quarta-feira, 31 de julho de 2019

CORAGEM CRISTÃ


Coragem cristã é a vontade de dizer e fazer a coisa certa sem se importar com o custo terreno, porque Deus promete lhe ajudar e salvá-lo na conta de Cristo. Um ato demanda coragem se a probabilidade de ser doloroso for alta. A dor pode ser física, como em guerras e operações de resgate. Ou a dor pode ser mental, como em confrontos e controvérsias.

Coragem é indispensável por espalhar e por preservar a verdade de Cristo. Jesus prometeu que a difusão do evangelho encontraria resistência: “Então, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome.” (Mateus 24:9).

E Paulo avisou que, mesmo na igreja, a fé à verdade passaria por apuros: “Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles.” (Atos 20:29-30; veja também 2 Timóteo 4:3-4).

Portanto, o verdadeiro evangelismo e o verdadeiro ensino vão demandar coragem. Fugir da resistência no evangelismo ou no ensino desonra Cristo.

Há um tipo de covardia que fala apenas as verdades que são seguras para serem faladas. Martinho Lutero coloca a questão da seguinte forma:

‘’Se eu professo com a voz mais alta e exponho da forma mais clara cada porção da verdade de Deus exceto precisamente aquele pequeno ponto que o mundo e o diabo estão naquele momento atacando, eu não estou confessando a Cristo, embora eu esteja professando ousadamente a Cristo. 

Onde a batalha aperta é que a lealdade do soldado é provada, e ser constante em todos os campos de batalha além desse é inútil se o soldado vacila neste ponto.(Citado em Parker T. Williamson, Standing Firm: Reclaiming Christian Faith in Times of Controversy [Springfield, PA: PLC Publications, 1996], P. 5)’’

De onde, então, devemos tirar essa coragem? Considere as sugestões abaixo.

DE SERMOS PERDOADOS E SERMOS JUSTOS – “E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito. Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados.” (Mateus 9:2).
DE CONFIARMOS EM DEUS E ESPERARMOS NELE – “Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR.” (Salmos 31:24; veja também 2 Coríntios 3:12).

DE SERMOS CHEIOS DO ESPÍRITO – “Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.” (Atos 4:31).

DA PROMESSA DE DEUS ESTAR COM VOCÊ – “Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.” (Josué 1:9).

DE SABER QUE AQUELE QUE ESTÁ COM VOCÊ É MAIOR QUE O ADVERSÁRIO – “Sede fortes e corajosos, não temais, nem vos assusteis por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda a multidão que está com ele; porque um há conosco maior do que o que está com ele.” (2 Crônicas 32:7).

DE TER CERTEZA QUE DEUS É SOBERANO SOBRE AS BATALHAS “Sê forte, pois; pelejemos varonilmente pelo nosso povo e pelas cidades de nosso Deus; e faça o SENHOR o que bem lhe parecer.” (2 Samuel 10:12).

POR MEIO DA ORAÇÃO –“No dia em que eu clamei, tu me acudiste e alentaste a força de minha alma.” (Salmos 138:3; veja também Efésios 6:19-20).

DO EXEMPLO DOS OUTROS– “e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor por minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a palavra de Deus.”(Filipenses 1:14)

Ansiando por ser firme com vocês

Autor: JOHN PIPER - Traduzido por Daniel TC iPródigo.

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 30 de julho de 2019

PORQUE ALGUMAS ORAÇÕES NÃO SÃO RESPONDIDAS?


“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre”. Mt. 7:7,8 

Deus tem prazer em responder as orações de um cristão perseverante. Deus quer DAR AO QUE PEDE (sem limites); quer ENTREGAR AO QUE BUSCA e Quer ABRIR AO QUE BATE; porém para isto, acontecer é necessário entender que; para PEDIR E RECEBER, BUSCAR E ENCONTRAR BATER E SE ABRIR, deve-se evitar as coisas que bloqueiam nossas orações.

Hoje possamos entender que o Deus que ouve, quer atender sua oração segundo Sua boa vontade.

Que os bloqueios que impedem nossa oração ser respondida, sejam vencidos no nome de Jesus.

1. DEUS QUER RESPONDER A SUA ORAÇÃO.

E esta é a confiança que temos nele: que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos.1 João 5:14,15

Com a minha voz clamei ao SENHOR; ele ouviu-me desde o seu santo monte. Salmos 3:4
Busquei ao SENHOR, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. Salmos 34:4
Amo ao SENHOR, porque ele ouviu a minha voz e a minha súplica. Salmos 116:1
Na minha angústia clamei ao SENHOR, e ele me ouviu. Salmos 120:1

2. DEUS NÃO É OBRIGADO A RESPONDER SUA ORAÇÃO QUANDO HOUVER….

2.1 PECADO: (Is.59:2)
“Mas as vossas iniquidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”.

2.2 NEGLIGÊNCIA: (Pv.28:9)
“O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável”.

2.3 DÚVIDA: (Tg.1:5-7)
“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa”

2.4 INIQUIDADE: (Sl.66:18)
“Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá”

Pecado que consiste em não reconhecer igualmente o direito de cada um, em não ser correto, em ser perverso (Sl 25.11; 51.5; Is 13.11; Mt 7.23; Hb 1.9).

2.5 FALTA DE MISERICÓRDIA: (Pv.21:13)
“O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre também clamará e não será ouvido”.

2.6 DESOBEDIÊNCIA:  (Zc.7:11-13)

“Eles, porém, não quiseram escutar, e me deram o ombro rebelde, e ensurdeceram os seus ouvidos, para que não ouvissem. Sim, fizeram o seu coração duro como diamante, para que não ouvissem a lei, nem as palavras que o SENHOR dos Exércitos enviara pelo seu Espírito, mediante os profetas precedentes; donde veio a grande ira do SENHOR dos Exércitos. E aconteceu que, como ele clamou, e eles não ouviram, assim também eles clamarão, mas eu não ouvirei, diz o SENHOR dos Exércitos.”

2.7 FALTA DE FÉ: (Hb.11:6;Mt.21:22)
“Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam.” “E tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis.”

Que Deus possa nos ouvir hoje e sempre sem impedimento algum; pois ELE QUE NÃO SÓ NOS OUVIR MAS TAMBÉM RESPONDER.

AD Perus / Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 29 de julho de 2019

OPONDO E DERROTANDO A HIPOCRISIA


Permita-me dar algumas aplicações práticas para derrotarmos as tendências hipócritas em nós mesmos ou na conduta de outros.

Primeiro, é útil expor a hipocrisia. Exponha-a!

Para vocês que são pais, eu os encorajo a discutirem o assunto com os seus filhos, principalmente aqueles que estudam em escolas cristãs. Eles freqüentam o que eu algumas vezes chamo de estufa religiosa. Recebem doses dobradas diárias de cristianismo, cristianismo, religião, religião, Bíblia, Bíblia, Deus, Deus até que passa a ser tudo o que ouvem!

Esses filhos podem muito bem estar caminhando em direção à rebeldia a menos que você interrompa o processo. Talvez você nunca tenha ouvido o que vou falar, mas preciso dar um conselho sobre os perigos sutis da exposição exagerada.

Sem um equilíbrio necessário, os seus filhos podem entender a mensagem de forma errada e desenvolver hábitos hipócritas que carecem da autenticidade da semelhança em Cristo.

Pais, vocês precisam dar duro para ajudar os seus filhos a levarem a vida de forma tranqüila e isso inclui o cristianismo deles.

