terça-feira, 31 de agosto de 2021

ESCRITURA SAGRADA

A palavra Bíblia é derivada do grego, e quer dizer coleção de livros.

É basicamente dividida em duas partes: O Antigo Testamento (AT) e o Novo Testamento (NT). Cada Testamento é construído por vários livros, sendo 39 no AT e 27 no NT.

Cada livro é dividido por capítulos e cada capítulo dividido por versículos ou versos.

A maior parte do Antigo Testamento foi escrita primeiramente em Hebraico há muitos séculos antes de Cristo por profetas, reis, escribas, poetas, etc, que mantiveram registros de sua história, do relacionamento de Deus com eles, de suas visões dadas por Deus e suas esperanças.

O Novo Testamento foi escrito depois de Cristo basicamente pelos próprios discípulos e ''servos" do Senhor Jesus Cristo.

A Bíblia é certamente o livro mais conhecido e mais vendido no mundo inteiro; foi traduzida para o português por João Ferreira de Almeida e é também chamada de: Bíblia Sagrada, Escritura, Palavra de Deus ou somente Palavra e Espada.

"Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra."

A Bíblia é a Palavra de Deus para todo o homem. É um livro completo, é para todas as idades e para todas as épocas. Na Bíblia encontra-se o passado, o presente e o futuro da humanidade. 

"A Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração." (Hb 4:12)

"Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." (2Tm 3:16,17)

"Haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sendo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições..." (2Tm 4:3-5)

"Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto." (Is. 55:6)

"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." (2Tm 2:15)

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

O FOCO DO JEJUM É DEUS E SEU REINO

O jejum bíblico é, na verdade, um exercício de relacionamento. Um relacionamento com Deus.

O jejum nos desliga do poder da comida, por algum tempo, para um exercício – o exercício da presença de Deus.

Obviamente que exercitar a presença de Deus deve ocorrer em todo o tempo, e não somente nos jejuns. Todavia a disciplina me ajuda na concentração, nos treina no foco, que é Deus e seu Reino.

O preço pago pelo jejum é em prol de nosso maior desejo: Deus e seu Reino.

Podemos, assim, jejuar por um irmão enfermo, e nesse sentido estarei me doando a um irmão, estando com Deus em oração por ele.

Poderei jejuar por vidas transformadas, e, nesse caso, estarei jejuando para que a glória de Deus apareça.

Poderemos jejuar pela Igreja de Deus, pelo mundo, por conversões, por crises conjugais, por filhos etc.,

Tudo na vida do cristão deve servir a um só propósito: a glória de Deus (I Co 10.31).

Por isso era repulsivo para Jesus ver pessoas que queriam demonstrar a outras que jejuavam.

João Wesley dizia que “algumas pessoas têm exaltado o jejum religioso elevando-o além das Escrituras e da razão; e outros o têm menosprezado por completo”. 

Dessa forma, ele nos ensinava o devido equilíbrio que tanto nossos jejuns, quanto nossas orações devem ter. 

Jejum é um estar com Deus. É relacionamento com Deus.

É exercício de desprendimento, é culto, é buscar.

Nosso jejum deve centrar-se nos desejos de Deus e em sua glória.

Porque nossa realização é Deus, sua Presença, sua majestade.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

domingo, 29 de agosto de 2021

A REVELAÇÃO DO PLANO DE DEUS

Viva, infalível, eterna - é totalmente fidedigna. É somente ela que deve nortear as decisões, que sacia a fome do coração e preenche as lacunas da alma. Ela revela quem é o Criador, quem é Satanás, exibe o plano de Deus para salvação dos perdidos e expõe os erros que vão surgindo, frutos dos pecados e imperfeições humanas

A Bíblia é o único livro no mundo que oferece provas objetivas de ser a Palavra de Deus. Somente a Bíblia fornece provas reais de ser divinamente inspirada.

A Bíblia é a única Escritura sagrada que oferece salvação eterna como um Dom totalmente gratuito da graça e da misericórdia de Deus.

A Bíblia contém os mais elevados padrões morais dentre todos os livros.

Somente a Bíblia apresenta o mais realístico ponto de vista sobre a natureza humana, tem o poder de convencer as pessoas de seus pecados e a habilidade de transformar a natureza humana.

Somente a Bíblia oferece uma solução realística e permanente para o problema do mal e do pecado humano.

As características internas e históricas da Bíblia são excepcionais em sua unidade e consistência interna, apesar dela ter sido produzida por um período de mais de 1.500 anos, por mais de 40 autores diferentes, em três línguas, em três continentes, discutindo uma enorme quantidade de assuntos controvertidos, e ao mesmo tempo mantendo uma harmonia entre eles.

A Bíblia é o livro mais traduzido, mais comprado, mais memorizado e o mais perseguido em toda a história.

Somente a Bíblia tem resistido dois mil anos de intenso escrutínio pelos seus críticos, não apenas sobrevivendo aos ataques, mas prosperando e tendo a sua credibilidade fortalecida por tais críticas.

A Bíblia tem moldado a história das civilizações mais do que qualquer outro livro. A Bíblia tem tido mais influência no mundo do que qualquer outro livro.

Somente a Bíblia tem uma Pessoa específica (centrada em Cristo) como assunto em cada um de seus 66 livros, detalhando a vida dessa Pessoa através de profecias e tipos, por um período de 400 - 1,500 anos antes dela nascer.

Somente a Bíblia proclama a ressurreição de sua figura central (Jesus Cristo), provada na história.

Paulo Romeiro

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sábado, 28 de agosto de 2021

SENHORIO DE CRISTO

E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, (Filip. 3.8)

Conhecer a Jesus Cristo pela fé e, conhecer-se em Jesus Cristo pela identificação que nele temos em virtude de seu Espírito é benção indescritível que não pode ficar no âmbito da linguagem privada.

Além de conhecer o Filho de Deus, temos de reconhece-lo como Senhor;

Além de crer no coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, devemos confessá-lo com a boca;

Além de segui-lo, temos de ir por todo o mundo anunciando o Evangelho que ele veio encarnar como o grande mistério, a congregação de seus redimidos é chamada a ser a “coluna e baluarte” que sustém e propaga sua verdade.

Desta forma, Jesus Cristo, o objeto da fé, e a confissão, que é a manifestação do conhecimento que por sua graça recebe o homem, assinalam o reconhecimento do senhorio em que se sustenta e tem sentido a proclamação do Evangelho: baseia-se em um poder soberano.

Assim, a identidade da igreja de Jesus Cristo se tem pela revelação que o Pai dá por seu Espírito, porém o reconhecimento de seu Senhorio implica um imperativo de evangelização inequívoco.

A evangelização se entende dentro da natureza da igreja, onde palpitam ao mesmo tempo identidade, revelação e reconhecimento do Senhorio de Jesus Cristo, que desembocam nas tarefas específicas de proclamar, ensinar, discipular as nações, confiar e esperar nele.

Por Litrazini              

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

CONHECER E APLICAR A BÍBLIA

NO ANTIGO TESTAMENTO:

As Escrituras deveriam serem lidas na presença do povo. Dt 31.11-13.

O povo era exortado a obedecê-la. II Cr 17.9.

O rei deveria ter uma cópia das escrituras Dt 18.20.

Era a base do julgamento divino dos reis. I Re 11.37-38.

Possuí títulos de autoridade. Jr 5.14; 23.29. É exaltada em todo salmo 119.

NO NOVO TESTAMENTO:

Jesus reconhece sua autoridade: Lc 24.44-45; 4.17-19; Jo 10.35; Mt 15.3-6 e 5.18.

Paulo autentica as Escrituras: Rm 15.4 e Tm 3.16.

Pedro também exalta a Palavra: At 2.16-21; II Pe 1.16-21.

Felipe At 8.30-35, a igreja At 2.42, o Apocalipse Ap 1.3 e 22.18-19

NOSSAS ATITUDES FRENTE À AUTORIDADE DA BÍBLIA:

Conhecer as escrituras. Os 4.6. Deus não abençoa a ignorância da Bíblia.

O desconhecimento da Bíblia é a causa da morte de muitos cristãos.

Erram quem despreza as Escrituras. Mt 22.29

Aplicar as Escrituras a sua realidade Mt 7.24-27. Jesus compara quem ouve mas, não aplica, não contextualizam as Escrituras à sua realidade pessoal, como gente imprudente que está construindo, sua casa na areia e, em base movediça.

Ser Bereano. At 17.11. Os Bereanos foram chamados de “mais nobres” do que os outros crentes.

Porque não aceitavam qualquer coisa, qualquer doutrina, qualquer prática, método, sem antes uma séria investigação.

Sejamos mais bereanos.

Maneja bem a Palavra da Verdade: 2Tm 2.15. Não basta manejar a Bíblia é preciso manejar bem.

É preciso estudar, conhecer, aplicar. A Bíblia é nossa arma de batalha. Jesus manejou-a brilhantemente derrotando o tentador em Mt 4.1-11.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

A FORMAÇÃO DA IGREJA

Quando Jesus Cristo andou neste mundo, ele sempre levou consigo os 12 discípulos, também chamados de apóstolos. Mais tarde eles deveriam contar a todos quem era Jesus.

Mas, quando Jesus foi crucificado eles ficaram com muito medo e se esconderam.

Isto nos mostra que a igreja não existiria, até hoje, se ela dependesse dos homens, pois quem iria pregar e transmitir os ensinamentos de Jesus, se até os discípulos foram muito fracos e falharam.

Quem então deu vida à Igreja de Jesus?

Você acha a resposta a esta importante pergunta no acontecimento de Pentecostes, narrado em Atos 2.

Os discípulos, estavam em oração (Atos 1.14) “Todos eles (os discípulos), perseveraram unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos”

Eram cerca de 120 seguidores de Jesus. (Atos 1.15) em oração, quando...

Em Atos 2.2 “De repente veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados”

Atos 2.4 – “Todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem”.

Os discípulos, que estavam com medo, de repente, receberam o Espírito Santo e aí tudo mudou radicalmente, extraordinariamente.

De uma hora para outra os discípulos ganharam uma coragem fenomenal.

Pedro, que havia negado Jesus três vezes, agora faz um poderoso sermão (Atos 2.14 a 24).

Portanto quem mantém a igreja viva é o Espírito Santo de Deus.

Por Litrazini              

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

MANTENDO A VIDA RENOVADA

Muitas pessoas foram batizadas com o Espírito Santo. Vieram dias maravilhosos, foram usadas por Deus, mas depois esfriaram na fé e se esqueceram da gloriosa experiência que tiveram. Mas, para conservar uma vida renovada, cheia de graça divina, é preciso:

LEITURA BÍBLICA: Estabilidade na vida espiritual é resultado de um conhecimento profundo da Palavra.

“Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido”, (Js 1: 8)

Lendo a Bíblia diariamente, meditando e fazendo o que nela está escrito é possível ao servo de Deus conservar uma vida espiritual abundante. Assim não é preciso ficar na dependência de visões, de profecias. Essas manifestações irão apenas confirmar o que já está na Palavra.

ORAÇÃO. Os cristãos primitivos estavam sempre cheios do Espírito e renovados porque viviam em oração, At 4: 31. É triste ver como muitas igrejas estão perdendo o calor em suas mensagens porque o fervor da oração está desaparecendo.

Renovação espiritual e avivamento são experiências que devem ser vividas diariamente. Para tanto, o cristão precisa, a cada dia, intensificar sua vida de oração, (Mt 14: 23; Lc 5: 16 e 6: 12).

O próprio Jesus orou muito durante seu ministério.

Muitos cristãos estão se vendo confusos porque os bens materiais têm tomado o tempo da oração. Oração é questão de disciplina pessoal. Procure reservar alguns minutos, todos os dias, para estar na presença do Senhor.

VIDA HUMILDE. O orgulho tem levado muitos cristãos ao fracasso. A vida abundante, cheia do Espírito, não é para que se ache melhor que os outros.

O enchimento com o Espírito Santo deve levar a pessoa ao trabalho pelo próximo, à edificação da igreja: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas...”, (At 1: 8)

SANTIFICAÇÃO. O apóstolo Paulo recomendou aos cristãos: “E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção, (Ef 4: 30).

Davi, ao pecar, temeu que o Espírito do Senhor fosse retirado de sua vida, (Sl 51: 11). Por isso, se quisermos cultivar o avivamento, temos de alegrar o Espírito de Deus para que Ele atue em nós com muito poder.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

terça-feira, 24 de agosto de 2021

AUTORIDADE RECUPERADA E DEVOLVIDA

Quando Deus fez o homem deu-lhe livre arbítrio e domínio, ou seja, autoridade sobre tudo.

Antes só Deus tinha autoridade. Mas delegou parte dela ao homem e nunca a cassou.

É por isso que o ser humano tem liberdade de fazer o que for necessário.

O diabo queria essa autoridade. Com a queda (a desobediência) o homem delegou a autoridade que Deus havia lhe dado ao diabo.

 “Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algum”. (Lc.10.19)

“Estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados”. (Mc,16.17,18)

Isto é incrível, fabuloso tudo que está nas mãos de satanás esta sujeito a nós, pela autoridade que Jesus nos dá.

Ao ressuscitar Jesus procurou os discípulos e entregou-lhes a autoridade que havia tomado de satanás.

E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra... e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. (Mt. 28.18-20)

“E havendo dito isso, assoprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo Àqueles a quem perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; e àqueles a quem os retiverdes, são-lhes retidos.” (João 20.22,23)

Agora é conosco

Repreendemos o inimigo

Expulsamos o inimigo ele irá embora.

Colocamos as mãos sobre os enfermos eles serão curados.

Satanás sabe que temos tal autoridade, mas fica na esperança que a ignoramos. Não adianta falar sobre autoridade e proclamá-la em alto e bom som. Precisamos exercitá-la.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


 

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

PROPÓSITOS DA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA.

Nas numerosas orações intercessórias da Bíblia, os santos de Deus intercediam para que Deus sustasse o seu juízo. Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó Senhor, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que os gentios o dominem; por que diriam entre os povos: Onde está o seu Deus? (Jl 2.17)

Que restaurasse o seu povo (Ne 1; Dn 9)

Que livrasse as pessoas do perigo “Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus” (At 12.5); (At 12.12; Rm 15.31).

Que abençoasse o seu povo “O Senhor te abençoe e te guarde; O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; O Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz. (Nm 6.24-26); (1Rs 18.41-45; Sl 122.6-8).

Os intercessores também oravam para que o poder do Espírito Santo viesse sobre os crentes “Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus). Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo. (At 8.15-17); (Ef 3.14-17),

Para que alguém fosse curado (1Rs 17.20-23; At 28.8; Tg 5.14-16),

Pelo perdão dos pecados (Ed 9.5-15; Dn 9; At 7.60),

Para Deus dar capacidade às pessoas investidas de autoridade para governarem bem (1Cr 29.19; 1Tm 1.1,2),

Pelo crescimento na vida cristã (Fp 1.9-11; Cl 1.10,11),

Por pastores para que sejam capazes (2Tm 1.3-7),

Pela obra missionária (Mt 9.38; Ef 6.19,20),

Pela salvação do próximo (Rm 10.1)

Para que os povos louvem a Deus (Sl 67.3-5).

Qualquer coisa que a Bíblia revele como a perfeita vontade de Deus para o seu povo pode ser um motivo para a oração intercessória.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

domingo, 22 de agosto de 2021

O CAMINHO DA SANTIFICAÇÃO

Arrependimento, um dos primeiros sinais, ou evidência da transformação que ocorre na vida de quem nasceu de novo. 

É uma mudança de atitude para com o pecado e para com Deus.

Quem se arrepende passa a odiar o pecado e a se afastar dele. Portanto, dize à casa de Israel: Assim diz o Senhor Jeová: Convertei-vos e deixai os vossos ídolos; e desviai os vossos rostos de todas as vossas abominações (Ez.14.6).

Portanto, eu vos julgarei, a cada um conforme os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o Senhor Jeová; vinde e convertei-vos de todas as vossas transgressões , e a iniquidade não vos servirá de tropeço (Ez.18.30).

Quem se arrepende do pecado passa andar no caminho da retidão e da verdadeira santidade. E passa a produzir FRUTOS DIGNOS DO ARREPENDIMENTO, como evidência de que essa mudança ocorreu em sua vida. 

Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos de Abraão (Lc.3.8).

O Verdadeiro arrependimento leva o pecador assumir a sua culpa diante de Deus e diante dos homens. O filho pródigo disse: “... levantar-me-ei e irei Ter com meu pai e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho”.

O arrependimento deve produzir CONFISSÃO, TRISTEZA por machucar o coração de Deus. Deve produzir abandono do pecado e anseio, desejo de ficar livre dele.

Arrependimento é uma atitude que deve ser iniciativa do pecador, entretanto é também uma graça operada em nosso coração pelo poder persuasivo do Espírito Santo. E, ouvindo estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade, até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida (At.11.18).

O Espírito Santo revela a nossa condição pecaminosa diante de Deus e nos faz dispostos a renunciar nosso estado de rebeldia contra Deus e sua autoridade.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

sábado, 21 de agosto de 2021

A VOLTA DE JESUS

“Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se.” (2Pe 3.8,9)

Como Viver esperando por Jesus: “Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos, para que, renunciando à impiedade e às paixões mundanas, vivamos no presente mundo sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, que se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo todo seu, zeloso de boas obras.” (Tito 2.11-14)

Como estará o mundo quando Jesus voltar: “Pois como foi dito nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos; assim será também a vinda do Filho do homem.” (Mt 24.37-39)

O nos aguarda: “Porque o Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então retribuirá a cada um segundo as suas obras.” (Mt 16,27)

“Quem é injusto, faça injustiça ainda e, quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda.” (Ap 22.12)

O regresso de Jesus: “Assim também Cristo oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” (Hb 9.28)

Na Segunda Vinda de Cristo, finalmente teremos a completa realidade da nossa salvação.

“De maneira que nenhum dom vos falta, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual também vos confirmará até o fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1Co 1.7,8)

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

MELHORANDO O CONVIVIO

Sem o DISCERNIMENTO estamos sujeitos ao fracasso e até mesmo à morte espiritual.

É que corremos o grave risco de lutar contra nós mesmos e contra Deus, e consequentemente, a favor do inimigo.

Devemos discernir o que é ação de Deus. “Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim sãos os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos” (Is. 55.9).

Devemos estar atentos, para não atribuirmos um ato de Deus que não entendemos, a algo ou alguém que não ele (At. 16.6-10).

Nem tudo que aparentemente dá errado, é necessariamente obra do diabo ou maldição.

Existem coisas que Deus permite que aconteçam com o objetivo de transformar nossa fraqueza em força, derrota em vitória “...O que faço não o sabes agora; compreendê-lo-ás depois.” (Jo. 13.7).

Discernir o que é ação do maligno “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora” (1 Jo. 4.1).

Eis alguns textos bíblicos que exemplificam o engano de espírito maligno

“Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo” (At. 16.17);

“Por isso bem quisemos uma e outra vez ir ter convosco, pelo menos eu, Paulo, mas Satanás no-lo impediu” (1 Ts. 2.18).

“E o Espírito do Senhor se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do Senhor...” (1Sm. 16 14-23).

Discernimento do que é a ação da carne – “Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer.” (Gl. 5.17)

Fazendo isso, podemos ter um convívio melhor.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

quinta-feira, 19 de agosto de 2021

O CHAMADO À INTERCESSÃO

Todo cristão é chamado a exercer o sacerdócio. Sacerdote é o que se coloca diante de Deus no lugar do homem, levando suas necessidades à presença dAquele que somente pode intervir miraculosamente na vida da raça humana.

"Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz." l Pe 2:9

Todos têm acesso à Deus, através de Cristo Jesus, porém a Bíblia nos exorta a orar uns pelos outros e fazer súplicas e intercessões por todos os homens.

É um imperativo, um chamado, um dever, um privilégio.

A terra é ainda dos filhos dos homens e é nela que as batalhas se travam. Em Cristo temos uma aliança com Deus, mas ainda é através dos homens que tudo se realiza na terra.

Cristo, como o Intercessor provido pelo Pai, é que Ele tem autoridade de nos representar diante de Deus e, pelo Seu Espírito, tanto mudou nossa natureza, nos regenerou, elevando-nos à posição de filhos de Deus, como vive em nós.

Isso nos garante uma presença sobrenatural para nos guiar num viver de acordo com Seus propósitos.

Por causa do Espírito Santo em nós, que nos revela todas as coisas, podemos agora falar e orar em perfeita linha com a vontade do Pai.

Mas Você e eu somos a boca através da qual o Espírito Santo vai orar na terra o que Jesus ora no Céu. Através de nós, Ele intercederá com "gemidos inexprimíveis."

Satanás só opera na terra, porque encontra o consentimento dos homens, Deus também opera na terra através do mesmo consentimento e instrumentalidade.

Temos que abrir a boca aqui e dizer o que Deus diz no Céu, e é quando essa harmonia acontece, que as circunstâncias mudam, vidas são arrancadas do inferno, avivamentos rompem, cadeias são quebradas, Deus é temido, obedecido e glorificado

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

quarta-feira, 18 de agosto de 2021

ARMAS DE COMBATE ESPIRITUAL

Cada filho de Deus está envolvido em um grande conflito espiritual, quer queira quer não, pois somos seres espirituais, e a nossa vitória ou derrota está, antes de tudo no reino do espírito. 

Porém não devemos temer pois a palavra de Deus garante que somos mais do que vencedores, por Aquele que nos amou (Rm.8.37). A nossa vitória foi obtida pelo próprio Cristo, mediante a sua morte na cruz.

AS ARMAS DA NOSSA MILICIA

“As armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas” IICo 10.4. A expressão fortalezas representa lugares ou situações que o inimigo mantém as almas presas de tal forma que ficam quase sem possibilidades de serem alcançadas pelo poder do evangelho.

FORTALEZAS:

O amor ao pecado; A incredulidade; A religiosidade; As seitas e heresias; As tradições locais e familiares; Desculpas com o tempo a idade.

Tudo aquilo que impede o homem ou a mulher de se achegar a Deus, certamente é uma fortaleza que precisa ser destruída para que esta pessoa seja liberta.

COMO DESTRUIR ESTAS FORTALEZAS?

As armas carnais e humanas são inadequadas para destruir as fortalezas de satanás. As únicas armas adequadas para desmoronar os arraiais do inferno, a injustiça e os falsos ensinos, são as que Deus nos dá.

Mediante o emprego destas armas contra o inimigo, o reino de Deus se manifestará poderosamente para destruir as fortalezas, salvar os pecadores, iluminar o entendimento dos incrédulos, expelir os demônios, santificar os crentes e curar os enfermos.

A ARMADURA DE DEUS

No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades ...” Ef.6.10-18.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

terça-feira, 17 de agosto de 2021

JESUS CRISTO, O EU SOU

Eu sou o que sou.” A Epístola aos Hebreus diz a Seu respeito: “Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre” (Hb 13.8).

Deus queria morrer pelos pecados dos homens, de modo que tinha de se tornar homem e por isso veio ao mundo através de Jesus Cristo.

“Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz” (Fp 2.6-8).

Jesus é Deus e existe desde a eternidade como o próprio Deus.

Nascemos como seres humanos e desejamos entrar na vida eterna. Jesus veio da vida eterna e tornou-se homem para morrer.

No jardim Getsêmani, quando Jesus se revelou como o “Eu Sou” e todos os seus inimigos recuaram e caíram por terra, Ele ordenou: “Se é a mim, pois, que buscais, deixai ir estes (Seus discípulos)” (Jo 18.8). E então entregou-se voluntariamente para morrer.

Por Jesus ser Aquele que é, Deus “O exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra” (Fp 2.9-10).

É por isso que “Não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4.12).

Jesus é o verdadeiro e único sarador e Salvador. Ele controla qualquer situação com que possamos nos defrontar.

Jesus disse com toda a autoridade: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30). Por essa razão aplicam-se a Ele as palavras de Isaías 43.11: “Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

segunda-feira, 16 de agosto de 2021

NO MONTE DO CALVÁRIO

"Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como os malfeitores, um à direita, outro à esquerda..." (Lc 23.33-35).

Realmente Ele é o Cristo (o ungido de Javé) e o escolhido de Deus. Oitocentos anos antes da Sua vinda, Ele já foi legitimado por Deus: "Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz: pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios" (Is 42.1).

Quando ficamos olhando para o monte do Calvário, uma coisa se torna bem clara: esse Ungido e Escolhido já havia sido predestinado desde a eternidade a levar a própria cruz para a execução no Gólgota como se fosse o maior criminoso.

Pensem no que deve ter custado esse caminho de sacrifício a Jesus e ao Pai!

Não conseguimos avaliá-lo, apenas podemos adorá-lO por isso.

Ele, o puro Filho de Deus, foi entregue nas mãos dos pecadores e ímpios para ser barbaramente executado.

Por quê? O malfeitor arrependido que foi pendurado em uma cruz ao lado de Jesus teve de nos servir de exemplo e confessou na hora da sua morte: "Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez" (Lc 23.41).

"Porque Cristo... morreu a seu tempo pelos ímpios" (Rm 5.6).

"Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados", (Is 53.5).

Essas pisaduras são a prova de Seu sacrifício absolutamente suficiente e de Seu amor salvador insondável.

Foram os nossos pecados que O levaram à cruz. Arrependimento é um presente celestial.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

domingo, 15 de agosto de 2021

COMO DERROTAR NOSSOS INIMIGOS

Enquanto aqui esteve, Cristo ensinou aos seus discípulos como deveriam agir diante dos inimigos:

"Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam; bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses" (Lc. 6:27-29).

Na antiga aliança, o mandamento também era esse: "Se encontrares o boi do teu inimigo, ou o seu jumento, desgarrado, sem falta lho reconduzirás. Se vires o jumento, daquele que te odeia, caído debaixo da sua carga, deixarás pois de ajudá-lo? Certamente o ajudarás a levantá-lo" (Êx. 23:4, 5).

Salomão, um dos homens mais sábios de toda a história, nos incentivou a fazer exatamente isto: "Quando cair o teu inimigo, não te alegres, nem se regozije o teu coração quando ele tropeçar...

Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe pão para comer; e se tiver sede, dá-lhe água para beber; porque assim lhe amontoarás brasas sobre a cabeça; e o Senhor to retribuirá" (Pv. 24: 17; 25:21, 22).

O mesmo ensinou o apóstolo Paulo: "Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça" (Rm. 12:20)

Sim, a melhor forma de tratarmos àqueles que nos desejam o mal, não é revidando, não é fazendo também o mal, mas amando-os, amando-os de todo o coração.

Quando nos dispomos a amá-los, quando adquirimos uma profunda compaixão pela vida dos nossos inimigos, algo maravilhoso e inexplicável acontece ao coração deles, que não conseguem resistir por muito tempo ao nosso amor.

É assim que devemos derrotar aos nossos inimigos. 

Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; (Mt 16:24)

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sábado, 14 de agosto de 2021

OS EFEITOS DA INCREDULIDADE

Contagia e conduz o povo ao desespero. Nm 14.1. Toda a congregação chorou. Só viram suas impossibilidades e não as possibilidades de Deus. Ficaram esmagados de desespero. Não viram saída. Não viram solução. Em Êxodo 15.13-18 – olharam para Deus e cantaram. Agora olham para o inimigo e se veem como gafanhotos e choram.

Contagia e conduz o povo à murmuração. Nm 14.2. O povo em vez de se voltar para Deus, se volta contra Deus. Em vez de ver Deus como libertador, o vê como opressor. Acusaram a Deus. Murmuraram contra Ele.

Conduz à ingratidão. Nm 14.2. “…antes tivéssemos morrido no Egito.” O povo se esqueceu da bondade de Deus, do livramento de Deus, das vitórias que Deus lhes dera.

Conduz à insolência contra Deus. Nm 14.3. Acusaram a Deus. Infamaram a Deus. Insultaram a Deus. Disseram que Deus era o responsável pela crise.

Conduz à apostasia. Nm 14.3. “Não nos seria melhor voltar ao Egito?” Não há nada que entristece mais o coração de Deus do que ver o seu povo arrependido de ter se arrependido. Do que ver o seu povo desejoso de voltar ao mundo e ao Egito.

Eles se enfastiaram de Deus, da sua direção, da sua companhia e sustento. Eles se esqueceram dos benefícios de Deus e dos açoites dos carrascos.

Quando você deixa a igreja e volta para o mundo, para o pecado, só vê gigantes diante de você e não o poder de Deus. Isso leva à apostasia e fere o coração de Deus.

Conduz à amotinação. Nm 14.4. Queriam outros líderes que os guiassem de volta ao Egito. Rebelaram-se contra Deus. Não queriam mais seguir o comando de Moisés. Houve uma insurreição. Um motim. Uma conspiração. Um reboliço. Uma agitação. Uma fermentação no meio do povo.

Conduz à rebeldia contra Deus. Nm 14.9. Amar mais o Egito que o Deus da promessa é rebeldia. Não crer no Deus todo poderoso e se intimidar diante dos gigantes deste mundo é rebeldia. Não andar pela fé é rebeldia.

Conduz ao medo do inimigo. Nm 14.9. O medo vê fantasma, como aconteceu com os discípulos no mar da Galiléia. O medo altera as situações. Josué e Calebe viram os inimigos como pão que seriam triturados.

O povo viu os inimigos como gigantes. O povo se viu como inseto. Josué e Calebe se viram como povo imbativo.
Conduz à perseguição contra os líderes. Nm 14.10. Em vez de obedecer a voz de Deus, o povo rebelde decidiu apedrejar os arautos de Deus. Não queriam mudar de vida, por isso, queriam mudar de liderança e se ver livre dela.

Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz