sexta-feira, 14 de agosto de 2020

PAULO, O VELHO!


O apóstolo Paulo, da primeira prisão de Roma, escreve para Filemon e diz acerca de si mesmo: “Paulo, o velho e, agora, até prisioneiro de Cristo Jesus” (Fm 9). Esse grande bandeirante do Cristianismo, depois de passar três anos na Arábia, ser perseguido em Damasco, rejeitado em Jerusalém e esquecido em Tarso, agora é chamado por Deus para a obra missionária. Realiza três viagens e planta igrejas nas províncias da Galácia, Macedônia, Acaia e Ásia Menor.

​Ao viajar para Jerusalém, para levar oferta aos pobres da Judeia é preso e jurado de morte. De Jerusalém é transferido para Cesaréia Marítima, quartel general de Roma em Israel, e passa dois anos detido, sob forte acusação dos judeus, sob a égide dos governadores Félix e Festo. Em virtude da inclinação de Festo para entregá-lo ao sinédrio para granjear apoio político dos judeus e sabendo que o sinédrio tramava sua morte à traição, usando seu direito de cidadão romano, exigiu ser julgado em Roma, diante de César.

​Depois de uma viagem turbulenta e o enfrentamento de terrível naufrágio, Paulo chega em Roma. Chega não como sonhara chegar. Chega algemado, e nessa prisão fica dois anos, período em que vê a igreja sendo despertada pelo seu exemplo. Vê, ainda, toda a guarda pretoriana, os soldados de elite do imperador, sendo evangelizados.

Em vez de capitular-se ao desânimo nessa prisão, escreve cartas abençoadoras às igrejas de Éfeso, Filipos e Colossos e ainda uma carta pessoal a Filemon. É nessa epístola a esse homem que hospedava a igreja de Colossos em sua casa, que o veterano apóstolo refere-se a si mesmo como Paulo, o velho.

​A velhice de Paulo não foi um sinal de fraqueza, mas de robusta experiência. Ele não ensarilhou as armas nem tirou do mastro sua bandeira. Ao contrário, lutou ainda com mais denodo pela causa do evangelho.

Dessa prisão ele saiu para realizar a quarta viagem missionária. Deixou Timóteo em Éfeso, Tito em Creta, passou por Nicópolis e mui provavelmente foi à Espanha como era seu desejo. Nesse tempo, começa a perseguição romana contra a igreja, sendo os crentes acusados de agentes do incêndio do Roma. Paulo foi preso novamente e dessa prisão saiu para o martírio.
O velho apóstolo, não deixou herança; apenas cicatrizes. Não ajuntou riquezas na terra, mas acumulou rico tesouro no céu. Não pautou sua vida pela busca de conforto pessoal, mas doou-se, sem reservas, para que o evangelho chegasse a todos os gentios. Mesmo suportando solidão, abandono, traição, privação e ingratidão no final da vida, não fechou as cortinas de sua história com amargura na alma, mas com um cântico de exaltação a Cristo em seus lábios.

​A velhice, conforme a avaliação do grande evangelista Billy Graham, não é para os fracos. Chegar à velhice é um privilégio, mas as rugas nem sempre são um sinal de vitória. Muitos acumulam apenas anos e chegam diante de Deus de mãos vazias, com o coração cheio de remorso pelas oportunidades perdidas.

Muitos investem apenas em si mesmos e não fazem qualquer semeadura para abençoar outras pessoas. Outros chegam não com as cicatrizes do sofrimento pelo evangelho, mas com os troféus de palha que conquistaram para a sua própria promoção.

A velhice de Paulo não o livrou da prisão, mas suas cãs inspiram ainda hoje multidões a andarem com Deus. Suas cicatrizes custaram-lhe gemidos e lágrimas, mas motivam milhares ainda hoje a dar sua vida por Cristo. Seu legado não matricula os homens na escola do enriquecimento, mas estimula uma vasta multidão a não considerar a vida preciosa para si mesma, mas a completar a carreira que recebeu do Senhor Jesus, para testemunhar o evangelho da graça.

​Que Deus nos ajude a semear na vida com exultação ou mesmo com lágrimas, para que, na velhice, possamos nos apresentar diante de Deus, trazendo em nossas mãos farturosos feixes!

Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini
Graça e Paz


quinta-feira, 13 de agosto de 2020

ATITUDES PARA UMA TRANSFORMAÇÃO RADICAL


“De novo, entrou Jesus na sinagoga e estava ali um homem que tinha ressequida uma das mãos. E estavam observando a Jesus para ver se o curaria em dia de sábado, a fim de o acusarem. E disse Jesus ao homem da mão ressequida: Vem para o meio! Então, lhes perguntou: É lícito nos sábados fazer o bem ou fazer o mal? Salvar a vida ou tirá-la? Mas eles ficaram em silêncio. Olhando-os ao redor, indignado e condoído com a dureza do seu coração, disse ao homem: Estende a mão. Estendeu-a, e a mão lhe foi restaurada” (Mc 3.1-5).

- Não adianta nada ficarmos parados, só reclamando de tudo e de todos, precisamos tomar atitudes e decisões para que a nossa transformação ocorra e para que o milagre aconteça.
- É preciso considerar também que, pequenas decisões muitas vezes são responsáveis por grandes mudanças e transformações.

VEJA AS ATITUDES DO HOMEM DA MÃO RESSEQUIDA:

I. A ATITUDE DE SE LEVANTAR
“Disse-lhe Jesus: Levanta-te” (v.3). Este comando de Jesus significava que:
1. Aquele homem precisava tomar uma postura diferente.
2. Precisava tomar uma nova posição.
3. Precisava sair da acomodação e da inércia para experimentar o milagre e a cura de Jesus.
4. O pior inimigo dos milagres é a paralisia espiritual e a acomodação.

II. A ATITUDE DE VIR PARA O MEIO
"Disse-lhe Jesus: Vem para o meio" (v.3). Este comando de Jesus significava que:
1. Ele deveria ir ao encontro da pessoa certa (Jesus Cristo).
2. Ele precisava aceitá-lo e recebê-lo em sua vida (Mt 11.28,29).
3. Antes de recebermos o milagre precisamos receber o Deus dos milagres.

III. A ATITUDE DE ESTENDER A MÃO
"Disse ao homem: Estende a tua mão. Ele a estendeu, e a mão foi-lhe restaurada completamente” (v.5). Este comando de Jesus significava que:
1. Ele Precisava segurar a sua benção, tomar posse.
2. Ele Precisava crer, ter uma atitude de fé.
3. Se quisermos a benção temos que agarrá-la numa atitude de fé.

Tome uma nova postura e uma nova atitude diante de Deus.
Levante-se da paralisia espiritual e corra para os braços de Jesus, estenda as mãos e agarre a benção!

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

CONQUISTADOR DE DEUS


“... 8 Mas meus irmãos, que subiram comigo, fizeram derreter o coração do povo; eu porém perseverei em seguir ao Senhor meu Deus. 9 Então Moisés naquele dia jurou, dizendo: Certamente a terra que pisou o teu pé será tua, e de teus filhos, em herança perpetuamente; pois perseveraste em seguir ao Senhor meu Deus....” Js. 14:6-14

Nos transformar em verdadeiros conquistadores é a bênção que Deus tem para nós. De que adianta experimentar um milagre, mas seguir vivendo como um derrotado? O que o Senhor quer fazer em nós é mudar nossa atitude diante da vida, levando-nos a conquistar nossos ideais pela fé.

A Bíblia está cheia de exemplos de conquistadores.
Calebe é um deles. Este homem guardou uma promessa de Deus por quarenta e cinco anos e finalmente a conquistou.
No dia em que o Senhor lhe prometeu o Monte Hebron, Calebe concebeu um sonho. Mas, sonhos serão apenas ilusões, se não tivermos o caráter de vencedores.

VAMOS VER AS MARCAS QUE FAZEM DE UM HOMEM UM CONQUISTADOR EM DEUS:

1- ELE GUARDA AS PROMESSAS DE DEUS PARA SUA VIDA
Calebe não tinha apenas sonhos humanos, mas buscou projetar sua vida de acordo com a Palavra de Deus. Uma vez que o Senhor lhe fez promessas, ele creu e não abriu mão delas. Por quarenta e cinco anos ele insistiu em crer e foi pela sua perseverança que Deus o abençoou.  Veja as promessas que Deus fez a Calebe em Números 14:18-24.

2- ELE NÃO DÁ OUVIDOS ÀS VOZES DA INCREDULIDADE –
Mas meus irmãos, que subiram comigo, fizeram derreter o coração do povo; eu porém perseverei em seguir ao Senhor meu Deus. Js.14.8 –
Se há um inimigo das nossas conquistas, esse inimigo é a incredulidade. Muitos tentarão nos convencer que o caminho da fé não nos levará a nada. Calebe foi um dos poucos em sua geração que creu no que Deus dizia. Ele não se amoldou aos incrédulos!
Essa é uma marca dos conquistadores de sonhos. A palavra que Deus nos dá, deve ter mais valor para nós do que as palavras daqueles que são negativos ou pessimistas, só porque não são capazes.

3- ELE RECONHECE O FAVOR DE DEUS, MESMO QUANDO AINDA NÃO TEM TUDO O QUE BUSCA
E agora eis que o Senhor me conservou em vida, como disse; quarenta e cinco anos são passados, desde que o Senhor falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e agora eis que hoje tenho já oitenta e cinco anos. Js.14.10 – Você seria capaz de esperar quarenta e cinco anos por uma benção e ainda assim ter um coração agradecido?
Pois Calebe reconhecia que a benção do Senhor o mantivera vivo e com vigor!
A gratidão é um segredo espiritual. Aquele que não vê a mão de Deus na dificuldade desanima e não consegue perseverar. Em 1 Pe 5:6,7 existem dois bons conselhos que podem nos ajudar a continuar esperando pela bênção.

4- ELE TEM DISPOSIÇÃO DE LUTAR PELOS SEUS SONHOS
E ainda hoje estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou; qual era a minha força então, tal é agora a minha força, tanto para a guerra como para sair e entrar Js.14.11  
O monte que Calebe queria estava cheio de inimigos, mas ele estava disposto a lutar contra eles.
Muitas vezes pensamos que a fé nos livra das lutas e nos entrega a benção “de mão beijada”, mas na verdade temos que pelejar pelo que almejamos, pois, a fé não é um sentimento, mas uma atitude. Tg 1:22-25.

5- ELE REIVINDICA AS PROMESSAS, CONFIANDO NO PODER DE DEUS
Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou aquele dia; pois naquele dia tu ouviste que estavam ali os anaquins, e grandes e fortes cidades. Porventura o Senhor será comigo, para os expulsar, como o Senhor disse. Js,14,12
Um conquistador de sonhos pede objetivamente o que quer. Ele não espera passivamente que as coisas aconteçam, mas ora e insiste com Deus, confiando não na sua própria força, mas no poder do Altíssimo. Precisamos ter coragem para pedir. 1 João 5:14-15 nos incentiva a pedir.

Para conquistar algo é preciso: tomar uma decisão de que queremos ter e estamos dispostos a lutar para conseguir.

Que sejamos conquistadores, expressando diante de Deus a fé, a disposição de perseverar, a gratidão pelo que Ele já fez o compromisso de lutar até ver a conquista estabelecida

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 11 de agosto de 2020

DEVEMOS ADORAR O ESPÍRITO SANTO?


Sabemos que só Deus deve ser adorado. Só Deus exige adoração, e só Deus merece adoração. A questão de se devemos adorar o Espírito Santo só pode ser respondida ao se determinar se o Espírito é Deus.

Ao contrário das ideias de algumas seitas, o Espírito Santo não é apenas uma "força", mas uma personalidade. Ele é referido em termos pessoais (João 15:26; 16:7-8, 13-14). Ele age como um Ser com personalidade atuaria - Ele fala (1 Tm 4:1), Ele ama (Rm 15:30), Ele ensina (João 14:26), Ele intercede (Rm 8:26) e assim por diante.

O ESPÍRITO SANTO POSSUI A NATUREZA DA DIVINDADE
Ele compartilha os atributos de Deus. Ele não é nem angélico nem humano na sua essência. Ele é eterno (Hb 9:14). Ele é onipresente (Sl 139:7-10). O Espírito é onisciente, isto é, Ele sabe de "todas as coisas, até mesmo as coisas mais profundas de Deus" (1Co. 2:10-11). Ele ensinou aos apóstolos "todas as coisas" (João 14:26).

Ele estava envolvido no processo de criação (Gn 1:2). O Espírito Santo é mencionado em associação íntima com o Pai e o Filho (Mt 28:19, João 14:16). Como pessoa, pode-se mentir ao Espírito (Atos 5:3-4) e entristecê-lo (Ef 4:30). Além disso, algumas passagens do Antigo Testamento que são atribuídas a Deus são aplicadas ao Espírito no Novo Testamento (ver Is 6:8 com Atos 28:25 e Êx 16:7 com Hb 3:7-9).

UMA PESSOA DIVINA É DIGNA DE ADORAÇÃO.
Deus é "digno de louvor" (Sl 18:3). Deus é Grande e "digno de todo louvor" (Sl 48:1). Somos ordenados a adorar a Deus (Mt 4:10, Ap 19:10; 22:9). Se, então, o Espírito é divindade, a terceira pessoa do nosso trino Deus, Ele é digno de adoração. Filip 3:3 nos diz que os verdadeiros crentes, aqueles cujos corações foram circuncidados, adoram a Deus pelo Espírito e se gloriam e alegram em Cristo. Aqui está uma bela imagem de adoração de todos os três membros da Trindade.

COMO DEVEMOS ADORAR O ESPÍRITO SANTO?
Da mesma forma que adoramos o Pai e o Filho. O louvor cristão é espiritual, decorrente do trabalho interior do Espírito Santo ao qual respondemos quando oferecemos nossas vidas a Ele (Rm 12:1). Adoramos o Espírito através de obediência aos Seus mandamentos.

Referindo-se a Cristo, o apóstolo João explica que "Os que obedecem aos seus mandamentos permanecem nele, e ele neles. Deste modo sabemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos deu" (1João 3:24). Vemos aqui a ligação entre obedecer a Cristo e o Espírito Santo que habita em nós, convencendo-nos de todas as coisas -- especialmente a nossa necessidade de adoração através de obediência -- e a nossa capacitação para a adoração.

A adoração é em si uma função do Espírito. Jesus diz que devemos adorar "em espírito e em verdade" (João 4:24). Os verdadeiramente espirituais são aqueles habitados pelo Espírito que testifica a nós que pertencemos a Ele (Rm 8:16). Sua presença em nossos corações nos permite retornar adoração a Ele no Espírito.

Estamos nEle assim como Ele está em nós, assim como Cristo está no Pai e o Pai está em nós através do Espírito (João 14:20, 17:21).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

ESPÍRITO, ALMA, E CORPO


O homem foi criado por Deus como um ser tripartido. Nossa constituição é esta: espírito, alma e corpo. As Escrituras, ao mencionarem estas três partes distintas, referem-se a elas como se tratando do nosso ser inteiro, da nossa plenitude.

E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5.23)

Atente para o termo “completamente”. Para o escritor a santificação completa é a conservação irrepreensível das três partes. Mas as Escrituras fazem clara distinção entre espírito e alma; de fato, ambos compõem aquilo que chamamos de “homem interior” (2 Co 4.16), mas são distintos entre si; há um versículo que traz mais luz acerca desta diferença, e convém observá-lo:

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”. (Hb 4.12)

Nosso texto diz que a Palavra penetra até a DIVISÃO de alma e espírito; logo, há divisão entre um e outro; não são a mesma coisa. Contudo, apesar desta divisão, parece-nos que os dois estão bem próximos, juntos. Tanto, que só a Palavra de Deus, como espada afiada que é, pode separa-los. Na prática diária da vida cristã, a maioria dos crentes sabe muito bem quão difícil é separar o que é alma do que é espírito, mas que são distintos, são! Isto é inegável.

Lemos na Bíblia que o novo-nascimento é o nascer do espírito (Jo 3.6). Isto é algo que se dá instantaneamente. Contudo, escrevendo à pessoas que já haviam experimentado a salvação de Deus em seu espírito (Tg 1.18 e 1 Pe 1.3), Tiago e Pedro falaram da “salvação da alma” como algo que acontece posteriormente ao novo-nascimento do espírito (Tg 1.21 e 1 Pe 1.19).

Portanto, assim como a salvação da alma acontece como um processo de restauração pela Palavra de Deus, a regeneração do espírito acontece instantaneamente na ocasião do novo-nascimento. Se o espírito e a alma fossem uma coisa só, certamente não haveria esta distinção na forma como a redenção de Cristo alcança cada um.

Luciano Subirá

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 9 de agosto de 2020

A VINDA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO


QUEM É O ESPÍRITO SANTO?
O Espírito Santo é uma pessoa e, juntamente com o Pai e com o Filho, faz parte da Trindade Divina. É considerado uma pessoa porque exerce atributos de personalidade.

POSSUI SENTIMENTOS – entristece-se, chora, geme, sente ciúmes (Rm 8.28; Ef 4.30);

TEM VONTADE PRÓPRIA – dispensa os dons espirituais (1 Co 12.11);

São atribuídas a ele atividades pessoais: revela, ensina, clama, intercede, fala, ordena, testifica (2 Pe 1.21; João 14.26; 15.26).

ALGUNS NOMES DADOS AO ESPÍRITO SANTO
Espírito de Deus.
Espírito de Cristo
Consolador
Espírito Santo da Promessa
Espírito da Verdade.
Espírito da Graça
Espírito de Adoção

PRINCIPAIS SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO
FOGO – Significa limpeza, purificação. O fogo aquece e também Ilumina (Mt 3.11; At.2.3).
VENTO – Simboliza a obra regeneradora e sua misteriosa atuação (João 3.8).
ÁGUA – É a fonte de água viva que lava, limpa, refresca, sacia a sede espiritual e faz frutificar (João 7.38,39).
SELO – O Espírito Santo é como um selo, isto é, uma marca posta no crente para o dia da redenção. Essa marca é que assegura e garante o direito de posse da herança celestial (2 Tm 2.19).
AZEITE – É o símbolo da unção – torna o crente útil, operando vida, beleza e transformação.
POMBA – Significa brandura, paz, amabilidade. É isso que o Espírito Santo transmite ao pecador quando se chega a Jesus. Ele se apresenta para confirmar a presença de Jesus em nossa vida (Mt 3.16).

A Igreja Cristã começa efetivamente com as descida do Espírito Santo. Isso aconteceu no Dia de Pentecostes (50 dias após a Páscoa). Isso está registrado em...

Atos 2.1-13 – Chegando o dia de pentecostes, estavam todos reunidos num só lugar. 2 De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. 3 E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. 4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava...12 Atônitos e perplexos, todos perguntavam uns aos outros: “ Que significa isso?”. 13 Alguns, todavia, zombavam deles e diziam: “Eles beberam vinho demais”.

PARA SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO
OBEDEÇA- Jesus ordenou que todos permanecessem em Jerusalém (Atos 1). Muitos querem o poder do Espírito, mas não querem as mudanças e sacrifícios que esse poder impõe.

CONGREGUE - Estavam todos juntos, congregados como igreja. A descida do Espírito acabou com a separação que aconteceu em Babel.

CREIA - A manifestação do Espírito é sobrenatural. Sem unção podemos fazer muita coisa religiosa, mas não produziremos frutos espirituais. Frutos espirituais dependem de unção, ou seja, da presença sobrenatural do Espírito.

RESISTA
Mesmo diante daquele mover de Deus, muitos não creram. Alguns até mesmo criticaram e acusaram.

Charles Swindoll escreveu: “Uma coisa é tornar-se cristão. Outra é tornar-se um cristão cheio do Espírito. A tragédia é que muitos são os convertidos, mas poucos são os cheios do Espírito. Quando isso acontece, a pessoa perde o melhor que Deus tem para oferecer na terra”.

Receba esta promessa de Jesus: “Eu rogarei ao Pai; e Ele vos dará outro Consolador para que fique convosco para sempre. Jo 14.16

Ricardo Aurino

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 8 de agosto de 2020

O QUE FAZ UMA FAMÍLIA SER SAUDÁVEL?


APRECIAÇÃO MÚTUA.
Famílias estáveis e saudáveis cultivam a apreciação entre os seus membros. Então, o segredo para cultivar uma saúde familiar é elogiar sempre. Nunca perder uma oportunidade para elogiar e enaltecer o cônjuge, os filhos, irmãos e pais. “O princípio mais profundo natureza humana é o anelo de ser apreciado”, escreveu William James.

CAPACIDADE PARA RESOLVEREM JUNTOS OS CONFLITOS.
Os conflitos, em qualquer relação humana, são inevitáveis. A grande questão é saber identificar e resolvê-los de uma maneira em que todos saiam vencedores. Muitas vezes, famílias se tornam frágeis e problemáticas porque na resolução de um conflito, há perdedores e vencedores.

COMUNICAÇÃO ABERTA.
Numa família saudável a comunicação é valorizada. Os assuntos são conversados sem tabus, os sentimentos são externados sem rancor. Não há acusações ou críticas. Os cônjuges sentem liberdades para exporem suas idéias e sentimentos. Pais conversam com os filhos sobre temas importantes.

COMPROMISSO MÚTUO.
Numa família saudável, há um forte sentimento de compromisso entre os seus membros. Os cônjuges sentem-se compromissados pelo bem-estar e crescimento um do outro. Os pais sentem-se compromissados com crescimento integral dos filhos e assim por diante.

DEDICAÇÃO DE TEMPO.
Famílias saudáveis e competentes investem tempo e energia na construção e manutenção de um relacionamento construtivo. Os cônjuges conversam mais entre si, os pais brincam mais com os filhos, há mais caminhadas de mãos dadas. Há quantidade e qualidade de dedicação de tempo.

COMPARTILHAMENTO DE TRADIÇÕES.
Famílias saudáveis valorizam os almoços à mesa, as férias são momentos inesquecíveis, os aniversários, mesmo com simplicidade, são comemorados, os dias festivos são lembrados e vividos intensamente, a participação nos cultos torna-se importante. “Essas tradições, pequenas e grandes, são o que estreita os nossos laços, nos renova e nos dá uma identidade enquanto família”, diz Stephen R. Covey.

COMPARTILHAM A FÉ COMUM.
Sabemos que quando Deus se torna o fundamento de uma família, esta passa a ter totais condições de ser feliz e saudável. “A família foi constituída pelo próprio Deus e deve tê-lo como fator central”, afirma o Dr. Merval Rosa.

Que cada um de nós sejamos responsáveis pelo cultivo dessas atitudes em nossas famílias. Fazendo isso, estaremos construindo, no novo milênio, famílias que sejam esteio e colunas da sociedade.

Gilson Bifano

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

CURA INTEGRAL


... E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim... E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho. (Mc 10:46-52)

É maravilhoso como Deus cura a alma, o espírito e o corpo das pessoas que se abrem pra Ele.

DEUS QUER NOS CURAR DE FORMA INTEGRAL (Espírito, Alma e Corpo).
Nossas enfermidades "espirituais e emocionais" podem nos colocar à beira do caminho como um mendigo.

Quando a cura deste homem começou? Quando ele ouviu falar que "Jesus Passava". E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.  (Mc. 10:47)
Jesus sempre está passando, porém, as pessoas, muitas vezes, não percebem porque estão envolvidas demais, distraídas etc.

MUITAS OPORTUNIDADES SÃO ÚNICAS.
Clamou, foi persistente. Não brincou com a oportunidade. Oportunidade é parte indispensável do sucesso.

PARA ALCANÇAR OBJETIVOS ELEVADOS EM DEUS, É PRECISO VENCER OBSTÁCULOS E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim. (Mc. 10:48)
Obstáculos internos: Medo, complexo, pessimismo, conformismo, etc.
Obstáculos externos: Forças espirituais que lutam para nos impedir de alcançar, pessoas que não querem ver nosso triunfo.
Os campeões sempre superam os obstáculos.

NÃO IMPORTA ONDE E COMO O HOMEM ESTEJA, DEUS SE IMPORTA (Mc. 10:49).
E Jesus, parando, disse que o chamassem.Jesus parou. Jesus viu a imagem de Deus no homem. Jesus se importou com aquele homem.

QUERER É O PRIMEIRO PASSO PARA A SOLUÇÃO DO PROBLEMA (Mc. 10:51).
Levanta-te, que ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça?
Muitos precisam, mas não querem. Deus não empurra a porta, Ele espera que você abra. Não basta precisar, é necessário "querer". Por que muitos precisam, mas não querem?
Ser curado da cegueira implica em mudanças, e não são todos que desejam assumir responsabilidades.

JESUS O CUROU ESPIRITUALMENTE (Mc. 10:52).
Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho. Este homem foi curado, restaurado integralmente. Seu espírito (Salvação), sua alma (ganhou senso de valor próprio) e, seu corpo (passou a enxergar). Deixou de ser o lixo da sociedade. Ganhou um ideal para o qual viver.

Transcrito por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

É ERRADO TER FOTOS DE JESUS?


Quando Deus deu a sua Lei para a humanidade, Ele começou com uma declaração de quem é: "Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito" (Êx 20:2) com um aviso de que não era para Israel ter outro Deus senão Ele.

Logo em seguida Deus os proibiu de fazer qualquer imagem de qualquer coisa "nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra" (Êx 20:4) com o propósito de adorar ou diante da qual se curvar.

A coisa fascinante sobre a história do povo judeu é que desobedeceram a esse mandamento mais do que a qualquer outro. Eles repetidamente fizeram ídolos para representar deuses e adorar; começando com a criação do bezerro de ouro durante o exato momento em que Deus estava dando os Dez Mandamentos a Moisés (Êx 32)! A adoração de ídolos não só afastou os israelitas do Deus vivo e verdadeiro, mas também abriu a porta a todos os tipos de outros pecados, inclusive a prostituição no templo, orgias e até mesmo o sacrifício de crianças.

Claro que ter um simples retrato de Jesus pendurado em uma casa ou igreja não significa que as pessoas estejam praticando idolatria. É possível que um retrato de Jesus ou um crucifixo possa se tornar um objeto de adoração, e nesse caso o adorador é o culpado. Mas não há nada no Novo Testamento que proíba especificamente um cristão de ter uma imagem de Jesus.

Tal imagem poderia muito bem ser um lembrete para orar, se focar no Senhor ou seguir os passos de Cristo. No entanto, os crentes devem saber que o Senhor não pode ser reduzido a uma imagem bidimensional e que a oração ou adoração não deve ser oferecida a uma imagem.

Um retrato nunca será uma imagem completa de Deus, nem poderá exibir a sua glória, e nunca deve ser um substituto para a forma como enxergamos a Deus ou aprofundamos o nosso conhecimento dEle. E, claro, até mesmo a mais bela representação de Jesus Cristo é nada mais que que a concepção de um artista de como o Senhor se parecia.

Na verdade, não sabemos como Jesus se parecia. Se fosse importante que soubéssemos os detalhes de sua aparência física, Mateus, Pedro e João certamente nos teriam dado uma descrição precisa, assim como teriam feito os próprios irmãos de Jesus, Tiago e Judas. No entanto, esses escritores do Novo Testamento não oferecem detalhes sobre os atributos físicos de Jesus. Somos deixados à nossa imaginação.

Nós certamente não precisamos de uma imagem que mostre a natureza de nosso Senhor e Salvador. Só temos que olhar para a Sua criação, como somos lembrados no Salmo 19:1-2: "Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite." Além disso, a nossa própria existência como os remidos do Senhor, santificados e justificados pelo seu sangue derramado na cruz, deve nos fazer tê-lo sempre diante de nós.

A Bíblia, a própria Palavra de Deus, também está repleta de descrições não-físicas de Cristo que captam a nossa imaginação e emocionam as nossas almas. Ele é a luz do mundo (Jo 1:5); o pão da vida (Jo 6:32-33); a água viva que sacia a sede de nossas almas (Jo 4:14); o sumo sacerdote que intercede por nós junto ao Pai (Hb 2:17); o bom pastor que dá a vida por suas ovelhas (Jo 10:11, 14); o imaculado Cordeiro de Deus (Ap 13: 8); o autor e consumador da nossa fé (Hb 12:2); o caminho, a verdade, a vida (Jo 14:6); e a própria imagem do Deus invisível (Col 1:15). Tal Salvador é mais bonito para nós do que qualquer pedaço de papel pendurado na parede.

Em seu livro Gold Cord, a missionária Amy Carmichael fala de Preena, uma jovem índia que se converteu e viveu no seu orfanato. Preena nunca tinha visto uma imagem de Jesus; em vez disso, a senhorita Carmichael orou para que o Espírito Santo revelasse Jesus a cada uma das meninas, "pois quem, senão o Divino, pode revelar o Divino?" Um dia, Preena recebeu um pacote de um outro país. Ela abriu-o ansiosamente e tirou uma foto de Jesus. Preena inocentemente perguntou quem era, e quando lhe foi dito que era Jesus, ela explodiu em lágrimas. Perguntaram-lhe: "O que há de errado? Por que você está chorando?" A resposta da pequena Preena diz tudo: "Eu achei que ele era muito mais bonito do que aquilo" (página 151).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

ESPERANDO NO SENHOR


O chefe dos copeiros, porém, não se lembrou de José; ao contrário, esqueceu-se dele. (Gn 40.23)

Nenhum outro exemplo no qual possamos pensar se compara a José. Ele sofreu uma quantidade enorme de torturas, as quais eram insuportáveis, e não teve qualquer ajuda ou esperança.

Além disso, os mártires da fé geralmente sofrem durante um curto período de tempo. Mas José teve que sofrer por um longo tempo.

Não é possível encontrar muitas pessoas que, se fossem abandonadas como José, não reclamariam, não ficariam iradas nem impacientes.

Sim, José teve seus momentos de fraqueza também. De vez em quando ele se sentia deprimido e queria reclamar, chorar e desistir.

O exemplo de José ilustra a importância de esperar no Senhor. Nos Salmos, podemos ler: “Espere no Senhor. Seja forte! Coragem! Espere no Senhor” (Sl 27.14).

Habacuque diz: “Pois a visão aguarda um tempo designado; ela fala do fim, e não falhará. Ainda que demore, espere-a; porque ela certamente virá e não se atrasará” (Hc 2.3).

Isaías nos encoraja: “Então você saberá que eu sou o Senhor; aqueles que esperam em mim não ficarão decepcionados” (Is 49.23).

Mas a nossa fraqueza humana nos diz: “Já passou tempo demais. Tenho esperado auxílio há cinco, dez ou vinte anos e não consigo ver o fim disso”. Lembre-se de que Deus fez essa promessa a você.  Ele é seu amigo e pai.

Devido à sua graça e misericórdia, Deus prometeu tomar conta de você assim como um pai cuida de seu filho pequeno. Ele é seu pai e você é seu filho querido.

A sua natureza pecaminosa ainda diz que esperar em Deus é tolice?

Não se preocupe. Continue a esperar, junto com todos os que creem.

O que Cristo promete em Mateus 24.13 se cumprirá: “Mas aquele que perseverar até o fim será salvo”.

Retirado de  Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz