quinta-feira, 5 de novembro de 2020

O CRISTÃO E OS DEMÔNIOS.

As Escrituras ensinam que nenhum verdadeiro cristão, em quem habita o Espírito Santo, pode ficar endemoninhado; o Espírito e os demônios nunca poderão habitar no mesmo corpo (2Co 6.15,16). Os demônios podem, no entanto, influenciar os pensamentos, emoções e atos dos cristãos que não obedecem aos ditames do Espírito Santo (Mt 16.23; 2 Co 11.3,14).

Jesus prometeu aos genuínos cristãos autoridade sobre o poder de Satanás e das suas hostes. Ao nos depararmos com eles, devemos aniquilar o poder que querem exercer sobre nós e sobre outras pessoas, confrontando-os sem trégua pelo poder do Espírito (Lc 4.14-19). Desta maneira, podemos nos livrar dos poderes das trevas.

Segundo a parábola em Mc 3.27, o conflito espiritual contra Satanás envolve três aspectos:

a) declarar guerra contra Satanás segundo o propósito de Deus (Lc 4.14-19);

b) ir onde Satanás está, atacá-lo e vencê-lo pela oração e pela proclamação da Palavra, e destruir suas armas de engano e tentação demoníacos (Lc 11.20-22);

c) apoderar-se de bens ou posses, libertando os cativos do inimigo e entregando-os a Deus para que recebam perdão e santificação mediante a fé em Cristo (Lc. 11.22; At 26.18).

Seguem-se os passos que cada um deve observar nesta luta contra o mal:

a) Reconhecer que não estamos num conflito contra a carne e o sangue, mas contra as forças espirituais do mal (Ef 6.12).

b) Viver diante de Deus uma vida fervorosamente dedicada à sua verdade e justiça (Rm 12.1,2; Ef. 6.14).

c) Crer que o poder de Satanás pode ser aniquilada seja onde for o seu domínio (At 26.18; Ef 6.16; 1 TS 5.8) e reconhecer que o cristão tem armas espirituais poderosas dadas por Deus para a destruição das fortalezas de Satanás (2Co 10.3-5).

d) Proclamar o evangelho do reino, na plenitude do Espírito Santo (Mt 4.23; Lc 1.15-17; At 1.8; 2.4;8.12; Rm 1.16; Ef 6.15).

e) Confrontar Satanás e o seu poder de modo direto, pela fé no nome de Jesus (At 16.16-18), ao usar a Palavra de Deus (Ef. 6.17), ao orar no Espírito (At 6.4; Ef.6.18), ao jejuar (Mt 6.16 nota; Mc 9.29) e ao expulsar demônios (Mt 10.1 nota; 12.28; 17.17-21; Mc 16.17; Lc 10.17; At 5.16; 8,7; 16.18; 19.12;

f)Orar, principalmente, para que o Espírito Santo convença os perdidos, no tocante ao pecado, à justiça e ao juízo vindouro (Jo 16.7-11).

g) Orar, com desejo sincero, pelas manifestações do Espírito, mediante os dons de curar, de línguas, de milagres e de maravilhas (At 4.29-33; 10.38; 1Co 12.7-11).

Lidiomat Trazini Granatti / Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário