quarta-feira, 22 de maio de 2019

UM CORAÇÃO QUE ESCUTA


"Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça".

Mais de uma vez Jesus disse estas palavras. Oito vezes nos Evangelhos e oito vezes no livro de Apocalipse nos é lembrado que não basta ter ouvidos; é preciso usá-los.

Numa de suas parábolas, Jesus comparou nossos ouvidos ao terreno. Contou do agricultor que espalhou a semente (símbolo da Palavra) em quatro diferentes tipos de solo (símbolo de nossos ouvidos).

Alguns de nossos ouvidos são como caminho endurecido: não receptivo à semente. Outros têm ouvidos como terreno pedregoso: ouvimos a Palavra mas não lhe permitimos que finque raiz. Outros mais têm ouvidos como um terreno cheio de ervas daninhas: demasiado crescidas, demasiado espinhosas, com demasiada competência para que a semente tenha uma oportunidade.

Porém há alguns que têm ouvidos para ouvir: bem arados, capazes de discernir e prontos para ouvir a voz de Deus.

Por favor, perceba que em todos os casos a semente é a mesma. O semeador é o mesmo. A diferença não está nem na mensagem nem no mensageiro, mas no que ouve. Se a proporção da história é significativa, 3/4 do mundo não estão ouvindo a voz de Deus.

Seja devido a corações endurecidos, vidas superficiais ou mentes cheias de ansiedade, setenta e cinco por cento de nós estamos perdendo a mensagem.

Não é que nos faltem ouvidos; é que não os usamos.

As Escrituras sempre deram grande importância a ouvir a voz de Deus. Na verdade, o grande mandamento de Deus por meio de Moisés, começa com as palavras: "Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR" (Dt 6:4).

Neemias e seus homens receberam elogios porque "estavam atentos ao livro da lei" (Ne 8:3). "Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada" é a promessa de Provérbios 8:34.

Jesus nos insta a que aprendamos a ouvir como ovelhas."as ovelhas ouvem a sua voz... e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. Mas de modo nenhum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos" (Jo 10:3-5).

A cada uma das sete igrejas em Apocalipse é dito o mesmo:"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas"

Nossos ouvidos, diferentemente de nossos olhos, não têm tampas. Devem permanecer abertos, mas quão facilmente eles se fecham.

Pilatos não escutou. Tinha o clássico caso de ouvidos que não ouvem. Não somente sua esposa o advertiu: "Não entres na questão desse justo" (Mateus 27:19), mas o próprio Verbo de vida advertiu: "Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz" (João 18:37). Porém Pilatos tinha ouvidos seletivos. Permitiu que as vozes do povo dominassem as vozes da consciência e do Carpinteiro. "Mas eles instavam com grandes brados, pedindo que fosse crucificado. E prevaleceram os seus clamores"(Lucas 23:23).

No final, Pilatos inclinou seu ouvido à multidão e o afastou de Cristo, e ignorou a mensagem do Messias. "A fé é pelo ouvir" (Romanos 10:17), e já que Pilatos não ouviu, nunca encontrou fé.

"Quem tem ouvidos, para ouvir, ouça". Quanto tempo faz que você fez uma revisão dos ouvidos?

Extraído do Livro: Simplesmente Como Jesus de Max Lucado / Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 21 de maio de 2019

POR QUE É IMPORTANTE ACREDITAR NA INERRÂNCIA BÍBLICA?


Vivemos numa época que tem a tendência de ser indiferente quando confrontada com erro. Ao invés de perguntar, como Pilatos: “O que é verdade?”, o homem pós-moderno diz: “Nada é verdade” ou talvez “A verdade existe, mas não podemos conhecê-la”. Já ficamos acostumados com mentiras e muitas pessoas já não se incomodam com a idéia de que a Bíblia também contém erros. 

A doutrina de inerrância bíblica é extremamente importante porque a verdade faz diferença. Esse assunto reflete no caráter de Deus e é fundamental ao nosso entendimento do que a Bíblia ensina. Veja a seguir alguns motivos pelos quais devemos acreditar sem qualquer sombra de dúvida na doutrina da inerrância bíblica:

1. A BÍBLIA MESMO DIZ SER PERFEITA. “As palavras do SENHOR são palavras puras, prata refinada em cadinho de barro, depurada sete vezes” (Salmos 12:6). “A lei do SENHOR é perfeita” (Salmos 19:7). “Toda palavra de Deus é pura” (Provérbios 30:5). Essas declarações de pureza são relatos absolutos. Note que a Bíblia não diz que “Quase toda palavra de Deus é pura” ou “A lei do SENHOR é quase perfeita”. A Bíblia argumenta sua perfeição completa, não deixando nenhum espaço para teorias de “perfeição parcial”. 

2. A BÍBLIA SE SUSTENTA COMO UM TODO OU CAI COMO UM TODO. Se um jornal importante fosse conhecido por conter erros constantemente, perderia sua credibilidade facilmente. Não faria diferença nenhuma dizer: “Todos os erros são encontrados na página 3 apenas.” Para um jornal ser confiável em quaisquer de suas partes, tem que ser verdadeiro como um todo. Da mesma forma, se a Bíblia é inexata quando fala de geologia, por que a sua teologia deveria ser confiada? A Bíblia ou é um documento confiável ou não. 

3. A BÍBLIA É UMA REFLEXÃO DO SEU AUTOR. Todos os livros são. A Bíblia foi escrita por Deus mesmo à medida que Ele trabalhava com autores humanos através de um processo chamado de “inspiração”. 2 Timóteo 3:16 diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus” (literalmente, “respirada por Deus”).Veja também 2 Pedro 1:21 e Jeremias 1:2. 

Acreditamos que o Deus que criou o universo é capaz de escrever um livro. E o Deus que é perfeito é capaz de escrever um livro perfeito. O problema não é só: “A Bíblia contém algum erro?”, mas sim “Pode Deus cometer um erro?” Se a Bíblia realmente contém erros, então Deus não é onisciente e é capaz dEle mesmo cometer erros. Se a Bíblia contém informação incorreta, então Deus não fala a verdade e é, portanto, um mentiroso. Se a Bíblia contém contradições, então Deus é o autor de confusão. Em outras palavras, se inerrância bíblica não é verdade, então Deus não é Deus. 

4. A BÍBLIA NOS JULGA, NÃO O CONTRÁRIO. “Porque a palavra de Deus é ......apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” (Hebreus 4:12). Note o relacionamento entre “coração” e “a palavra”. A palavra examina; o coração é examinado. Descontar partes da Palavra por qualquer razão é tirar a credibilidade da Bíblia. Nós nos tornamos os examinadores, e a Palavra de Deus precisa se submeter ao nosso “conhecimento superior”. Deus ainda diz: “Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?!” (Romanos 9:20).

5. A MENSAGEM DA BÍBLIA DEVE SER ACEITA COMO UM TODO. Não é uma mistura de várias doutrinas das quais podemos escolher. Muitas pessoas gostam dos versículos que dizem que Deus os ama, mas não gostam dos versículos que dizem que Deus vai julgar os pecadores. Não podemos sair escolhendo o que gostamos da Bíblia e jogar fora o resto. Se a Bíblia está errada sobre o inferno, por exemplo, então quem pode dizer que ela esta correta sobre o céu – ou qualquer outra coisa? Se os detalhes da Bíblia sobre criação não são corretos, então talvez os detalhes sobre salvação também não podem ser confiados.

Se a história de Jonas é um mito, então talvez a história de Jesus também o seja. Ao contrário, Deus disse o que disse, e a Bíblia nos apresenta um retrato completo de quem Deus realmente é. “Para sempre, ó SENHOR, está firmada a tua palavra no céu” (Salmos 119:89).

6. A BÍBLIA É A NOSSA ÚNICA REGRA PARA FÉ E PRÁTICA. Se não é confiável, então em que baseamos nossas crenças? Jesus pede por nossa confiança, e isso inclui confiança no que Ele diz em Sua Palavra. João 6:68-69 é uma linda passagem. Jesus tinha acabado de testemunhar a partida de muitos que tinham clamado segui-lO. Então Ele se vira para os doze discípulos e pergunta: “Porventura, quereis também vós outros retirar-vos?” Pedro então responde por todos quando diz: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna.” Que também tenhamos a mesma confiança no Senhor e em Suas Palavras de vida.

Nada do que apresentamos aqui deve se entendido como uma rejeição ao estudo verdadeiro. Inerrância bíblica não significa que devemos parar de usar nossas mentes ou aceitar de forma cega tudo que a Bíblia diz. Somos comandados a estudar a Palavra (2 Timóteo 2:15), e aqueles que a estudam com avidez são elogiados (Atos 17:11). Além disso, reconhecemos que há passagens bíblicas que são difíceis de entender, e que há desacordos honestos sobre certa interpretação. Nosso objetivo é nos aproximar das Escrituras com reverência e oração, e quando achamos algo que não entendemos, oramos mais ainda, estudamos mais e – se a resposta ainda não é clara – humildemente aceitamos nossas limitações em face à perfeita Palavra de Deus.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 20 de maio de 2019

FALAR E TER VIDA COM DEUS


“... Não se apavore, nem se desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar".Josué 1.9 

Falar com Deus é fácil, mas ouví-lo requer vida com Ele! 

Muitas pessoas vivem satisfeitas consigo mesmas 

Oram, leem a Bíblia, no seu entendimento, falam com Deus todos os dias, orgulhosas por estar cumprindo o seu papel de cristão 

Ledo engano! 

Grande parte dessas pessoas, preocupam-se em dar uma resposta, muitas vezes para si mesmas, outras vezes para a sociedade que os cercam 

Necessariamente, essa atitude não representa ter vida com Deus, pois ao terminar o devocional, fecham a porta e excluem Deus pelo resto do dia. Eu dou o nome de religiosas, para pessoas assim 
Na vida com Deus, estamos em todo o tempo com Deus em nossos lábios, atitudes e principalmente no pensamento.

Vida com Deus é comer, beber, falar e respirar a presença do Pai em todos os lugares, em meio à multidão, ou sozinho, sem fanatismo, sem extremismos, mesmo que para alguns, pareça loucura. 

Ter vida com Deus é viver em sociedade mas, à parte dos vícios da sociedade! É contaminar sem ser contaminado. 

É dizer não, quando você anseia por dizer sim para o desejo do seu eu. 

É dizer tabom Pai, eu faço, tá doendo, mas eu faço. 

É amar quando o nosso desejo é tripudiar. 

É ser humilde e reconhecer as nossas limitações 

É depender de Deus na menor até a maior decisão.
É crer que Deus é real, que não está o céu esperando você entrar no quarto e despejar uma variedade de pedidos todos os dias. Crer que Ele é verdadeiro e que zela por cumprir a sua Palavra 

Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige: Pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus. Miquéias 6/8 

Ter vida com Deus é atravessar uma tempestade de granizo tendo o Senhor como guarda-chuvas 

Lidiomar T Granatti / Litrazini
Graça e Paz

domingo, 19 de maio de 2019

ERRANDO O ALVO


Um dos vocábulos usadas para a palavra pecado no Novo Testamento significa "errar o alvo". Pecar é não viver de acorde com os princípios de Deus. Todos nós erramos este alvo; não existe uma só pessoa que seja capaz de cumprir todas as leis de Deus, em todos os tempos.

E para alguns, até mesmo os padrões do mundo são difíceis de serem observados. Um dos espetáculos mais eletrizantes que podemos assistir é o dos Jogos Olímpicos Mundiais. Alguns atletas preparam-se durante anos e anos, disciplinando o corpo e a mente a fim de superar recordes cada vez mais elevados, e muitas vezes não alcançam seu objetivo.

Certa patinadora no gelo disse que temia que uma queda um dia viesse a prejudicar seu desempenho. Disse ela: "Pense só no volume de tempo que eu tenho investido nisso, e no que outras pessoas também investiram para ajudar-me. Um só erro basta para destruir tudo."

Na vida espiritual, estamos constantemente errando. Não existe possibilidade de apresentarmos um desempenho perfeito.

O Rei Davi disse: "Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem um sequer." (Sl. 14:3.)

O profeta Isaías confessa: "Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho." (Is. 53:6.)

Nós todos fomos afetados pelo pecado de Adão. Davi disse: "Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe." (Sl. 51:6.) Isto não significa que ele nascera de uma união ilegal, mas que ele herdara de seus país a tendência para pecar.

"Por que temos que ser castigados por algo que Adão fez?"

Pense nisso. Será que você teria agido diferentemente de Adão? Estou certo de que eu não teria.

Nós todos somos pecadores por escolha própria. Quando atingimos a idade da razão, e nos defrontamos com a escolha entre o bem e o mal, todos falhamos. Deliberamos ficar com raiva, ou mentir, ou praticar atos egoísticos. Passamos adiante mexericos ou denegrimos o caráter de alguém. Nenhum de nós pode realmente confiar no próprio coração, assim como ninguém pode confiar em um leão.

Em certa reserva florestal da África Oriental, os leões podem vaguear à vontade, como se estivessem em seu próprio habitat. Os visitantes têm permissão para atravessar a área de carro ou de jipe, para ver os animais, mas são advertidos a que nunca se aproximem deles. Uma senhora, porém, arriou a vidraça do veículo para ver melhor e, inesperadamente, um leão a atacou, ferindo-a gravemente. Aquele animal parecera tão manso, tão dócil, mas em questão de instantes tornou-se feroz.

A Bíblia aplica este princípio da seguinte maneira: "Eis que o pecado jaz à porta"(Gn. 4:7.) Quando as circunstâncias favorecem, a maioria das pessoas é capaz de qualquer coisa. Davi foi um exemplo clássico. Premido pelas circunstâncias do desejo carnal, ele possuiu a mulher de outro homem; depois, tomou previdências para que o marido dela fosse eliminado, enviando-o para a linha de frente da batalha.

Mas alguém pode estar dizendo: "O senhor faz todo mundo parecer tão podre que isso não pode realmente ser verdade." Naturalmente, que não é. Mas é possível um indivíduo possuir moral ilibada e, no entanto, não ter amor por Deus, que é o requisito fundamental da lei.

E quando deixamos de preencher os requisitos de Deus, somos culpados e estamos sob condenação. O fato de sermos culpados implica em que merecemos castigo.

A própria santidade de Deus reage contra o pecado: "A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens..." (Rm. 1:18.)

Extraído do Livro COMO  NASCER  DE  NOVO de autoria de Billy Graham / Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 18 de maio de 2019

PALAVRA DE DEUS


Salmos 119.105 – Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz para o meu caminho.

O capítulo 119 do Livro de Salmos contém 175 versículos, todos mencionando a excelência da palavra de Deus.

Salmos 119.11 – Guardei a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti. 119.140 – A tua palavra puríssima, por isso o teu servo te ama. 

Dt 32.2 – Goteje a minha palavra como a chuva, destile o meu dito como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva.

Isaías 40.8 – Seca-se a erva, e caem as flores, mas a palavra de Deus permanece eternamente.

Isaías 55.11 – Assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.

Mt 4.4 – Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.

Mt 24.35 – O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não há de passar.

Jo 15.3 – Vós já estás limpos pela palavra que eu vos tenho falado. 

Jo 17.17 – Santifica-os na palavra a tua palavra é a verdade.

2 Tm 2.15 - Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

2 Tm 3.16 – Toda a Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para redargüir [replicar/responder argumentando], para corrigir, para instruir [ensinar] em justiça [a virtude de dar a cada um aquilo que é seu]. Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.

