quarta-feira, 28 de novembro de 2018

A ALEGRIA DA JUSTIFICAÇÃO EM DEUS


Deus nos chama para a alegria. Isto podemos ver em toda a Bíblia e de maneira especial no apelo que o apóstolo Paulo faz em Filipenses 3.1. Muitos não tem esta alegria porque não conseguem entender três verdades.

O chamado cristão é um chamado para a alegria. A alegria cristã é antes de tudo “no Senhor”. Esta alegria depende do conhecimento da verdade.

Paulo esta tão convencido que a alegria do crente depende do conhecimento da doutrinas cristãs, que faz um apelo para que o povo não dê ouvidos à aqueles que tentam pervertê-la seguido de uma belíssima exposição da verdade central do evangelho, a verdade que o adversário de nossas almas mais tenta perverter: o crente é justificado dos seus pecados pela fé em Cristo. Paulo, portanto, expõe a doutrina central do evangelho, doutrina que ocasionou a reforma protestante, revelando verdades preciosas acerca da doutrina da justificação pela fé. Que verdades são estas?

VERDADES BÁSICAS SOBRE A DOUTRINA DA JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ.

1- AO HOMEM É ABSOLUTAMENTE IMPOSSÍVEL SER JUSTIFICADO DOS SEUS PECADOS PERANTE DEUS PELOS SEUS MÉRITOS PESSOAIS.

É o ato divino que legalmente nos absolve dos nossos pecados e nos declara justos. Lutero chamava a justificação de “O artigo mediante o qual uma igreja permanece de pé ou cai”. Na Bíblia, “justificar” significa “declarar justo”. Ou seja, declarar acerca de uma homem, em um tribunal, que ele não está sujeito a qualquer penalidade, mas que ele é dotado de todos os privilégios devidos aqueles que sempre observaram a lei. Justificar equivale ao ato de um juiz pronunciar a sentença oposta a de condenação.

POR QUE O HOMEM NÃO PODE POR SI MESMO SER JUSTIFICADO? 
Primeiro, porque o homem não é capaz de cumprir a lei de Deus. Realmente, há promessa na Bíblia para quem cumpre a lei, mas quem o faz? 
Segundo, porque não é capaz de pegar o seu débito. Nossas penas são proporcionais a gravidade dos nossos delitos. Qual deve ser a pena para quem pecou contra Deus? Paulo fala da sua própria experiência. Vs. 4-7. Você confia na carne?

2- A JUSTIFICAÇÃO SÓ PODE SER OBTIDA PELA FÉ EM CRISTO.

COMO DEUS SENDO JUSTO PODE CONSIDERAR INOCENTE UM PECADOR?  
Deus nos perdoa de maneira justa com base na obra de seu Filho na cruz, que nos proporciona perdão e declara Deus como justo.

Qual a principal marca desta fé? Quando o pecador depende única e exclusivamente de Cristo para a sua salvação. Filipense 3.7-9.O que houve na vida de Wesley e Lutero após a descoberta desta verdade.
Você crê em Cristo? Então, eu pergunto a você: “Você crê que é um homem salvo?” e você responde-me: “Creio que sim”. Pergunto novamente: “por que você se considera um homem salvo?” Posso imaginar você me respondendo: “Eu não faço mal a ninguém”. Mas, o testemunho bíblico nos dá conta de que todos pecaram e carecem da glória de Deus. Este testemunho não estaria de acordo com o que vemos sobre o homem na face da terra?

3- O QUE FOI VERDADEIRAMENTE JUSTIFICADO TEM CRISTO COMO O MAIOR AMOR DE SUA VIDA.
Muitos pensam que esta doutrina conduz a frouxidão moral. Estes não entendem que não há maior base para a vida santa do que ela. E mais, todo ensino bíblico acerca da justificação enfatiza o fato de que aquele que foi justificado inevitavelmente entra em processo de santificação.

O QUE VEMOS NA VIDA DE UM JUSTIFICADO?
3.1- Vida cujo Sinal Maior da sua Realidade, é Interior, Consequência da Obra que o Espírito faz no Coração do Crente Levando-o a Genuína Adoração. Fp.3.3
3.2- Tem Jesus como Único Fundamento da sua Salvação por isso se Gloriam nele e não na Carne. Fp.3.4 .
3.3- Reconhecimento do Real Valor da Pessoa de Cristo. Fp.3.7-8.
3.4- Amor Real e Profundo por Jesus. Fp.3.8b.
3.5- Desejo Ardente de Aprofundar a Relação com Cristo. Fp.3. 8 e 10.
3.6- Vida Profundamente Identificada com Cristo. Fp.3.10.
3.7- Esperança de Salvação Total em Jesus. Fp.3.11

Só esta vida pode trazer alegria. Que resultados fantásticos seguem a correta pregação sobre esta doutrina!  Que Deus, pelo seu Espírito ajude-nos a compreendê-la.                                              

Pr Antonio Carlos Costa

Por Litrazini
Graça e Paz