Não precisamos de outra geração de cristãos tensos, que fazem pouco para avançar a mensagem de Cristo da graça e do perdão a um mundo cético e fraco espiritualmente. Não os force a orar por tudo. Não procure uma analogia espiritual em tudo o que acontece. Faça menos sermões em casa. Deixe que o pastor pregue.
E, por favor, o que quer que você faça, não tolere uma fachada religiosa superficial atrás da qual eles aprenderão a se esconder. Descobri que, quando esse tipo de religião é promovida, ela leva aos vícios, aos piores tipos de carnalidade e à conduta cristã mais irreal e repulsiva do planeta. 

Você só terá testemunhado a tragédia da hipocrisia quando tiver de catar os pedaços de uma vida destruída pelo legalismo.

Segundo, a prática da hipocrisia é natural.

Resista a ela! A conduta hipócrita vem tão natural para os cristãos quanto a respiração. A nossa velha natureza a deseja. Ficamos viciados na hipocrisia porque ela causa boa impressão e resulta em muita bajulação.

No entanto ela representa a parte vulnerável da nossa fé. Por isso precisamos identificá-la.

Terceiro, é doloroso romper com a hipocrisia.

Mantenha-se firme! Prefiro ter a tarefa de mentorear um cristão novo na fé a instruir os que estão avançados em tradicionalismo eclesiástico e religioso. Mesmo assim precisamos continuar o processo de livrar a nossa vida do flagelo da hipocrisia, em nossa casa, e na igreja.

No entanto preciso alertar você de que é doloroso romper com a hipocrisia.

Se quisermos vencer qualquer batalha pessoal, teremos primeiro de admitir o problema. É aí que o Espírito Santo começa a operar para a nossa libertação e para nos colocar no caminho da liberdade permanente e genuína. É uma luta demorada e violenta.

Termino com palavras eternas de esperança e ajuda a todos nós que lutam contra a dificuldade da hipocrisia - dentro de nós ou do lado de fora, com ataques desferidos por outros.

Vencer o poder destrutivo da hipocrisia começa quando ficamos totalmente desarmados e sinceros. 
Não pode haver subterfúgios, culpa do passado ou acusação aos outros. Como o grande apóstolo Paulo nos lembra, temos os recursos do a nosso dispor.

"E eu insisto - e Deus me apoia nisto - não sigam as multidões, as multidões estúpidas e negligentes. Recusaram-se por tanto tempo a se envolver com Deus que perderam contato não só com Deus, mas com a própria realidade. Não conseguem mais pensar direito. Sem sentirem qualquer dor, deixaram-se envolver com obsessão sexual e aderiram a todo tipo de perversão. Mas isso não é modo de viver. Vocês aprenderam Cristo! Acho que vocês prestaram atenção a Ele, foram instruídos na verdade que está em Jesus. Não temos, assim, desculpa para a nossa ignorância. Tudo - e quero mesmo dizer tudo - o que está relacionado com aquele estilo de vida antigo precisa acabar. Está podre por completo.

Livre-se disso e assuma um estilo de vida novo - um estilo de vida planejado por Deus, uma vida renovada de dentro para fora e que opera em sua conduta enquanto Deus reproduz de modo correto o seu caráter em vocês. Em resumo, digo: basta de mentiras, de fingimento." (Efésios 4:17-25)

Extraído do livro Rompendo dificuldades de autoria de Charles R. Swindoll ; Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 28 de julho de 2019

APRENDENDO A INTERPRETAR A BÍBLIA


A Bíblia é um documento muito antigo, escrita entre mais ou menos 1.450 a.C ou 1.300 a.C e 90 d.C.

1) PARA COMPREENDER O ANTIGO TESTAMENTO, NÃO PODEMOS DE MANEIRA NENHUMA LÊ-LO COM NOSSA MENTE OCIDENTAL MODERNA.

Estamos falando de um povo antigo, com costumes totalmente diferentes, com uma cultura totalmente diferente e com uma percepção totalmente diferente.

Hoje temos uma análise muitas vezes marxista das coisas (sob o ponto de vista social) que pode nos levar a interpretar a bíblia de forma errônea.

Desta maneira, quando você tiver dificuldades com o texto, primeiramente tente entender para quem está sendo escrito aquele texto. Depois quem foi que o escreveu, e tente compreender o que esta pessoa queria dizer. Pois o ponto não é o que você compreende, e sim o que a pessoa queria dizer.

Por exemplo: Eu estou falando sobre meu trabalho para uma pessoa, descrevendo como foi o ano, que estou muitíssimo satisfeito com os novos projetos que tive, e termino dizendo que quero outros novos desafios. Se alguém chega e pega apenas o final, pode me compreender de forma errônea. Se apenas ouve: Quero novos desafios. Pode entender que eu estou insatisfeito e desejo outro emprego. Desta maneira, a pessoa que não procurou entender o contexto, o que eu queria dizer, e para quem eu estava dizendo, interpretou errado.

Se isto acontece nos dias de hoje, imagina com o texto bíblico que foi escrito a muitas centenas de anos atras.

2) OUTRO PONTO É COMPREENDER QUE EXISTEM MOMENTOS NOS TEXTOS EM QUE HÁ LINGUAGEM POÉTICA, OUTROS MOMENTOS SÃO HISTÓRICOS, OUTROS PROFÉTICOS, OUTROS ESCATOLÓGICOS.

Desta forma, de maneira nenhuma posso interpretar sob um ponto de vista histórico um texto poético.

Há também momentos na bíblia em que o texto não está preocupado em explicar determinadas coisas que talvez nós queremos que ele explique.

Por exemplo: Em Gênesis 1, o autor relata a criação de Deus. Porém ele não está preocupado em passar uma visão científica desta criação. Ele começa dizendo que a Terra era sem forma e vazia, e todo decorrer do texto se preocupa apenas em mostrar Deus dando forma a Terra, e a preenchendo.
Outra questão são as genealogias e idades muito superiores nas primeiras gerações de Gênesis. Será que estamos interpretando os números de forma correta? Os Sumérios costumavam dizer que seus reis naquela mesma época reinavam mais de 20.000 anos. Outros viveram 241.000 anos. Será que viviam assim mesmo ou era apenas uma forma de exaltar o rei?

Vamos tentar compreender algo. Vamos supor que escrevo um bilhete para um amigo dizendo: “Estou cansado de ficar te esperando. Você demorou um século para chegar. Poxa, da próxima vez que você ficar mil anos se arrumando eu vou te deixar pra trás.”

Agora imagine daqui a 1000 anos algum arqueólogo acha esse bilhete e não se preocupa em entender o que eu quis dizer e pensa. Nossa, como eles demoravam naquela época!

Há outras questões numéricas como o número de pessoas que saíram do Egito e partiram para o Êxodo com Moisés. No caso, seriam mais de 2 milhões de pessoas se levarmos em conta uma soma exata dos números. Porém, se pensarmos que o povo de Israel era menor do que os povos que viviam em Canaã, e eram sete povos maiores do que Israel, certamente teríamos mais de 20 milhões de pessoas em Israel naquela época.

Sendo que a China deveria ter cerca de 55 milhões. E Israel hoje está abarrotado com 7 milhões de pessoas. Será que reduziu tanto assim, ou estamos interpretando esses números de forma errada?

3) DEVEMOS AO OUVIR ALGUM PONTO DE VISTA DE ALGUM TEÓLOGO OU ESTUDIOSO QUE INTERPRETE A BÍBLIA TENTANDO ENTENDER SOB QUAL PONTO DE VISTA ELE ESTÁ INTERPRETANDO-A.

Existem diferentes formas de ver uma mesma história. Existem aqueles que a vêem sob o ponto de vista dos poderosos. Outros a vêem sob o ponto de vista do povo (Mateus, por exemplo). Outros lêm sob um ponto de vista social (marxista).

Por exemplo, alguém que lê sob o ponto de vista social-financeiro, quando interpreta a Reforma Protestante, diz que a Reforma existiu apenas porque os Reis não queriam mais dar dinheiro para a Igreja Católica e então romperam com isto e apoiaram Lutero. A questão de justificação pela fé é bobagem para estas pessoas.
Pode existir algum sentido? Pode. Porém não podemos deixar de ver por todos os ângulos para não nos tornarmos tendenciosos com relação ao texto bíblico.

É mais fácil o texto estar correto e você estar interpretando de forma errada do que de fato o texto estar completamente errado e você é o sabichão que aprendeu interpretar a bíblia do seu jeito, segundo suas experiências e de acordo com o que você acha. Talvez por isso vemos tantas pessoas se perdendo na Teologia Liberal e se enveredando por caminhos tortuosos de flexibilização da palavra de Deus, que é viva e eficaz para nos salvar!

4) BUSQUE DIFERENTES TRADUÇÕES E DE PREFERÊNCIA LEIA OS TEXTOS NAS LÍNGUAS ORIGINAIS.

Se você não consegue ler nestas línguas, existem diferentes ferramentas hoje que podem ajudar!

Daniel Simoncelos

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 27 de julho de 2019

O QUE É A SEGUNDA VINDA DE JESUS CRISTO?


A Segunda vinda de Jesus Cristo é a esperança dos crentes de que Deus está em controle sobre todas as coisas e é fiel às promessas e profecias em Sua Palavra. Em Sua Primeira Vinda, Jesus Cristo veio à terra como um bebê em uma manjedoura em Belém, exatamente como fora profetizado. Jesus cumpriu muitas das profecias do Messias durante o Seu nascimento, vida, ministério, morte e ressurreição. Entretanto, há algumas profecias a respeito do Messias que Jesus ainda não cumpriu.

A Segunda Vinda de Cristo será o retorno de Cristo para cumprir estas profecias restantes. Em Sua Primeira Vinda, Jesus foi o servo que sofreu. Em Sua Segunda Vinda, Jesus será o Rei conquistador.

Em Sua Primeira Vinda, Jesus aqui chegou na mais humilde das circunstâncias. Em Sua Segunda Vinda, Jesus chegará com os exércitos do céu ao Seu lado.

Os Profetas do Antigo Testamento não fizeram distinção entre as duas vindas. Podemos ver isto em Escrituras como Isaías 7:14; 9:6-7 e Zacarias 14:4. Como resultado das profecias aparentemente falarem em dois indivíduos, muitos estudiosos judeus acreditaram que haveria tanto um Messias sofredor quanto um Messias conquistador. O que falharam em compreender é que o mesmo Messias cumpriria os dois papéis.

Jesus cumpriu o papel do servo sofredor (Isaías capítulo 53) em Sua Primeira Vinda. Jesus cumprirá o papel do Libertador e Rei de Israel em Sua Segunda Vinda. Zacarias 12:10 e Apocalipse 1:7, descrevendo a Segunda Vinda, recordam Jesus sendo transpassado. Israel e o mundo inteiro se lamentarão por não terem aceitado o Messias em Sua Primeira Vinda.

Após a ascensão de Jesus aos Céus, os anjos declararam aos apóstolos: “Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir” (Atos 1:11). Zacarias 14:4 identifica a localização da Segunda Vinda como o Monte das Oliveiras.

Mateus 24:30 declara: “Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.” Tito 2:13 descreve a Segunda Vinda como “o aparecimento da glória”.

A Segunda Vinda é descrita em seus mínimos detalhes em Apocalipse 19:11-16: “E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça. E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. E estava vestido de uma veste salpicada de sangue; e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus. E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso. E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: REI DOS REIS, E SENHOR DOS SENHORES.”

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 26 de julho de 2019

ESGOTAMENTO ESPIRITUAL OU FALTA DE PERDÃO


Em se tratando de exaustão espiritual, se faz necessário não esquecer de que somos espíritos que vivem em corpos físicos e, a ressurreição do corpo ainda não ocorreu!

Se houver abuso do nosso corpo com Alimentação inadequada, falta de sono ou um programa sobrecarregado de trabalho, com pouco ou nenhum tempo para recreação, com certeza, tudo isso se refletirá em nossas emoções desgastadas, mente obscurecida e espírito exausto.

Se estivermos sob grande tensão física, emocional ou mental, esse estado também se refletirá em nossa alma. Em tais momentos podemos exaurir nossa energia espiritual.

Ao exercer o ministério sagrado, a tensão mental e emocional provenientes do envolvimento nos problemas de outras pessoas esgotam as forças e energias.

Paulo salienta que a fraqueza humana é necessária para que possamos estar constantemente mostrando o poder de Cristo em nós: Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós: 2 Coríntios 4:7.

Um dos maiores problemas da pessoa esgotada espiritualmente é a falta de perdão que, degenera em ressentimento e amargura de raízes profundas.

Um dos principais fatores para ter de novo vigor e forças espirituais é perdoar todos que fizeram parte de nossas mágoas nesta vida. Perdoe a todos que o abandonaram, os que se esquivaram quando você mais precisou deles. Perdoe os mexericos mediante os quais as notícias de sua exaustão e de seus problemas chegaram a todos os demais crentes das vizinhanças.

Perdoe os líderes que o feriram com suas palavras e ações. E perdoe às pessoas que você julgou serem gigantes espirituais, mas provaram ter pés de barro e uma porção de fraquezas, exatamente como as demais pessoas.

Não despreze o fariseu, pois serás fariseu também! Embora os houvesse enfrentado tantas vezes, Jesus nunca alimentou quaisquer ressentimentos contra eles. Ele chorou por causa das pessoas religiosas de Jerusalém. (Mateus 23:37)

“Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós.”: Colossenses 3:13.

A insistência na falta de perdão traz tormento para aquele que não perdoa. Tendo experimentado o amor de Deus em nós, jamais poderemos voltar a agir sem o espírito de perdão, pois estaríamos pecando contra esse amor.

A pessoa que não perdoa não sabe que os pecados desta pessoa foram incluídos na obra de Jesus, morte e ressurreição.

FOMOS CHAMADOS PARA AMAR OS QUE CAÍRAM, NÃO PARA JULGÁ-LOS.

O derradeiro ato de Estevão foi concordar, pela fé com o Pai, em que a obra de Jesus foi suficiente para trazer perdão a todos.

Até mesmo àqueles que o estão assassinando! Muitos de nós conhecemos outros tipos de crentes. Perdoe-lhes, reconheça que o pecado deles não lhes foi debitado na conta, como seus pecados não foram debitados na sua conta.

Cristo está em nós, como nosso tipo divino de amor, e nesta fé devemos sair e começar a distribuir AMOR E PERDÃO.

É quando percorremos os nossos caminhos da vida, e agimos como se ele estivesse aqui dentro de nós, que comprovamos que ele realmente está dentro de nós. Só mais tarde é que nossos sentimentos nos alcançam.

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 25 de julho de 2019

A GLÓRIA DE DEUS E A BENÇÃO PARA O HOMEM


"Atribuam ao Senhor a glória que o seu nome merece; adorem o Senhor no esplendor do seu santuário." Salmos 29:2

Havia no meu quintal um abacateiro que produzia pouquíssimos frutos. 

Por acreditar que uma árvore frutífera precisa ser produtiva, pedi a Deus que abençoasse aquele abacateiro permitindo-lhe frutificar bastante.

A florada aconteceu e o abacateiro se encheu de centenas de frutinhos. 

Quando eles já estavam grandes, para surpresa minha, o galho central, com 69 abacates, quebrou. 

Um outro galho também, por não suportar o peso, acabou caindo, levando tantos outros frutos. 

Fiquei perplexo! 

Deus havia permitido que o abacateiro ficasse recheado de frutos e logo depois quebrasse, sem que eu os aproveitasse. Por quê? 

A resposta veio logo. 

Nem sempre temos estrutura para suportar o tamanho da bênção que pedimos a Deus. Por isso, muitas vezes precisamos esperar algum tempo para recebê-la. 

Ela só virá quando nossa vida estiver profundamente enraizada no terreno fértil da fé em Jesus Cristo, enrijecida pela leitura constante da Palavra de Deus, fortalecida pela seiva da oração e produzindo os frutos abundantes da presença de Deus em nós. 

Assim, na certeza de que a glória não é nossa, mas do Senhor Jesus, não sucumbiremos ao volume da bênção.

Será que estamos preparados para receber a bênção que pedimos a Deus?

Autor Desconhecido / Transcrito por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 24 de julho de 2019

A BÍBLIA NOS INSTRUI A TER A FÉ DE UMA CRIANÇA?


Inquestionavelmente, a fé é a essência da vida cristã. A fé é exortada em toda a Bíblia e é apresentada como uma necessidade absoluta. Na verdade, "sem fé é impossível agradar a Deus" (Hebreus 11:6). Todo o capítulo de Hebreus 11 é sobre fé e aqueles que a possuíam.

A fé é um dom de Deus, como vemos em Efésios 2:8-9, e não é algo que criamos sozinhos. Todos os cristãos têm recebido o dom da sua fé das mãos de Deus, e a fé faz parte da Sua armadura — o escudo com o qual nos protegemos dos "dardos inflamados do Maligno" (Efésios 6:16).

A Bíblia nunca nos exorta a ter a fé "de uma criança", pelo menos não com essas palavras. Em Mateus 18:3 Jesus diz que devemos nos "tornar como crianças" para entrar no reino de Deus. O contexto da declaração de Jesus é a pergunta dos discípulos: "Quem é, porventura, o maior no reino dos céus?" (versículo 1). Em resposta, Jesus, "chamando uma criança, colocou-a no meio deles. E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus. E quem receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe" (versículos 2-5).

Assim, enquanto os discípulos se concentram no que constitui "grandeza" no céu, Jesus oferece uma nova perspectiva: o caminho "para cima" é "para baixo". É necessária a mansidão (ver Mateus 5:5). Jesus exorta os discípulos (e nós) a procurar possuir uma modéstia como a de uma criança, além da fé.
Aqueles que de bom grado tomam a posição mais baixa são os maiores aos olhos do céu.

Uma criança pequena está destituída de ambição, orgulho e altivez e, portanto, é um bom exemplo para nós. As crianças são caracteristicamente humildes e ensináveis. Elas não são propensas ao orgulho ou hipocrisia. A humildade é uma virtude recompensada por Deus; como Tiago diz: "Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará" (Tiago 4:10).

Embora a fé não seja mencionada em Mateus 18:1-5, sabemos que não é apenas a humildade que guia uma pessoa ao céu, mas fé no Filho de Deus. Uma fé humilde e despretensiosa poderia ser chamada de "fé de uma criança". Quando Jesus queria abençoar as crianças, Ele disse: "Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele" (Marcos 10:14-15).

Como uma criança recebe um presente? Com abertura, honestidade e alegria desenfreada. Esse tipo de autenticidade feliz deve ser uma marca da nossa fé quando recebemos o presente de Deus em Cristo.

Claro que as crianças são facilmente enganadas e desviadas. Na sua ingenuidade, deixam de perceber a verdade e são atraídas por mitos e fantasias. Entretanto, isso não é o que se entende por ter a fé de uma criança. Jesus promoveu uma fé humilde e honesta em Deus e usou a inocência de uma criança como exemplo.

Emulando a fé das crianças, devemos simplesmente acreditar em Deus e Sua Palavra. Assim como as crianças confiam em seus pais terrenos, devemos confiar que nosso "Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem" (Mateus 7:11).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 23 de julho de 2019

RETORNO À CAUSA DIVINA


As pessoas que frequentam hoje, nossas igrejas estão confusas com tantas vozes proféticas surgindo em nome de Deus. O “eu” instalou-se no lugar que era de Cristo. A experiência, e não a Palavra tem dirigido muitas vidas, que estão deixando de ser o povo da Palavra para ser o povo das grandes experiências, sejam elas bíblicas ou não.

Tal cristianismo produziu, em lugar de pastores e líderes espirituais, os “bruxos evangélicos”, que mantém o povo ocupado, com medo de maldições e desviando o povo de Deus de sua verdadeira missão. Quase não se evangeliza mais, nem se cuida dos pobres, órfãos, viúvas e doentes. Poucos se levantam profeticamente contra as injustiças sociais e a corrupção nacional.

Deus está buscando homens, mulheres e jovens que expressem no seu dia a dia, aquilo que pregam, mas cada vez é maior o número de cristãos que pregam algo tremendo, porém, vivem algo de horrível.

Homens santos, guardiães da Palavra de Deus farão tremer esta geração com uma mensagem viva. Trarão de volta tempos em que ser crente, significava ser alguém com vida espiritual e não apenas palavras.

A vida abundante e alegre deverá ser resgatada por jovens santos com vida pura de mente e espírito, que não precisam de reuniões animadas por cânticos, mas fundamentados no compromisso sincero do Reino de Deus. Tais jovens levarão liberdade aos cativos do vício, da prostituição e da delinquência; abalarão escolas e círculos de amizade. Através da força do Espírito que neles habita, influenciarão ao invés de serem influenciados. 

As mulheres santas buscarão a sabedoria do alto para viverem piedosamente numa sociedade permissiva prostituída. Ás outras, elas mostrarão ter alcançado a liberdade em Cristo. Embora não sendo feministas, participarão ativamente do processo de transformação, onde Cristo será tudo em todos.
A Palavra de Deus é a fonte de toda a verdade. O estudo e a meditação das Sagradas Escrituras santificam os filhos do Reino.

Quando o povo de Deus se afasta da Bíblia, dando lugar às práticas religiosas sem reflexão, o resultado é o que já temos visto: euforia imatura. Fruto de uma teologia alicerçada em experiências particulares e duvidosas, que produzem fé antibíblicas baseada em crendices, jogando por terra vidas sinceras que poderiam se dedicar inteiramente à glória de Deus. É a Palavra e não os discursos humanos que norteiam a vida da Igreja de Cristo.

Deus, que nos tem em suas mãos, permite às vezes que nos quebremos, para fazer de nós vasos melhores e mais úteis. Deus deseja que sejamos vasos de honra. Por isso, disciplina-nos, joga-nos ao chão e quebra-nos, para monstrar-nos que somos o que somos pela sua graça. Nada merecemos de sua parte; nossa justiça não passa de trapo de imundície diante de sua santidade.

Deus nos quebra para que sejamos santos e, não mais tentemos conduzir nossas vidas segundo nossos próprios recursos. Quando Ele trabalha em nós, tornamo-nos mais humildes; somos levados a crescer em santidade.

Infelizmente não estamos vendo muitos quebrantamentos hoje. Há celebridades evangélicas que desconhecem a humildade e o quebrantamento de espírito; esforçam-se apenas por manter o status conseguido. Podemos ser considerados lixo para o mundo, mas para Deus continuamos a ser vaso de honra.
Não é mais santo aquele que nunca quebrou. O que foi quebrado, foi também quebrantado e, agora, busca a graça perdoadora e restauradora do Senhor.

Santificar-se significa separar-se. É isso que Deus está exigindo de seu povo; Que se separe do mundo na maneira de viver, agir e reagir; que volte a comprometer-se com o amor do Pai, a ponto de dar a vida para a salvação de muitos, que volte a ser moral e espiritualmente limpo, capaz de erguer a cabeça diante de um mundo que jaz no maligno; que volte a consumir-se pela causa do Senhor.

Texto adaptado de Um grito de Santidade (José Armando Cidaco)

Por Litrazini
Graça e Paz