2 Tm 4.1-2 – Conjuro-te diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes [insistir] a tempo e fora de tempo, redarguas [responder argumentando], repreendes [advertir ou censurar com veemência], exortes [animar/aconselhar], com toda a longanimidade [paciência, coragem intrepidez] e doutrina [ensinamento/catequese cristã]...

2 Tm 4.13 – Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos [pele de cabra ou ovelha em que a Palavra foi inicialmente escrita; livros].

Cl 3.16 – A palavra de Cristo habite em vós abundantemente...

Hb 4.12 – Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

Tg 1.20 – Sede cumpridores da palavra e não apenas ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.

Ap 22.19 - Se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro. Dt 4.2 – Nada acrescentareis à palavra que vos mando.

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 17 de maio de 2019

SOFRIMENTOS INCOMPREENDIDOS


"Por que o justo mesmo estando sobre a proteção de Deus sofre tribulação?" 

O que devemos analisar de imediato é que a lei da semeadura e da colheita está em pleno vigor. 

A Palavra de Deus preceitua que tudo quanto o homem semear, isso também ceifará. Não raro, sofremos apenas a consequência de nossa imperícia. 

Todavia, existem casos que desafiam e anulam essa justificativa. Então, surgem as perguntas: 

"Por que sofre o justo?"; 

"Por que o cristão, protegido pelo amor de Deus, padece tribulações?"; 

"Por que o ímpio, que amaldiçoa e escarnece da divindade parece vencer e prosperar em todas as coisas?; 

"Como explicar que alguém no vértice de sua comunhão, com Deus o Pai, Deus o Filho e Deus o Espírito Santo, se veja de repente soterrado pela adversidade, pela tragédia e pela destruição?" 

Estas perguntas não são novas. Foram sempre a arma maliciosa e cruel que os céticos e materialistas usaram, e ainda usam, para ridicularizar e pôr em dúvida a confiança e a firmeza dos fiéis, ao se encontrarem falidos e desamparados. 

Estas perguntas têm sido um dilema insolúvel até mesmo para os religiosos mais sinceros de todos os tempos. Nos dias de Jesus, após a realização de uma cura, indagaram-lhe os seus discípulos: "Mestre quem pecou para que este homem nascesse cego, ele ou seus pais?" 

Ainda hoje prevalecem essas conjecturas. "Sofremos porque nossos pais pecaram" - dizem uns. "Sofremos - argumentam outros - porque nós mesmos pecamos em tempos remotos; pagamos dívidas antigas, a fim de evoluirmos espiritualmente." 

Pergunta-se então ao próprio Cristo: "Terá o sofrimento caráter tão-somente negativo?" 

Eis a resposta do Mestre Divino: "Nem ele nem seus pais pecaram, mas isso aconteceu para que se revelasse a glória de Deus". E para que coisa mais positiva do que revelar-se a glória de Deus entre os homens? 

O grande enigma do sofrimento dos justos é nos impossível decifrar. 

A par destas difíceis perguntas, há ainda quebra-cabeças como "Por que o Céu, sendo um lugar onde não entra pecado, foi justamente o berço da iniquidade, com a rebelião de Lúcifer?", ou dilemas semelhantes a "Como podia Deus ser eterno, em termos absolutos e ao mesmo tempo deixar-se subjugar pela morte no Calvário?", ou ainda, "Como Deus, sendo um Deus de amor, permite um filho seu morrer incinerado num desastre aéreo, em plena viagem missionária?", são segredos que talvez nunca conseguiremos perscrutar nesta vida.

Entretanto, como a questão do sofrimento dos justos afeta decididamente o nosso dia adia, Rogamos a Deus que, pelo poder do seu Espírito Santo, rasgue novas perspectivas e descortine novos horizontes na compreensão e no entendimento do amigo leitor, a fim de que vislumbre, bem mais e melhor, as razões por que Deus permite a provação. 

De fato, temos de convir, quer queiramos ou não, que Deus não procede, em geral, e também neste caso, como nós gostaríamos que Ele agisse. Não é assim no mundo material, nem no espiritual. Os terremotos e os tufões não são os seus meios ordinários, mas extraordinários. 

A razão por que Deus permite certas coisas, encontra-se além das nossas conjeturas. Contudo, poderemos estudar suas obras na natureza, e acharemos que concordam com as obras da sua providência: Mt 6.25-32. "Deus tem a eternidade perante si", diz santo Agostinho, e "pode esperar". O seu tempo não é limitado como o do homem, que, se tem alguma coisa a fazer, quer fazê-lo logo, pois a noite vem. Porém, não é assim com Deus: Ele opera, em nosso pensar, deliberada, segura e irresistivelmente. 

Não devemos contar os anos de Deus como contaríamos os poucos dias a nós reservados: "Não retarda o Senhor a sua promessa como alguns entendem". O nosso fraco alcance, a profundidade do infinito e a sua extensão, lembram que os juízos de Deus são muito profundos. Aprendamos, portanto, que quando Deus trabalha, ninguém pode impedir; contudo, Ele trabalha como o eterno Deus: Jo 13.7. 

Extraído do Livro a bíblia responde - Casa Publicadora das Assembléias de Deus – CPAD  / Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 16 de maio de 2019

O QUE DEUS NÃO PODE FAZER


Uma das declarações mais assombrosas sobre Jesus é o resumo: "nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca"(Isaias 53:9, ACF).

Jesus foi obstinadamente verdadeiro. Cada palavra sua foi precisa e certeira, cada frase sua foi verdadeira. Não trapaceava nos exames. Não alterava os livros. Nem uma única vez esticou a verdade. Jamais obscureceu a verdade. Nunca evadiu a verdade. Simplesmente disse a verdade. Não se achou engano em sua boca.

E se Deus pudesse agir à sua maneira em nós, nenhum engano seria achado em nossas bocas.

Deus anela que sejamos como Jesus. seu plano, se você lembrar, é moldar-nos segundo as linhas de seu Filho (Romanos 8:28). O que tenta não é diminuir ou minimizar nosso engano, mas sim eliminá-lo. Deus é taxativo quanto à falta de verdade: "O que usa de engano não ficará dentro da minha casa" (Salmo 101:7, ACF).

Nosso Mestre tem um código de honra estrito. De Gênesis até Apocalipse, o tema é o mesmo: Deus ama a verdade e aborrece o engano. Em 1 Coríntios 6:9-10 Paulo faz uma lista das pessoas que não herdarão o Reino de Deus. As pessoas que descreve é uma espinhosa variedade dos que pecam sexualmente, dos idólatras, dos adúlteros, dos que vendem seus corpos, dos bêbados, dos que roubam e, aqui está: dos que mentem.

Tal rigor talvez surpreenda. Você quer dizer que minhas mentirinhas e lisonjas despertam a mesma ira celestial que o adultério e o assalto? Evidentemente que sim. Deus vê o trapacear na declaração do imposto de rendas do mesmo modo como vê o prostrar-se diante de ídolos.

"Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu deleite"(Provérbios 12:22, ACF).

"Estas seis coisas o SENHOR odeia (...) língua mentirosa" (Provérbios 6:16-17, ACF).

"Destruirás aqueles que falam a mentira; o SENHOR aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento" (Salmo 5:6, ACF).

Por quê? Por que tanta severidade? Por que uma posição tão rigorosa?

Por uma razão: a falta de veracidade é absolutamente contrária ao caráter de Deus. Segundo Hebreus 6:18, é impossível que Deus minta. Não é que Deus não mentiria ou que tenha escolhido não mentir; não pode mentir. Que Deus minta seria a mesma coisa que um cachorro voasse ou que uma ave latisse. O livro de Tito ecoa das mesmas palavras que o livro de Hebreus: "Deus, que não pode mentir..." (Tt 1:2, ACF).

Deus sempre diz a verdade. Quando faz uma aliança, a guarda. Quando afirma algo, quer dizer isso. Quando proclama a verdade, podemos acreditar. O que Ele diz é verdade. Até "Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo" (2 Timóteo 2:13, ACF).

Satanás, por outro lado, acha impossível dizer a verdade. Segundo Jesus, o diabo é o "pai da mentira" (João 8:44). Se você se lembra, o engano foi a primeira ferramenta que o diabo tirou de seu bolso. No jardim do Éden Satanás não desalentou Eva. Não a seduziu. Não se aproximou dela sub-repticiamente. Simplesmente mentiu para ela. "É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? (...) Certamente não morrereis" (Gênesis 3:1,4, ACF).

Extraído do Livro Simplesmente Como Jesus de Max Lucado / Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 15 de maio de 2019

ARMAS DA NOSSA GUERRA – SÍNTESE


Visando esclarecer e auxiliar pessoas que sofrem por não conhecer as armas que Deus disponibiliza na Bíblia, deixo abaixo uma relação das principais armas e como usá-las. O importante é praticar e declarar a Palavra de Deus, independente da forma e/ou vocabulário.
  
1. O SANGUE DE JESUS 
Revista os bens físicos, materiais, espirituais, o seu emocional; revista a você, sua casa, seus parentes com o Sangue de Jesus Cristo de Nazaré. "Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro, e pela palavra do seu testemunho e não amaram a sua vida até a morte" (Ap.12:11)

2. O NOME DE JESUS 
TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE. Na Autoridade do Nome de Jesus Cristo de Nazaré, cancele todo o projeto maligno e, profetize: paz, amor, saúde, alegria, prosperidade, provisão, união, comunhão e vitória. “E tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai.” (Cl.3.17)

3. ANJOS GUERREIROS DO SENHOR 
Peça ao Senhor que acampe anjos guerreiros em sua casa, empresa, veículos, familiares, vizinhos, amigos, conhecidos, inclusive seus animais. Peça ao Pai que coloque anjos na porta da sua mente, nos seus sonhos, guardando de todo ataque das trevas.

4. ARMADURA DE DEUS
Tome posse da Armadura de Deus completa todos os dias, conforme está na Palavra, em Efésios 6.10 em diante; vista-a da cabeça aos pés, tanto nos bens físicos, quanto materiais, espirituais e no emocional; vista a Armadura de Deus em você, esposa (o), filhos (as), bens, empresa, trabalho, escola, animais, etc.  Vista:

A- CAPACETE DA SALVAÇÃO: JESUS É A NOSSA SALVAÇÃO “E, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que obedecem” Hb 5.9. Vista o capacete da salvação para que a mente não seja manipulada pelo inimigo, para que nem um dardo inflamado ou seta do maligno tenha acesso a você. Para que somente ao Senhor seja dado o poder de orientação e direção sobre sua vida, e que nenhum pensamento que não provenha de Deus tenha acesso à sua mente. Que não seja alvo de manipulação satânica.

B- COURAÇA DA JUSTIÇA: JESUS É A NOSSA JUSTIÇA “Àquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus” II Co. 5.21. Para que os órgãos vitais, o emocional e também o físico sejam preservados de toda e qualquer ação que não venha de Deus, pois só Ele é Justiça Nossa.

C- CINTO DA VERDADE: JESUS É A NOSSA VERDADE - “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” Jo.14.6. Cingimo-nos com o cinturão da verdade para que somente a Palavra verdadeira tenha acesso a nós e também seja por nós mencionada; Que as distorções e as mentiras, que nos cercam, sejam desmascaradas.

D- SANDÁLIAS DO EVANGELHO DA PAZ: JESUS É NOSSA PREPARAÇÃO – “Eu vos dou a minha paz, não vo-la dou como o mundo a dá”. Calce as suas sandálias da paz, para que possa divulgar a sua palavra em paz, que haja em torno de nós uma muralha, protegendo de qualquer influência ou interferência maligna, pois temos a paz do Senhor como herança.

E- ESCUDO DA FÉ: JESUS É A NOSSA FÉ - “E assim, a fé vem pela pregação e a pregação pela Palavra de Cristo”Rm 10.17. Empunhe o escudo da fé, pois Jesus é o escudo da fé, interceptando e apagando todo e qualquer dardo inflamado ou seta maligna.

F – ESPADA DA PALAVRA DO ESPÍRITO SANTO DE DEUS: JESUS É A PALAVRA VIVA. “As palavras que eu vos tenho dito, são espírito e são vida” João 6.63. Empunhe a espada do Espírito Santo de Deus desembainhada, com Jesus Cristo à nossa frente como escudo, e com a espada do Espírito Santo (PALAVRA) desembainhada, enfrentamos todo o mal e sairemos vitoriosos. O Sangue do Cordeiro não foi derramado na cruz em vão. E, SE TU ÉS POR NÓS, QUEM SERÁ CONTRA NÓS. MAIOR É O QUE HABITA EM NÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO.

G - ORANDO EM TODO TEMPO NO ESPÍRITO: JESUS É QUEM BATIZA NO ESPÍRITO.E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito Santo – sabe qual é sua intenção – porque segundo a vontade de Deus é ele que intercede (perante Deus) pelos Santos.” (Rm. 8.27). Então, quando oramos o Espírito Santo vem em nosso auxílio, une suas fortes súplicas à nossa, intercede diante de Deus por todos nós. Quando Ele nos capacita a orar de acordo com a perfeita vontade de Deus, nossas orações chegam ao seu destino (Rm. 8.26,27).

JOÃO 15:16 – “...a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá.”

LUCAS 10:19 – “Eis aí vos dei poder para pisardes serpentes, e escorpiões; e sobre todo o poder do inimigo, e nada absolutamente vos causará dano.

Claro que a nossa maior arma tanto de defesa quanto de ataque se resume principalmente em uma VIDA com Deus.

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 14 de maio de 2019

VIDA DE ORAÇÃO, VIDA DE COMUNHÃO COM DEUS


“De tarde, de manhã, e ao meio dia, orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz.” (Salmo 55.17).

Davi era um homem de profunda comunhão com Deus. Davi orava. Neste verso, nós notamos o quanto para ele era importante buscar e manter comunhão com o Pai, estar diariamente em Sua presença através da oração.

Davi buscava sistematicamente a Deus, armazenando assim, forças para enfrentar os desafios que apareceriam em sua frente.

Davi cedo aprendeu o conselho aos hebreus: “Aproximemo-nos do trono da graça com toda confiança, para que recebamos misericórdia e encontremos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno.” (Hebreus 4.16).

Quando as necessidades surgiram, Davi não duvidou daquilo que Deus poderia realizar. Porque em sua maratona diária na busca por Deus, ele aprendeu a conhecer ao Deus Todo-Poderoso e a confiar Nele para ajudá-lo e guardá-lo.

Nos dias em que vivemos, constatamos o quanto tem sido desvalorizada ou renegada a vida devocional diária.

Há pessoas que raramente oram; algumas costumam orar na hora das refeições e ao deitar-se; outras somente oram nos momentos de crise. 

Quem não possui uma vida de comunhão com Deus, por certo não está preparado, principalmente espiritualmente para enfrentar as dificuldades e as crises que a vida apresenta, as quais em sua maioria chegam de forma inesperada. 

Muitas são as pessoas abaladas pelas tempestades desta vida; e muitos os relacionamentos que são esmagadas pelas lutas e tribulações. Entretanto, há aqueles que apesar das adversidades se mantém firmes; isto se deve ao amor que nutrem por uma vida de oração, fazendo da comunhão com Deus prioridade.

Desta forma ao se defrontarem com o adversário, com as lutas, podem até sofrer, mas enfrentam as pelejas com coragem, ânimo e fé. 

Creio firmemente que as orações possuem o poder de mudar situações, mesmo aquelas consideradas impossíveis.

Que venhamos a cultivar esse hábito tão necessário e que ele se torne natural em nossa vida

Pr. Silvio Correa Coelho

Por Litrazini
Graça e Paz