sexta-feira, 11 de junho de 2021

A MATRIZ DE NOSSA BONDADE

Pelo Espírito Santo, podemos produzir bondade, embora não sejam bons.

Produzimos bondade quando reconhecemos a bondade de Deus, que nele significa perfeição absoluta e generosidade completa.

Se queremos produzir bondade, precisamos meditar na bondade de Deus.

Produzimos bondade quando reconhecemos que a bondade Deus nos alcançou e nos alcança.

Quando nos lembramos que é a bondade de Deus que permite que estejamos vivos e ativos (Lam 3.22), nosso compromisso muda.

Produzimos bondade quando deixamos de nos considerar os crentes padrões.

Se, porém, tu, que tens por sobrenome cristãos; repousas no evangelho; te glórias em Deus; conheces a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído no evangelho; estás persuadido de que és guia dos cegos, luz dos que se encontram em trevas, instrutor de ignorantes, mestre de crianças, tendo no evangelho a forma da sabedoria e da verdade; porque (....) não te ensinas a ti mesmo? Por que tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Por que dizes que não se deve cometer adultério e o cometes? Por que abominas os ídolos e lhes roubas os templos? Por que tu, que te glórias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei? (Rm 2.17-23)

Produzimos bondade quando temos interesse em perfumar a terra com ela. Podemos pensar as nossas vidas como sendo frascos de perfume. Enquanto o perfume está fechado, não passa de um frasco de perfume.

Ninguém sabe qual é o seu cheiro. Às vezes, o frasco é lindo. Às vezes, a marca é charmosa. Há muitos cristãos frascos.  Precisamos ser cristãos perfumes.

Se nos contentamos em ficar fechados em nós mesmos, não produzimos bondade.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário