÕES DEFINIDAS


“Afirmo-vos que nem mesmo em* Israel achei Fé como esta“ (Lc 7:9). O Senhor Jesus ficou maravilhado a satisfeito com a Fé revelada pelo centurião, a ainda surpreso pelo fato de ser ele gentio, pois demostrou o tipo de Fé que honra a Cristo e consiste em confiar no poder de sua palavra “Manda com uma Palavra, e meu rapaz será curado (Lc 7:7). Esta forma de orar tem apoio nesta Escritura: “Enviou-lhes a sua Palavra e os sarou” (Sl 107:20). E foi que aconteceu: “Voltando para casa os que foram enviados, encontraram curado o servo (V. 10).

Jesus estava cercado daqueles que tinha visto muitos exemplos de Fé, muitas maravilhas operadas com a presença do Mestre, e ele tinha aqui a oportunidade de testemunhar a extraordinária Fé do centurião romano, que julgava desnecessária a presença de Jesus para a cura do seu servo enfermo. A Palavra do Senhor é o verdadeiro fundamento da Fé, e a Fé na Palavra de Deus é a Fé fundamental. “Afirmo-vos que nem mesmo em Israel encontrei Fé como esta”.

A Fé evidenciada pelo centurião deve ter causado vergonha aos discípulos de Jesus. E a nós hoje? Ele pediu crendo, e foi isto que Jesus ensinou: “Por isto vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, CREDE que recebereis, e será assim convosco” ( Mc 11:24 ) .

A verdadeira Fé, que é o Dom do Espírito Santo, tem posição definida. Não basta crermos que Deus responderá à nossa oração e, algum tempo, pois isto seria colocar a operação de Deus em futuro distante, como quem apenas tem alguma esperança, ao invés de Fé.

A Fé sem dimensões é a confiança na Palavra de Deus, que afirma: “E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito” (1Jo 5:14-15). “Fé é certeza de coisas que se esperam”.

A verdadeira Fé deve ser mais do que o desejo de receber o que necessitamos; deve ser Fé nas promessas de Deus. Fé é crermos que é a vontade de Deus responder à nossa oração, e se realmente crermos, disso estamos seguros. Quando cremos, mesmo não havendo ainda recebido, já podemos agradecer a Deus. Já antevemos a vitória, e se podemos honestamente agradecer a Deus de coração, certos de que ouviu a nossa oração, estar seguro de que a nossa Fé foi suficiente para mover a operação de Deus, em nosso favor. Ai já não deve haver lugar para a inquietação e ansiedade.

É bem neste sentido o ensinamento Bíblico: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça” (Fp 4:6).

Paulo Roberto Dos Santos

Por Litrazini
Graça e Paz