quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

A VERDADEIRA IDENTIDADE DO CRISTÃO

Certo missionário entrou numa estação onde pegaria o trem. Percebendo que já aproximava o horário da partida, passou a caminhar rapidamente, e sem querer derrubou uma caixa na qual um cego vendia suas frutas. Sem se importar, o missionário continuou seu caminho.

Contudo, quando dentro do trem, o Espírito Santo tocou profundamente em seu coração exigindo que ele voltasse e ajudasse ao cego. Em obediência à voz de Deus, o missionário voltou ao local, e amorosamente arrumou as frutas no seu devido lugar.

Em seguida, pegou uma nota de cem dólares entregou ao cego, que surpreso perguntou: - Moço, por acaso você é Jesus? Ao tomarmos conhecimentos dos ensinamentos de Cristo, notamos nítida e claramente que a essência de seu ministério foi o amor. A maior prova disso foi o fato de ter ele morrido espontaneamente numa cruz por nós. O amor de Cristo não teve limites.

Na verdade, se tivesse sido possível colocar, no topo da cruz de Cristo, uma frase ideal para o seu gesto, apenas esta serviria: ELE AMOU DEMAIS.

Se a vida dele foi marcada pelo amor, não deve ser diferente a vida dos que dizem seguí-lo. Nada há outro caminho para quem quer servir a Cristo senão pela trilha do amor. Somente mediante o amor que nos tornamos parecidos com Jesus.

O que nos identifica como filhos de Deus não é o nome da igreja a que pertencemos, não o é cargo que possuímos, não são os dons que temos, não são os nossos deveres religiosos, nem muito menos os nossos costumes aparentemente santos.

O que realmente nos faz semelhantes a Cristo é o amor. Nada além do amor. Podemos falar línguas, profetizar, cantar maravilhosamente, operar milagres e sinais em nome de Deus, realizar prodígios pela fé, todavia, é só por intermédio do amor que somos verdadeiramente identificados como discípulos de Jesus Cristo.

"Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor" (I Jo. 4:8). Se alguém não é guiado pelo amor de Cristo, tal pessoa, ainda que frequente religiosamente os cultos, mesmo que participe do corpo e do sangue de Cristo etc., tal pessoa permanece fora da vontade soberana de Deus: "Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo" (Gl. 5:14).

Jaime Nunes Mendes                                   

Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário