terça-feira, 30 de abril de 2019

NOSSA LUTA NÃO É CONTRA CARNE OU SANGUE


No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais... (Efésios 6.10-20

Existem coisas que não somente aprendemos, mas que passam a fazer parte da nossa vida.

Coisas importantes ficaram gravadas na minha memória, e nem todas elas eram para a época que eu as ouvi. Existem lições preciosas que escutamos que não serão aplicadas no momento presente, mas no futuro. 

Uma das coisas que aprendi e foi muito bom para minha vida foi a participação num culto de libertação na minha mocidade. Nesse culto aprendi uma gota das artimanhas do diabo. No texto de Efésios vemos que estamos numa luta espiritual muito grande.

Quando temos uma luta física; uma doença, por exemplo, existem forças espirituais por trás. O mundo invisível e mais real do que o visível. 

Olhamos para as pessoas e não sabemos as lutas que elas passam. Muitos sorriem por fora, mas passam grandes lutas interiores. O mundo visível é menor do que o invisível. Há os que esboçam satisfação por nossas vitórias, mas por dentro se remoem de inveja. Ou seja; vemos o visível, mas o invisível não.

Pela Palavra de Deus, o apóstolo Paulo diz que nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra demônios. Às vezes coisas simples nos entristecem. Discussão em casa por causa de dinheiro, por causa de roupa, etc. O cenário é influenciado por forças malignas e nem percebemos.

O diabo é mestre em transformar ambientes de paz em guerra. A confusão pode começar com um olhar, com uma palavra, com uma atitude impensada. Quantas pessoas envolvem-se malignamente com a internet e não vêem as conseqüências daquela atitude em suas vidas?

Precisamos procurar o revestimento do alto, porque assim quando o diabo vir com seus ataques poderemos resisti-lo no nome do Senhor Jesus. 

O rei Salomão não pediu dinheiro, domínio sobre o exército, auxiliares, saúde... porque ele tinha tudo isso. Ele pediu sabedoria. Porém Salomão começou a abusar e envolver-se com mulheres de todas as nações e passou a fazer orgias com elas. Aquelas mulheres atrapalharam o caráter de Salomão e ele não percebeu que existia forças espirituais por trás daquelas mulheres o desvirtuando do caminho do Senhor. 

Precisamos ter discernimento espiritual no nosso dia a dia. “Revesti-vos de toda armadura.” As ciladas vêem e não podemos cair nelas. Você ganhou uma bebida? Não guarde, jogue fora. Não abra portas para satanás destruir sua vida. 

Não assista DVD’s pornográficos com seu cônjuge, não guarde bebidas na sua casa, não perca o temor de Deus, não fique achando que o pecado é normal. A luta é espiritual! Não pense que os problemas entre você sua sogra são normais, eles são espirituais. Tome cuidado, porque a nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra potestades que querem destruir vidas. 

A Palavra de Deus é proteção, alimento para as nossas vidas. Não pare de ler a Bíblia, ela o fortalecerá durante o dia e se o diabo se levantar contra sua vida, não alcançará êxito, porque você se revestiu com a Palavra de Deus.

Precisamos entender também que satanás tenta depravar as pessoas através dos olhos. Por exemplo: a pornografia está associada a pedofilia. É comprovado esse dado. Tome cuidado com o que você vê. Com o que você aceita. O diabo transforma as pessoas em lixo. “O salário do pecado é a morte!”

Também não se deixe revoltar contra Deus. O ser humano é insaciável, Deus o abençoa com prosperidade e mesmo nunca fica satisfeito. Satanás faz as pessoas se rebelarem contra Deus e contra as autoridades e as pessoas esquecem-se de todo o favor dado pelo Senhor. A rebelião e a ingratidão são fomentadas no mundo espiritual. 

“Com toda a oração e súplica, orando em todo o tempo no Espírito e pra o mesmo fim, vigiando com toda perseverança e suplica, por todos os santos.” Ef 6.18.

Se não identificarmos que a luta é espiritual, não teremos como resistir os demônios que estão por trás da situação.

Peça a Deus discernimento espiritual, resista o diabo e ele fugirá de você. 

Pr. Jorge Linhares

Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 29 de abril de 2019

QUANDO TUDO FALHAR


O Senhor seja louvado!

Crer quando todos os recursos fracassam agrada muitíssimo a Deus e é altamente aceito por ele. Jesus disse a Tomé “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.” João 20.29.

Bem aventurados os que crêem quando não existe evidência de uma resposta a sua oração. Bem aventurados aqueles que confiam mais além da esperança quando todos os meios fracassaram.

Alguém chegou a um lugar de desespero, ao final da esperança e ao término de todo recurso. Um ser querido enfrenta a morte, e os médicos não dão esperança. A morte parece inevitável. A esperança se foi. Orou pelo milagre, porem, esse não aconteceu.
É nesse momento quando as legiões de Satanás se dirigem a atacar sua mente com medo, ira e perguntas opressivas como “Onde está teu Deus? 

Você orou até não lhe restaram lágrimas, jejuou, permaneceu nas promessas e confiou” Pensamentos blasfemos penetraram em sua mente: “A oração falhou, a fé falhou. Não vou abandonar a Deus, porem não confiarei Nele nunca mais. Não vale a pena!” Até mesmo perguntas sobre a existência de Deus acometem sua mente!

Tudo isso foi dispositivos que Satanás empregou durante séculos. Alguns dos homens e mulheres mais piedosos de todas as eras viveram tais ataques demoníacos.
Para aqueles que passam pelo vale da sombra da morte, ouçam essas palavras: O pranto durará algumas tenebrosas e terríveis noites, mas em meio a essa escuridão logo se ouvirá o sussurro do Pai: “Eu estou contigo. Nesse momento não posso lhe dizer por que, mas um dia tudo terá sentido. Verás que tudo era parte de meu plano. Não foi um acidente. Não foi um fracasso da tua parte. Agarre-se com força. Deixe Eu te abraçar nessa hora de dor”

Deus nunca deixou de atuar em bondade e amor. Quando todos os recursos falham, Seu amor prevalece: Aferre-se a sua fé.

Permaneça firme em Sua Palavra.

Não há outra esperança nesse mundo.

Pr David Wilkerson

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 28 de abril de 2019

PORQUE DEUS PERMITE QUE O FOGO DA TRIBULAÇÃO ENTRE EM NOSSAS VIDAS?


Para nos Manter Humildes e de Joelhos

Deus permite que o fogo da tribulação entre em nossas vidas para nos tornar, e manter, humildes.

Ele podia ter livrado Paulo daquele "espinho na carne", mas recusou todos os pedidos de alívio de Paulo, e prometeu-lhe, ao invés disso, a Sua graça.

Deus também não isenta os cristãos de sofrimento porque ele aumenta a sua vida de oração. Nada nos porá de joelhos mais depressa do que os problemas.

Às vezes, em nossas orações perguntamos por que a resposta tarda, dando a impressão de que nunca vai chegar.

Muitos dos sofredores de Deus oram pedindo alívio, mas a resposta de Deus parece ser "não".

A cura pode não chegar, mas Deus atende às nossas preces. Nem sempre as atende da forma que queremos.
Podemos não ter orado segundo a vontade de Deus. No Jardim de Getsêmani, na perspectiva da Cruz, Ele orou: "Pai, se é do teu agrado, afasta de mim este cálice." (Lucas 22:42, o grifo é meu)

Nossas preces precisam estar de acordo com a vontade de Deus pelo simples motivo de que Deus conhece melhor do que nós mesmos o que é bom para nós.

Sem a experiência do sofrimento ou de algum tipo de aflição, jamais seríamos os guerreiros da oração que devemos ser.

Nossa natureza tende a negligenciar a necessidade da oração até encontrarmos sofrimento ou dificuldades de qualquer tipo. Freqüentemente, precisamos ser levados à verdadeira oração pelas circunstâncias que nos cercam.

Dwight L. Moody gostava de ressaltar que existem três tipos de fé em Jesus Cristo: a fé que luta, que é como um homem apavorado se debatendo em águas profundas; a fé que se agarra, que é como um homem segurando com força o lado de um bote; e a fé que repousa, que é como um homem a salvo dentro do bote – forte e seguro o bastante para estender a mão e ajudar outra pessoa.
Este é o tipo de fé que você e eu temos que adquirir para sermos eficazes como cristãos – e tal fé pode ser nossa através do ministério do sofrimento em nossas vidas.

George Matheson, que percebeu que estava ficando cego aos dezoito anos, superou a sua deficiência e se tornou um dos melhores estudiosos e pregadores da Igreja Escocesa. Escreveu ele: "Tu, Ó Senhor, podes transformar o meu espinho numa flor. E eu quero o meu espinho transformado numa flor.

Jó mereceu o sol depois da chuva, mas será que a chuva fora um desperdício total? Jó quer saber, e eu quero saber, se a chuva nada teve a ver com o brilho do sol. E Tu me podes dizer. Tua cruz me pode dizer. Tu coroaste o Teu triunfo. Que seja esta a minha coroa, ó Senhor. Somente triunfo em Ti quando já aprendi a auréola da chuva."

Extraído do livro A SEGUNDA VINDA DE CRISTO de Billy Graham / Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 27 de abril de 2019

FOME DE DEUS


John Piper definiu jejum como fome de Deus.

Nossa maior necessidade não são das bênçãos de Deus, mas do Deus das bênçãos. Nossa alma tem fome e sede de Deus.

Deus colocou a eternidade em nosso coração. Só o Deus eterno pode dar pleno significado à nossa vida e satisfazer a nossa alma.

Ambos, comer e jejuar devem ser feitos para a glória de Deus (1Co. 10.31).

O comer lembra-nos os dons de Deus, o jejuar lembra-nos o Deus doador. Jejum é privar-nos do pão da terra, para alimentar-nos com o pão do céu. Quando nós comemos, nós testamos o emblema do alimento celestial, o Pão da Vida. E quando nós jejuamos, nós dizemos, “Eu amo a realidade acima do emblema.”

O maior inimigo da fome de Deus não é veneno, mas uma torta de maça. Muitas vezes, o que nos priva da fome de Deus não é o veneno do mal, mas os simples prazeres da terra (Lc 8:14; Mc 4:19). “Os prazeres desta vida” e “os desejos por outras coisas” – não são necessariamente coisas más em si mesmas. Não são vícios. São dons de Deus. Essas coisas podem ser a nossa refeição básica, leitura, viagens, negócios, televisão, Internet, compras, exercícios, esportes, e casamento. Todas essas coisas boas em si mesmas podem ser mortais substitutos de Deus para a nossa alma.
Coisas boas podem fazer grandes estragos em nossa vida espiritual. Bois, campos e casamento podem manter você fora do Reino dos céus (Lc 14:17-20).

Nada deve se interpor no caminho do verdadeiro discipulado, nem coisas más, nem coisas boas, nem alimento, nem qualquer outra coisa.

Nosso amor por Deus é provado não apenas por palavras, mas sobretudo, pelo sacrifício.

Realmente temos fome por Deus?

Sentimos saudade de Deus?

Ou temos começado a estar contentes apenas com os seus dons?

Richard Foster diz que mais do que qualquer outra disciplina, o jejum revela as coisas que nos controlam. O jejum revela a medida do domínio do alimento, da televisão, do computador, ou qualquer outra coisa sobre nós, que sempre e sempre está aplacando a nossa fome de Deus.

Quanto mais profundamente nós andamos com Cristo, mais fome de Cristo nós sentimos, mais saudade do céu nós sentimos, mais desejo da plenitude de Deus nós temos.
Quanto mais jejuamos, mais sentimos o sabor do pão céu, mais desejamos o domínio do céu sobre a nossa vida na terra, mais desejamos que o Reino de Deus seja estabelecido em nosso coração.

Se nós não estamos sentindo intenso desejo da manifestação da glória de Deus em nossa vida, não é porque nós já temos bebido o suficiente das fontes de Deus, mas porque estamos nos alimentando apenas das mesas do mundo.

É tempo de jejuar!

O jejum é o maná do céu para a nossa alma.

Através dele humilhamo-nos diante do trono do Deus vivo.

Através dele voltamo-nos de coração para o Senhor.

Através dele somos fortalecidos com poder.

Através dele podemos ver a restauração e o despertamento da nossa igreja.

Através dele participamos dos banquetes de Deus e saboreamos as doces iguarias do céu!

Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 26 de abril de 2019

POR QUE CRISTO TINHA QUE MORRER NAQUELA CRUZ?


Foi crucificado, morto e sepultado.

O que Jesus fez para nos salvar do pecado?

Por que Cristo tinha que morrer naquela CRUZ?

A)- PARA PAGAR A PENALIDADE DOS NOSSOS PECADOS.
Em Romanos 3.23 diz: “Pois todos pecaram e estão destituídos da  glória de Deus”. O pecado trouxe a condenação a todos os seres humanos. E o pecado não poderia ficar sem castigo. Deus escolheu o seu próprio Filho, por amor, para realizar o pagamento desta dívida com Ele. Em I Pedro 3.18 vemos: “Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito”

B)- PARA SUBSTITUIR OS HOMENS.
Foi o Profeta Isaias quem melhor descreveu o sacrifício vicário (isto é, em favor dos outros) de Cristo. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. “...Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram

Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei [...]Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. [...] Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida.Romanos 5.8 e 18. 
Ele não apenas substituiu Barrabás, o salteador que foi solto no dia em que Ele foi crucificado, mas substituiu a mim e a você também. 

C)- PARA SATISFAZER A JUSTIÇA DE DEUS.
Romanos 3.24 a 26 diz: “Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs como propiciação, pela fé, no seu sangue, para demonstração da sua justiça por ter ele na sua paciência, deixado de lado os delitos outrora cometidos; para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e também justificador daquele que tem fé em Jesus”.

As expressões “justo” e “justificador” mostram que, ao perdoar o homem, Deus não deixou de ser justo, mas foi justificador para o homem, através do seu Filho. A palavra justificado (nós) significa sermos declarados justos perante o Pai.

D)- PARA NOS LIVRAR DA MORTE E NOS DAR SALVAÇÃO. 
“...A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam.Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.-  Romanos 10.8 a 13.          

Com isto, todos aqueles que crêem em JESUS e o declaram como Senhor e Salvador são abençoados com:

A)- PERDÃO –  1 João 1.7 diz: “... e o sangue de Jesus, o seu filho, nos purifica de todo pecado.” Em 1 João 1.8 a 10, lemos: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.

B)- RECONCILIAÇÃO – Lemos em II Coríntios 5.19: “Pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação”, somos, novamente, “amigo de Deus”.

C)- LIBERTAÇÃO – João 8.32 – “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.  João 8.36 “...Se pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.

Você já declarou Jesus Cristo como seu Único e Suficiente Senhor e Salvador?

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 25 de abril de 2019

ANDANDO NO ESPÍRITO


“Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde”…Mt.11:29-30

Vida no Espírito é lago que se renova a cada manhã. Infelizmente, hoje existem pessoas sobrecarregadas e até mesmo dentro da igreja. Sobrecarregadas por: circunstâncias, problemas, etc… Deus quer nos liberar de toda carga através desta vida no Espírito. (Gl 5.25-26)

COMO FAZER PARA NÃO DEIXAR DE ANDAR NO ESPÍRITO?

1) SENDO FERVOROSO NO ESPÍRITO – RM.12:11 – SERVINDO AO SENHOR.
Ser fervoroso no Espírito é ser apaixonado pelo Senhor e o seu propósito.
• Infelizmente, hoje a Igreja tem perdido esta paixão.

2) COMO A IGREJA TEM PERDIDO ESTA PAIXÃO?
A) Quando nós deixamos as coisas preciosas ser tornarem coisas comuns.
• Hoje em dia o diabo tem tirado o valor de tudo o que tem valor para Deus – Jo.10:10
• O povo de Deus sempre foi conhecido pela sua alegria em toda história.
• A igreja perdeu o fervor na humanização

B) Quando começamos a depender das coisas externas, de fora, e não do fluir verdadeiro de Deus – Jo.4:23-24
• Para os filhos de Deus a base de tudo tem que vir de DEUS, Ele é a única fonte dentro de nós
• Somos o seu templo, e temos que viver como tal
• A cada manhã temos que acordar cheios do Espírito

3) VIVEMOS EM UM MUNDO APÁTICO = RM 12:1-2
• A apatia vem sobre nós quando nós nos conformamos com a situação.
• Temos que tomar muito cuidado com os nosso filhos

4) A IGREJA TEM PERDIDO A VISÃO DO PROPÓSITO DE DEUS, ELA PERDEU O ALVO.
• Uma Igreja que vê o propósito de Deus com clareza é uma Igreja fervorosa – (Num.13:14)
• Os que perdem o alvo morrem no deserto.
• O alvo de Deus deve estar estampado em nós.
• Hoje em dia a Igreja tem se voltado mais para a estrutura do que para as vidas.

5) PORQUE O FERVOR É TÃO IMPORTANTE?
R: Porque ele é primordial na vida da Igreja, é uma prioridade.

Líderes, pastores, músicos, cada serviço deve ser realizado com paixão a Deus. Amor e paixão pelo os irmãos – (Jo.13:34-35)
• Não podemos fazer a obra de Deus sem paixão!
• Deve ser uma prioridade na minha vida o que eu amo. Temos que observar na vida dos discípulos o que é prioridade.
• O que queima por dentro deve fazer diferença por fora
• O que queima por dentro você sente o cheiro por fora, e o cheiro deve ser o cheiro de Cristo.
• Eu sei o quanto custou o preço da minha vida para Jesus.
• Eu não devo ficar preocupado em ser o melhor, mas em dar o melhor para Deus, o melhor para o Senhor da minha vida.
• Ser apaixonado por tudo aquilo que Deus ama.

COMO RESTAURAR A PAIXÃO PELO O MOVER?

1) OLHANDO PARA JESUS – É IMPOSSÍVEL ALGUÉM OLHAR PARA JESUS E NÃO FICAR APAIXONADO POR ELE . – EF.5:14/ HEB.12:2/ II COR.3:18
• Nós contemplamos o Senhor Jesus, contemplando o verbo = a palavra.
• Contemplar Jesus é contemplar a palavra de Deus.
• Podemos contemplar Jesus olhando para os nosso irmãos – Mt.18:20

2) PODEMOS RESTAURAR A PAIXÃO RETORNADO AO PRIMEIRO AMOR.
• Deve ser uma prioridade – Ap. 2:4
• Voltar ao primeiro amor fala de valores que se perderam
• Temos que resgatar os valores perdidos
• Primeiro amor é comunhão com Deus

3) DEIXE O ESPÍRITO SANTO ATIVAR OS SEUS DONS.
• Muitos não aprendem a desenvolver os seus dons – Ef.4:8
• Muitos enterraram os seus dons
• Temos que ajudar cada discípulo a desenvolver os dons
• Cada um tem um dom pelo menos – I Pe.4:10
• A partir do natural Deus dá o sobrenatural

4) FAÇA TUDO, AINDA QUE SEJA POUCO, FAÇA TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS
• Identifique os dons
• Santifique
• Deus unge tudo isso
• Submeta os seus dons ao corpo
• Submeta os seus dons aos líderes
• Submeta os seus dons a palavra de Deus
- Não agrada a Deus o enterrar os talentos – Mt.25:14-30
- A Igreja deve ser um lugar onde os dons precisam ser despertados

5) VIVA E ANDE PERTO DE GENTE APAIXONADA POR DEUS.
• Jovens, olhem para pessoas apaixonadas por Deus
• No trabalho, seja sócio de pessoas apaixonadas por Deus

6) NUNCA SE ESQUEÇA DE TUDO O QUE DEUS FEZ POR VOCÊ
• Um exemplo negativo – o povo de Israel – Num.12 e 14
• Sl.103 – Seja sempre grato ao Senhor por tudo, e nunca se esqueça do que Ele já fez por você.

Andar no Espírito, ser cheio do Espírito, plenitude do Espírito

Autor: Asaph Borba

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 24 de abril de 2019

AS TRÊS ÁRVORES


Havia, numa cidade, três pequenas árvores que sonhavam o que seriam depois de grandes.

A primeira, olhando as estrelas, disse:
- Eu quero ser o baú mais precioso do mundo, cheio de tesouros. Para tal, até me disponho a ser cortada.

A segunda olhou para o riacho e suspirou:
- Eu quero ser um grande navio para transportar reis e rainhas.

A terceira árvore olhou o vale e disse:
- Quero ficar no alto da montanha e crescer tanto que as pessoas, ao olharem para mim, levantem os seus olhos e  pensem em Deus.

Muitos anos se passaram e certo dia vieram três lenhadores e cortaram as três árvores, todas ansiosas em serem transformadas naquilo que sonhavam.

Mas os lenhadores não costumavam ouvir e entender sonhos...

Que pena!!!

A primeira árvore acabou sendo transformada num coxo de animais, coberto de feno.

A segunda virou um simples barco de pesca, carregando pessoas e peixes todos os dias.

E a terceira, mesmo sonhando em ficar no alto da montanha, acabou cortada em grossas vigas e colocada de lado num depósito.

E todas as três se perguntavam desiludidas e tristes: - Para que isso???

Mas, numa certa noite, cheia de luz e de estrelas onde havia mil melodias no ar, uma jovem colocou seu neném nascido naquele coxo de animais.

E, de repente, a primeira árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo.

A segunda árvore, anos mais tarde, acabou transportando um homem que acabou dormindo no barco. Mas quando a tempestade quase afundou o pequeno barco, o homem levantou-se  e disse ao mar revolto: "Acalma-te".

E num relance, a segunda árvore entendeu  que estava carregando o Rei dos Céus e da Terra.

Tempos mais tarde, numa sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando suas vigas foram unidas e um homem foi pregado nela, pois fora condenado a morte mesmo  sendo inocente.

Logo, sentiu-se horrível e cruel, mas no domingo o mundo vibrou de alegria e a terceira árvores entendeu que nela havia sido pregada um homem para salvação da humanidade, e que as pessoas se lembrariam de Deus e de seu filho Jesus Cristo ao olharem para ela.

As árvores tinham sonhos, mas as suas realizações foram mil vezes melhores e mais sábias do que haviam imaginado.

Portanto, por mais que você não entenda o porque das coisas, ou pareça estar tudo errado, lembre-se que ALGUÉM sabe o que faz.

Salmo 37.4 - "Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração."

A. D. / Por Litrazini
Graça e Paz