sexta-feira, 15 de novembro de 2019

O QUE É O EVANGELHO?


É muito importante termos uma compreensão de qual é a mensagem essencial da fé cristã. O nome que damos para esta mensagem é “Evangelho”. Esta mensagem resume de certa forma todo o conteúdo da Bíblia ou o projeto de Deus para o ser humano:

CRIAÇÃO. Deus nos criou para adorar. Nosso coração não encontrará descanso enquanto não descansarmos em Deus, nosso criador. Ele nos amou antes mesmo de nos criar. Ele nos criou para sermos seus amigos íntimos, para andarmos com ele, vivermos para a sua glória para sempre. E assim foi por algum tempo, porém...

PECADO. O inesperado aconteceu. Nossos primeiros pais, Adão e Eva, quebraram a aliança de amor e amizade com Deus. Eles pediram divórcio dele, e por consequência, todos nós também.

Hoje vivemos independentes de Deus, caminhamos com as nossas próprias pernas. Somos pecadores rebeldes! Quando pecamos é como se estivéssemos dizendo para Deus: “Eu posso viver sem você!” É por isso que há sofrimento, frustração, traição, mentira e o pior, a morte. Por causa do pecado, nosso destino é a morte. O salário do pecado é a morte. Será que Deus errou ao nos criar? Criar para nos jogar fora?

RESGATE. Deus não nos criou para sermos destruídos, por isso ele tinha um plano desde a eternidade: perdoar nossos pecados, pagar a nossa dívida, nos livrar da morte. Deus entrou na história humana no rosto de um homem simples, Jesus Cristo, como prova de seu amor por nós.

Jesus viveu a vida perfeita que nós não vivemos e, por isso, o salário de sua vida é a vida eterna. Porém, Deus o levou até a cruz para receber o nosso salário: a morte. Na cruz, então, ocorre uma substituição: O Cristo santo recebe a nossa morte, e nós pecadores recebemos a sua vida eterna.

QUANTO AMOR! QUE PLANO MARAVILHOSO PARA NOS SALVAR. JESUS CRISTO MORTO NA CRUZ HÁ DOIS MIL ANOS ATRÁS É A CARTA DE AMOR DE DEUS EM RESPOSTA AO DIVÓRCIO QUE TODOS NÓS ENTREGAMOS A DEUS.

NOVA VIDA. Mas Jesus não apenas morreu, ele ressuscitou ao terceiro dia! Isso significa que Deus quer escrever uma nova história conosco. É possível viver de maneira radicalmente diferente da qual vivíamos antes! Agora é possível deixar Jesus mudar dia após dia as nossas vidas e nos tornar parecidos com quem ele é. Para isso precisamos fazer duas coisas:

1. Arrepender-nos dos nossos pecados, concordar que somos pecadores;
2. Crer com todo o nosso coração que Jesus é o nosso Senhor e Salvador. Acredite: o seu passado foi cancelado na cruz, é hora de viver uma nova vida!

VIDA ETERNA. E não apenas ele nos devolve, agora, uma nova vida. Deus preparou para nós a eternidade. Nela, com Deus, seremos aquilo que Ele projetou desde sempre: seus amigos mais íntimos. Estaremos juntos para sempre com Deus e nunca mais nos preocuparemos com as nossas dores, doenças, injustiças, sofrimento ou morte.

Porém, aqueles que continuarem na rebelião contra Deus serão condenados para sempre à morte eterna, longe da alegria e do amor de Deus.

Nós, porém, os que cremos, temos a maravilhosa esperança de vivermos com Deus eternamente em perfeita alegria.

Jean Francesco

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

O ANTICRISTO - QUEM, QUANDO, ONDE, POR QUE


QUEM É: Anticristo significa "opositor de Cristo, "contra Cristo". Também chamado de "a besta que subiu do mar" (Ap 13.1); "filho da perdição, homem do pecado" (2 Ts 2.3-4) ; "a besta escarlate" (Ap 17.3); "a besta" (Ap 17.8,16); "o homem violento" (Is 16.4); "o príncipe que há de vir" (Dn 9.26); "o rei do Norte" (Dn 11.40); "o angustiador" (Is 51/13) ; "o iníquo" (2 Ts 2.8); "o mentiroso" (1 Jo 2.22); "o enganador" (2 Jo v7); "um rei feroz de cara" (Dn 8.23); "a ponta pequena" (Dn 7.8). O Anticristo será um homem como outro qualquer, nascido de mulher, porém a serviço de Satanás..
        
2) PREDIÇÃO: "Ninguém// de maneira alguma vos engane, pois isto não acontecerá sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição" (2 Ts 2.3,4,8; Dn 8.23; 9.26; 1 Jo 2.18; Ap 13.1-8).

3) QUANDO E COMO SURGIRÁ: A presença da Igreja na Terra e a consequente ação do Espírito Santo têm impedido, nos dias de hoje, a plena manifestação do Anticristo (2 Ts 2.6-7). Todavia, após o arrebatamento da Igreja, e diminuída a influência do Espírito - tudo de conformidade com o plano de Deus -, a raça humana descerá a um nível de depravação jamais visto: desprezo aos valores éticos e morais; violência sem limites; liberdade e perversão sexual; ocultismo; falta de amor.

Ademais, o desaparecimento repentino de milhões de crentes, em face do arrebatamento, causará grande perplexidade e temor. Haverá uma desorganização geral em todos os níveis da atividade humana, além de gigantescos desastres e muitas mortes.

Exemplos: muitas aeronaves ficarão sem comando porque seus comandantes foram arrebatados em pleno vôo; muitos acidentes aéreos, porque os controladores de vôo desaparecerão; engarrafamentos, batidas e mortes nas estradas e nos grandes centros urbanos, porque muitos veículos ficarão repentinamente desgovernados; milhares de empresas comerciais e industriais, pequenas e grandes lojas ficarão com um número reduzido de empregados; grande desfalque também de servidores nas repartições públicas; os serviços públicos, tais como bombeiros, limpeza e comunicações serão afetados.

Por outro lado, inúmeros imóveis residenciais, igrejas e lojas ficarão abandonados; presos fugirão dos presídios e os saques se multiplicarão. Os governantes não terão meios de colocar as coisas em ordem. Ninguém será capaz de explicar a causa do repentino desaparecimento de parentes e amigos.

Caos total. Convulsão social. É nesse contexto que surgirá um homem muito inteligente, com respostas inteligentes e prometendo soluções práticas para todos os problemas. Esse homem é o Anticristo. Convém dizer que a iniquidade vem crescendo assustadoramente em todo o mundo.

A imaginação do homem é pródiga em descobrir novas fórmulas de se tornar mais indigno, mais impuro, imoral, cruel e depravado. "E, por isso, Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam na mentira, e para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na iniquidade" (2 Ts 2.11-12). Mas essa rebeldia ainda não chegou no limite de Deus. Ninguém sabe qual seja esse limite. Sabe-se, todavia, que o fim virá. O castigo virá no tempo de Deus, tal qual ocorreu nos tempos de Noé e de Sodoma e Gomorra.

4) SUAS ATIVIDADES: A manifestação do Anticristo na Terra durará sete anos, e suas atividades nesse período estão divididas em duas fases como a seguir:

a) PRIMEIRA FASE - No início do período de sete anos, o Anticristo, sob a máscara de um político inteligente e poderoso, fará uma aliança com Israel por sete anos - e, por extensão, com as demais nações -, em que prometerá prosperidade, segurança e paz, tendo em vista a situação caótica mundial: "Ele confirmará uma aliança com muitos por uma semana..." (Dn 9.27-a).

b) SEGUNDA FASE - Todavia, havendo transcorrido metade do tempo previsto no acordo, ou seja, passados três anos e meio de aparente paz, prosperidade e segurança, aquele político deixará cair a máscara e mostrará sua face e seus objetivos malignos: romperá a aliança com Israel; assumirá a posição de governante mundial com autoridade sobre todas as nações; anunciará ser ele o próprio Deus; profanará o templo em Jerusalém e ali colocará uma imagem sua para ser adorada; proibirá a adoração ao Deus dos cristãos; perseguirá de forma sistemática e cruel seus opositores; perseguirá por 42 meses os fiéis a Cristo; fará grandes milagres e maravilhas em razão do seu poder satânico, e, com isto, ganhará muitos admiradores. Verifiquemos como a Bíblia relata essa fase:

"Ele confirmará uma aliança com muitos por uma semana [sete anos], mas na metade da semana [três anos e meio, 42 meses ou 1.260 dias] fará cessar o sacrifício e a oferta de cereais" (Dn 9.27). O Anticristo só admitirá culto de louvor e adoração a ele próprio. 

"E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei..."(Dn 7.25). Por exemplo, não mais haverá liberdade religiosa. 

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini
Graça e Paz

TUDO A RESPEITO DO JEJUM


Quando jejuardes, não vos mostreis contristado como os hipócritas, porque desfiguram o rosto, para que o homem pareça que jejuam em verdade vos digo que já receberam o seu galardão, porem quando jejuares unge a cabeça e lava seu rosto. Para não parecer aos homens que jejuas, mas sim teu pai, que esta oculta; e teu pai, que vê o que esta oculta e te recompensará. (Mt 6.16-18)

No Antigo Testamento o jejum era aplicado por vários motivos, jejuavam pelos mortos, pelo infortúnio e tristeza como expressão da dor pelos pecados os próprios fariseus jejuavam duas vezes na semana.

A oração e o jejum estavam unidos na pratica daqueles crentes que vinham do gentilismo. O apostolo Paulo procura evitar a ideia de dar ao jejum um valor independente.

A palavra jejum não consta nos melhores manuscritos, em síntese, era um sacrifício ao qual se abstém dos alimentos, muito antigo em Israel, é bem provável que seja uma forma de agradar aos deuses dos povos do antigo oriente. Sempre em uma situação de emergência, como guerra, fome ou praga, era proclamado em todo o Israel um jejum como forma de humilhação a Deus no período de socorro.

O jejum em Israel continua por toda sua historia, sendo observado até no exilio babilônico, pelos profetas é visto como nulo, quando não se observa as legislações e memoria comunitária, como o direito e a justiça.

No novo testamento, o jejum também é uma pratica da igreja cristã. Dois textos nos evangelhos citam uma explicação de Jesus que parece ser algo novo sobre a ação do jejum no individuo que o faz.

Vale enfatizar que os jejuns que aparecem nos textos do antigo testamento e que reflete os tempos antigos da historia de Israel mostram algo coletivo, feito por todo o povo, já no novo testamento, vê-se um jejum individual, apenas em algum momento feito por toda comunidade.

Na bíblia, jejuar refere-se a abstenção de alimento por motivos espirituais, embora o jejum apareça frequentemente vinculado á oração, ele por si só deve ser considerado uma pratica de proveito espiritual.

Na realidade, o jejum bíblico pode ser chamado de oração sem palavra.

(1) HÁ TRÊS FORMAS PRINCIPAIS DE JEJUM, VISTA NA BÍBLIA:
(A) JEJUM NORMAL _ a abstinência de todos os alimentos, sólidos ou liquido, mas não de água, 
(B) JEJUM ABSOLUTO _ a abstenção tanto de alimento como de água.
Normalmente este tipo de jejum não deve ir além de três horas por dia, pois a parte daí o organismo desidrata o que é muito nocivo á saúde, Moisés e Elias fizeram jejum absoluto por 40 dias, mas sobre condições sobrenatural,
(C) O JEJUM PARCIAL _ uma restrição alimentar, e não uma abstenção total dos alimentos. O próprio cristo praticava a disciplina do jejum e ensinava que a mesma deveria fazer parte da vida consagrada do cristão, além de ser um ato de preparção para sua volta.

A igreja do Novo Testamento praticava o jejum,

O PROPOSITO DO JEJUM COM ORAÇÃO,
(a) um ato para Deus, visando á sua honra
(b), O crente humilha-se diante de Deus, para receber mais graça e desfrutar da presença intima de Deus;
(c) expressa pensar por causa de pecados e fracasso pessoas cometidos;
(d) busca graça divina para novas tarefas e reafirma nossa consagração a Deus
(e) como um meio de buscar a Deus, e aproximar-nos dele e prevalecer em oração contra as forças espirituais do mal que luta contra nos,
(f) como um meio de libertar almas da escravidão do mal,
(g) demostrar arrependimento e assim preparar o caminho para Deus muda seus propósitos declarados de julgamento;
(h) com o jejum obtivemos a revelação , sabedoria e entendimento no tocante á vontade de Deus,
(i) o jejum faz abrir o caminho para o derramamento do Espirito Santo, e para a volta de cristo á terra para buscar o seu povo.

Alex Souza

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

O QUE É A ARMADURA DE DEUS?

A frase “toda a armadura de Deus” vem da passagem do Novo Testamento: “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Efésios 6:13-17).

Efésios 6:12 indica claramente que o conflito com Satanás é espiritual e, portanto, nenhum arma física pode ser usada efetivamente contra ele e seus demônios. Não temos uma lista de táticas específicas que ele vai usar. No entanto, a passagem é bem clara ao dizer que quando seguimos todas as instruções fielmente, vamos poder resistir ao poder do mal e ter vitória, qualquer que seja a sua ofensa.

A primeira parte de nossa armadura é a verdade (versículo 14). Isso é fácil de entender, já que Satanás é o "pai da mentira" (João 8:44). Decepção é uma das primeiras coisas que Deus considera ser uma abominação. Uma "língua mentirosa" é uma das coisas que “o SENHOR aborrece” (Provérbios 6:16-17). Ele diz claramente que nenhum mentiroso vai entrar no céu (Apocalipse 22:14-15). Somos então exortados a usar a verdade para a nossa própria santificação e libertação e para o bem daqueles a quem somos testemunhas.

No versículo 14 somos encorajados a nos vestir com a couraça da justiça. Uma couraça iria proteger um guerreiro contra um golpe fatal ao coração ou outros órgãos importantes. Essa justiça não é obras de justiça feitas pelos homens – apesar de que elas seriam barreiras de proteção quando usadas contra acusações e censuras do inimigo. Ao invés disso, essa é a justiça de Cristo, imputada por Deus e recebida pela fé, a qual guarda os nossos corações contra as acusações de Satanás e protege o nosso ser interior contra seus ataques

Versículo 15 fala da preparação dos pés para o conflito espiritual. O soldado moderno, assim como o guerreiro da antiguidade, precisa prestar bastante atenção aos seus pés. Às vezes o inimigo da antiguidade colocava obstáculos perigosos no caminho dos soldados que estavam avançando. Isso é bem parecido com os campos minados de hoje.

Doenças também podem danificar os pés de um soldado que não tem seus pés protegidos. A idéia de ter o evangelho da paz como calçado sugere o que precisamos para poder avançar no território de Satanás; precisamos da mensagem da graça, a qual é tão essencial para ganhar almas para Cristo. Satanás tem colocado muitos obstáculos no caminho da propagação do evangelho.

O escudo da fé, ao qual o versículo 16 se refere, torna ineficaz o ataque de Satanás de plantar dúvidas em relação à fidelidade de Deus e Sua Palavra. Nossa fé – da qual Cristo é o autor e consumador (Hebreus 12:2) – é como um escudo de ouro, precioso, sólido e importante. Esse escudo é como um escudo de guerreiros fortes, pelo qual coisas importantes são alcançadas, e pelo qual um crente não só repele, mas também conquista o inimigo.

O capacete da salvação do versículo 17 protege a cabeça e serve para proteger uma parte do corpo que é tão importante. Podemos dizer que o jeito que pensamos precisa de preservação. A cabeça de um soldado era uma das partes principais a serem defendidas, pois ela podia sofrer um dos ataques mais mortais, e é a cabeça que comanda todo o corpo.

A cabeça é o centro da nossa mente, e quando ela possui a “esperança” certa do Evangelho de vida eterna, não vai receber doutrina falsa, ou deixar-se influenciar pelas tentações de Satanás de desespero. Uma pessoa não salva não tem nenhuma esperança de se proteger dos ataques de falsa doutrina porque sua mente é incapaz de discernir entre verdade e mentira.

Versículo 17 interpreta a si mesmo em relação ao que quer dizer com a espada do Espírito. Enquanto o resto da armadura é em sua natureza armas de defesa, aqui se encontra a única arma de ataque na armadura de Deus. Ela se refere à santidade e poder da Palavra de Deus. Uma arma espiritual maior não existe. Nas tentações de Jesus no deserto, a Palavra de Deus sempre predominou em suas respostas a Satanás. Que benção saber que a mesma Palavra também está disponível a nós!

Orar no Espírito (quer dizer, com a mente de Cristo, com Seu coração e Suas prioridades) como vemos no versículo 18 é o ponto auge do que está envolvido em nos preparar e utilizar todas as armas de Deus anteriormente mencionadas. É significante que essa passagem das Escrituras é tão fiel às prioridades de ministério destacadas por todas as epístolas de Paulo; ele acredita que oração é o elemento mais importante para a vitória e maturidade espirituais. Ele deseja ardentemente esse tipo de oração em sua vida também (versículos 19-20).

Fonte:GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 12 de novembro de 2019

PELA GRAÇA SOMOS O QUE SOMOS


Em muitas outras ocasiões a nação de Israel havia passado por grandes opressões e dificuldades como as que havia sofrido nos dias de Sansão, mas a nenhum outro homem Deus havia adotado com a força física sobrenatural e extraordinária que havia concedido a Sansão para livrar os israelitas das opressões dos filisteus.

Vejo nisto um método didático de Deus para nos convencer acerca da doação da Sua graça para nos fazer fortes para vencer o pecado e nossos inimigos espirituais.

Sansão sabia perfeitamente qual era a fonte daquela sua força, mas nós, nem sempre estamos conscientes disto em todo o tempo.

Veja o caso de Jó, que havia sido separado por Deus para receber graça em tal medida, que dele, o próprio Deus dera o testemunho de não haver alguém na Terra que fosse semelhante a Jó na prática da justiça e em se desviar do mal.

Jó não era santo por natureza. A sua santificação lhe fora dada por Deus. Jó era o que era por causa da graça que atuava poderosamente em sua vida.

Mas, e provável que Jó pensasse que muito do seu procedimento era fruto da sua completa diligência em agradar a Deus. Certamente que a sua diligência contribuiu com a ação da graça, mas tudo o que Jó era e fazia era fruto exclusivo da graça que operava em sua vida, e ele foi convencido desta verdade através das provações que teve que suportar.

Ele se viu fraco e pronto até mesmo para murmurar, mas a graça lhe assistiu na sua fraqueza e lhe revelou que somente Deus era a fonte de todo o seu bom testemunho de vida.

Passamos um grande tempo em santificação e quando pensamos que chegamos ao ponto de não mais falhar naquelas coisas que nos prendiam no passado e que desagradavam a Deus, acontece uma queda inesperada, e aí podemos ser convencidos que toda a nossa santificação procede da graça do Senhor, que nos guarda de cair em tentações e que nos livra da prática do mal.

Pela graça sou o que sou”, reconhecia o apóstolo Paulo.
E em nossos eventuais fracassos somos convencidos desta verdade até que não necessitemos ser mais corrigidos com tais fracassos, por aprendermos a tributar todo o louvor à glória da Sua maravilhosa graça.

Por Litrazini
Graça e Paz

A ORAÇÃO GERANDO VITÓRIA


O Povo de Deus possui o maior poder de artilharia e não se da conta disso; leia o texto abaixo e veja a arma que temos nas mãos.

Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus.
E quando Herodes estava para o fazer comparecer, nessa mesma noite estava Pedro dormindo entre dois soldados, ligado com duas cadeias, e os guardas diante da porta guardavam a prisão.

E eis que sobreveio o anjo do Senhor, e resplandeceu uma luz na prisão; e, tocando a Pedro na ilharga, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa. E caíram-lhe das mãos as cadeias. E disse-lhe o anjo: Cinge-te, e ata as tuas alparcas. E ele assim o fez. Disse-lhe mais: Lança às costas a tua capa, e segue-me.

E, saindo, o seguia. E não sabia que era real o que estava sendo feito pelo anjo, mas cuidava que via alguma visão. E, quando passaram a primeira e segunda guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, a qual se lhes abriu por si mesma; e, tendo saído, percorreram uma rua, e logo o anjo se apartou dele.

E Pedro, tornando a si, disse: Agora sei verdadeiramente que o Senhor enviou o seu anjo, e me livrou da mão de Herodes, e de tudo o que o povo dos judeus esperava.

E, considerando ele nisto, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam.

E, batendo Pedro à porta do pátio, uma menina chamada Rode saiu a escutar; E, conhecendo a voz de Pedro, de gozo não abriu a porta, mas, correndo para dentro, anunciou que Pedro estava à porta.

E disseram-lhe: Estás fora de ti. Mas ela afirmava que assim era. E diziam: É o seu anjo. Mas Pedro perseverava em bater e, quando abriram, viram-no, e se espantaram.

E acenando-lhes ele com a mão para que se calassem, contou-lhes como o Senhor o tirara da prisão, e disse: Anunciai isto a Tiago e aos irmãos. E, saindo, partiu para outro lugar.

E, sendo já dia, houve não pouco alvoroço entre os soldados sobre o que seria feito de Pedro. (Atos 12.5-18)

Nada nem ninguém conseguiu barrar a resposta da oração. Porque? Porque Deus é Fiel, e suas mãos não estão encolhidas, nem seus ouvidos tapados para o clamor do seu povo. Ele ainda diz que, tudo o que pedirmos em oração, crendo, nós receberemos.

Portanto...

Lidiomar Trazini Granatti / Litrazini
Graça e Paz

domingo, 10 de novembro de 2019

REFUGIO


“Porém o profeta Gade disse a Davi: Não fiques neste lugar seguro; vai e entra na terra de Judá. Então, Davi saiu e foi para o bosque de Horete” – (1 Samuel 22. 5)

No presente século em que vivemos os tempos não estão fáceis, assaltos, roubos, assassinatos, furtos, a humanidade avança em passos largos para a queda e destruição. Em nossos dias, é comum vermos empresários, artistas, esportistas, famosos em geral e tantas outras pessoas que aos olhos da mídia são importantes andarem com seguranças, em alguns casos é essencial a presença desses profissionais. Na maioria das vezes, eles são pessoas fortes, instruídos em defesa pessoal, pessoas fortemente treinadas para trazer segurança a alguém.

Davi ainda jovem, não era rei. E nesta ocasião a situação não poderia ser pior, Davi não está mais no palácio, está foragido na caverna de Adulão (1 Samuel 22. 1). Davi teve de fugir para que Saul não o matasse, e o único refúgio que ele achou foi este: uma caverna.

EM QUE OU QUEM VOCÊ BUSCA REFÚGIO?
Quem sabe se sinta seguro com uma conta bancária gorda, com familiares e amigos que te apoiem, com uma esposa piedosa, quem sabe você se sinta seguro com uma casa bem protegida cheia de câmeras de vigilância, alarmes e outros aparatos, quem sabe seu refúgio seja um ministério bem alicerçado.

DIGA-ME ENTÃO O QUE VAI TE PROTEGER DO DIABO? DA MORTE? SERÁ QUE UM SEGURANÇA PARTICULAR VAI TE PROTEGER DE UM ATAQUE CARDÍACO FULMINANTE? DE UMA SEPARAÇÃO DOLOROSA?
Sim vai doer, já doeu em mim, já doeu em Davi. Não se culpe, Ele também procurou fazer o mesmo. Ele procurou refúgio em alicerces terrenos, uma cidade altamente protegida, Davi vai para Mispa, uma cidade fortemente protegida e leva seus pais.

“Dali passou Davi a Mispa de Moabe e disse ao seu rei: Deixa estar meu pai e minha mãe convosco, até que eu saiba o que Deus há de fazer de mim” – (1 Samuel 22. 3)

Para quem é guiado pelo Senhor é comum não saber para onde está indo, mas não é comum se desesperar com isso. Aqueles que andam debaixo da vontade de Deus estão ou devem estar acostumados a não saber para onde está indo, mas acontece que nessas horas o medo bate no coração, o desespero chega. O que fazer então? E então a voz de Deus se manifesta através do profeta Gade:

“Porém o profeta Gade disse a Davi: Não fiques neste lugar seguro; vai e entra na terra de Judá. Então, Davi saiu e foi para o bosque de Horete” – (1 Samuel 22. 5)

Conseguiu compreender esta ordem? Ao lermos as primeiras vezes, parece uma grande contradição. Como é Deus? O Senhor está me mandando sair deste lugar Seguro? Quer que eu saia desta cidade altamente protegida? Seguro para quem Davi? Para você? Porque ir justamente para o lugar que querem minha morte?

Ele diz diretamente: “Vai e entra na terra de Judá”. Judá fazia parte dos domínios do rei Saul, de todos os lugares que Davi tinha ido, este era o lugar que teoricamente ele estaria mais vulnerável, mas na realidade não estava.

Na nossa fraca mentalidade procuramos refúgios em muitas coisas dessa terra, mas acontece que o significado de refúgio para nós, é diferente no dicionário de Deus.

Encontrar refúgio em uma cidade fortemente armada é muito fácil, difícil é encontrá-lo na terra de Judá, difícil é encontrar refúgio aonde te perseguem, te caluniam, aonde não existem amigos, câmeras de segurança, aonde não existem guarda-costas; Difícil é encontrar refúgio em um deserto, em uma floresta, isolado, sem ninguém para proteger ou consolar. Não é fácil, mas é possível. Davi estava sendo caçado para ser morto e Deus o manda para a boca do leão? Isso ai!

Vai para Judá Davi, tá com Deus tá seguro! Quando você está com Deus não importa o lugar que você esteja, você continua seguro; não importa quantos procuram a sua morte, você continua seguro.

Em Deus possuímos a verdadeira segurança. O homem natural busca refúgio em uma cidade, em guarda-costas, em coisas dessa terra, mas o homem espiritual busca refúgio no Senhor.

Volte para Judá Davi! Para lá mesmo. Davi achou que na caverna de Adulão poderia ter segurança, achou que em Mispa acharia refúgio, mas ele estava errado. Não importa o lugar que você está, se Deus estiver com você, tenha certeza que estará seguro.

Somente em Deus temos segurança, somente em Deus temos refúgio, somente em Deus temos paz, Somente em Deus temos salvação.

Agora parece que Davi se parece mais conosco né? Olhe para o seu medo e você ficará perdido, portanto, olhe para Jesus, olhe para o calvário, olhe para a cruz vazia, para as feridas nas mãos, foi por você!

Quando se entregares completamente ao Senhor, todos os medos desaparecerão, e mesmo que sinta medo, Ele será o seu refúgio.

Samuel Segantine Ribeiro

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 9 de novembro de 2019

A EVANGELIZAÇÃO GERANDO CURA



“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. 

Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” Mc 16:15-18

Esta missão se estende a nós; At 14:7-10: “onde anunciaram o evangelho. Em Listra, costumava estar assentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, o qual jamais pudera andar. 

Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado, disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava Paulo em Listra e Derbe. O Homem tinha fé para ser curado. O ouvir a Palavra trará fé aos corações para receberem cura na sua própria fé.”

OUVIR PARA SER CURADO
“E, descendo com eles, parou numa planura onde se encontravam muitos discípulos seus e grande multidão do povo, de toda a Judéia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e de Sidom, que vieram para o ouvirem e serem curados de suas enfermidades; também os atormentados por espíritos imundos eram curados. 

E todos da multidão procuravam tocá-lo, porque dele saía poder; e curava todos. Então, olhando ele para os seus discípulos, disse-lhes: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus.”Muitas pessoas querem ser curadas, mas não querem se achegar para ouvir. Lc 6.17.20.

“Enviou-lhes a sua palavra, e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal.” Sl.107.20

Lidiomar Trazini Granatti / Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

NO CONTROLE


Uma violenta tempestade em alto mar, os discípulos com medo de naufragarem, as ondas inundavam o barco, o desespero batendo no peito, a situação não estava sob controle, e Jesus dormia.

Muitas vezes temos uma noção de poder diferente da de Jesus. Acontece que precisamos ver alguém no domínio da situação para saber que é uma pessoa poderosa. Sentimos confiança ao ver um Super Herói mostrando sua força e confiança diante das situações, mas Jesus não era assim.

Uma terrível tempestade no lado de fora, o barco balançava de um lado para o outro, os discípulos tremendo de medo, e no meio de toda esta situação, o seu Mestre estava dormindo.

Podemos pensar em muitos motivos para responder por que Jesus dormia. Quem sabe ele estivesse exausto a ponto de cair no sono, mas eu prefiro acreditar que Ele queria mostrar algo maior.

Mostrar que não era necessário assumir o leme do navio para demonstrar seu controle e poder. Ele estava tanto no controle de tudo que dormia. Poderias tu dormir em meio à tempestade?

Conseguiria achar aquele que até o vento e o mar obedecem para conseguir a paz em meio à tempestade? Conseguiria respirar paz quanto tudo estivesse dando errado ao seu redor?

Mesmo dormindo, ele ainda estava no controle. No meio da nossa maior dificuldade encontramos o Mestre dormindo. Com as habilidades de pescadores os discípulos se desesperaram, com a autoridade de Deus, Jesus dormia. Senhor, quero uma fé que me faça dormir nas tempestades da minha vida, que me faça crer, que mesmo que eu não perceba, Jesus ainda está no controle.

Todo o roteiro da história da humanidade já foi escrito; o próprio Deus escreveu. Todas as cenas já foram programadas para acontecer no seu devido tempo. Tudo foi organizado. O projeto Divino já foi concluído, e será executado nos mínimos detalhes.

Pensamos que a tempestade repentinamente se formou, mas ela só estava entrando em cena porque o diretor do universo a chamou para o palco; suas ondas estão apenas dançando a sinfonia do autor da vida.

Achamos que perdemos o controle da situação, mas o Senhor dos céus jamais deixa nada sair do seu controle. Todas as mudanças grandes e pequenas foram antes por Ele projetadas. Desde o simples trabalho das formigas, dos seres pequeninos, até as maiores forças da natureza, vulcões, terremotos, maremotos, aquela situação em nossas vidas que não conseguimos controlar, alegrias, tristezas, desafios, tudo passou cuidadosamente pelas suas minuciosas mãos.

A orquestra do Criador nunca desafinou; seus componentes acompanhados de seus instrumentos nunca deixaram de seguir a partitura, mesmo ás vezes sem entender, o Maestro do universo rege toda a criação com a palma das suas mãos. Nada sai do controle do Todo Poderoso. Nada.

Samuel Segantine Ribeiro

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

O RELÓGIO DE DEUS


Vivemos tempos rápidos, um corre corre violento, natal, ano novo, daqui a pouco já é natal de novo e ano novo outra vez. Até parece que o relógio acelerou.

Não! não parece! O relógio de Deus acelerou realmente e os textos bíblicos estão se cumprindo um a um. O texto de 1 tessalonicenses 4.13-18 que diz:

“Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, (os que estão mortos), para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.

Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, (mortos) Deus os tornará a trazer com ele.

Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.

Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.

Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras”.

Esse tempo, pode ser daqui a pouco, a noite, amanhã, só o Senhor sabe, mas uma coisa eu sei, está muito próximo e, não tem carona.

Lidiomar Trazini Granatti / Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

O QUE SIGNIFICA ESTAR EM JUGO DESIGUAL?


A frase "jugo desigual" vem de 2 Coríntios 6:14: "Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?"

Um jugo é uma barra de madeira que une dois bois um ao outro e à carga que puxam. Uma junta em "jugo desigual" tem um boi mais forte e um mais fraco, ou um mais alto e um mais baixo. O boi mais fraco ou mais baixo anda mais lentamente do que o mais alto ou mais forte, fazendo com que a carga se mova em círculos. Quando os bois estão em jugo desigual, eles não podem executar a tarefa que está diante deles. Em vez de trabalhar juntos, estão em desacordo um com o outro.

A admoestação de Paulo em 2 Coríntios 6:14 faz parte de um discurso maior à igreja de Corinto sobre a vida cristã. Ele desencorajou-os de estar em uma parceria desigual com os infiéis porque os crentes e descrentes são opostos, assim como a luz e as trevas são opostos. Eles simplesmente não têm nada em comum, assim como Cristo não tem nada em comum com o "Maligno", uma palavra hebraica que significa "inutilidade" (v. 15). Aqui Paulo a usa para se referir a Satanás.

A ideia é que o mundo pagão, mau e descrente é regido pelos princípios de Satanás, e que os cristãos devem se separar desse mundo perverso, assim como Cristo era separado de todos os métodos, objetivos e planos de Satanás. Ele não teve nenhuma participação neles e nem formou nenhuma união com eles – assim deve ser com os seguidores de um em relação aos seguidores do outro. A tentativa de viver uma vida cristã com um não-cristão como um amigo e aliado próximo só nos fará andar em círculos.

O "jugo desigual" é muitas vezes aplicado a relações comerciais. Para um cristão entrar em uma parceria com um incrédulo é cortejar o desastre. Eles têm cosmovisões e morais opostas, e as decisões de negócios que devem ser feitas diariamente vão refletir um ou o outro.

Para a relação funcionar, um ou outro tem de abandonar o seu centro moral e avançar em direção ao do outro. Mais frequentemente do que não, é o crente que se vê pressionado a deixar os seus princípios cristãos para trás por causa do lucro e do crescimento do negócio.

É claro que a aliança mais próxima que uma pessoa pode ter com outra é encontrada no casamento, e é assim que a passagem é geralmente interpretada. O plano de Deus é para que um homem e uma mulher se tornem "uma só carne" (Gênesis 2:24) - uma relação tão íntima que um literal e figurativamente se torna parte do outro. Unir um crente com um incrédulo é, em sua essência, unir opostos, o que contribui para uma relação muito difícil.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz