sábado, 30 de novembro de 2019

O HOMEM E A VIDA ETERNA


Deus fez o homem para viver eternamente, isto é, sem nunca morrer. Mas o homem falhou, pecou e tornou-se mortal. Infelizmente o homem estragou o plano inicial de Deus e agora... Hebreus 9.27: “E, como aos homens está ordenado morrer uma só vez , vindo depois disso o  juízo”. AQUI NÃO EXISTE LUGAR PARA REENCARNAÇÃO. NEM PARA PURGATÓRIO!

Que juízo é este que vem depois? Ele está bem descrito, por Jesus Cristo, em Mateus 25.31 a 46. O que encontrarmos nestes versículos é uma clara separação entre dois grupos de diferentes pessoas. São dois destinos eternos. Vejamos:

  VIDA ETERNA COM DEUS – Mateus 25.34: “Então dirá o Rei (Jesus) aos que estiverem à sua direita: “Vinde, benditos de meu Pai. Possui por herança o reino que está preparado desde a fundação do mundo”. Os salvos, colocados à direita, são as ovelhas do aprisco de Jesus.

Em João 10.9: “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens”. Existem muitos outros textos bíblicos que atestam a vida Eterna (CÉU) para os salvos em Cristo Jesus.

2º VIDA ETERNA SEM DEUS – Mateus 25.41: “Então dirá aos que estiverem à sua esquerda. Apartai-vos de mim, malditos,  para o fogo eterno, preparado para o diabo e os seus anjos!”. Esta pode ser uma dura doutrina da Bíblia. Mas é verdadeira!

Os perdidos, os que não são do aprisco do Senhor, herdarão, tristemente, o castigo eterno. Veja o final do Juízo em Mateus 25.46: “E Jesus concluiu assim: E irão estes para o castigo eterno, mas os justos  para a vida eterna”.  Também há muitos textos bíblicos que falam deste castigo eterno. Veja, por exemplo: Apocalipse 20.11 a 15.

Seria Deus injusto ao propor esta separação?

Não. Ele criou o homem para ser imortal e feliz. O homem escolheu, e vive escolhendo, desobedecer. Portanto, Ele será fiel e justo ao recompensar os homens com o fruto da sua justiça. Cabe ao homem buscar, através de Jesus, a salvação eterna. Ele não precisa ter medo do Inferno. Ele precisa crer na salvação em Jesus.

De que lado Jesus irá coloca-lo?

Lidiomar Trazini Granatti / Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

A IGREJA NOS TEMPOS DIFÍCEIS


Olhando para o mundo hoje em dia, com a crescente massa do consumismo, e vendo que os dias são amargos para muitas pessoas, que pela solicitude da vida são pegas de surpresas em varias turbulências, ou seja: doenças, drogas, insatisfação, desemprego, dividas, falta de amor, divorcio, traições, escândalos no meio cristão, e outros fatos semelhantes a esses que tem levado muitas pessoas a desvanecerem na Fé, desistirem de lutar, e nem terem mais vontade de ir a igreja.

O que será que tem levado isso acontecer! Pessoas deixando de ir a Igreja e ficando no comodismo cristão. Jesus Cristo nos deixou um alerta acerca disso quando disse:

“Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?” (Lucas 18:8). A Fé em Deus parece que para muitas pessoas acabou, sabe porque disso, porque muitos estão orando desta forma: Sê o Deus de fulano existe, vai me da o que eu to precisando, e a fé dele, ficou na dependência do outro orar.

Na realidade, enquanto muitos lideres, pregam a palavra, outros estão ensinando o povo errado na adoração e comunhão a Deus, e fazem de sua pessoa um ídolo, e levam as pessoas pensarem da mesma forma que elas pensam, em vez de ensinarem elas a lutarem sozinhas.

Eu creio que não é isso que Deus quer de nossas vidas, e sim que nós venhamos cumprir o Ide de Jesus. Uma parte da igreja de Cristo tem se acomodado muito, e como diz em em ll Timóteo 3:1-9, que nos últimos dias viriam tempos difíceis, será que a Igreja de Cristo se preparou para este tempo! Ou será que o comodismo espiritual tomou conta da Igreja.

Tempos défices já estão acontecendo para a Igreja de hoje, os males dos últimos dias também, as pessoas estão esquecidas dos ensinamentos bíblicos, que não devemos nos preocupar com o dia de amanhã, Cristo é o nosso hoje e o nosso amanhã. Em Galatas 3.11 diz que o justo viverá da Fé, O viver pela fé é uma realidade tão necessária quanto se alimentar; e não é privilégio de alguns, é dever de todos.

Viva pela fé, porque ela é a certeza daquilo que estamos esperando, espere no Senhor. Devemos fazer como Davi no Salmo 121. Ele disse que elevou os olhos para os montes, e de onde viria o socorro dele, o socorro dele veio do Senhor. Davi enxergou as mãos de Deus que mudou todo o rumo de sua história.

O meu e o teu socorro nestes dias maus e difíceis, vem do Senhor, faça isso: eleve teus olhos para Deus, e Ele virá ao teu auxilio, no tempo certo esse mal deixará de existir.

O conselho que eu deixo a você é: amadureça na fé, leia mais a Bíblia e se dedique a oração, se fortaleça no Senhor, não fique só dependendo da oração de outros, faça a sua parte, ore, busque a Deus, fale para Ele levar de dentro de você a tua fraqueza, e trazer para dentro de você a Força Dele, e você vera uma grande mudança na tua vida.

Lembre-se: você é a Igreja de Cristo na terra, não deixe esses tempos difíceis destruir a tua fé e confiança em Deus.

Pr. Marcos Monte.

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

O ZELO DA CASA TE CONSUMIRÁ


E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorará.(Jo 2:17)

Então ele entrou no templo e começou a expulsar os que estavam vendendo. Disse-lhes: “Está escrito: ‘A minha casa será casa de oração'; mas vocês fizeram dela ‘um covil de ladrões’”.  Todos os dias ele ensinava no templo. Mas os chefes dos sacerdotes, os mestres da lei e os líderes do povo procuravam matá-lo.Todavia, não conseguiam encontrar uma forma de fazê-lo, porque todo o povo estava fascinado pelas suas palavras. (Lc 19:45-47)

Um dos episódios mais atípicos do ministério de Jesus foi quando ele expulsou os cambistas do Templo.  Através dessa atitude Cristo mostrou o zelo que tinha para as coisas do Senhor cumprindo a palavra proferida no salmos 69: Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim. (Salmos 69:9)

Além disso diz as Escrituras que quando Cristo expulsou os “cambistas do templo” três coisas aconteceram:
1) JESUS COLOCOU A LUZ A RELIGIOSIDADE DOS SACERDOTES E LÍDERES.
O papel de um verdadeiro profeta e homem de Deus é colocar a luz do Senhor onde habita as trevas.É mostrar aquilo que é verdadeiro e denunciar aquilo que é falso. Como toda profecia existe um propósito, Jesus usou da autoridade que lhe foi dada para exortar, edificar e confortar segundo a justiça de Deus.

2) OS RELIGIOSOS TENTARAM EXPULSÁ-LO E MATÁ-LO
Vemos aqui, que Jesus expulsou os cambistas, não os sacerdotes, mestres e líderes. Porém entendemos que a conivência dos religiosos com aqueles homens e o motivo de lucro que todos tinham com o aquele comércio fizeram com que muitos se indignassem com Cristo. Pois desde os tempos antigos a religiosidade aparente tenta suprimir o verdadeiro caminho que leva a Deus.

3) O POVO ESTAVA FASCINADO PELAS SUAS PALAVRAS
Embora perseguido de morte, Jesus fascinava as pessoas pela palavra de Deus. Ele era o Verbo.(Jo 1:1). Ele era a Verdade.(Jo 14:6) Diz as Escrituras que todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: Não é este o filho de José? (Lc 4:22). Também diz que muitos se admiravam porque sua palavra era com autoridade.(Lc 4:32). 

Muitas pessoas é claro, vivem da obra de Deus, porém, devemos entender que o que Deus condena é fazer das coisas de Deus um comércio. Principalmente quando neste negócio cobram valores exorbitantes, como que usando de uma forma de “usura” para com seus irmãos.

Pelas Escrituras vemos que muitas vezes quem tentou se aproveitar da fé, sofreu as devidas punições. 

E o Senhor tem levantado em muitos lugares pessoas zelosas,pela casa de Deus, que como o mestre não se conformam com qualquer palavra proferida , nem com este comércio que ainda se faz na casa de Deus. O Senhor tem levantado um exército de zelosos por sua obra.

Como diz as Escrituras: Ao contrário de muitos, não negociamos a palavra de Deus visando o lucro; antes, em Cristo falamos diante de Deus com sinceridade, como homens enviados por Deus.(2 Cor 2-17)

O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.(Tito 2:14)

Anderson Cassio de Oliveira

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

CRESCENDO NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO


II Pedro 3:18 – Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.

Os que querem crescer na graça precisam ter sede de saber. Matthew Henry

Em vez de dar atenção às heresias dos escarnecedores, os cristãos são desafiados a se apegarem ainda mais à palavra. Quanto mais se alimentarem da palavra, mais crescerão na graça e no conhecimento de Jesus Cristo. Quanto mais conhecermos a Cristo, mais cresceremos na graça. O conhecimento de Cristo é a raiz, a graça é o fruto.  

É por esse motivo que Pedro orienta a igreja para que busque o equilíbrio entre o conhecimento e a graça. A raiz simboliza segurança, profundidade, assim acontece com a palavra de Deus, quanto mais se aplicar a estudar e meditar, mais segurança e maturidade se adquire.

O grande problema ainda hoje é uma busca incansável pelo sobrenatural “empirismo” (Doutrina filosófica que afirma ser o conhecimento resultado da experiência, restringindo-se ao que pode ser apreendido através dos sentidos ou da introspecção, opondo-se ao racionalismo e à metafísica). Quando tais experiências são colocadas acima das escrituras gera um problema enorme no tocante ao relacionamento com Deus.

A bíblia é a revelação de Deus para o ser humano, por tanto é a ÚNICA forma de conhecê-lo. Não existe outro meio para se obter um conhecimento legitimo do ser de Deus. A falta do conhecimento bíblico gera crentes fracos e sem profundidade no que diz respeito a conhecer a Deus. Não estou dizendo com isso que a oração não é um meio de relacionamento com Deus, mas que para a oração ser eficaz é preciso conhecer a Deus através da sua palavra.

A oração é a respiração da vida espiritual, uma necessidade básica do verdadeiro cristão que deseja ter comunhão com Deus. Os pais da igreja, apóstolos e reformadores escreveram sobre a importância de conhecer a Deus através da sua palavra e consequência desse conhecimento é uma vida de rendição através da oração.

O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento;  Os 4:6. A falta de conhecimento não é sobre as falsas doutrinas, religiões, mitologias, é sobre o próprio Deus. Especialistas dizem que: para se conhecer uma nota falsa não é preciso ficar examinando a falsa, pois você pode errar e confundir a falsa com uma nota legitima. Para detectar uma nota falsa é preciso ter conhecimento da nota verdadeira. Era isso que Deus estava ensinando para o povo de Israel; eles precisavam conhecer a Deus para não se deixarem levar pelos falsos deuses e seus ensinos errôneos.

Diego Ribeiro

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 26 de novembro de 2019

LASCÍVIA


“Porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus”: Rm.8.13,14.

A lascívia é a prática de atos sexuais sem a pureza e a santidade bíblicas Gn.2.24.

Original grego aselgeia = sensualidade, é a pessoa seguir suas próprias paixões e maus desejos a ponto de perder a vergonha e a decência: 2Co.12.21

O relacionamento sexual não tem fins meramente reprodutivos, como querem alguns, e não deve ser mera fonte de prazer como muitos o consideram.

O relacionamento sexual tem vários objetivos que foram instituídos pelo próprio Deus. Este é um lado da moeda. O outro é a lascívia, a escravidão sexual, a degradação, o excesso, o mau uso da sexualidade.

Isto é, se por um lado temos uma total condenação e repressão da utilização de sexualidade humana, de outro, temos um excessivo e desregrado uso, que é igualmente destrutivo e fonte de angústias e sofrimentos.

Num relacionamento sexual, os pares devem se preocupar mais com o prazer que podem proporcionar do que o prazer que querem e podem obter.

A lascívia faz com que a pessoa se preocupe somente com o próprio prazer, e isto de uma forma excessiva, desregrada (sem regras, sem limites e sem medir as consequências).

Pessoas há que se relacionam com animais, com vários parceiros, com pessoas do mesmo sexo, usando objetos, assistindo filmes e vendo revistas pornográficas, tudo isto é lascívia.

A lascívia é uma água que não sacia, é uma água que dá mais sede, e cada vez que as pessoas se entregam à lascívia, mais são envolvidas por ela, mais são tragadas, são viciadas, controladas, dominadas, escravizadas. É uma escada que leva as pessoas cada vez mais para baixo.

A pessoa que é dominada pela lascívia é aquela que está sempre "em busca de novas emoções", porque o que tem logo perde o gosto e a graça. E nessa busca, deixa sua humanidade para se tornar menos e pior do que os animais.

Os filmes, as novelas, as propagandas estão cheios de elementos que acalentam a lascívia, que sempre começa com um "pequeno desvio" que descamba para longe da presença de Deus.

O mundo incentiva e alardeia o mau uso de nossa sexualidade, e, em alguns atos, dá a entender que seria uma forma de ser feliz. Mas são apenas umas flores que se colocam sobre as correntes que prendem as pessoas que se tornam escravas da lascívia.

A impureza é o começo da lascívia e o fim do caminho é a escuridão das trevas, a frustração, a angústia, a dor e o sofrimento. "Ainda que o mal lhe seja doce na boca, ainda que ele o esconda debaixo da sua língua, ainda que não o queira largar, antes o retenha na sua boca, contudo a sua comida se transforma nas suas entranhas; dentro dele se torna em fel de áspides”: Jó 20:12-14

Lidiomar Trazini Granatti / Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

POR QUE DEVO ACREDITAR NO INFERNO?


Os horrores do inferno são tão intensos que nos fazem instintivamente recuar em descrença e dúvida. Todavia, existem razões convincentes de que devemos apagar essas dúvidas de nossa mente.

Primeiro, Cristo, o Criador do cosmos, falou com clareza sobre a realidade irrevogável do inferno. Ele passou mais tempo falando sobre o inferno do que sobre o céu. No Sermão da Montanha (Mateus 5—7), Ele alertou seus seguidores explicitamente quanto aos perigos do inferno diversas vezes.

No Sermão Profético no Monte das Oliveiras (Mateus 24—25), Cristo avisou seus seguidores repetidas vezes do julgamento por vir. E, em sua famosa história do rico e Lázaro (Lucas 16.19-31), Cristo retratou vividamente a finalidade do tormento eterno no inferno.

Além disso, o conceito de escolha requer acreditarmos no inferno. Sem o inferno, não existe escolha, o céu não seria céu; o céu seria inferno. Os justos herdariam um céu falsificado, e os ímpios ficariam encarcerados no céu contra a sua vontade, o que seria uma tortura pior do que o inferno.

Imagine passar toda a vida voluntariamente distanciado de DEUS, só para se encontrar involuntariamente envolvido em sua amável presença por toda a eternidade; a alternativa para o inferno é pior do que o próprio inferno, pois as pessoas, feitas à imagem de Deus, seriam desprovidas da liberdade e forçadas a adorar a contragosto.

Cristo passou mais tempo falando sobre o inferno do que sobre o céu.

Finalmente, o senso comum também declara que sem o inferno não há necessidade de um Salvador. Não é preciso falar muito sobre o absurdo de sugerir que o Criador deveria sofrer mais do que os sofrimentos acumulados para toda a humanidade, se não houvesse inferno do qual nos salvar.

Sem o inferno, não há necessidade de salvação. Sem salvação, não há necessidade de um sacrifício. E sem um sacrifício, não há necessidade de um Salvador. Quanto mais queremos pensar que tudo será salvo, mais o senso comum impede essa possibilidade.

“E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna e outros para vergonha e desprezo eterno” (Daniel 12.2).

HANK HANEGRAAFF

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 24 de novembro de 2019

COMO DISCERNIR UM PROFETA E SUA PROFECIA


E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. Mateus 24.11

- PELOS FRUTOS QUE O PROFETA APRESENTA NA SUA VIDA. OBSERVE A SUA MANEIRA DE VIVER – LEIA: S.MT.7:16-18: “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons”.

- A PROFECIA QUE SAIU DA BOCA DO PROFETA GLORIFICA A CRISTO? SE NÃO GLORIFICAR NÃO PROVEM DELE. LEIA: JO. 16.14 E AP.19.10: “Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará”. “… adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia”.

- A PROFECIA CONCORDA COM A PALAVRA DE DEUS, POIS TODA PROFECIA ESTARÁ DE ACORDO COM A PALAVRA. LEIA: JO 15.7; IJO 14: “Se vós permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito”. “E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve”.

- VEJA SE A PROFECIA SE CUMPRIU. LEIA: DT. 18.20-22: “Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome alguma palavra que eu não tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. E, se disseres no teu coração:...”.

- MESMO QUE SE CUMPRA, CUIDADO. DT. 13:1-5 – NEM TUDO QUE PARECE BOM E ESPIRITUAL É REALMENTE VERDADEIRO: “Se levantar no meio de vós profeta, ou sonhador de sonhos, e vos anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o sinal ou prodígio de que vos houver falado, e ele disser:...”.

- ESTA PROFECIA ESTARÁ PRODUZINDO LIBERDADE OU ESCRAVIDÃO? LEIA: RM 8.15; IITM.1:7: “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai!” “Porque Deus não nos deu o espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação”.

- SAIBA QUE A UNÇÃO DE DEUS TE REVELARÁ SE DEUS LIBEROU A REFERIDA PROFECIA, POR ISSO É IMPORTANTE ESTAR EM COMUNHÃO COM DEUS. IJO 2.20 E 27: “Ora, vós tendes a unção da parte do Santo, e todos tendes conhecimento”. “E quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como vos ensinou ela, assim  nele permanecei”.

Artigo compilado  / CACP

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 23 de novembro de 2019

A IMPUREZA E O POVO DE DEUS


Impureza é sujeira, é escória, é o que atrapalha, é o que está destoando do conjunto. Impureza é imundice, manchado, contaminado, poluído, sujo, sórdido e imoral.

Os sacerdotes tinham que aprender a distinguir entre o puro e o impuro e deveriam ensinar essa diferença para todo o povo de Israel (Lv.10.10,11). Isso se aplica hoje a cada um de nós, como podemos ver em Ap.1.5,6: “..Àquele que nos ama, e pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados, e nos fez reino, sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele seja glória e domínio pelos séculos dos séculos”.

Impureza no sentido bíblico, normalmente, é relacionado ao mau uso da sexualidade humana. E isto é uma coisa, infelizmente, comum e até normal nos dias atuais

Os seres humanos tem sido transformados em objetos, em coisas, em brinquedos sem alma, sem aspirações, com o único propósito de satisfazer nossos desejos e caprichos e também desejos e caprichos alheios.

Nossos olhos são a janela de nossa alma. Se nosso interior for limpo, tudo o mais será limpo. Mas se nosso interior for impuro, tudo nos será impuro.

O mau uso de nossa sexualidade só nos traz conseqüências destrutivas. Somente dor e tristeza. "Ainda que o pecado lhe seja doce na boca, ainda que ele o esconda debaixo da sua língua, ainda que não o queira largar, antes o retenha na sua boca, contudo a sua comida se transforma nas suas entranhas; dentro dele se torna em fel de áspides." Jó 20.12 a 14

Evite e rejeite qualquer discurso ou comportamento impuro ou imoral, tenha certeza que contradiz sua profissão de fé em Cristo.

Precisamos evitar qualquer apelo da carne e não sucumbir aos desejos carnais como diz em 2 Tm.2.21,22: “Se, pois, alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e útil ao Senhor, preparado para toda boa obra. Foge também das paixões da mocidade, e segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor”.

Lidiomar Trazini Granatti / Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

O QUE DIZ A BÍBLIA A RESPEITO DA BATALHA ESPIRITUAL?


Há dois erros primários quando o assunto é a batalha espiritual: excesso e escassez de ênfase.

Há aqueles que, para cada pecado, cada conflito e cada problema põem a culpa nos demônios que devem ser então expulsos. Outros ignoram completamente a esfera espiritual, e o fato de que a Bíblia nos instrui que nossa batalha é contra forças espirituais.

O segredo do sucesso na batalha espiritual é encontrar o equilíbrio bíblico. Jesus, algumas vezes, expulsou demônios das pessoas, e algumas vezes, curou pessoas sem mencionar o “demoníaco”. O Apóstolo Paulo instrui os cristãos a começar a luta contra o pecado dentro de si mesmos (Romanos 6), e contra o diabo. (Efésios 6:10-18).

Efésios 6:10-12 declara: “No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.”

Este texto nos ensina algumas verdades cruciais:
(1) Podemos ser fortes apenas no poder do Senhor,
(2) É a armadura de Deus que nos protege,
(3) Nossa batalha é contra forças espirituais do mal presentes no mundo.

(1) Um forte exemplo é o arcanjo Miguel em Judas 1:9. Miguel, provavelmente o mais poderoso de todos os anjos de Deus, não repreendeu Satanás em seu próprio poder, mas disse: “O Senhor te repreenda.” Apocalipse 12:7-8 registra que no fim dos tempos, Miguel vencerá Satanás, Ainda assim, quando se trata de seu conflito com Satanás, Miguel o repreendeu no nome e autoridade de Deus, e não de si mesmo.

É somente através de nosso relacionamento com Jesus Cristo que nós, como cristãos, temos qualquer autoridade sobre Satanás e seus demônios. É somente em Seu nome que nossa repreensão tem algum poder.

(2) Efésios 6:13-18 nos dá uma descrição da armadura espiritual que Deus nos dá. Devemos resistir firmes com
(a) o cinturão da verdade,
(b) a couraça da justiça,
(c) o evangelho da paz,
(d) o escudo da fé,
(e) o capacete da salvação,
(f) a espada do Espírito e
(g) oração no Espírito. 

O QUE ESTAS PEÇAS DA ARMADURA ESPIRITUAL REPRESENTAM PARA NÓS EM NOSSA BATALHA ESPIRITUAL?
Devemos falar a verdade contra as mentiras de Satanás. Devemos descansar no fato de que somos declarados justos por causa do sacrifício de Cristo por nós. Devemos proclamar o Evangelho, não importa quanta resistência recebamos. Não devemos vacilar em nossa fé, não importa o quão fortemente sejamos atacados. Nossa última defesa é a certeza que temos de nossa salvação, e o fato de que as forças espirituais não podem arrancá-la.

Nossa arma de ataque deve ser a Palavra de Deus, não nossas próprias opiniões e sentimentos. Devemos seguir o exemplo de Jesus em reconhecer que algumas vitórias espirituais são possíveis somente através da oração.

Jesus é nosso principal exemplo para a batalha espiritual. Observe como Jesus lidou com os ataques diretos de Satanás: “Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães. Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. […] Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam” (Mateus 4:1-11).

A melhor maneira de combater Satanás é como Jesus nos mostrou, ou seja, citar as Escrituras, pois o diabo não pode contra a espada do Espírito, a Palavra do Deus Vivo.

O maior exemplo em como não se engajar na batalha espiritual foi o dos sete filhos de Ceva: “E alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois? E, saltando neles o homem que tinha o espírito maligno, e assenhoreando-se de todos, pôde mais do que eles; de tal maneira que, nus e feridos, fugiram daquela casa” (Atos 19:13-16).

Qual foi o problema? Os sete filhos de Ceva estavam usando o nome de Jesus. Isto não é o suficiente. Os sete filhos de Ceva não tinham um relacionamento com Jesus, e por isso, suas palavras foram vazias de qualquer poder ou autoridade. Os sete filhos de Ceva confiaram em uma metodologia. Eles não confiaram em Jesus, e não estavam empregando a Palavra de Deus em sua batalha espiritual. Como resultado, receberam uma humilhante surra. Podemos aprender com este mau exemplo, e conduzir a batalha espiritual da forma como a Bíblia descreve.

RESUMINDO, QUAIS OS SEGREDOS PARA O SUCESSO NA BATALHA ESPIRITUAL?
Primeiro, confiemos no poder de Deus, não em nosso próprio.
Segundo, repreendamos no Nome de Jesus, não em nosso próprio nome.
Terceiro, devemos nos proteger com a completa armadura de Deus.
Quarto, nos engajemos na guerra com a espada do Espírito: a Palavra de Deus.
Por último, devemos nos lembrar que mesmo estando na batalha espiritual contra Satanás e seus demônios, nem todo o pecado ou problema é um demônio que deva ser repreendido. “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” (Romanos 8:37).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

EM NOSSOS DIAS A PROFECIA SE CUMPRE


O Amor de Muitos esta esfriando.

Mt 24:10-13 – Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros, e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.

As Lutas do Presente Século apenas cumprem com a Profecia de Jesus sobre os últimos dias, o que vemos é o amor de muitos se esfriando, mas não é atoa que muitos estão sofrendo esse esfriamento, como diz o texto sagrado a respeito de nossos dias sobre escândalos.

Hoje temos toda sorte de escândalos tanto dentro como fora dos portões da Igreja, lá fora se vê corrupção de toda sorte e gênero, maldade em abundante grau, homens e mulheres tão corrompidos que sentem muito prazer em coisas que Deus desaprova veementemente, prazeres lascivos, carnalidade da mais alta estirpe, como se vê no presente, no dia de hoje, o tão conhecido “Carnaval”, esta é a amostra da depravação da sociedade que hoje melhor se encaixa, milhões gastos a favor de uma festa que não acrescenta em absolutamente nada as famílias ou a sociedade, ao contrário o que se vê é pecado e os derivados dele, tais como morte por acidente por excesso de bebidas alcoólicas, gravides indesejadas, jovens se prostituindo com a permissão dos pais, pois as mesmas se vestem como prostitutas e se entregam com maior facilidade aos seus “ficantes”, algumas fazem competição para ver quem beija mais etc.

O Pior de tudo isso é que hoje temos do lado de cá dos portões da igreja o chamado carnaval gospel, temos também em outras épocas as reivis gospel, temos as boates gospel, temos em nossos dias as igrejas inclusivas que inclui absolutamente tudo menos a verdade e a seriedade com a palavra de Deus.

Não é atoa que o amor de Muitos estão se esfriando, mas precisamos ter calma o Espirito Santo através do apostolo Paulo já nos havia dito que seria assim no texto de 2Tm 3:1-5: Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder. Afaste-se também destes.

Veja como Deus é bom, já nos havia avisado, os homens amantes dos prazeres do mundo e infelizmente inimigos de Deus, repetindo o ensejo anterior: O pior de tudo isso é que temos em nossos dias cantores que são “crentes” mas cantão musicas com letras lascivas e degradantes, além de se vestirem de forma provocante aos “homens”, são pessoas que afirmam viver o evangelho, mas na verdade não o conhece nem de longe

Temos noticias terríveis de “crentes” causando muitos, mas muitos escandalos e causando feridas gigantescas em muitos corações, provocando o esfriamento de muitas pessoas, isso tudo é motivado pelo aumento da maldade a qual gera falsos pastores (profetas), formam homens corruptos, enganadores e traiçoeiros, pessoas odiosas, os quais Paulo ordena: Afaste-se também destes.

Mas este texto nos trás um maravilhoso alento, sim um alento, uma motivação para continuarmos firmes, no versículo 13 Jesus afirma: mas aquele que perseverar até o fim será salvo.

Essa palavra é direcionada para pessoas como você, que esta hoje a ler este texto neste lugar, você esta perseverando, enquanto muitos já pararam, já desistiram, já voltaram, já escolheram mestres segundo o suas paixões carnais, você esta aqui lutando por estar “Quente”, perseverante na presença daquele que é o único verdadeiramente poderoso para te Salvar, é isso mesmo, só Jesus é o caminho a verdade e a vida, só ele salva, e é este mesmo Jesus que deixou uma valiosa advertência em Apocalipse 3:15 e 16:

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! 16 Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.

Vamos irmãos! Buscar ao Senhor e ser cada vez mais aquecidos pela chama do Espirito Santo, Pois devemos ser Quentes e não frios, devemos ser Quentes e não mornos, oremos e busquemos ao Senhor com toda a nossa força e seremos Quentes, fervorosos em Amor e seremos como disse Jesus em Mateus 24:13, seremos Salvos.

Ajadil Queiroz Calácio

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

QUANDO AS CONVICÇÕES VIOLAM UMA SOCIEDADE TOLERANTE


O QUE UM CRISTÃO DEVE FAZER?

Muitos na sociedade hoje querem se ver como “tolerantes”. Com isso, geralmente querem dizer: “Eu aceito as pessoas por quem são sem julgar qualquer ação ou escolha de estilo de vida”. Entretanto, o cristão biblicamente informado não pode, em boa consciência, aprovar todas as ações ou escolhas de estilo de vida.

A Bíblia claramente delineia alguns estilos de vida como pecaminosos e desagradáveis para Deus. Quando as convicções de um cristão colidem com o padrão de tolerância estabelecido pela sociedade, o cristão é frequentemente rotulado como "intolerante", "fanático" ou pior. Ironicamente, aqueles que afirmam ser os mais tolerantes são os menos tolerantes da cosmovisão cristã.

Às vezes, o conflito entre as convicções cristãs e os padrões seculares de tolerância envolve um negócio cristão sendo forçado a fotografar noivados gays, fazer bolos ou fornecer flores para casamentos gays ou alugar quartos para casais gays. Outras vezes, o conflito não é tão público, envolvendo parentes ou conhecidos que discordam da convicção de um cristão de se embebedar em uma festa, por exemplo, ou da coabitação antes do casamento.

Um princípio geral que abrange muitas questões foi mencionado por Pedro perante o Sinédrio: “Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:29). Seja qual for a pressão que a sociedade exerça, o seguidor de Cristo sabe quem é o seu Senhor e opta por obedecê-lo. Em um mundo pecador que odiava a Cristo, isso naturalmente levaria a algum conflito.

A “tolerância” defendida pelo mundo não deixa espaço para as convicções cristãs, mas, para os redimidos que andam no Espírito, as convicções cristãs são indispensáveis. A Bíblia diz que há um certo e um errado, e nenhuma quantidade de treinamento de sensibilidade ou sessões de aconselhamento em grupo pode mudar isso.

Se definirmos tolerar como “tolerar algo de que não gostamos”, então poderíamos dizer que a tolerância não requer aprovação ou apoio. Nesse sentido, os cristãos devem ser tão tolerantes quanto possível, para que nosso caráter amoroso seja visível para todos (Mateus 5:16).

Devemos ser capazes de "aguentar" muito. Na maioria dos casos, devemos ser capazes de controlar nosso impulso de nos ressentir de algo que consideramos desagradável. O problema surge quando a tolerância é definida de uma maneira que implica uma aceitação ou mesmo aprovação daquilo que se acha ofensivo. Um cristão com convicções bíblicas pode aceitar o fato de que as pessoas pecam, mas ainda deve chamar o pecado de "pecado". As convicções de um cristão não permitem a aprovação do pecado.

Não importa como isso seja definido, a tolerância tem seus limites: que mensagem seria enviada por uma igreja que oferece cultos “interativos” com um grupo de bruxos? E se um juiz decidisse “tolerar” o perjúrio - ele o permitisse em seu tribunal, mesmo se pessoalmente não gostasse dele? Quanto desrespeito deve um professor “tolerar” em sua sala de aula? E se um cirurgião começasse a “tolerar” as condições sépticas em sua sala de cirurgia?

Quando um crente descobre que suas convicções cristãs estão em conflito com a tolerância de alguém, ele deve imediatamente fazer as seguintes coisas:
1) Ore por sabedoria e por coragem.
2) Examine suas convicções para se certificar de que elas se baseiam no que a Bíblia realmente diz, em vez de em preferências pessoais. Tomar uma posição contra um culto de adoração hindu-cristão é biblicamente sustentável; tomar uma posição contra servir comida étnica diversa na igreja não é.
3) Comprometa-se a amar seus inimigos e fazer o bem a eles (Mateus 5:38-48). 4) Decida em seu coração a se envolver no conflito revestido de "misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade" (Colossenses 3:12). 5) Se questões legais entrarem em jogo, explore seus direitos sob a lei (veja Atos 16:37–38; 21:39).

Mesmo no meio de um conflito entre convicções piedosas e tolerância secular, os cristãos devem demonstrar o amor e a justiça de Cristo, exemplificando como a verdade e o amor podem coexistir. Em todas as situações, devemos exibir “mansidão de sabedoria, mediante condigno proceder” (Tiago 3:13). Nossa conduta deve ser tal que "naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo" (1 Pedro 3:16).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz